20 de Novembro: “Eu sou negão/Eu sou negão/Meu coração/É a liberdade!”

Ter o 20 de novembro

como data oficial

é uma forma de luta

já em nível nacional,

daqueles que, com amargura,

sofrem em bela pele escura

discriminação racial.

[…]

Que as várias etnias

convivam em fraternidade,

a beleza do país

está na diversidade;

convivamos como iguais,

mas que o negro jamais

perca a sua identidade”.

Oi,  pessoal!

Somos todos da mesma espécie! Somos todos iguais! Somos todos negros!

2

Fonte: www.rizomas.net/

Vou falar do legado histórico de uma pessoa que nasceu na mesma cidade em que eu nasci. Foi em União dos Palmares, cidade localizada no interior de Alagoas, sinônimo de “União, Luta, Liberdade, Resistência e Enfretamento” devido a Zumbi dos Palmares, o mais legítimo guerreiro de resistência negra que nasceu na Serra da Barriga. Desde, 1985, o local foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

serra da barriga

Fonte: http://serradabarriga.palmares.gov.br/?

Você sabia da existência do Parque Memorial Quilombo dos Palmares?

Parque Memorial Quilombo dos Palmares, é o primeiro e único parque temático sobre cultura negra do país que recria o ambiente da República dos Palmares – o maior, mais duradouro e mais organizado quilombo já implantado nas Américas.

parque1parque2

Quem desejar vivenciar essa experiência de viajar pelo conhecimento dos aspectos socioculturais do movimento de resistência negra precisa conhecer o Memorial Quilombo dos Palmares.

Ei, galera, é possível fazer um passeio virtual pela afro-brasilidade no site do parque,  com circuitos descritivos da recriação dos ambientes.

passeio virtual

Fonte: www.serradabarriga.palmares.gov.br/?page_id=553

Tenho muito orgulho de ter nascido lá; não porque é a cidade do meu nascimento simplesmente, mas por ter um herói de verdade como conterrâneo cuja luta e legado nos inspira até hoje como exemplo de resistência às desigualdades.

No dia 20 de novembro, celebra-se o aniversário da morte de Zumbi dos Palmares como registro do legado histórico e cultural para o Brasil e faz menção à Consciência Negra, a fim de ressaltar as dificuldades que os negros passam há séculos como lembrança de quanto os negros sofreram, desde a Colonização do Brasil, suas lutas e suas conquistas. Mas também serve para homenagear àqueles que lutaram pelos direitos da etnia e de seus principais feitos.

” Acima de sermos negros, brancos, árabes, judeus, americanos, somos uma única espécie. Quem almeja ver dias felizes, precisa aprender a amar a sua espécie (…) Se você amar profundamente a espécie humana, estará contribuindo para provocar a maior revolução social da história.”

Augusto Cury

 

Referências:

ALENCAR, Nezite. Afro-Brasil em Cordel. Ed. Paullus.

Ver em: Afro-Brasil em Cordel, de Nezite Alencar,

http://serradabarriga.palmares.gov.br/?page_id=10.16/11/2015

http://serradabarriga.palmares.gov.br/?page_id=553.16/11/2015

http://serradabarriga.palmares.gov.br/16/11/2015

Versos do título: música Eu sou negão, de Gerônimo.

 

Ana Cristina Mateus Rangel

Professora de Biologia da Rede Pública Estadual da Bahia

Anúncios

Consciência para além de negra

Olá, turma esperta!

Mais um novembro começando e com ele ampliam-se as discussões acerca dos povos negros e de suas conquistas até aqui. É o mês para debatermos, de maneira mais aprofundada, questões sobre como tem sido a inserção de negr@s na vida social, quais os caminhos trilhados para uma inclusão de forma justa e livre de preconceitos. É válida também a crítica de quem acredita que a discussão a respeito dos povos negros não deve se restringir a um curto período, mas ser forte o ano inteiro. Porém, também consideramos essencial aproveitar a oportunidade em que tantas ações convergem para essa discussão no intuito de promover aproximação de pessoas e coletivos para ações além novembro.

Este ano, temos razões de sobra para nos questionarmos sobre os avanços desta questão, pois a Lei 10.639/03 completa dez anos de sanção. É hora de avaliarmos o quanto esse passo foi importante para assegurar o direito à cidadania, educação, saúde e vida social dos povos negros.

Propomos aqui, uma reflexão sobre os aspectos relacionados aos negros, no século em que estamos e diante de todos os problemas que ainda temos; sobre como interferir numa sociedade que carrega preconceitos infundados e limitadores, instigando um olhar crítico acerca de questões da atualidade que são  indispensáveis para que a transformação aconteça.

Portanto, entre nesta corrente, colabore conosco, exponha sua opinião, contribua e sugira. Afinal, contamos com a participação de tod@s para que este canal também seja um espaço de construção da realidade, de forma a garantir o trato igualitário entre tod@s os partícipes de um mundo que é de tod@s e que deve proporcionar a participação justa de tod@s. Cremos que com diálogo, troca de experiências e com a parceria de vocês seremos capazes de sugerir e conquistar melhoras.

E você, vai ficar de fora desta proposta? Não deixe de interagir. Juntos somos mais!