Postagens sobre os povos indígenas

Olá, pessoal!

No blog do Professor Web, essa semana foi de compartilhar e se arriscar a escrever sobre uma pequena parte da história dos povos indígenas – que pretendemos continuar a contar. Nos materiais que pesquisamos fica claro que não existe o que comemorar e foi com base em depoimentos e textos divulgados nas mídias geridas por representantes dos povos indígenas que escrevemos nossas postagens ao longo dessa semana. Pedimos desculpas caso a equipe tenha cometido algum equívoco na abordagem. Esperamos receber as críticas, pois é um aprendizado que resolvemos buscar ao invés de ignorar a existência de conflitos vivenciados por estes povos. Nossa intenção foi abrir um canal de diálogo e de interação e, a partir desse objetivo, buscamos inspiração nos vários sites indicados ao longo da semana que podem ser muito úteis para atividades de educação. Acreditamos que não há ninguém mais apto para falar da cultura indígena do que cada um dos inúmeros povos espalhados pelo Brasil, mas temos todo o interesse em abordar temas relacionados para poder divulgar o trabalho que vem sendo feito por eles. Esperamos ter ajudado e gostaríamos de contar com a colaboração de vocês para continuar dando visibilidade à causa indígena.

Visite postagens da equipe do Professor Web sobre o tema.

https://oprofessorweb.wordpress.com/tag/povos-indigenas/

Abraços!

Anúncios

Identidades indígenas

Olá, pessoal!

É notável, em cada sociedade, as diferenças relacionadas aos hábitos, costumes fatores linguísticos, crenças e mitos. Nas sociedades indígenas não é diferente e pode ser notada essa diversidade cultural.

Elaborar novas compreensões políticas / ideológicas é algo comum de acontecer a partir da convivência. A relação mais próxima com elementos naturais é tratada pelos povos indígenas como um processo de transformação e inserção favorável para cultivar, agregar e compartilhar conhecimentos e experiências, sendo necessário para valorização identitária.

É importante fortalecer e divulgar a identidade cultural das diversas sociedades indígenas e tentar compreender a sua organização. Em busca de preservar elementos dessa cultura, o site Povos Indígenas no Brasil Mirim promove e destaca a importância de divulgar como as tribos como a Guarani Kaiowá, que vive no Mato Grosso do Sul e lutam para retornar os seus territórios tradicionais. Sugerimos um dos vídeos sobre como membros da comunidade escolhem os nomes das crianças da tribo, num ritual de batismo onde é característico as suas manifestações com o canto e dança, celebrando um momento importante e marcante na vida das crianças indígenas.

Então ficaram curios@s? Acessem aqui e conheçam um pouco mais dessa rica e diversificada cultura.

Abraços!

Fonte: http://pibmirim.socioambiental.org/node/8533

Cine PW: Produções Indígenas

Salve, turma!

O Cine PW homenageia hoje as centenas de comunidades indígenas e suas produções audiovisuais, que refletem a preservação de sua cultura e os desafios sociais vivenciados por cada etnia.

 MBYÁ REKO PYGUÁ, a luz das palavras 

Sinopse:A sensibilidade do povo guarani em educar as crianças permanece viva apesar das influências urbanas. Mas esforços dos professores indígenas são marcados por dilemas, buscas, encontros e desencontros. Este registro todo gravado em guarani na aldeia Yynn Moroti Wherá, em Biguaçu (SC), comprova: espiritualidade, simplicidade e verdade traduzem a luz dos guarani no seu processo de educação.” (saiba mais)

GUARANI, povo da mata e da floresta

Sinopse: “Karay Tataendy é cacique na aldeia Mymba Roká (Biguaçu, SC) e um dos 100 alunos do curso de Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica (UFSC), vindos de vários estados. Os desafios da primeira faculdade dirigida a povos indígenas do país tem grandes desafios: capacitar professores com ferramentas e conhecimentos e, ao mesmo tempo, reforçar os valores da própria língua e tradição.” (saiba mais)

Além das duas indicações acima, o Cine PW sugere os portais Índio Educa, Oca Digital e Índios Online que possuem acervos com peças audiovisuais produzidas pelas/com comunidades indígenas.

Confiram outros vídeos, relacionados – Cliquem: aqui, aqui e aqui

Cinco séculos de resistência

Salve, turma!

A chegada de colonizadores portugueses na terra que viria a ser o Brasil, é marcada pelo extermínio de vários povos indígenas. Nos primeiros séculos de colonização inúmeros índios foram mortos em combates, escravizados, centenas de povos foram dizimados pela fome e por epidemias contraída dos europeus.

No século XVI havia cerca de 2000 povos indígenas no Brasil, vestígios arqueológicos apontam que no ano 1000, havia cerca de 5 milhões de índios na região amazônica. No entanto, ao longo dos séculos a colonização, preconceitos, violência causadas por conflitos fundiários, ausência de leis e politicas de amparo resultou no desaparecimento diversas etnias.

Hoje, no Brasil, vivem 817 mil índios, cerca de 0,4% da população brasileira, na Bahia se encontra cerca 40 mil índios de 15 etnias e em Salvador são mais de 7 mil índios¹, segundo dados do Censo 2010. As comunidades indígenas brasileiras estão distribuídas entre 688 Terras Indígenas e algumas áreas urbanas. Há também 82 referências de grupos indígenas não-contatados, das quais 32 foram confirmadas. Existem ainda grupos que estão requerendo o reconhecimento de sua condição indígena junto ao órgão federal indigenista.²

Apesar da discriminação e injustiças históricas, os povos indígenas têm lutado para conquistar espaço na sociedade e garantir seus direitos à terra, educação e saúde. Muitos procuram manter sua cultura viva, apreendendo o idioma de sua etnia, valorizando conhecimentos e práticas ancestrais que marcam sua vida cotidiana e reafirmando sua identidade indígena.

Fonte: Indígenas IBGE, FUNAI

Homenagem aos Povos Indígenas – 513 anos de silenciamento e usurpação

Olá, pessoal!

Os séculos de usurpação material, opressão física/moral e silenciamento brutal das comunidades indígenas que habitam, muito antes de nós, este país, geram negação da diversidade cultural, religiosa, ideológica desses sujeitos. Mesmo sendo partícipes da dinâmica e interação social na história brasileira, continuam a ser vítimas das atrozes consequências destes e de outros fatores, que afetam diretamente a sua integridade como povo.

No instante em que, o bem mais sagrado para as famílias – o lar, violentamente subtraído – antes, pelas mãos dos invasores portugueses, hoje, pelos canos das armas de grileiros que, visando a apropriação de terras para o comércio ilegal destas, trazem medo às comunidades indígenas remanescentes, cerceia-se portanto, a necessidade básica e natural de enraizar/ perpetuar suas tradições, tão importantes para a configuração social em que estão inseridos(as).

Para um melhor entendimento sobre a real situação que vivem muitos/as índios e índias atualmente, cliquem aqui e confiram, a entrevista concedida ao Blogueiras Feministas, o desabafo/denúncia da jornalista indígena Pataxó Hã-Hã-Hãe, Olinda Muniz Wanderley, que reforça a necessidade que urge, para uma real mobilização e integração dos diversos setores da sociedade, em busca de amparo e reparação em favor dessas comunidades, que são democraticamente constituídas por cidadãos /ãs brasileir@s.

Confiram também, o vídeo com depoimento da jornalista na campanha – Virando o jogo.

Em face dessa realidade, precisamos reconhecer e valorizar ainda mais as contribuições desses/as guerreir@s para a nossa formação, pois o nosso idioma, culinária e muitos hábitos são resultado da rica soma de valores vindos deles/as também.

Abraços!

Fonte: Wikipédia; Blogueiras Feministas; Planalto.gov

Homenagem aos Povos Indígenas – Identidade e Resistência

Olá, pessoal!

Esta é uma semana muito especial para tod@s nós!

Hoje (19/04), comemora-se oficialmente em nosso país, o Dia do Índio. Para aqueles(as) que não vivenciam em seu cotidiano essas discussões, sugerimos que aproveitem esse momento para iniciar ou aprofundar mais os estudos sobre essa temática tão importante para refletir sobre a história da formação do povo brasileiro. Mergulhar neste debate é fundamental para o entendimento dos mais diversos povos indígenas que aqui habitam, desde fatos relatados do então “Descobrimento”, até os dias atuais.

Por acreditarmos que apenas um dia não seria suficiente para conhecermos mais da cultura indígena, suas tradições e relação com o meio, damos início a uma série de abordagens nesse contexto, na Homenagem aos Povos Indígenas, aqui no blog.

 PW-dia-INDIO-post

No decorrer desses dias, faremos um paralelo sobre a resistência dos povos originários de nosso país, a opressão colonizadora, a sua rica contribuição para a construção dos diversos valores de nossa sociedade, com a realidade vivida por estes atualmente.

Será de fato oportuno também, para a quebra dos paradigmas criados ao longo dos anos acerca desses povos, uma discussão mais aprofundada e que reconheça as contribuições trazidas para este debate pelos representantes deste grupo social. Apesar de estarem aqui antes da dominação portuguesa e da imensidão territorial que lhes permitia a liberdade( em sua essência), hoje são obrigados a conviver com demarcações, que limitam não apenas o seu espaço físico, mas sim, a sua interação social e identidade.

Confiram abaixo, alguns textos dentro dessa temática, que já foram publicados por aqui: Cliquem aqui

Sugerimos também uma publicação do Portal Índio Educa – O que (não) fazer no Dia do Índio

Abraços!

Fonte: Portal Índio Educa