Compartilhando Saberes, Olhares e Fazeres…

Fala, rede!

No mês de agosto, foi finalizada a 2ª formação de Produção de Mídias Estudantis, realizada pela Rede Anísio Teixeira (Programa de Difusão de Mídias e Tecnologias Educacionais Livres da Rede Pública Estadual de Ensino).

raulino
Fig. 1: Professor Raulindo em plena produção textual. Captura Rodrigo Maciel

Essa formação é ofertada a estudantes e professores da rede pública estadual de ensino, o que possibilita uma vivência compartilhada entre esses atores, ampliando as relações professor-aluno. A formação em mídias estudantis é mais uma iniciativa de se discutir e problematizar as diversas metodologias educacionais mediadas pelas tecnologias, em especial a produção de  textos para blogs, a leitura e interpretação de imagens como novas formas de letramentos e a produção audiovisual como elemento de construção crítica e contextualizada de conteúdos curriculares.

marcus

Fig. 2: A turma na aula de roteiro como Professor Marcus Leone. Captura Rodrigo Maciel

A escola contemporânea deve possibilitar novos diálogos com as diversas formas de ler o mundo e suas transformações. O multiletramento possibilita que vejamos e interpretemos a dinâmica no espaço por meio de diversos instrumentos de leitura. O ato de ler está relacionado a diversas modalidades de leitura (s), seja ela um texto, uma música, uma imagem. A educação mediada pelas tecnologias, de forma colaborativa e livre, pode ser um caminho viável para esse nosso novo percurso. É com essa filosofia metodológica que os formadores da Rede Anísio Teixeira conduzem a formação, sempre procurando o “fazer junto, fazer com”.

peterson

Fig. 3: Aula de fotografia e leitura e interpretação de imagem com o Professor Peterson Azevedo. Captura Rodrigo Maciel

A professora de história, Sandra Barbosa, do Colégio Estadual de Vilas de Abrantes, no município de Camaçari, apontou a importância “de trabalhar e valorizar o uso das tecnologias na sala de aula, visando a ética e o respeito […] para mostrar aos nossos alunos que isso é importante, vai gerar autonomia, que vai gerar a possibilidade de novos olhares”. Comentou ainda sobre a metodologia de estarmos juntos, professores e alunos, como aprendizes: “Não poderia deixar de falar sobre a importância de trabalhar junto com os alunos. Eu aprendi muito com os fazeres tecnológicos deles”.

O estudante Nickson Lima, do Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira, de Salvador, enfatizou: “Nunca imaginei que uma escola pública poderia me proporcionar uma formação que trabalhasse a tecnologia, como foi ofertado aqui. Meu intuito é aprender e levar para os meus colegas essa nova alfabetização”.

Um dos maiores objetivos da formação é estimular o empoderamento dos nossos professores e estudantes, principalmente no uso das tecnologias da informação e da comunicação; não como enfeites para as aulas, mas como processos na construção do conhecimentos para além da sala de aula, para a autonomia e protagonismos desses atores. Como relatou o professor e formador da Rede Anísio Teixeira, Raulino Júnior, “o mais importante desta formação é a possibilidade de dar autonomia para os participantes”.

É possível fazer com o estudante e não apenas para o estudante.

Até a próxima.

Peterson Azevedo

Fotógrafo e Professor da Rede Pública Estadual de Ensino da Bahia

Anúncios

I Encontro Baiano de Mídia Livre segue com programação até o dia 13

A palavra de ordem é liberdade. Liberdade para criar. Liberdade para interferir. Liberdade para comunicar. É com essa certeza que os participantes do I Encontro Baiano de Mídia Livre acompanham o evento, promovido pela rede de mídia livre Bahia 1798. O encontro, que se estenderá até 13 de agosto, na Biblioteca Pública do Estado da Bahia (Biblioteca dos Barris), em Salvador, conta com uma programação que inclui atividades de formação, painéis, oficinas e trocas de experiência entre midialivristas.

Fig. 1: Pedro Caribé, coordenador geral do I Encontro Baiano de Mídia Livre, fala sobre os princípios do midialivrismo. Foto: Vitor Moreira
Fig. 1: Pedro Caribé, coordenador geral do I Encontro Baiano de Mídia Livre, fala sobre os princípios do midialivrismo. Foto: Vitor Moreira

Ontem, com o objetivo de estimular isso de forma efetiva, o evento já começou dando espaço para as pessoas falarem de suas iniciativas de mídia. A Roda de Apresentação, como foi denominado o momento, permitiu que coletivos de todos os lugares do estado, e de outras regiões do Brasil, expusessem os seus projetos, enfatizando os objetivos e planos de ação.

Em seguida, foi a vez do painel Revolta dos Búzios e Liberdade de Expressão tomar conta das discussões. Antonio Olavo (historiador e cineasta) e Samuel Vida (advogado e professor de direito da Universidade Federal da Bahia e da Universidade Católica do Salvador) foram os debatedores. A jornalista Alana Reis, da Revista Afirmativa e do Coletivo de Cinema Tela Preta, fez a mediação.

Antonio Olavo (esquerda), Samuel Vida (centro) e Alane Reis durante o painel Revolta dos Búzios e Liberdade de Expressão. Foto: Vitor Moreira
Fig. 2: Antonio Olavo (esquerda), Samuel Vida (centro) e Alane Reis durante o painel Revolta dos Búzios e Liberdade de Expressão. Foto: Vitor Moreira

Antonio Olavo deu um depoimento exclusivo para o Blog do Professor Web e da Professora Online e reforçou o que discutiu durante o encontro, ao falar sobre a importância da Revolta dos Búzios para a nossa história:

Já Samuel Vida destacou a importância do debate sobre a democratização dos meios de comunicação:

Educação

Profissionais da educação e toda a comunidade escolar devem, mais do que nunca, se apropriar dos recursos da tecnologia da informação e da comunicação, a fim de interferir criticamente nos processos de discussão sobre a grande mídia e produzir seus próprios conteúdos.

Para o jornalista e pesquisador Pedro Caribé, coordenador geral do I Encontro Baiano de Mídia Livre, essa apropriação contirbui para um novo modelo de educação:

 A Rede Anísio Teixeira endossa o discurso de Pedro e oferece, com frequência, oficinas de produção de mídias. Até amanhã (12/8), por exemplo, estão abertas as inscrições para mais uma turma. Se você tem vontade de participar, não perca tempo! Leia com atenção a Chamada Pública e venha compartilhar o seu mundo com a gente. Quem sabe você não vira um (a) midialivrista?

Raulino Júnior

Professor da Rede Pública Estadual de Ensino da Bahia

20 de Novembro: “Eu sou negão/Eu sou negão/Meu coração/É a liberdade!”

Ter o 20 de novembro

como data oficial

é uma forma de luta

já em nível nacional,

daqueles que, com amargura,

sofrem em bela pele escura

discriminação racial.

[…]

Que as várias etnias

convivam em fraternidade,

a beleza do país

está na diversidade;

convivamos como iguais,

mas que o negro jamais

perca a sua identidade”.

Oi,  pessoal!

Somos todos da mesma espécie! Somos todos iguais! Somos todos negros!

2

Fonte: www.rizomas.net/

Vou falar do legado histórico de uma pessoa que nasceu na mesma cidade em que eu nasci. Foi em União dos Palmares, cidade localizada no interior de Alagoas, sinônimo de “União, Luta, Liberdade, Resistência e Enfretamento” devido a Zumbi dos Palmares, o mais legítimo guerreiro de resistência negra que nasceu na Serra da Barriga. Desde, 1985, o local foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

serra da barriga

Fonte: http://serradabarriga.palmares.gov.br/?

Você sabia da existência do Parque Memorial Quilombo dos Palmares?

Parque Memorial Quilombo dos Palmares, é o primeiro e único parque temático sobre cultura negra do país que recria o ambiente da República dos Palmares – o maior, mais duradouro e mais organizado quilombo já implantado nas Américas.

parque1parque2

Quem desejar vivenciar essa experiência de viajar pelo conhecimento dos aspectos socioculturais do movimento de resistência negra precisa conhecer o Memorial Quilombo dos Palmares.

Ei, galera, é possível fazer um passeio virtual pela afro-brasilidade no site do parque,  com circuitos descritivos da recriação dos ambientes.

passeio virtual

Fonte: www.serradabarriga.palmares.gov.br/?page_id=553

Tenho muito orgulho de ter nascido lá; não porque é a cidade do meu nascimento simplesmente, mas por ter um herói de verdade como conterrâneo cuja luta e legado nos inspira até hoje como exemplo de resistência às desigualdades.

No dia 20 de novembro, celebra-se o aniversário da morte de Zumbi dos Palmares como registro do legado histórico e cultural para o Brasil e faz menção à Consciência Negra, a fim de ressaltar as dificuldades que os negros passam há séculos como lembrança de quanto os negros sofreram, desde a Colonização do Brasil, suas lutas e suas conquistas. Mas também serve para homenagear àqueles que lutaram pelos direitos da etnia e de seus principais feitos.

” Acima de sermos negros, brancos, árabes, judeus, americanos, somos uma única espécie. Quem almeja ver dias felizes, precisa aprender a amar a sua espécie (…) Se você amar profundamente a espécie humana, estará contribuindo para provocar a maior revolução social da história.”

Augusto Cury

 

Referências:

ALENCAR, Nezite. Afro-Brasil em Cordel. Ed. Paullus.

Ver em: Afro-Brasil em Cordel, de Nezite Alencar,

http://serradabarriga.palmares.gov.br/?page_id=10.16/11/2015

http://serradabarriga.palmares.gov.br/?page_id=553.16/11/2015

http://serradabarriga.palmares.gov.br/16/11/2015

Versos do título: música Eu sou negão, de Gerônimo.

 

Ana Cristina Mateus Rangel

Professora de Biologia da Rede Pública Estadual da Bahia

Como tornar público o Arquivo Público?

ttttt
Foto: Lucas Caldas

A partir desse questionamento, a curadora-chefe da 3ª Bienal da Bahia, Ana Pato, promove o projeto Quinta na Quinta, que vai acontecer no Arquivo Público do Estado da Bahia, localizado na Baixa de Quintas, nº 50, a partir do dia 17 de julho. O objetivo é tornar o Arquivo Público um espaço de visitação para professores e alunos.

O projeto conta com uma equipe de artistas que irão expor seus trabalhos no entorno do Arquivo, compondo um mosaico de intervenções artísticas. Também será aberto ao público o acervo do antigo museu Estácio de Lima, conhecido como museu Nina Rodrigues. O acervo desse museu contém seções para estudos antropológicos, como objetos de rituais litúrgicos do candomblé que foram apreendidos pela polícia. Também contém objetos da cultura indígena e do Cangaço, especificamente sobre o grupo de Lampião. Assim, as portas do Arquivo Público estão abertas para os professores da rede estadual, que podem programar visitas guiadas através do telefone 3117-6141. Até a próxima!

Por Valdineia Oliveira e Telma Gonçalves.

Cine PW: Vida Maria

 

Salve, salve, galera!

Hoje retomaremos as indicações de filmes que incrementam nossas discussões. Entrando no clima do mês em que focamos temáticas ligadas a gêneros e sexualidades em nossas conversas, indicamos o curta-metragem “Vida Maria”. Em pouco mais de oito minutos de animação 3D, o diretor e idealizador do projeto, Márcio Ramos, consegue reproduzir resumidamente a triste realidade da vida sertaneja.

A produção, de 2006, conta a vida de Maria José, que é apresentada como uma figura representante de história repetitiva de todas as outras Marias de sua família – de geração em geração – cujas vidas apresentam-se num ciclo infinito. Numa realidade onde as chances de melhorar de vida são poucas. E a situação torna-se mais agravante para as meninas, pois as mesmas não transitam noutro universo que não seja o familiar.  Assim, Márcio consegue expressar a falta de condição de mudança de vida, para melhor, a que os sertanejos estão condicionados.

Na trama, Maria José é obrigada a largar o sonho de poder estudar – considerado “uma perda de tempo”- para auxiliar nos afazeres domésticos, priorizando assim o sustento familiar. Essa atitude a coloca nas mesmas condições das outras Marias que já existiram e das que ainda virão.

O curta-metragem é todo produzido em tecnologia 3D, contendo as personagens e cenários modelados com base na realidade do sertão cearense, no Nordeste brasileiro. Região onde uma boa qualidade de vida e o acesso às políticas públicas são escassos, como o acesso a educação.

O curta foi contemplado com mais de quarenta prêmios, entre eles: Prêmio Especial, no Anima Mundi ;  Melhor Filme Nordestino, no Curta-se – Festival;  Melhor Animação, no Tudo sobre Mulheres em 2007;  Melhor Filme no Entretodos – Festival de Curtas-Metragem de Direitos Humanos, em 2007.

O tema central possui muito de experiência pessoal do diretor Márcio Ramos. “A ideia de realizar um projeto pessoal que fosse mais duradouro surgiu em 2000, mas, sem tempo, tive de adiá-lo por alguns anos“, diz, uma vez que manteve adiado seu sonho de realizar um curta pelo volume de prioridades que assumiu.

Valeu, pessoal. Boa sessão e boa reflexão. Até mais!

Fontes: Porta Curtas, Youtube

PW 2014 e as dicas de verão

2014 chegou trazendo sol, muito calor, férias e alegria! Mas, se você ainda não tem nada programado para este final de semana, não tem problema, temos muitas dicas de lazer com aprendizado para você se divertir!

Quem está no interior, pode curtir o tradicional Circuito Cultural Boi de Janeiro, que promete agitar as acidades de Araci, Barrocas, Biritinga e Teofilândia. De hoje (03) à 06 de janeiro as cidades receberão os grupos culturais que passam pelas ruas e praças fazendo suas apresentações de Terno de Reis e do Boi da Janeiro.

Já Salvador, Itaparica, Santo Amaro e Chapada Diamantina recebem o Encontro Internacional de Capoeira Angola, as atividades se estenderão até 10 de janeiro e contarão com capoeira angola, dança afro, samba de roda, maculelê, oficinas de berimbau, caxixi, atabaque e percussão, palestras, mostras de vídeo, apresentação de afoxé e caminhada ecológica. Se você está por perto, deem uma passada por lá!

Para sábado a programação continua super alto astral. Está previsto para todos os sábados de janeiro o projeto Café com Leitura, às 18h00 na Biblioteca Juracy Magalhães Jr (Itaparica). A ação disponibilizará títulos de jornais, revistas e livros ao público leitor, além de promover encontros com amigos, escritores, poetas e artistas de todos os segmentos da comunidade.

021

E pra fechar as dicas de hoje. Tem o domingão que promete ferver de eventos legais e imperdíveis… Porque o evento Domingo na Praça terá leitura ao ar livre, oficinas literárias, recital de poesia, teatro, contação de histórias e jogos recreativos. Entre os espaços estão a Lagoa do Abaeté (Itapuã), o Dique do Tororó (Tororó), a Praça Ana Lúcia Magalhães (Pituba), o Parque da Cidade (Itaigara) e a Praça Dois de Julho (Campo Grande).

Muito bom, né?! Então… Já pode se arrumar e curtir suas férias de verão com boa programação. Divirta-se!

Fonte: Agenda Cultural e Secult/BA

MEC – Curso de inglês Gratuito: 14mil vagas

Atenção galera do PW!

O Canal do Ensino, site totalmente voltado a educação publicou essa boa notícia que copio, abaixo, na íntegra pra você. Se inscreva, divulgue e… success!

O Ministério da Educação divulgou no Diário Oficial da União os critérios para os cursos presenciais de inglês do programa Inglês sem Fronteiras. Serão ofertadas 14.760 vagas para cursos que duram entre 30 e 120 dias. As inscrições ocorrem entre 12h do dia 9 de dezembro até as 23h59 do dia 16 de dezembro, pelo site do isf.mec.gov.br

Os cursos vão ocorrer em universidades parceiras cuja lista foi divulgada na portaria do DO desta quarta. A carga horária presencial é de quatro aulas de 60 minutos, divididas em dois encontros semanais em locais e horários definidos pela universidade credenciada.

Somente podem participar alunos que cursem graduação, mestrado ou doutorado e que tenham feito a versão on-line do curso My English. Terão prioridade os estudantes de cursos de graduação pertencentes às áreas do programa Ciência sem Fronteiras e que tenham feito o Enem a partir de 2010 com média mínima de 600 pontos, entre outros critérios.

O Programa Inglês sem Fronteiras foi lançado pelo MEC em dezembro do ano passado para melhorar a proficiência em língua inglesa dos estudantes brasileiros. A falta de proficiência no idioma tem criado dificuldades para o governo preencher as vagas oferecidas pelo Ciência sem Fronteiras.

Um abraço.

Relembrando nosso Novembro Negro

pw-novembro-negro-2013-blog

Olá, turma esperta.

 Iniciaremos dezembro fazendo um breve histórico dos diálogos construídos ao longo do Novembro Negro aqui no blog. Durante esse período, discutimos a trajetória dos povos negros que contribuíram com a construção da cultura e com as características de nossa população, bem como compartilhamos conteúdos referentes à história de luta, resistência e conquista obtidas por estes povos que, ainda hoje, são vítimas de preconceitos, mas seguem se fazendo participantes e atuantes na história oficial brasileira. Em muitos dos nossos textos você encontra conteúdos das diversas áreas do conhecimento e com inúmeras referencias históricas. Vejamos um resumo do que rolou…

Categorizamos nossas publicações em sessões para facilitar sua busca, como o Cine PW, que trouxe dicas de filmes e documentários questionadores sobre o papel atribuído aos povos negros em nossa sociedade, desde a analogia entre escravização no passado e no presente, com a obra “Quanto vale ou é por quilo?”, até a história de um afrodescendente; “herdeiro-descendente” das exclusões sociais narradas no filme “O contador de histórias”.

Além disso, aproveitamos o mês temático para estrear a sessão Radiola PW, espaço reservado a análise de letras de músicas que compartilham mensagens, através das quais conseguimos traçar discussões coerentes com a educação como um todo. Em novembro, avaliamos as conotações contidas em “Respeite meus cabelos, brancos”, do compositor e interprete Chico César; comentamos a música Zumbi, letra de Jorge Bem Jor, cuja narrativa retrata o contexto histórico do período de escravização no Brasil; e finalmente a música do baiano Gilberto Gil, “Quilombo, O Eldorado Negro”, uma narrativa que conta a importância do surgimento das comunidades quilombolas.

Aproveitamos o mês, também, para apresentar algumas resenhas de obras referente à temática. É o caso das obras “O Teatro do Bando: negro, baiano e popular”, trazendo a uma biografia sobre o Bando de Teatro Olodum; e a biografia de Luiz Gama, um dos maiores nomes da história da Revolta doa Malês.

Sugerimos o link de acesso direto para todas essas publicações e tantas outras que foram e continuarão a ser produzidas pela equipe com ajuda de toda comunidade escolar interessada. Indicamos, também, o Ambiente Educacional Web – AEW pra visualizarem outros conteúdos relacionadas a essa temática.

Convidamos vocês para que continuem a contribuir com sugestões relacionadas a essa temática e a todos os outros temas interessantes para a comunidade escolar.

Abraços.

Homenagem à literatura negra na Bienal do Livro

Olá, turma!

Em sua 11ª edição, a Bienal do Livro, que acontece de 08 a 17 de novembro, no Centro de Convenções, em Salvador, com atividades diversas voltadas para educadores e estudantes das escolas baianas e leitores em geral. O evento também oportunizará mais uma vez  um contato estreito entre escritores, livros e leitores.

Este ano a bienal contará com mais de 380 expositores, entre eles o estande da Secretaria de Educação do Estado da Bahia, onde O Professor Web se fará presente, num espaço cuja ênfase serão as discussões a cerca da literatura negra:

Letras Negras – A literatura negra inspira a temática do estande do Governo, através de homenagem a importantes representantes da cultura afro-brasileira, entre eles Deoscóredes Maximiliano dos Santos, o Mestre Didi (1917-2013), o historiador Ubiratan Castro (1948-2013), o estudioso Edison Carneiro (1912-1972), o poeta Jonatas Conceição (1952-2009), entre outros. Na programação que enfocará as Letras Negras, dia 09/11, 19h, acontece um bate-papo e sessão de autógrafo com o ator e escritor, Aldri Anunciação, autor da obra Namíbia Não!, vencedora na categoria Juvenil do Prêmio Jabuti – 2013. Haverá também lançamento da nova edição do livro Boi Multicor, do arte-educador Jorge Conceição (dia 09, 14h); palestra e tarde de autógrafos do livro “Uma conversa sobre Áfricas”, com o professor Juvenal de Carvalho (dia 11, 17h30); Oficina de escrita – rimas e letras de RAP, com Mr. Armeng (dia 12, 10h30) e batalha de MC´s, com Elvis Kazta (dia 12, 11h30), ambos no Território Jovem.

Entre as publicações da Secretaria de Cultura, haverá o lançamento do livro Festa da Boa Morte, da série Cadernos do IPAC/SecultBA (dia 12, 18h30) e o livro “Autores baianos: um panorama ”publicação trilíngue da Funceb/SecultBA composta por ficções e poemas de 18 autores baianos contemporâneos (dia 12, 19h). No dia 11/11, 16h, no Território Jovem, será apresentada a peça “Porque sou preta”, criação coletiva da Cia. de Teatro BIML, baseada no texto Mamãe, Por Que Eu Sou Branca e Ritinha É Negra?, do escritor Jaime Sodré. Verifique a programação completa e mais informações na página da Secult/BA.

Então, nos vemos lá!

Fonte:  http://www.cultura.ba.gov.br/2013/10/30/governo-do-estado-homenageia-literatura-negra-na-bienal-do-livro/

Enem 2013 – Dicas para a realização da prova

Olá, amig@s!

O Exame Nacional de Ensino Médio (ENEM) acontecerá neste fim de semana e sabemos que foi um ano intenso de estudos. A equipe do Professor Web deseja para os estudantes sucesso, mantenha calma e tranquilidade para a realização da prova.

Listamos algumas dicas para evitar contratempos no dia da realização da prova:

1- É necessário que o estudante conheça com antecedência o local da prova e verifique, através do Cartão de Confirmação, onde o exame será aplicado. Para saber onde fará a sua prova, clique aqui e informe o seu CPF e a senha cadastrada no momento da inscrição.

2- Chegar 1 hora antes do horário previsto para o início da prova.

3-O horário de realização da prova vai ser de acordo com o de Brasília. Portanto, fiquem atent@s! Alguns estados brasileiros não aderiram ao horário de verão, como o Estado da Bahia. Ou seja, como o ENEM está marcado para começar às 13h, os candidatos que residem na Bahia devem comparecer aos locais de prova antes das 12h.

4- Leia atentamente as regras contidas no cartão de orientação, nele contém as regras quanto aos materiais que poderão ser usados, como caneta, relógio e etc.

5 – Não esquecer de levar água e um lanche saudável e leve, já que a prova é longa e desgastante.

PW-enem-2013