Projeto estimula o uso das linguagens audiovisual e artística como meio de difusão de conhecimentos para estudantes da rede pública

Estudante-repórter: Roniton Fernandes

Os professores Geraldo Seara e Nildson Veloso apresentaram o pôster Curso de Interpretação e Produção de Vídeos Estudantis, durante o primeiro dia do Inovatec (I Congresso Baiano de Inovação e Tecnologia na Educação). O objetivo do curso é propiciar aos estudantes os conhecimentos básicos sobre a linguagem cinematográfica, além de incentivá-los a criar conteúdos para o uso em sala de aula.

Para realizar a atividade, os professores visitam escolas da rede pública estadual em toda Bahia. O professor Nildson avaliou o interesse dos alunos como surpreendente: “O interesse foi muito além do que a gente esperava. Quando os estudantes percebem a responsabilidade e a disciplina que o curso exige, eles vão se motivando”.

4-sam_1067
Fig. 1: Nildson Veloso. Foto: Emili Oliveira

Com o apoio da Rede Anísio Teixeira, o curso vem gerando bons frutos e, apesar de algumas dificuldades, a expectativa é de que em 2017 ocorram novas edições da formação. O professor Geraldo Seara contou para a nossa equipe o que ele espera para o futuro do projeto: “Com fé em Deus, isso não vai parar. Inclusive, queremos ampliar. A ideia é que aumente o número de pessoas formadas, para que elas sejam assistidas diretamente e para que multipliquem o nosso trabalho”.

2-sam_1044
Fig. 2: Geraldo Seara. Foto: Emili Oliveira

 

O estudante-repórter Roniton Fernandes. Foto: Raulino Júnior
O estudante-repórter Roniton Fernandes. Foto: Raulino Júnior

Roniton Fernandes tem 19 anos, é estudante do Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira, que fica em Salvador, e faz parte da equipe da Cobertura Colaborativa Estudantil.

Anúncios

Inscrições abertas – Oficinas de Interpretação e Produção de Vídeos

O Instituto Anísio Teixeira, através do programa de Difusão de Mídias e Tecnologias Educacionais – Rede Anísio Teixeira, inscreve, até o dia 07/07, estudantes e professores da rede estadual de ensino nas oficinas de Interpretação e Produção de Vídeos Estudantis.

interp-prod-video-est
Fig.1: Banner de divulgação. Arte: Josymar Alves

Com carga horária de 40h e objetivando a preparação adequada ao exercício da interpretação e da produção audiovisual nas escolas, a programação conta com conteúdos que contribuem para atividades de apreciação fílmica, produção cinematográfica e audiovisual, assim como o teatro.

Vagas e Inscrições

Estão sendo ofertadas 60 vagas. Sendo 30 vagas para a oficina de Interpretação Cênica e 30 vagas para a oficina de Produção de Vídeos Ficcionais. Para realizar a inscrição o candidato deve ler na íntegra a chamada pública e preencher a ficha de inscrição da oficina de interesse, respondendo atentamente a cada item.

Clique no link para acessar a ficha de inscrição:

Oficina interpretação cênica: http://bit.ly/290CfAB

Oficina produção de vídeos ficcionais: http://bit.ly/292YYwn

Resultado

O resultado da seleção será divulgado no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br), no Blog Professor Web (www.oprofessorweb.wordpress.com) e também através de contato via e-mail e/ou telefone, até o dia 8 de julho.

Local e período da formação

A formação ocorrerá no Colégio Estadual Luiz Pinto de Carvalho, localizado R. Ana Mariani Bitencourt, S/N – São Caetano (final de linha), Salvador – BA.

Os encontros acontecerão de 11 a 22 de julho de 2016 (segunda a sexta-feira, no turno vespertino).

Maiores informações pelo e-mail: rede.anisio@educacao.ba.gov.br ou pelo telefone 71 3116-9061.

Tenda Digital dá espaço ao teatro no Encontro Estudantil

Estudante-repórter: Roniton Fernandes

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Peterson Azevedo

Organizados pelo professor e ator Nildson Veloso, os jogos teatrais integraram as atividades do Palco Livre, da Tenda Digital, desde o dia 2 de dezembro. Tudo isso, claro, dentro da programação do 4º Encontro Estudantil. O projeto conta com alunos de diversas localidades de Salvador e do interior da Bahia, recém-formados em um curso de audiovisual ministrado pela Rede Anisío Teixeira.

Professor Nildson Veloso, Coordenador dos jogos teatrais. Foto: Peterson Azevedo.
Professor Nildson Veloso, coordenador dos jogos teatrais. Foto: Peterson Azevedo.

Os jogos têm como objetivo inserir o teatro na programação do Encontro, que conta com projetos de literatura, esportes, artes visuais, ciência, tecnologia, entre outros. Em converssa com nossa equipe, o coordenador do projeto salientou a importância das artes cênicas: “É muito importante porque o teatro é transformador; ele dá a possibilidade de pensar em outra forma de viver a vida, de resolver vários conflitos e entender que ele pode se transformar em outra pessoa, sem deixar de ser ele “.

O ator dos jogos teatrais, Nickson Lima. Foto: Roniton Fernandes
O ator dos jogos teatrais, Nickson Lima. Foto: Roniton Fernandes

O estudante Nickson Lima, 17 anos, estuda no Colégio Estadual de Aplicação Anisío Teixeira e é um dos participantes da atividade. “Este evento é importante, pois mostra que o aluno também pode ensinar e a gente está aqui justamente pra isto: mostrar que todos podem ser professores em alguma coisa”.

O estudante-repórter Roniton Fernandes. Foto: Raulino Júnior
O estudante-repórter Roniton Fernandes. Foto: Raulino Júnior

Roniton Fernandes tem 18 anos, é estudante do Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

Teatro Vila Velha e Escolas: nada de monólogo, um diálogo possível!

Márcio Meirelles conversa com professores no 1º Encontro #EscolasNoVila. Foto: Raulino Júnior
Márcio Meirelles conversa com professores no 1º Encontro #EscolasNoVila. Foto: Raulino Júnior

Em teatro, monólogo é uma peça ou cena em que um único ator representa, só ele fala. O diálogo se caracteriza pela conversa entre duas ou mais pessoas, pela troca de ideias e opiniões. Este foi o objetivo do 1º Encontro #EscolasNoVila, promovido pelo Teatro Vila Velha (TVV): dialogar. Educadores foram convidados para ir ao Vila a fim de conhecer os projetos do teatro e de pensar meios para estabelecer parcerias. A troca foi e é a tônica da iniciativa.

De graça, não tem graça

No encontro, os professores conheceram um pouco mais sobre alguns dos projetos do Vila Velha e ficaram por dentro do que vai acontecer no espaço até maio de 2016. Contudo, o protagonista foi, obviamente, o #EscolasNoVila. Embora a proposta esteja um tanto quanto indefinida, a ideia é manter contato com as escolas, propor ações e ter uma contrapartida nesse processo. Como num jogo teatral, onde todos dependem de todos, tendo a consciência de que uma ação interior gera a exterior. “A gente quer que essa troca aconteça”, enfatizou Márcio Meirelles, 61 anos, diretor artístico do TVV.

Márcio Meirelles: "A gente quer que essa troca aconteça". Foto: Raulino Júnior
Márcio Meirelles: “A gente quer que essa troca aconteça”. Foto: Raulino Júnior

Nesse sentido, lembrou da campanha constante do Vila, cujo slogan é “De graça, não tem graça”. Isso, segundo Márcio, não diz respeito apenas aos aspectos financeiros envolvidos numa produção. Tem a ver também com as contribuições de outra natureza que as pessoas podem dar para que os projetos aconteçam. “A gente quer fazer junto”, endossou Junia Leite, coordenadora geral do TVV.

#EscolasNoVila

Das possíveis ações oferecidas pelo Vila para as escolas, estão espetáculos, oficinas livres, espaços para ensaios e apresentações, leituras dramáticas, contação de histórias, visitas guiadas, palestras/discussões e consultoria artística. Mas nada aí “é”, tudo “pode ser”. O pacote não está fechado nem tem forma. O diálogo entre as escolas e o Vila é que vai definir quais caminhos o projeto vai trilhar.

Para Verenilda Araújo, 41 anos, professora do Colégio Estadual General Dionísio Cerqueira, que fica no bairro de Santa Cruz, a iniciativa pode render bons frutos, mas precisa ser melhor organizada. “A proposta é válida. Eu acho que a gente só precisa, enquanto escola pública, do tempo integral, ter uma intermediação da Secretaria da Educação. Ela tem que fechar alguns contratos acerca dos horários para que a gente possa fazer essa parceria”.

Verenilda Araújo, professora do Colégio Estadual General Dionísio Cerqueira: "A proposta é válida,  só precisa de uma intermediação da SEC-BA". Foto: Raulino Júnior
Verenilda Araújo, professora do Colégio Estadual General Dionísio Cerqueira: “A proposta é válida, só precisa de uma intermediação da SEC-BA”. Foto: Raulino Júnior

Após a conversa com os professores, ao ser questionado sobre a viabilidade da ideia que teve, Márcio Meirelles reforçou o aspecto de contribuição mútua do #EscolasNoVila: “Existe um desejo coletivo. A nossa chamada foi nesse sentido: nós estamos preocupados com o mundo e com o teatro, com a linguagem, com a ação teatral, com os espaços de teatro. Quando as pessoas atendem ao chamado, a gente fica mais tranquilo. Vamos, juntos com essas pessoas, começar a construir essa rede, começar a construir essas possibilidades de avançar, essas trocas”.

Para quem ficou com vontade de saber um pouco mais sobre o projeto, o Blog do Professor Web e da Professora OnLine compartilha o documento digital que foi distribuído durante o encontro: #EscolasNoVila. Nele, os leitores encontram informações sobre a história do Teatro Vila Velha, do Bando de Teatro Olodum e do Viladança. Além disso, confere a agenda do Vila para os próximos meses.

De acordo com os organizadores, novos encontros vão acontecer. Para não ficar só na plateia, acompanhe as novidades no site oficial do Teatro Vila Velha: www.teatrovilavelha.com.br.

Até o próximo!

Consultas feitas para dar sentido a este texto:

1) A literatura vai ao teatro – Episódio VI – Capítulo I – Bloco I – A origem do teatro (áudio). Link: http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/1884. (Acesso em: 3 de junho de 2015).

2) MEGIDO, José Luiz Tejon. O “método Stanislavski” para a construção de papéis: a arte na interpretação do educador. Link: http://tejon.com.br/arquiteturasite/arquivos/tesemackenzie.pdf. (Acesso em: 3 de junho de 2015).

3) SILVA, Ana Amélia Brasileiro Medeiros. A Experiência do Monólogo, Autoria e Construção de Si. Link: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/intratextos/article/view/412/495. (Acesso em: 3 de junho de 2015).

 

Raulino Júnior

Professor da Rede Pública Estadual de Ensino

Hoje, é dia de fazer arte!

Oi, galerinha! Tudo bem?

 Hoje, 12 de agosto, é o Dia Nacional da Arte. A arte é importante para a formação cultural e política do ser humano. Tod@s nós temos, de certa forma, algum envolvimento com a arte. Mesmo que você não realize nenhuma atividade artística, as artes estão no seu cotidiano em forma de música, literatura, artes visuais, dança e teatro.

 A escolas estão se apropriando das linguagens artísticas com bastante intensidade. Na rede estadual de ensino da Bahia, várias iniciativas têm como objetivo fomentar, introduzir e potencializar as experiências artísticas dos estudantes. O FACE, o TAL, o AVE e o Prove são bons exemplos disso. Nos Parâmetros Curriculares Nacionais: arte, documento do Ministério da Educação, o professor recebe orientações de como ensinar a disciplina em sala de aula e sobre qual é a importância de unir arte e conhecimento. De acordo com o texto, “a manifestação artística tem em comum com o conhecimento científico, técnico ou filosófico seu caráter de criação e inovação. Essencialmente, o ato criador, em qualquer dessas formas de conhecimento, estrutura e organiza o mundo, respondendo aos desafios que dele emanam, num constante processo de transformação do homem e da realidade circundante” (1997, p. 26).

 @ estudante pode ampliar os seus conhecimentos acerca de arte de diversas maneiras: lendo, visitando museus, indo aos espetáculos de artes cênicas e pesquisando na internet. O site da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB) traz muitas informações sobre eventos artísticos, bem como anúncios de cursos de formação nas mais diferentes linguagens artísticas. Quando estiver acessando a página, não deixe de clicar no link da Agenda Cultural. Outra opção na rede, é o site da Fundação Nacional de Artes (Funarte). Nele, além de várias referências sobre o universo da arte, a gente encontra o link do portal “Brasil Memória das Artes”, no qual temos contato com um riquíssimo acervo digitalizado. E, como última dica, vale a pena navegar pelo site do Almanaque Brasil, iniciativa do artista plástico Elifas Andreato. Então, coloque mais arte na sua vida!

TV Anísio Teixeira abre seleção para o programa Intervalo

Com o objetivo de selecionar atores e atrizes profissionais para compor o elenco do Programa Intervalo, da TV Anísio Teixeira, o Instituto Anísio Teixeira – IAT convoca os interessados a participar da seleção que acontece entre os dias 14 e 17 de maio de 2013, das 8h às 18h, no auditório do IAT, situado na Estrada das Muriçocas, s/n, Paralela.

Além dos atores e atrizes profissionais serão selecionados professores da Rede Pública Estadual de Educação da Bahia que desejem marcaparticipar e que tenham habilidade em interpretação, para também fazer parte do elenco em formação.

Pré-requisito – O candidato deve ter habilidade em atuação cênica, possuir registro na Delegacia Regional do Trabalho – DRT ou licença especial, ser maior de 18 anos e enviar Currículo Vitae com duas fotos (perfil e corpo inteiro) para o endereço eletrônico tvanisioteixeira@educacao.ba.gov.br, até o dia 10 de maio de 2013.

Os pré-selecionados serão informados do horário e data da sua audição através do e-mail e/ou telefone para que se dirijam ao local da seleção.


O professor e ator Nildson B. Veloso, coordenador da seleção e também autor da peça teatral Edson, Rei da Construção, que será adaptada para o programa EmCenAção , um dos programas da TV Anísio Teixeira, fala sobre a importância da seleção.

Essa vai ser uma seleção diferente de tudo que já foi feito até hoje na Bahia. Porque estamos selecionando atores e atrizes que já tem a sua carreira formada, e também os professores da rede estadual de ensino que desejam fazer parte desse trabalho”, disse Nildson.

Intervalo – É o mais novo programa da TV Anísio Teixeira que começa a ser produzido a partir do mês de maio de 2013, terá a duração de 15 minutos, tempo do horário do intervalo escolar, por isso a escolha desse nome. A pretensão é que o mesmo seja exibido nas escolas durante o período recreativo.

Maiores informações podem ser adquiridas através do telefone (71) 3116-9019.

Fonte: http://educadores.educacao.ba.gov.br/noticias/tv-anisio-teixeira-abre-selecao-para-o-programa-intervalo

Talento estudantil – Faça Acontecer

Olá, pessoal!

Do despertar da curiosidade ao talento descoberto e incentivado, respeito às diferenças e habilidades que nos completam e formam o todo que somos. O ambiente escolar, além de proporcionar crescimento educacional, influi em diversos aspectos na vida dos sujeitos que dele são partícipes.

Não temos dúvidas de que colaboradores, professores e estudantes são artífices da construção dos saberes que também constituem a dinâmica social.

Hoje, compartilhamos com vocês um belo exemplo de talento, superação e aptidão – a série de documentários Faça Acontecer, realizada pela TV Anísio Teixeira que de maneira singular mostra conquistas estudantis e “tem como objetivo valorizar a capacidade intelectual, artística e esportiva dos estudantes da Rede Pública de Ensino da Bahia, a partir de depoimentos deles mesmos, dos seus familiares, professores e amigos.”

Confiram no Ambiente Educacional Web os episódios da série – Cliquem aqui!

Comp 1 (0-00-15-23)

Realizações como essas nos deixam cada dia mais confiantes de que por meio da educação um mundo de possibilidades se abre quando fazemos acontecer.

“Se a educação sozinha não pode transformar a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda.”

(Paulo Freire)

Abraços, amig@s!

Fonte: http://educadores.educacao.ba.gov.br; http://ambiente.educacao.ba.gov.br/

Prêmio Funarte de Arte Negra

INSCRIÇÕES PRORROGADAS ATÉ 25 DE MARÇO DE 2013

Acesse aqui a portaria da prorrogação

A Fundação Nacional de Artes, em parceria com a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República – SEPPIR, lançou o Prêmio Funarte de Arte Negra. A portaria que instituiu o Prêmio foi publicada no Diário Oficial da União de 20 de novembro e retificada no dia 26 de novembro de 2012. Serão premiados 33 projetos nas áreas de artes visuais, circo, dança, música, teatro e preservação da memória.

As inscrições estão abertas até 25 de março de 2013. Para participar, os proponentes precisam se autodeclarar pretos ou pardos, categorias de classificação de cor ou raça adotadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.

O investimento total é de R$ 4,440 milhões, dos quais R$ 4,3 milhões serão concedidos em prêmios de R$ 100 mil, R$ 150 mil e R$ 200 mil. Os recursos são do Fundo Nacional de Cultura.

Podem concorrer artistas, produtores culturais e instituições privadas (com ou sem fins lucrativos, de natureza artística e/ou cultural), que comprovem experiência no desenvolvimento de atividades artísticas que conservam elementos das culturas de matriz africana e/ou realização de trabalhos com temas ligados à experiência social e política da população negra dentro e fora do Brasil.

Os trabalhos serão avaliados por uma Comissão de Seleção composta por 12 membros, indicados pela Funarte e pela Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.

O material de inscrição deverá ser enviado por SEDEX, em envelope único, para a Rua da Imprensa, 16 – 6º andar / Setor de Protocolo – Castelo – Rio de Janeiro – RJ – CEP 20030-120, conforme instruções contidas no edital.

Posteriormente, a relação com a classificação de todos os projetos, inclusive os 33 selecionados, será divulgada nesta página eletrônica da Funarte (www.funarte.gov.br).

Fonte: http://www.funarte.gov.br/edital/premio-funarte-de-arte-negra/

FESTIVAL A CENA TÁ PRETA

Festival internacional A Cena Tá Preta reúne teatro, música, cinema, dança, exposição e manifestações populares, de 09 a 18 de novembro, em Salvador.

A quarta edição do A Cena Tá Preta, festival internacional de arte negra que integra teatro, dança, música, cinema, exposição e manifestação popular, acontece de 09 a 18 de novembro, em Salvador, no Teatro Vila Velha, com entrada franca. O encontro inclui mostra artística e ações de caráter formativo (oficinas) e reflexivas (seminário com conferência e mesas-redondas), reunindo produções de cinco estados brasileiros (São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Minas Gerais e Bahia), Moçambique, Guiné, Burkina Faso, Togo e França. Além da programação artística, o festival conta com participação de pesquisadores do Brasil, Congo, Cuba e Estados Unidos.

A Cena Tá Preta tem como foco a arte negra e, a partir da mostra de trabalhos artísticos, debates e atividades de intercâmbio, reflete e apresenta um recorte dos caminhos percorridos pela cultura de legado africano em manifestações de várias linguagens. A ideia do festival é fortalecer, divulgar e celebrar a criação artística que tenha como base a cultura de matriz africana e destacar a sua representatividade na constituição da identidade cultural de povos afrodescendentes, notadamente o Brasil. Para isso, promove a troca de experiências entre artistas e estudiosos de distintas regiões brasileiras, colocando-os também em diálogo com países nos quais questões de negritude também se impõem sócio-culturalmente.

O festival, que acontece no mês em que se comemora o Dia da Consciência Negra (20 de novembro), é realizado e produzido pelo Bando de Teatro Olodum em parceria com o Teatro Vila Velha, convênio com a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR) e apoio financeiro do Fundo de Cultura do Estado da Bahia. A coprodução é do Coletivo de Produtores Culturais do Subúrbio.

Nesta quarta edição, A Cena Tá Preta acontece pelo terceiro ano consecutivo. “Tivemos um grande intervalo depois da primeira edição, em 2003, mas agora estamos conseguindo nos manter no calendário anual. Manter o fôlego, pelo caráter do festival, é também uma forma de resistência”, observa Chica Carelli, diretora do A Cena Tá Preta – Ano IV. O fôlego, em verdade, amplia-se este ano: pela primeira vez na história do festival, acontecem apresentações de música, dança, exposição e representações da cultura popular tradicional, como samba-de-roda e as máscaras de Maragojipe, que promovem uma charanga no Passeio Público.

Continue Lendo “FESTIVAL A CENA TÁ PRETA”

“Siré Obá – A Festa do Rei” se apresentará gratuitamente em 8 cidades do interior baiano

As sessões acontecem de 3 a 25 de novembro, aos sábados e domingos, nos terreiros de candomblé de cada município

foto: Jô Stella | Divulgação
Após levar o espetáculo “Siré Obá – A Festa do Rei” a diversas Comunidades de Santo de Salvador e apresentar-se em vários palcos, mostras e festivais, o NATA – Núcleo Afrobrasileiro de Teatro de Alagoinhas, faz temporada gratuita em terreiros de candomblé de 8 cidades no interior da Bahia, durante o mês de novembro.
As apresentações, que passam pelas cidades de Catu, Feira de Santana, Alagoinhas, Dias D´Avila, Inhambupe, Santo Amaro, Simões Filho e Cachoeira, acontecem aos sábados e domingos, sempre às 16h, de 3 a 25 de novembro.
O NATA inspira-se nos orikis (poesia em exaltação aos orixás) e usa teatro, dança afro e música para mostrar a beleza e a filosofia do culto às divindades africanas, tendo como objetivo desmitificar preconceitos e combater a intolerância religiosa. Unindo religião e arte, a peça segue a sequência das músicas cantadas e tocadas para os orixás nos rituais do candomblé, celebrando, junto com espectador, os feitos dessas divindades.
Desde a sua primeira temporada em 2009, Siré Obá recebeu três indicações ao Prêmio Braskem de Teatro: Melhor Espetáculo, Revelação (para a então estreante diretora Fernanda Júlia) e Especial (pela direção musical de Jarbas Biittencourt), categoria da qual saiu vencedor.
O Grupo
O Nata – Núcleo Afro-Brasileiro de Teatro – foi fundado em 1998, na cidade de Alagoinhas (Bahia), e vem realizando espetáculos e atividades culturais que discutem, divulgam e valorizam a cultura afrodescendente. Seus projetos possuem como eixo norteador a história, cultura e religiosidade afro-brasileira e têm como objetivo a desmitificação de preconceitos que povoam histórica e culturalmente o imaginário coletivo da sociedade, resultado de um processo de colonização e racismo. A direção artística do NATA é de Fernanda Júlia Barbosa, graduada em Direção pela Escola de Teatro da Ufba, pesquisadora da cultura afro-brasileira com foco no candomblé. Entre os espetáculos do Nata destacam-se: Senzalas, A Eleição, Ogum – Deus e Homem, e Pavio Curto. A produtora responsável é Susan Kalik, da Kalik Produções Artísticas.
Serviço:
Temporada de Siré Obá – A Festa do Rei nos terreiros de candomblé do interior da Bahia
 
03/11 (SÁBADO) – 16H
Cidade: CATU
Ylê Axé: TERREIRO ASSOCIAÇÃO YLÊ ASÉ OYÁ DEMIR
Endereço: Rua das Acácias n 123 – Planalto II – Catu –
Contato: (71) 3641 2098
04/11 (DOMINGO) – 16H
Cidade: FEIRA DE SANTANA
Ylê Axé: YLÊ AXÉ IJI FAROMIM
Endereço: Rua Parque Pitomba n 40, Bairro Campo Limpo – Feira de Santana
Contato: (75) 8148 6389
10/11 (SÁBADO) – 16H
Cidade: ALAGOINHAS
Ylê Axé: YLÊ AXÉ OYÁ LECI CONGO
Endereço: Rua Bahia n 220 – Jardim Petrolar – Alagoinhas
Contato: (75) 3422 6676/ 9971 4837
11/11 (DOMINGO) – 16H
Cidade: DIAS D´ÁVILA
Ylê Axé: YLÊ AXÉ YÁ DELMIN
Endereço: Rua do Botafogo n 732 – Dias D´ávila
Contato: (71) 3625 4663/ 3625 6803
17/11 (SÁBADO) – 16H
Cidade: INHAMBUPE
Ylê Axé: TERREIRO DOS FILHOS DE KANBARANGUANJE
Endereço: Povoado do Mandacaru – Zona Rural – Inhambupe
Contato: (75) 9978 5734/ 3431 2758
18/11(DOMINGO) – 16H
Cidade: SANTO AMARO
Ylê Axé: YLÊ AXÉ IGBALÉ
Endereço: 4 Travessa Caixa d´água Beco de Rubem s/n – Santo Amaro
Contato: (75) 3241 39 74
24/11 (SÁBADO) – 16H
Cidade: SIMÕES FILHO
Ylê Axé: YLÊ AXÉ OJU YÁ OMIM
Endereço: Rua da Escola km 10  n 49 Palmares  – Simões Filho
25/11 (DOMINGO) – 16H
Cidade: CACHOEIRA
Ylê Axé: TERREIRO OYÁ MUCUMBI FILHO DE KAFUNGELÊ
Endereço: Rua: Berço da Levada – Geraldo Simões – S/N Santo Amaro
Contato: (75) 3425 1342