Estão Abertas as Inscrições para a Olimpíada de Língua Portuguesa

Fig. 1: banner de divulgação da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro. Fonte: site oficial

Fig. 1: banner de divulgação da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro. Fonte: site oficial

A 5ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro está com as inscrições abertas até o dia 30 de abril de 2016. É preciso que as secretarias de Educação façam a adesão ao projeto, possibilitando, assim, que professores e estudantes se inscrevam. A inscrição pode ser feita através do site www.escrevendoofuturo.org.br. O tema desta edição é O lugar onde vivo, que propicia aos alunos estreitar vínculos com a comunidade e aprofundar o conhecimento sobre a realidade, contribuindo para o desenvolvimento de sua cidadania.

A Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro é um concurso de produção de textos para estudantes de escolas públicas de todo o país, do 5º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio. A iniciativa é uma ação do Ministério da Educação e da Fundação Itaú Social, com coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec).

O professor inscrito deverá orientar os estudantes a escrever um texto, em língua portuguesa, original e de autoria exclusiva de cada um deles, sobre o tema O lugar onde vivo, nas categorias abaixo:

Categorias

Anos escolares

Poema

5º e 6º anos do Ensino Fundamental

Memórias literárias

7º e 8º anos do Ensino Fundamental

Crônica

9º ano do Ensino Fundamental e 1º ano do Ensino Médio

Artigo de opinião

2º e 3º anos do Ensino Médio

Para tirar dúvidas sobre o concurso, além do site, os interessados poderão ligar para o 0800 7719310.

Esta postagem é uma adaptação do texto divulgado no site oficial da Olímpíada de Língua Portuguesa e de parte do seu regulamento.

Anúncios

Inep divulga vídeo com passo a passo para o Enem 2015

Nos próximos dias 24 e 25 de outubro, estudantes de todo o Brasil, inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), terão mais uma oportunidade para ingressar no ensino superior público (SISU) e privado (PROUNI, FIES e Ciência sem Fronteiras) ou receber o certificado de conclusão do ensino médio. Para ajudar a entender melhor todo o processo, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) publicou, em seu canal no YouTube, um vídeo que traz o passo a passo sobre o exame. Na publicação, intitulada Enem 2015 – passo a passo, o instituto trata de questões como horário das provas (em 2015, começará às 13h30, tendo como referência o horário de Brasília), documento de identificação para o candidato realizar a prova e aspectos da redação. O vídeo é bem explicativo. Não deixe de assistir!

Enem 2015 – passo a passo

Raulino Júnior

Professor da Rede Pública de Ensino da Bahia

MEC – Curso de inglês Gratuito: 14mil vagas

Atenção galera do PW!

O Canal do Ensino, site totalmente voltado a educação publicou essa boa notícia que copio, abaixo, na íntegra pra você. Se inscreva, divulgue e… success!

O Ministério da Educação divulgou no Diário Oficial da União os critérios para os cursos presenciais de inglês do programa Inglês sem Fronteiras. Serão ofertadas 14.760 vagas para cursos que duram entre 30 e 120 dias. As inscrições ocorrem entre 12h do dia 9 de dezembro até as 23h59 do dia 16 de dezembro, pelo site do isf.mec.gov.br

Os cursos vão ocorrer em universidades parceiras cuja lista foi divulgada na portaria do DO desta quarta. A carga horária presencial é de quatro aulas de 60 minutos, divididas em dois encontros semanais em locais e horários definidos pela universidade credenciada.

Somente podem participar alunos que cursem graduação, mestrado ou doutorado e que tenham feito a versão on-line do curso My English. Terão prioridade os estudantes de cursos de graduação pertencentes às áreas do programa Ciência sem Fronteiras e que tenham feito o Enem a partir de 2010 com média mínima de 600 pontos, entre outros critérios.

O Programa Inglês sem Fronteiras foi lançado pelo MEC em dezembro do ano passado para melhorar a proficiência em língua inglesa dos estudantes brasileiros. A falta de proficiência no idioma tem criado dificuldades para o governo preencher as vagas oferecidas pelo Ciência sem Fronteiras.

Um abraço.

Mais um papinho sobre a redação do Enem…

Oi, turma! Tudo bem? Na segunda-feira passada, o blog falou sobre a redação do Enem, destacando o Guia do Participante, elaborado pelo Ministério da Educação (MEC). Hoje, vamos focar em algumas dúvidas que, talvez, você tenha.Vamos lá?

  • É obrigatório colocar título na redação?

Não é. Na página 9 do Guia, o MEC coloca a seguinte observação: “O título é um elemento opcional na produção da sua redação e será considerado como linha escrita”. Contudo, reflita: quando você passa por uma banca de revista ou acessa um site de notícias, o que é que chama a sua atenção para ler o conteúdo completo? Se você pensou no título, acertou! Ele serve de chamariz para que o leitor se interesse pelo texto. Então, use isso a seu favor. Crie um título criativo e coerente com a temática e abordagem da sua redação.

  • Quais são os critérios utilizados pelo MEC para atribuir nota zero a uma redação?

São vários critérios. De acordo com as recomendações do MEC, o texto que fugir do tema, apresentar apenas sete linhas, não obedecer à estrutura dissertativo-argumentativa, contiver formas propositais de anulação e desrespeitar os direitos humanos será desconsiderado. Além disso, se o candidato deixar a folha de redação em branco, mesmo que o texto esteja completo na folha de rascunho, receberá nota zero.

PW-dica-enem-linguagens-codigos

Não. Os brasileiros passariam a usar, obrigatoriamente, as novas regras em 1° de janeiro deste ano. Porém, um novo decreto ampliou o período de implantação do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa no país para 1º de janeiro de 2016. Ate lá, coexistirão a norma em vigor e a norma proposta pelo Acordo. Portanto, nenhum candidato é obrigado a escrever a redação seguindo o que está previsto no texto do Acordo Ortográfico.

  • O candidato pode copiar trechos dos textos motivadores na sua redação?

Não. Os textos motivadores, como o próprio nome já diz, servem para motivar; estimular o candidato a refletir sobre o tema. Eles direcionam o debate proposto na redação. Não devem, em hipótese alguma, ser copiados no corpo do texto.

Anotou tudo direitinho? Então, até o nosso próximo encontro!

II Conferência Estadual Infantojuvenil pelo Meio Ambiente

Oi, turma!

Vamos todos contribuir para um planeta melhor!

conferencia

A II Conferência Estadual Infantojuvenil pelo Meio Ambiente está voltada para as escolas com, pelo menos, uma turma do terceiro e quarto ciclos do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano), cadastradas no Censo Escolar realizado pelo INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), no ano passado. Instituições públicas e privadas, urbanas e rurais, das redes estadual e municipal, assim como escolas de comunidades indígenas, quilombolas e de assentamento rural poderão participar do evento.

A Conferência tem como objetivo propiciar atitude responsável e comprometida da comunidade escolar com as questões socioambientais locais e globais, enfatizando a participação social e os processos de melhoria da relação de ensino e aprendizagem, em uma visão da educação para a sustentabilidade e o respeito à diversidade.

O evento é uma ação da Secretaria Estadual da Educação (SEC-BA) e do Ministério da Educação (MEC), sob coordenação local da Superintendência de Desenvolvimento da Educação Básica (SUDEB) / Diretoria de Currículos Especiais / Coordenação de Educação Ambiental e Saúde (CEAS), além das demais instituições que compõem a Comissão Organizadora Estadual (COE/ BA).

Fonte: http://estudantes.educacao.ba.gov.br/conferenciainfanto.

Programa Mais Cultura nas Escolas

O que é “Mais Cultura nas Escolas”?

Mais Cultura nas Escolas é o resultado da parceria MinC e MEC para promover o encontro de iniciativas culturais e escolas públicas de todo o Brasil, democratizar o acesso à cultura e ampliar o repertório cultural de estudantes, professores e comunidades escolares do ensino básico. Artistas, mestres das culturas populares, cinemas, pontos de cultura, museus, bibliotecas, arte educadores e outras iniciativas culturais agora podem elaborar Planos de Atividade Cultural em diálogo com projetos pedagógicos e com os eixos temáticos do Mais Cultura nas Escolas.

As atividades serão desenvolvidas dentro ou fora da escola por no mínimo 6 (seis) meses, valendo-se das mais diversas linguagens artísticas (música, teatro, audiovisual, literatura, circo, dança, contação de histórias, artes visuais, etc.) e manifestações da cultura (rádio, internet, jornal, culinária, mitologia, vestuário, mestre e saberes populares, etc.).

Banner para site.

Eixos Temáticos

Os eixos temáticos do Mais Cultura nas Escolas foram criados considerando a diversidade da cultura brasileira e das manifestações artísticas atuais. São 9 (nove) eixos para incentivar projetos voltados, entre outros temas, a atividades em museus, pontos de cultura, cinemas e outros espaços culturais; à criação, circulação e difusão artística; à cultura digital e comunicação; ao patrimônio material e imaterial; às tradições orais; às culturas indígenas e à cultura afrobrasileira.

Atores/ Participantes

iniciativas culturais

Pessoas física ou jurídica, indivíduos ou grupos que desenvolvem práticas e pesquisas em artes, patrimônio, cultura popular, etc. Entidades como bibliotecas, pontos de cultura, museus, cinemas e outros espaços. O melhor meio de encontrá-las é explorar territórios educativos potenciais em torno da escola, atentando aos espaços e atores da cultura.

escolas

Poderão inscrever projetos cerca de 34 mil escolas da rede pública, espalhadas por todo o Brasil, ativas nos Programas “Mais Educação” e “Ensino Médio Inovador” (MEC) até 2012. 

Como participar?

Escolas e iniciativas culturais vão criar juntas um Plano de Atividade Cultural, em diálogo com um ou mais eixos temáticos propostos pelo programa. Os projetos serão cadastrados e enviados, pelos responsáveis das escolas, via SIMEC (Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle do Ministério da Educação) até o dia 30 de junho de 2013. O processo de avaliação será conduzido pelos dois Ministérios, MinC e MEC.

Recursos

Em 2013 serão investidos R$ 100 milhões para financiar 5 (cinco) mil projetos. Cada um dos contemplados vai dispor de valores entre R$ 20 e R$ 22 mil reais. Os recursos financiam, entre outros itens, a contratação de serviços culturais necessários às atividades artísticas e pedagógicas. Os valores serão repassados diretamente às escolas via PDDE/ FNDE (Programa Dinheiro Direto na Escolas/ Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação).

Para visualizar as listas com nomes, endereços, telefones e outras informações das escolas participantes do Mais Cultura nas Escolas, procure na página do programa, em cima e à direita do quadro “Saiba Mais”, um link com o nome “Documentos”. Entre os materiais disponíveis estão arquivos em formato .pdf, nomeados “Escolas Participantes – Mais Educação (MEC)” e “Escolas Participantes – Ensino Médio Inovador (MEC)”. Nesse mesmo espaço também está disponível o “Manual – Mais Cultura nas Escolas”, com informações e orientações para a construção dos Planos de Atividade Cultural.

Para tornar plenas as condições de leitura desses materiais, é recomendável que seja selecionada a opção “Baixar”, no link à direita da visualização disponibilizada pelo portal do MinC.

Mais informações, documentos e conteúdos – Cliquem aqui!

Fonte: http://www.cultura.gov.br/maisculturanasescolas

ProUni: Primeira convocação tem 159,1 mil candidatos a bolsa pré-selecionados

Na primeira convocação do Programa Universidade para Todos (ProUni), nesta quinta-feira, 24, foram pré-selecionados 159.177 candidatos — 107.575 para bolsas integrais e 51.602 para as parciais. O prazo para comprovação das informações e matrícula na instituição de ensino que chamou o candidato vai até o dia 31 próximo.

Nesta primeira edição do programa em 2013, São Paulo é a unidade da Federação maior oferta de bolsas de estudos. As instituições de ensino paulistas convocaram 54.315 estudantes — 33.108 para bolsas integrais e 21.207 para as parciais. Minas Gerais, com 11.331 integrais e 6.371 parciais, e Paraná, com 6.866 integrais e 5.512 parciais vêm a seguir entre as unidades da Federação com maior número de bolsas.

Os candidatos não selecionados na primeira chamada devem aguardar a próxima, em 8 de fevereiro. Caso não seja selecionado na segunda convocação, o estudante pode integrar a lista de espera do programa. A adesão deve ser feita em 24 e 25 de fevereiro.

Criado pelo governo federal em 2004 e institucionalizado pela Lei nº 11.096, de 13 de janeiro de 2005, o ProUni oferece a estudantes brasileiros de baixa renda bolsas de estudos integrais e parciais (50% da mensalidade) em instituições particulares de educação superior que ofereçam cursos de graduação e sequenciais de formação específica.

Diego Rocha

Confira o número de bolsas integrais e parciais oferecidas por unidade da Federação

Acompanhe as fases do ProUni

Fonte: Ministério da Educação