About Samuel de Jesus

Professor da Rede Pública Estadual de Educação da Bahia Licenciado em Matemática pela Universidade Católica do Salvador - UCSal Especialista em Ed. Estatística com Ênfase em Software Estatístico - UniJorge

Caixa-preta

Olá, galera do Blog do PW!

Hoje vamos falar da caixa-preta de aviões, um importante equipamento encontrado nesse meio de transporte que é considerado o mais seguro que existe e atualmente. Estima-se mais de 100 mil voos deslocando todos os dias no mundo.

Quando um avião cai, o fato repercute nos noticiários por dias porque esses desastres são raros (cerca de 1 chance em 11 milhões de acontecer). Mas, quando um acidente acontece, a procura por pistas começa sempre do mesmo jeito: com a busca da caixa-preta.

Primeiro, a caixa-preta não é preta. É laranja! Para chamar mais a atenção! Para que as equipes de busca consigam avistá-la. Além disso, possui tiras fosforescentes, que refletem a luz. A cor laranja é determinada por convenções mundiais de aviação civil.

Cxpreta1 Cxpreta2

Mas, então, por que a caixa-laranja se chama caixa-preta? Há várias versões para a origem da expressão.

A primeira delas diz que “A expressão caixa-preta vem da década de 50, quando os circuitos eletrônicos do avião eram agrupados em compartimentos, mas o termo correto é Flight Data Recorder (FDR). “Como o funcionamento dos circuitos era obscuro, as caixas ficaram conhecidas como black boxes, já que a cor preta remete ao desconhecido”, explica Hildebrando Hoffmann, professor de Ciências Aeronáuticas da PUC-RS”. (Revista Mundo Estanho, edição 114).

A segunda versão diz que “Tudo indica que o nome foi herdado de outro equipamento, com funções diferentes, que era usado na Segunda Guerra Mundial pela Royal Air Force, a força aérea britânica: um radar que permitia ao piloto “ver” através das nuvens ou no escuro. Diversos itens eletrônicos empregados na aviação da época eram acondicionados em caixas pretas literais, mas foi esse radar, então uma maravilha tecnológica cujo funcionamento nem os próprios pilotos compreendiam, que entrou para o jargão dos aviadores com o nome de black box. (Veja.com 03/05/2011).

E a terceira versão, bem próxima da primeira diz que “o termo [caixa-preta] vem do inglês black box, que foi incorporado pelos aviadores, conta o professor James Waterhouse, do departamento de Engenharia Aeronáutica da USP. Sua origem é da eletrotécnica, que usa a expressão para denominar um sistema do qual a estrutura interna é desconhecida e só se pode analisar a entrada e a saída, apenas deduzindo seus mecanismos internos”. (Manual do mundo 30/10/2013). Essa versão é semelhante à primeira.

A caixa-preta é um dispositivo eletrônico instalado na cauda do avião que grava informações do voo. E há duas na verdade. O CRV (Cockpit Voice Recorder) – Gravador de Voz do Cockpit, grava conversa de pilotos, controle aéreo e outros barulhos como alertas das últimas duas horas do voo; e o FDR (Flight Data Recorder) – Gravador de Dados do Voo que acompanha os sinais técnicos do avião, grava as leitura dos instrumentos de velocidade, altitude, níveis de combustível, temperatura e controle de voo. Grava até 25 horas.

Em 1953, Dr. Davis Warren, um jovem cientista australiano do Laboratório de Pesquisas Aeronáuticas (ARL – Aeronautical Research Laboratory), antecessora da atual Organização de Defesa da Ciência e Tecnologia (DSTO – Defence Science and Technology Organisation), inventou a caixa-preta, depois de ter perdido seu pai em um acidente aéreo inexplicável, mas, só nos anos 1960, depois de um acidente que acabou sem solução, a Austrália tornou-se o primeiro país a exigir caixas-pretas em todos os aviões comerciais novos. Ela se tornou obrigatória nos EUA em 1967. Atualmente, todas companhias aéreas ao redor do mundo possuem um gravador de dados de voo, a Caixa Preta. Para saber mais sobre a invenção de Warren, clique aqui.

As caixas pretas podem sofrer grandes impactos, mas, os cartões de memória que ajudam a explicar o que aconteceu têm muita proteção. São envolvidas numa fina camada de alumínio, uma polegada de isolamento de calor e coberta de aço inoxidável ou titânio. São, praticamente indestrutíveis. São construídas para resistirem a uma aceleração de 3400 G ou 3.400 vezes a força da gravidade, a uma hora em chamas num calor de até 2000°F (1093ºC) e submersão em água salgada de até 20 mil pés (cerca de 6 km). Cada caixa tem um sinal localizador que é ativado assim que toca a água emitindo um pulso por segundo detectável por sonares com até 2 milhas náuticas de distância (cerca de 3, 7 km), mas, só funciona por 30 dias. Talvez seja uma das razões porque investigadores não localizaram, ainda, a caixa-preta do acidente com o voo MH370 da Malasian Airlines em 8/3/2015 que levava 239 pessoas.

Caixas-pretas são essenciais para entender o que aconteceu em acidentes. Mas, se a caixa-preta não for encontrada fica muito difícil determinar as causas de acidentes.

Em junho de 2009, o Airbus A330 que fazia o voo 447 da Air France do Rio de Janeiro a Paris, desapareceu depois de ter caído no Oceano Atlântico. Sua caixa-preta só foi recuperada do fundo do mar, dois anos depois, com todos os dados intactos. Clique aqui e veja a transcrição da conversa entre os pilotos, dos últimos três minutos do voo. O diálogo e o registro técnico do avião possibilitaram os especialistas estudarem as causas do acidente.

Ouça trechos gravados nas caixas-pretas de alguns desastres aéreos. Clique aqui.

Já se estuda a possibilidades de incluir vídeos nas caixas-pretas e a transmissão de dados via wi-fi, diretamente delas para controle aéreo ou agência de aviação onde podem ser guardados com segurança e em tempo real.

Um abraço, até a próxima e que a paz do Senhor Jesus esteja com todos.

Samuel Oliveira de Jesus – Professor colaborador da Rede Anísio Teixeira

REFERÊNCIAS

G1 – GLOBO.COM. Disponível em http://g1.globo.com/Acidente-do-Voo-AF-447/noticia/2012/07/nos-vamos-bater-isso-nao-pode-ser-verdade-diz-copiloto-do-af-447.html. Acesso em 18/11/2015.

MANUAL DO MUNDO. Disponível em http://www.manualdomundo.com.br/2013/10/por-que-a-caixa-preta-dos-avioes-e-laranja/. Acesso em 17/11/2015, às 15 h.

MUNDO ESTRANHO. Disponível em http://mundoestranho.abril.com.br/materia/por-que-a-caixa-preta-dos-avioes-e-laranja. Acesso em 17/11/2015, às 16 h 22;

THE COCKPITSEAT.COM. Disponível em http://www.thecockpitseat.com/cps/pt-br/um-pouco-da-historia-da-caixa-que-nao-e-preta/. Acesso em 18/11/2015, às 13 h 10.

VEJA.COM. Disponível em http://veja.abril.com.br/blog/sobre-palavras/curiosidades-etimologicas/por-que-caixa-preta-se-ela-e-laranja/. Acesso em 17/11/2015, às 16 h 38.

WIKIMEDIA COMMONS. Disponível em https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Black_Box_Cockpit_Voice_Recorder,_Model_AV557D,_Sunderstrand_Data_Control,_Inc.,_c._1990s_-_National_Electronics_Museum_-_DSC00090.JPG. Acesso em 17/11/2015, às 15 h 22. (Imagem da esquerda)

WIKIPEDIA. Disponível em https://en.wikipedia.org/wiki/Orange_%28colour%29. Acesso em 17/11/2015, às 15 h 22. (Imagem da direita)

YAHOO NOTÍCIAS. Disponível em https://br.noticias.yahoo.com/video/como-funciona-caixa-preta-um-114008011.html. Acesso em 17/11/2015, às 15 h 30.

DESASTRES AÉREOS. Disponível em http://www.desastresaereos.net/caixapreta.htm. Acesso em 17/11/2015, às 15 h 40.

Anúncios

O perigo dos copos descartáveis

Recentemente, em função da escassez de água em São Paulo, se discutiu a viabilidade do uso de descartáveis. A discussão surgiu a partir do momento que se questionou a quantidade de água gasta para fabricar um descartáveis, a quantidade que se usa para lavar um reaproveitável (vidro, porcelana, acrílico, etc.), e o impacto ambiental que estes poderiam causar.

O PW entrou nessa discussão e pesquisou sobre o assunto, com interesse específico nos copos descartáveis (oportunamente falaremos sobre outros tipos de descartáveis). Eis o resultado.

Segundo o Professor Bruno F. Gianelli do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo – IFSP, Campus Itapetininga, em entrevista à Revista Planeta Sustentável, “para medir o impacto ambiental de um produto, é necessário levar em conta vários fatores tais como: processo de fabricação do produto (consumo de matéria-prima, de energia elétrica, de água), o transporte do produto final até o local de consumo (o que impacta em consumo de combustíveis fósseis: o petróleo, por exemplo, não é renovável; e liberação de gases tóxicos na atmosfera), a vida útil desse produto, enfim.

No caso da produção de um copo descartável, são gastos, aproximadamente, 8 gramas de poliestireno (PS) ou polipropileno (PP) – os plásticos mais empregados pela indústria; 6 Wh de energia elétrica e 500 ml de água.

Os copos plásticos possuem em sua composição uma substância chamada Estireno e conforme pesquisa desenvolvida pelo Instituto de Química da Universidade Federal da Bahia (UFBA), em contato com o café quente, o copo pode liberar uma quantidade de Estireno acima do que é considerado seguro pelo Ministério da Saúde. Um dos riscos que isso pode acarretar é o Câncer.

Pesquisadores baianos perceberam que 20% dos peixes coletados nas praias de Salvador apresentam amostras de pellets, uma micropartícula do plástico. A situação é tão preocupante que já foram encontrados vestígios desses pellets na composição da água da região.

Os copos mais procurados do mercado têm capacidade para 200 ml, pesa aproximadamente 2 g e custa R$ 0,02 (dois centavos), cada. O de 300 ml, que custa R$ 0,04, tem o tamanho mais parecido com o copo utilizado em casa e pesa aproximadamente 3 g.

Quantos cafezinhos ou chás você tomou hoje na empresa em que trabalha? E quantos copos d’água tomou? Quantos copos descartáveis utilizou? Muitas pessoas desconhecem os riscos que eles podem causar a médio e a longo prazo ao meio ambiente. Para se ter uma ideia, segundo o ‘site sustentável‘, o tempo de decomposição de um copo plástico está entre 250 a 400 anos. Ou seja, tantas gerações passarão e o copo ainda existirá. Um “vida” contraditória, pois mesmo sendo utilizado de forma tão rápida, é apenas após alguns séculos que irá se decompor. O copo plástico é o resíduo sólido urbano menos reciclado ao redor do planeta.

Agora, faça as contas dos milhares de copos utilizados na sua empresa e veja como isso pode afetar o planeta que seus filhos e netos herdarão.

Aqui no Instituto Anísio Teixeira, segundo um levantamento feito pelo coordenador III da DIRAF/CAD, Sr. Alexnaldo M. Conceição, são gastos, em média, 50.000 (cinquenta mil) copos descartáveis de 200 ml, a um custo de R$ 1.125,00 (um mil, cento e vinte e cinco reais) por mês. Ou seja, 600.000 (seiscentos mil) copos a R$ 13.500,00 (treze mil e quinhentos reais) por ano.

Se construíssemos uma torre com esses copos consumidos em 1 ano, daria uma altura de aproximadamente 36 m, o que corresponde a altura média de um prédio residencial de 13 andares. Imagine, então, todos os copos consumidos nas empresas em Salvador, no Brasil e no mundo?!

Foto: Samuel Oliveira

 A produção de um copo descartável chega a consumir 500 ml de água, como já foi dito, enquanto a lavagem de um reaproveitável feita na pia utiliza 400 ml e na máquina ‘lava copo’ apenas 100 ml, isto é, apenas 20% do que é gasto para se produzir um copinho plástico.

Conclusão: quer exercer sua cidadania, contribuindo com meio ambiente e dando sua parcela de colaboração com a sociedade? Utilize canecas de vidro ou de louça para tomar seu café ou água e incentive seus colegas a fazerem o mesmo. Se for fazer uma festa na sua casa, por que não usar copos de vidro, ou até mesmo de plástico, mas que possam ser reutilizáveis? Existem serviços de aluguel de copos, pratos e talheres que, por uma causa nobre, o meio ambiente, vale a pena utilizá-los.

Outra opção são os copos biodegradáveis. O produto é composto por materiais naturais e que causam menos impacto ambiental, como o amido de milho ou batata e ácido polilácteo, derivado da fermentação do açúcar. De acordo com os fabricantes, o produto desaparece da natureza dentro do período de três meses.

Cuidar do meio ambiente é uma questão de cidadania e dever de todos nós.

Um abraço e até logo.

Samuel Oliveira de Jesus

Professor de Matemática da Rede Pública Estadual

REFERÊNCIAS:

REVISTA Planeta Sustentável. Disponível em: http://planetasustentavel.abril.com.br/blog/sustentavel-na-pratica/copos-descartaveis-x-duraveis/. Acessado em 17/08/2015, 3 h 30 mim.

SITE SUSTENTÁVEL. Disponível em: http://inst.sitesustentavel.com.br/evite-usar-copos-descartaveis-na-sua-empresa/ . Acessado em 17/08/2015, 17 h 15 mim.

ECYCLE. Disponível em: http://www.ecycle.com.br/component/content/article/57-plastico/196-como-reciclar-copos-plasticos.html. Acessado em 17/08/2015, 17 h 45 mim.

G1. Disponível em: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/02/producao-de-copo-de-plastico-gasta-mais-agua-do-que-lavar-copo-de-vidro.html. Acessado em 17/08/2015, 13 h.

CAPOEIRA EM SALA DE AULA

A capoeira é uma manifestação cultural, com matrizes africanas apreendidas em território brasileiro. Considerando o período histórico em que os povos africanos eram sequestrados de sua terra natal para se tornarem escravos no Brasil, pode-se afirmar que este fato, do período colonial, assume significativa relevância na formação do povo brasileiro.

Compreender o processo histórico de formação de uma sociedade é importante para que se possa entender e intervir na realidade de forma consciente, crítica e criteriosa, visto que a função social da escola é contribuir para a emancipação humana e transformação/transmissão de saberes historicamente organizados pela humanidade.

A Educação Física é uma disciplina que compõe o núcleo comum do Ensino Médio, importantes conteúdos ficam sob a responsabilidade desta área do conhecimento, tais como: jogo, dança, ginástica, lutas, capoeira, esporte.

Neste texto, destaco a presença relevante da capoeira enquanto elemento importante no processo de formação do estudante. Destaco este conteúdo pela sua relevância histórica para a formação do povo brasileiro, assim como pela condição que a capoeira representa no contexto histórico. Analisar criticamente este percurso é um dos desafios que professores e estudantes precisam superar.

Apropriar-se da capoeira como elemento da nossa cultura, reconhecer seus mestres, suas bandeiras de luta, entender a orquestra da dança, música e movimento, esclarecer conceitos de capoeira angola e capoeira regional, o papel dos quilombos em seu contexto histórico-cultural, cantos que denunciam, anunciam e apontam caminhos para uma condição de autonomia e emancipação humana, com um olhar para o homem enquanto sujeito de sua própria história são elementos que esta arte, a capoeira, nos possibilita apreender.

De acordo com a referência do MEC, a competência de área 3 da Matriz de Referência de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias diz assim:

“Compreender e usar a linguagem corporal como relevante para a própria vida, integradora social e formadora de identidade”

Muitos são os fatores que tornam esta temática relevante para o currículo da educação física. A capoeira precisa ser trabalhada criticamente no espaço da escola. Sendo assim, deixo como sugestão o site do Ambiente Educacional Web – AEW, que é um espaço que reúne vários objetos educacionais que tratam desta temática e pode auxiliar o professor em sala de aula. Recomendo os links abaixo, mas vale ressaltar que o Ambiente Educacional Web possui um amplo acervo sobre esta temática, que pode contribuir com professor e estudante na caminhada de um entendimento mais crítico da capoeira no cenário contemporâneo.

 

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/2097

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/2098

ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/234

O Brasilmática dos impostos

O Brasilmática dos impostos

Segundo o ‘Dicionário informal’, a palavra “impávido” do nosso hino nacional se refere ao povo corajoso, destemido; enquanto que “colosso” significa algo de grande dimensão, em referência ao território brasileiro. Todavia, a expressão “impávido colosso” poderia muito bem expressar o quanto o brasileiro precisa ser corajoso para aguentar as altas taxas de impostos, nosso assunto de hoje!

Imposto (um tipo de tributo) é uma cobrança obrigatória determinada pelo tribuno (antiga Roma). São valores pagos em moeda nacional, que incidem sobre a renda (salários, lucros, ganhos de capitais) e patrimônios (terrenos, casas, carros, etc.) das pessoas físicas e jurídicas. O valor é arrecadado pelos governos (municipal, estadual e federal) e devem custear os gastos públicos com saúde, segurança, educação, transporte, cultura, pagamentos de salários de funcionários públicos e etc.; e para investimentos em obras públicas (escolas, universidades, hospitais, rodovias, portos e etc.). O não pagamento desta obrigação constitui em sanções civis e penais impostas à pessoa física ou jurídica, sob a forma de leis.

Os impostos são frequentemente divididos em diretos e indiretos. Os impostos diretos são aqueles aplicados diretamente ao contribuinte (Imposto de Renda, IPTU e etc.), os indiretos são aqueles repassados embutidos no preço de um produto, cujo reflexo deste é sentido no preço final dele. Os impostos indiretos são cobrados em todos os bens adquiridos pelo consumidor.

Os impostos também são divididos em três esferas: Estaduais (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), Imposto sobre a Transmissão [de Bens] Intervivos (ITIV), Taxas do Registro do Comércio (junta Comercial), Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e etc.), Municipais (Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), Imposto Sobre Serviços (ISS), Taxa de Coleta de Lixo (TCL), Taxa de Conservação e Limpeza Pública, Taxa de Iluminação Pública, Taxa de Emissão de Documentos e etc.) e Federais (Imposto de Renda (IR), Contribuição Previdenciária para o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), Imposto sobre Operações de Crédito (IOF), Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR) e etc.). São 92 tributos existentes no Brasil, segundo o portal tributário, que organizou uma lista com seus respectivos decretos ou leis.

O Brasil tem uma das cargas tributárias mais elevadas do mundo, além de uma tributação complexa e injusta. É a carga mais alta! Inclusive, mais do que a do Japão e EUA! Atualmente, ela corresponde a 40% do nosso salário e, contribui com 37% do PIB (Produto Interno Bruto). É como se você entregasse ao governo todo o seu salário, de janeiro a maio, só para pagar impostos.

A Lei 12.741/12 (Lei da Transparência Fiscal), embora ainda não regulamentada, que entrou em vigor no dia 01/12/2014, exige a divulgação dos impostos nas notas e cupons fiscais sobre as mercadorias vendidas e serviços prestados ao consumidor. Através dessa lei, você terá ciência de quanto se paga de imposto indireto no Brasil. Fique atento!

Veja a taxa de impostos cobrados sobre alguns produtos próprios dessa época do ano:

Árvore de Natal (39,23%), enfeites de Natal (48,02%), brinquedos (39,7%), calça jeans (38,53%), camisa ou vestido (34,67%), panetone (34,63%) e etc. Veja lista.

Suponhamos que você adquiriu os seguintes produtos: 1– Árvore de Natal: R$ 100,00; 5– Enfeites de Natal: R$ 20,00; 2– Brinquedos: R$ 50,00; 1– Calça jeans: R$ 50,00; 1 – Camisa gola polo: R$ 30,00; 2– Panetones: R$ 10,00. Pagando por eles R$ 260,00. Sem os impostos, esses produtos custariam, respectivamente, R$ 71,82; R$ 13,51; R$ 35,79; R$ 36,09; R$ 22,28; R$ 7,93 perfazendo um total de R$ 186,92. Ou seja, foram pagos R$ 73,08 (39,09%) de impostos. Os impostos brasileiros encarecem, e muito, os produtos e serviços.

Segundo o impostômetro, que informa quanto o brasileiro já pagou de impostos, de 01/01 a 01/12/2014, em tempo real, até às 16h39min01s, já havia sido pago R$ 1.546.095.424.060,66 (Um trilhão, quinhentos e quarenta e seis bilhões, noventa e cinco milhões, quatrocentos e vinte e quatro mil, sessenta reais e sessenta e seis centavos). É Claro que, agora que terminei esse parágrafo, a quantia já aumentou enormemente. Confira!

Impostômetro2

Espero que esse texto tenha sido informativo, ao passo que tenha contribuído para o exercício de sua cidadania.

Um abraço e felicidades!

 

REFERÊNCIAS

ACSP – Associação Comercial de São Paulo. http://www.impostometro.com.br/. Acesso em 01/12/2014, às 16h23.

IBPT – INSTITUTO Brasileiro de Planejamento e Tributação. https://www.ibpt.org.br/noticia/2008/Quase-metade-do-preco-da-arvore-de-Natal-e-imposto. Acesso em 01/12/2014, às 13h35.

IG – ECONOMIA. http://economia.ig.com.br/2014-11-30/ricos-brasileiros-pagam-imposto-bastante-baixo-e-taxacao-sobre-heranca-e-ridicula-afirma-piketty.html. Acesso em 01/12/2014, às 15h.

PORTAL TRIBUTÁRIO. http://www.portaltributario.com.br/tributos.htm. Acesso em 01/12/2014, às 16h17.

RICMAIS. http://ndonline.com.br/joinville/noticias/77937-lei-que-exige-a-discriminacao-dos-impostos-na-nota-ou-cupom-fiscal-entra-hoje-em-vigor.html. Acesso em 01/12/2014, às 15h15.

TREASY. http://www.treasy.com.br/blog/tributos-impostos-taxas-e-contribuicoes-saiba-a-diferenca. Acesso em 01/12/2014, às 14h.

VEJA. http://veja.abril.com.br/tema/desafios-brasileiros-carga-tributaria. Acesso em 01/12/2014, às 13h.

WIKIPÉDIA. http://pt.wikipedia.org/wiki/Imposto. Acesso em 01/12/2014, às 13h25.

A Câmera fotográfica imita o olho ou olho imita a câmera?

O olho humano é um órgão excepcional e complexo. Constituído, basicamente, pela pupila, cristalino, retina e nervo óptico. Atua de forma análoga a uma câmera fotográfica, coletando, focando luz e convertendo-a em sinais elétricos que serão traduzidos em imagens pelo cérebro. Alias, é incrível como a estrutura do olho e da câmera fotográfica é parecida! Observando a pupila do nosso olho, veremos que ela desempenha o mesmo papel do obturador de uma câmera, regulando a quantidade de luz que entra no seu interior, aumentando a abertura, quando o ambiente possui pouca luz; e reduzindo a abertura, quando o ambiente é bem iluminado.

Fonte: pixabay - Repositório Digital¹.

Fonte: pixabay – Repositório Digital¹.

Fonte: wikipedia - Enciclopédia Digital²

Fonte: wikipedia – Enciclopédia Digital²

Já o cristalino é uma estrutura biconvexa, gelatinosa, que possui grande elasticidade. Ela atua no nosso olho da mesma forma que a lente convergente de uma câmera fotográfica, ou seja, ela reduz a imagem e concentra a luz proveniente de um objeto de forma que ela se ajuste perfeitamente sobre a retina, auxiliando na focalização de objetos próximos e distantes, fornecendo, assim, imagens nítidas.

Quando a imagem formada não tem nitidez, é um indicativo de que há alguma coisa errada! Várias doenças na visão podem ocasionar esse problema, dentre elas a miopia e a hipermetropia. A primeira é caracterizada pela dificuldade que um indivíduo tem para focalizar objetos distantes (enxergar de longe), isso ocorre porque a imagem entra em foco antes de atingir a retina, gerando uma imagem embaçada. No entanto, esse problema pode ser corrigido utilizando lentes divergentes, cujo efeito é afastar a imagem conjugada pelo cristalino e fazer com que ela se forme exatamente sobre a retina. Já a hipermetropia é caracterizada pela dificuldade que um indivíduo tem para focalizar objetos próximos (enxergar de perto), isso ocorre porque a imagem é conjugada pelo cristalino após a retina, originando uma imagem turva do objeto que se quer ver. No entanto, esse problema pode ser corrigido através do uso de lentes convergentes, cujo efeito é aproximar a imagem conjugada e fazer com que ela se forme exatamente na retina.

Fonte: wikipedia - Enciclopédia Digital³

Fonte: wikipedia – Enciclopédia Digital³

Fonte: wikipedia - Enciclopédia Digital

Fonte: wikipedia – Enciclopédia Digital

E, para finalizar, temos a retina, uma das estruturas mais importantes e complexas do nosso olho. Comparando-a com a câmera fotográfica, ela desempenha o mesmo papel do filme fotográfico, mas, em vez deixar a imagem impressa e estática, o que existe aqui é um conjunto de foto-receptores (cones e bastonetes) que libertam moléculas neurotransmissoras a uma taxa que é máxima na escuridão e diminui, de um modo proporcional (logarítmico), com o aumento da intensidade luminosa. Essas células detectam e processam os sinais luminosos, convertendo-os em impulsos elétricos que são conduzidos pelo nervo óptico até cérebro, onde são decodificados e convertidos em imagens.

Gostou? Quer aprender mais? Acesse os conteúdos digitais do Ambiente Educacional Web e aprenda mais sobre este fantástico órgão do nosso corpo:

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/3721

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/3469

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/296

Imagens:

1 – Disponível em: <http://pixabay.com/pt/c%C3%A2mera-lente-lente-prime-fotografia-158471/&gt; Acesso em novembro. 2014

2 – Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Olho_humano > Acesso em novembro. 2014

3 – Disponível em: <http://en.wikipedia.org/wiki/Myopia&gt; Acesso em novembro. 2014

4 – Disponível em: <http://id.wikipedia.org/wiki/Rabun_dekat&gt; Acesso em novembro. 2014

Bibliografia:

LAMB, TREVOR D. SCIENTIFIC AMERICAN. A Evolução do Olho, ano I 2012. Disponível em:                                <http://www.modernaplus.com.br/custo/scabrasilsa10.html?&sessionId=8A8A8A8349E108170149E1C029C873EF&userId=3BBD918A2BBFCF3A012BD15F258A491B&p=0&gt;. Acesso em: 12 novembro. 2014.

<http://pt.wikipedia.org/wiki/Olho_humano>. Acesso em: 12 novembro. 2014.

< http://pt.wikipedia.org/wiki/Miopia&gt;. Acesso em: 12 novembro. 2014.

O Enem e os recursos naturais

Olá, pessoal!

Parece-me notório, que a humanidade sempre fez uso da natureza, inicialmente para seu próprio sustento, depois para produzir excedente, “principalmente depois da Revolução industrial”.

Tudo que o homem necessita e que se encontra na natureza, como: a água, o petróleo, o solo, a água, o oxigênio, as florestas, energia oriunda do sol e do vento, os animais, dentre outros, são considerados recursos naturais e estes são classificados em dois grupos distintos: os recursos naturais não renováveis e os recursos naturais renováveis. Quer saber quais são? Clique aqui.

Ai você deve estar se perguntando: o que isso tem a ver com o Enem 2014?

Não vamos falar aqui das condições que os candidatos são submetidos nas salas de realização das provas, que levam, inclusive, muitos à reprovação: falta de ventilação, mobiliários inadequados, salas depredadas, iluminação precária, mobilidade deficiente, sanitários horríveis, enfim, uma completa falta de estrutura. Não vamos nos ater a isso, mas, como já disse, aos recursos naturais utilizados na realização desse concurso. Antes, porém, vejamos alguns números gigantescos daquele que, parece ser o maior concurso do mundo – o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Segundo o INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, em 2014 foram 8.721.946 inscritos no Enem, contra 7.173.914 em 2013, um crescimento de 21,6%. A Bahia foi o terceiro estado em número de inscritos: 665.056 (7,63%). São Paulo (15,19%) e Minas Gerais (11,23%) encabeçam a lista. 55,5% tinham menos de 21 anos de idade. 2.310.176 (26,5%) pagaram inscrição no valor de R$ 35,00, gerando uma arrecadação de R$ 80.856.160,00 (oitenta milhões, oitocentos e cinquenta e seis mil, cento e sessenta reais), enquanto os outros 6.411.770 (73,5%) foram isentos.

Com relação às características físicas da prova: cada uma tinha 16 folhas de papel, o que dá um total de 32 folhas por candidato, pesando 149,69 gramas. No total foram utilizadas somente para as provas 279.102.272 folhas pesando 1.305.570,65 quilogramas ou 1.305,6 toneladas, somente para as provas (já que são utilizados papéis para listar os candidatos, bem como para o cartão de informações, e outros documentos indiretos como listas das escolas, das localidades de realização das provas e etc.). Além disso, muita tinta para impressão disso tudo.

Segundo a revista eletrônica Galileu, um eucalipto rende de 20 a 24 mil folhas de papel A4 (75g/m2 de gramatura), aquele comum, usado na prova do Enem, em casa e nos escritórios. Ainda segundo a revista, são necessárias 11 árvores para produzir uma tonelada de papel, e o consumo do brasileiro é de 44 quilogramas por ano, cada um de nós consome em média meia árvore por ano. Podia ser pior. Os finlandeses, primeiros no ranking, consomem 341 quilogramas.

Com esses dados, concluímos, estarrecidos, que são necessárias 14.361,6 árvores. Isso mesmo! Quatorze mil, trezentos e sessenta e um eucaliptos são derrubados para a realização do Enem, e isso para confeccionar somente as provas. Para você ter uma ideia do frondoso número, segundo o site GE, na matéria ‘Copa do Mundo 2014’, 24.442 mudas de árvores corresponde a 22 campos de futebol reflorestados. Logo, nossas 14.361,6 árvores do Enem correspondem a 13 Arenas como a Fonte Nova (numa regra de três simples), seria toda a área do Dique do Tororó (de cima e de baixo) e o Campo da Pólvora.

Árvores são imprescindíveis na manutenção da vida no nosso planeta: elas produzem sombra, frutos, flores, protegem o solo, nascentes de rios, lagoas e lagos, filtram o ar que respiramos, absorvem os sons produzidos durante o dia, sem as quais enlouqueceríamos. Por isso, a derrubada de uma árvore representa a redução da qualidade de vida, a menos que se coloque outra árvore no lugar da que foi derrubada. É o uso responsável dos recursos naturais.

Nem sempre o papel foi feito a partir da madeira, mas sim de fibras de algodão extraídas de roupas velhas, panos e trapos. Apesar de o francês René Antoine de Reaumour ter dado a ideia de usar fibras extraídas da madeira em 1719, foi só a partir de 1850 que diversos inventores tornaram isso viável. Quer saber como é feito o papel? Clique aqui.

Poderíamos pensar na realização das provas em dispositivos eletrônicos, como por exemplo, tablets. Além dos benefícios ao meio ambiente, os gabaritos poderiam ser transmitidos imediatamente para o Inep e o resultado informado ao candidato em questão de minutos. Isso ainda, talvez, pouparia, em curto prazo, uma enorme gama de recursos financeiros.

Um abraço.

Samuel Oliveira de Jesus

Professor de Matemática da Rede Anísio Teixeira e Membro do Comitê Gestor do AEW.

FONTES:

BRASIL ESCOLAS. Disponível em http://www.brasilescola.com/geografia/os-recursos-naturais.htm. Acessado em 10/11/2014, às 10h.

GALILEU. Disponível em < http://revistagalileu.globo.com/Revista/Galileu/0,,EDG87237-7946-221,00-QUANTAS+FOLHAS+DE+PAPEL+DA+PRA+FAZER+COM+UMA+ARVORE.html>. Acessado em 10/11/2014, às 15h55.

GE – COPA DO MUNDO 2014. Disponível em < http://globoesporte.globo.com/ba/copa-do-mundo/noticia/2014/06/fonte-nova-arvores-se-multiplicam-e-driblam-ate-fifa-no-estadio-dos-gols.html>. Acessado em 10/11/2014, às 16h50.

INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Disponível em < http://download.inep.gov.br/educacao_basica/enem/downloads/2014/balanco_inscricoes_enem_2014.pdf>. Acessado em 10/11/2014, às 10h.

INFOENEM. Disponível em < http://www.infoenem.com.br/provas-anteriores/>. Acessado em 10/11/2014, às 16h12.

MUNDO ESTRANHO. Disponível em http://mundoestranho.abril.com.br/materia/como-e-feito-o-papel>. Acessado em 14/11/2014, às 13h25.

PRINTE. Disponível em < http://www.printi.com.br/peso-papel>. Acessado em 10/11/2014, às 10h.

VOLUNTARIOSONLINE. Disponível em < http://www.voluntariosonline.org.br/noticia/179-Conheca-mais-sobre-a-arvore-e-os-beneficios-que-ela-traz-para-a-humanidade>. Acesso em 12/11/2014, às 11h25.

YOUTUBE. Disponível em < http://www.youtube.com/watch?v=3sHYKJSq26w>. Acessado em 14/11/2014, às 14h40.

 

Gabarito oficial do ENEM 2014

Olá Pessoal!

O Inep – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira divulgou os gabaritos oficiais das provas do ENEM 2014. O resultado oficial, porém, só será divulgado em janeiro.

Mesmo com o gabarito, os candidatos não terão como saber suas notas, uma vez que pelo método de correção o valor de cada questão varia conforme o percentual de acertos e erros dos estudantes naquele item. “Assim, um item que teve grande número de acertos será considerado fácil e, portanto, valerá menos pontos. O estudante que acertar uma questão com alto índice de erros ganhará mais pontos por aquele item”.

Se inscreveram no ENEM 2014,  8.721.946 candidatos.

Acesse os link a seguir:

Gabaritos

Balanço

Um abraço