Relembrando nosso Novembro Negro

pw-novembro-negro-2013-blog

Olá, turma esperta.

 Iniciaremos dezembro fazendo um breve histórico dos diálogos construídos ao longo do Novembro Negro aqui no blog. Durante esse período, discutimos a trajetória dos povos negros que contribuíram com a construção da cultura e com as características de nossa população, bem como compartilhamos conteúdos referentes à história de luta, resistência e conquista obtidas por estes povos que, ainda hoje, são vítimas de preconceitos, mas seguem se fazendo participantes e atuantes na história oficial brasileira. Em muitos dos nossos textos você encontra conteúdos das diversas áreas do conhecimento e com inúmeras referencias históricas. Vejamos um resumo do que rolou…

Categorizamos nossas publicações em sessões para facilitar sua busca, como o Cine PW, que trouxe dicas de filmes e documentários questionadores sobre o papel atribuído aos povos negros em nossa sociedade, desde a analogia entre escravização no passado e no presente, com a obra “Quanto vale ou é por quilo?”, até a história de um afrodescendente; “herdeiro-descendente” das exclusões sociais narradas no filme “O contador de histórias”.

Além disso, aproveitamos o mês temático para estrear a sessão Radiola PW, espaço reservado a análise de letras de músicas que compartilham mensagens, através das quais conseguimos traçar discussões coerentes com a educação como um todo. Em novembro, avaliamos as conotações contidas em “Respeite meus cabelos, brancos”, do compositor e interprete Chico César; comentamos a música Zumbi, letra de Jorge Bem Jor, cuja narrativa retrata o contexto histórico do período de escravização no Brasil; e finalmente a música do baiano Gilberto Gil, “Quilombo, O Eldorado Negro”, uma narrativa que conta a importância do surgimento das comunidades quilombolas.

Aproveitamos o mês, também, para apresentar algumas resenhas de obras referente à temática. É o caso das obras “O Teatro do Bando: negro, baiano e popular”, trazendo a uma biografia sobre o Bando de Teatro Olodum; e a biografia de Luiz Gama, um dos maiores nomes da história da Revolta doa Malês.

Sugerimos o link de acesso direto para todas essas publicações e tantas outras que foram e continuarão a ser produzidas pela equipe com ajuda de toda comunidade escolar interessada. Indicamos, também, o Ambiente Educacional Web – AEW pra visualizarem outros conteúdos relacionadas a essa temática.

Convidamos vocês para que continuem a contribuir com sugestões relacionadas a essa temática e a todos os outros temas interessantes para a comunidade escolar.

Abraços.

Anúncios

Homenagem à literatura negra na Bienal do Livro

Olá, turma!

Em sua 11ª edição, a Bienal do Livro, que acontece de 08 a 17 de novembro, no Centro de Convenções, em Salvador, com atividades diversas voltadas para educadores e estudantes das escolas baianas e leitores em geral. O evento também oportunizará mais uma vez  um contato estreito entre escritores, livros e leitores.

Este ano a bienal contará com mais de 380 expositores, entre eles o estande da Secretaria de Educação do Estado da Bahia, onde O Professor Web se fará presente, num espaço cuja ênfase serão as discussões a cerca da literatura negra:

Letras Negras – A literatura negra inspira a temática do estande do Governo, através de homenagem a importantes representantes da cultura afro-brasileira, entre eles Deoscóredes Maximiliano dos Santos, o Mestre Didi (1917-2013), o historiador Ubiratan Castro (1948-2013), o estudioso Edison Carneiro (1912-1972), o poeta Jonatas Conceição (1952-2009), entre outros. Na programação que enfocará as Letras Negras, dia 09/11, 19h, acontece um bate-papo e sessão de autógrafo com o ator e escritor, Aldri Anunciação, autor da obra Namíbia Não!, vencedora na categoria Juvenil do Prêmio Jabuti – 2013. Haverá também lançamento da nova edição do livro Boi Multicor, do arte-educador Jorge Conceição (dia 09, 14h); palestra e tarde de autógrafos do livro “Uma conversa sobre Áfricas”, com o professor Juvenal de Carvalho (dia 11, 17h30); Oficina de escrita – rimas e letras de RAP, com Mr. Armeng (dia 12, 10h30) e batalha de MC´s, com Elvis Kazta (dia 12, 11h30), ambos no Território Jovem.

Entre as publicações da Secretaria de Cultura, haverá o lançamento do livro Festa da Boa Morte, da série Cadernos do IPAC/SecultBA (dia 12, 18h30) e o livro “Autores baianos: um panorama ”publicação trilíngue da Funceb/SecultBA composta por ficções e poemas de 18 autores baianos contemporâneos (dia 12, 19h). No dia 11/11, 16h, no Território Jovem, será apresentada a peça “Porque sou preta”, criação coletiva da Cia. de Teatro BIML, baseada no texto Mamãe, Por Que Eu Sou Branca e Ritinha É Negra?, do escritor Jaime Sodré. Verifique a programação completa e mais informações na página da Secult/BA.

Então, nos vemos lá!

Fonte:  http://www.cultura.ba.gov.br/2013/10/30/governo-do-estado-homenageia-literatura-negra-na-bienal-do-livro/

Enem 2013 – Dicas para a realização da prova

Olá, amig@s!

O Exame Nacional de Ensino Médio (ENEM) acontecerá neste fim de semana e sabemos que foi um ano intenso de estudos. A equipe do Professor Web deseja para os estudantes sucesso, mantenha calma e tranquilidade para a realização da prova.

Listamos algumas dicas para evitar contratempos no dia da realização da prova:

1- É necessário que o estudante conheça com antecedência o local da prova e verifique, através do Cartão de Confirmação, onde o exame será aplicado. Para saber onde fará a sua prova, clique aqui e informe o seu CPF e a senha cadastrada no momento da inscrição.

2- Chegar 1 hora antes do horário previsto para o início da prova.

3-O horário de realização da prova vai ser de acordo com o de Brasília. Portanto, fiquem atent@s! Alguns estados brasileiros não aderiram ao horário de verão, como o Estado da Bahia. Ou seja, como o ENEM está marcado para começar às 13h, os candidatos que residem na Bahia devem comparecer aos locais de prova antes das 12h.

4- Leia atentamente as regras contidas no cartão de orientação, nele contém as regras quanto aos materiais que poderão ser usados, como caneta, relógio e etc.

5 – Não esquecer de levar água e um lanche saudável e leve, já que a prova é longa e desgastante.

PW-enem-2013

Cine PW: O Show de Truman

Salve, salve, galera!

O que você acha de levar uma vida sem privacidade, onde todos sabem o que você faz, o que você pensa, o que você fala… enfim, tudo que você vive? E se, de repente, você descobrisse que está sendo vigiado por pessoas que você nunca viu e, talvez, nunca veja?

Pensando nesta situação, o Cine PW de hoje indica o filme “O Show de Truman”, uma reflexão quanto a nossa tão vigiada vida cotidiana.

Truman Burbank (Jim Carrey) é um simples vendedor de seguros que leva uma vida modesta com sua esposa Meryl Burbank (Laura Linney). Porém, alguns acontecimentos ao seu redor fazem com que ele estranhe a sua cidade, seus supostos amigos e até sua esposa. Após se apaixonar pela misteriosa Lauren (Natascha McElhone), a partir disso Truman embarca numa busca para descobrir a verdade de sua vida e que tudo não passava de um reality show, visto por qualquer pessoa do mundo.

O Filme é um mistura de comédia e drama, dirigido por Peter Weir, e faz uma reflexão sobre a vida contemporânea, onde estamos constantemente em exposição às câmeras, sites e olhares de outrem, cujos rostos e vidas nem sempre conhecemos.

Assista, reflita e veja o quão vulnerável é nossa privacidade. Boa sessão!

Fontes: Wikipédia

Terceira edição da FLICA

Fala, galera!

Trazendo apresentações da Orquestra Sinfônica da Bahia, dos cantores Saulo e Armandinho, a terceira edição da Flica Festa Literária Internacional de Cachoeira, acontecerá entre os dias 23 e 27 de outubro e contará com programação em toda cidade. Além de atender a todos os públicos possíveis. Já que a edição deste ano terá, pela primeira vez, uma programação exclusivamente voltada para as crianças: a Fliquinha. Entres os ilustres que farão a alegria da galerinha estão Antônio Cedraz, escritor e criador da Turma do Xaxado; a cantora e compositora Nairzinha, pesquisadora do folclore infantil brasileiro há 40 anos e a atriz Cássia Valle, que será responsável por contar histórias.

As edições anteriores já atraíram mais de trinta mil pessoas entre visitantes e palestrantes, escritores e pensadores nacionais e internacionais e já reuniu mais de doze atrações musicais com apresentações paralelas às mesas, exposições, oficinas e debates que compõem a programação.

A cidade heroica de Cachoeira, que fica no recôncavo baiano, a 110 km de Salvador, é o primeiro município baiano a sediar uma festa literária internacional; escolhida por se tratar de uma cidade cujo apelo histórico e cultural é muito forte.

A Flica tem como objetivos descentralizar as ações culturais da capital e estender atividades culturais/turísticas no interior baiano.

Mais informações sobre localização, o que tem por lá e programação completa, veja no site oficial.

E você, vai ficar fora desta festa da literatura internacional? Programe-se, organize-se e vá!

Fontes: Flica, Wikipédia

Portal da Educação transmite aula de revisão do Enem

O Portal da Educação transmitirá nesta quinta-feira (17/10), das 8h às 12h, aulas de revisão para a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Basta acessar o endereço:  http://educadores.educacao.ba.gov.br/videoconferencia

A atividade faz parte do projeto “De olho no ENEM” que busca, por videoconferência, aprimorar o conhecimento dos estudantes em relação ao conteúdo do exame.  O projeto é desenvolvido por meio de parceria entre os programas Ensino Médio EM-Ação, Ciência na Escola e Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (EMITec). Além do Portal, a videoconferência será transmitida para todas as Diretorias Regionais de Educação.

De acordo com o professor articulador, Nailton Rocha, o projeto busca, ao mesmo tempo, reforçar a preparação para o Enem nas unidades escolares da rede estadual e aperfeiçoar esse conhecimento, fornecendo dicas sobre a realização da prova. “Na escola, mostramos as vantagens na realização do Enem, incentivamos a realização das revisões e apoiamos os professores, dando ideias de como podem abordar as questões do exame. Já na videoconferência, fazemos uma síntese das principais competências exigidas, dos pontos aos quais os estudantes devem ficar atentos e de como as disciplinas são cobradas na prova,”, explicou.

A primeira videoconferência, realizada no último dia 3 de outubro, atingiu um quantitativo de, aproximadamente, 1.500 estudantes. Aluna do 3º ano do ensino médio, no Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira, Ana Carolina das Neves do Nascimento, de 16 anos, foi uma das espectadoras. “Foi uma aula bem construtiva e direta, com dicas, orientações específicas e espaço pra gente interagir, diferente do que acontece em sala de aula”, contou a estudante que vai fazer a prova pela primeira vez e quer prestar vestibular para o curso de Ciências Sociais.

Ferramentas pedagógicas – Além das dicas para a realização do Enem, durante a videoconferência, os professores apresentam várias ferramentas pedagógicas disponibilizadas pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, como a Plataforma Geekie, Professor WEB, SESI-Matemática, Conteúdos Digitais Educacionais, entre outras.

Portal da Educação – A Secretaria da Educação do Estado da Bahia disponibiliza, no portal, um espaço específico para ajudar o estudante que vai fazer a prova. Basta acessar e conferir uma série de conteúdos, como videoaulas, jogos e sites temáticos sobre o Enem. Além disso, a Secretaria firmou uma parceria com o Geekie Games, para oferecer um simulado on-line.

FONTE: Portal da Educação

1ª edição do Prêmio “Curta Histórias” valoriza a Educação das Relações Étnico-Raciais

Atenção, pessoal!

A 1ª edição do Prêmio “Curta Histórias”, que tem como objetivo valorizar a Educação das Relações Étnico-Raciais e a implementação da Lei 10.639/03 (que trata sobre a obrigatoriedade do ensino de História e Cultura Africana e Afro-brasileira na Educação Básica), está com inscrições abertas até o dia 5 de novembro. A promoção é do Ministério da Educação, por meio da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (SECADI), da Fundação Vale, da Fundação Telefônica, da Associação Casa da Árvore, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

A inscrição é gratuita e apenas estudantes matriculados na Educação Básica da rede pública de ensino de todo o país, que estejam participando dos programas “Mais Educação” ou “Ensino Médio Inovador”, poderão inscrever vídeos cuja temática seja “Africanidades Brasileiras”. As imagens podem ser produzidas por celulares e câmeras domésticas. De acordo com o regulamento, só será aceito um vídeo por escola, com duração de 1 minuto. A equipe deve ser formada por um professor ou educador responsável e até cinco alunos.

Outra observação importante que o regulamento da premiação traz é a exigência de que os vídeos inscritos estejam amparados no Parecer 03/2004, que fundamenta as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana.

A seleção dos vídeos será feita por um Júri Técnico, um Júri Popular e uma Comissão Julgadora Final. Serão premiados o vídeo mais votado pelo público e outros dois selecionados pela Comissão Julgadora Final. A premiação para as três escolas vencedoras será:

a) alunos: 1 (uma) oficina de formação em cinema e empreendedorismo com duração de 24 horas; 1 (um) tablet, 1 (um) aparelho celular smartphone para cada participante da equipe.

b) professor: 1 (uma) oficina de formação em cinema e empreendedorismo com duração de 24 horas; 1 (um) tablet, 1 (um) aparelho celular smartphone.

c) escola: cinemateca composta de 20 filmes; 1 (um) aparelho data show; 1 (um) aparelho DVD; 1 (uma) filmadora digital e 1 (uma) câmera fotográfica semi-profissional.

Africanidades Brasileiras

Segundo a doutora em Educação Petronilha Silva, “a expressão africanidades brasileiras refere-se às raízes da cultura brasileira que têm origem africana” (p.26, 2003). Ou seja, diz respeito às influências africanas na nossa cultura e no nosso comportamento. Em seu artigo “Africanidades Brasileiras: esclarecendo significados e definindo procedimentos pedagógicos”, publicado na Revista do Professor, no primeiro trimestre de 2003, Petronilha traz uma boa introdução sobre a temática e propõe a aplicação dela em diferentes áreas do conhecimento.

O prêmio é uma ótima oportunidade para discutir e refletir sobre História e Cultura Africana e Afro-brasileira. Desejamos sucesso para todos os inscritos!