Duas faces de uma mesma prática

A leitura é muito mais

do que decifrar palavras.

Quem quiser parar pra ver

pode até se surpreender:

vai ler nas folhas do chão,

se é outono ou se é verão;

nas ondas soltas do mar,

se é hora de navegar;

e no jeito da pessoa,

se trabalha ou se é à-toa…”

O trecho acima, do poema Aula de Leitura, do escritor, ilustrador e pesquisador paulista Ricardo Azevedo, mostra como a leitura é uma prática que nos enche de possibilidades de ver o mundo. Através dela, a gente decifra tudo, até as coisas consideradas mais difíceis. Por mais clichê que pareça, para quem lê, a vida tem outra face e várias facetas. Quem lê, de fato, se torna possível e passível; porque leitura é sentimento.

Fig. 1: Família “Leitura e Escrita” (da esquerda para a direita): Rodrigo de La Rocha, Diego Santoro, Elaine Camacã, Alex Simões, Mariângela Nogueira (sentada), Larissa Kharkevitch, Anderson Shon, Nana de Carvalho e Armando Almeida. Foto/Edição: Peterson Azevedo.

A Fundação Pedro Calmon (FPC), através da Diretoria do Livro e da Leitura (DLL), levou essa afirmativa ao pé da letra e criou o projeto Memórias de Leitura, com o objetivo de estimular a leitura. Quinze vídeos foram publicados, com pessoas falando sobre as suas primeiras experiências com a prática de ler. O resultado pode ser visto na programação da TV Educativa da Bahia (TVE-Bahia), nos sites e mídias sociais do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (IRDEB), da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA) e da própria FPC.

A fim de saber um pouco mais sobre o projeto e discutir o papel da escola nesse estímulo à leitura, a equipe do Blog do Professor Web e da Professora Online conversou com Mariângela Nogueira, 58 anos, diretora da DLL. Veja, no vídeo a seguir, o que ela disse:

O projeto Memórias de Leitura foi produzido, como afirmou Mariângela, durante a Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica), em outubro de 2016. O poeta Alex Simões, 43 anos; o tradutor, poeta e escritor Rodrigo de La Rocha, 28 anos; e o professor e escritor Anderson Shon, de 29 anos, foram algumas das pessoas que compartilharam as memórias. A convite do nosso blog, eles falaram como foi essa experiência e opinaram sobre a importância da iniciativa:

O Memórias de Leitura foi gravado por jovens integrantes da Cipó Comunicação Interativa e a produção teve apoio da DLL. Por curiosidade, você gostaria de saber quais são as memórias de leitura de quem idealizou a iniciativa? Nós também! Por isso, perguntamos à equipe que compõe a Diretoria do Livro e da Leitura, da Fundação Pedro Calmon: quais são as memórias de leitura de vocês? Neste vídeo, você confere os depoimentos:

IV Concurso de Escritores Escolares

Outra ação da DLL (FPC) que tem a leitura como mote é o Concurso de Escritores Escolares. Isso porque todo ato de escrita pressupõe o de leitura. Na sua 4ª edição, o concurso é voltado para estudantes regularmente matriculados no Ensino Fundamental I e II e Ensino Médio, das redes pública e particular da Bahia. Cada estudante só pode se inscrever em uma das categorias (redação ou poesia), com texto inédito, ficcional ou não. O tema das produções é livre. No vídeo a seguir, Armando Almeida, 60 anos, coordenador de Leitura da DLL, fala como se deu a adesão das escolas ao concurso, durante todo esse tempo, e sobre o estímulo à escrita:

O professor Anderson Shon, que participa há dois anos do concurso, estimulando os seus alunos, diz que faz a sensibilização focando na escrita criativa: “Eu sempre trabalhei redação longe de qualquer objetivo de passar no ENEM, de passar em vestibular. Eu sempre foquei em escrita criativa. Quando eu soube do concurso, lá na 2ª edição, para mim, era a ideia de validar os meus conhecimentos e os conhecimentos deles. Porque a gente escrevia, a gente gostava, mas a gente nunca tinha passado por uma avaliação. Na primeira vez que eu participei, tive sete alunos premiados. No ano passado, tive Beatriz Vieira em primeiro lugar. A gente já trabalhava a escrita de uma forma extremamente criativa. Minha ideia de trabalhar a escrita com eles é no conceito de que a escrita é viva. Nas nossas aulas, não existe nada que esteja extremamente errado. Para mim, estimular os alunos, é sempre desafiá-los, mostrar que eles são capazes, criativos e com condições de virarem escritores no futuro”, pontua.

As inscrições para participar do IV Concurso de Escritores Escolares poderão ser feitas até 14 de junho, na sede da FPC, que fica na Avenida Sete de Setembro, Edifício Brasilgás, 4º andar, sala 01, Centro, Salvador-BA, CEP.: 40060-001. Quem não mora na capital, pode fazer a inscrição pelo correio, com Aviso de Recebimento (AR). Dezoito candidatos serão contemplados, com prêmios como notebook, tablet, e-book e kits de 50, 40 ou 30 livros. Para saber mais informações sobre o concurso, acesse o site www.fpc.ba.gov.br. Sucesso! E não esqueça: a leitura te leva para qualquer lugar. Basta você querer!

Texto/Produção: Raulino Júnior

Imagens: Peterson Azevedo

Edição/Finalização: Keops Maciel

Agradecimentos à equipe da Diretoria do Livro e da Leitura, da Fundação Pedro Calmon, e a todas as pessoas que participaram desta reportagem.

Anúncios

Tema é uma coisa; título, outra: vamos distinguir?

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) está se aproximando e milhares de estudantes brasileiros devem estar, neste momento, estudando para ter um bom desempenho na avaliação, que acontecerá nos dias 8 e 9 de novembro de 2014. A redação do Enem é sempre motivo de muita especulação, principalmente no que diz respeito ao tema que será abordado. “Qual vai ser o tema deste ano?”, “Eu estou preparado (a) para dissertar sobre ele?”. Enfim, são muitos questionamentos. Contudo, você sabe distinguir “tema” de “título”?

De acordo com o documento A Redação do Enem 2013: Guia do Participante, elaborado pelo Ministério da Educação e lançado, obviamente, no ano passado, com validade para 2014, não é obrigatório colocar título na redação. O texto do Guia diz o seguinte: “O título é um elemento opcional na produção da sua redação e será considerado como linha escrita”. No entanto, como já foi dito numa outra publicação feita aqui, reflita: quando você passa por uma banca de revista ou acessa um site de notícias, o que é que chama a sua atenção para ler o conteúdo completo? Se você pensou no título, acertou! Ele serve de chamariz para que o leitor se interesse pelo texto. Então, use isso a seu favor. Elabore um título criativo e coerente com a temática e abordagem da sua redação.

Agora, é bom saber que tema e título não são palavras sinônimas. O tema é um aspecto geral; o título, um aspecto específico. Por exemplo, a escravidão é o tema do romance de Bernardo Guimarães que narra a história de uma moça branca que faz de tudo para adquirir a própria liberdade e a liberdade de seu pai ; o título de tal obra é A Escrava Isaura. Tema é o assunto. Título é a palavra ou expressão que indica e faz referência ao assunto discutido. O título deve ser retirado do tema. O contrário pode resultar na famosa “fuga do tema”.

O tema da redação do Enem de 2013 foi este: Efeitos da Implantação da Lei Seca no Brasil. Nesse sentido, respeitando os dados e informações dos textos motivadores, um bom título para a produção textual poderia ser: Lei Seca, Vida Gorda. Ou seja: o título é criativo (porque brinca com outro sentido da palavra “seca” e faz um contraponto com “gorda”. Metaforicamente, o autor quis dizer que mais vidas foram protegidas) e já traz a tese defendida pelo redator (a de que, com a implantação da lei, mais vidas foram preservadas; a quantidade de acidentes de trânsito provocados por embriaguez diminuiu e, por isso, a vida ficou “gorda”).

E você? Qual título daria? Conte pra gente! Até a próxima!

Mais um papinho sobre a redação do Enem…

Oi, turma! Tudo bem? Na segunda-feira passada, o blog falou sobre a redação do Enem, destacando o Guia do Participante, elaborado pelo Ministério da Educação (MEC). Hoje, vamos focar em algumas dúvidas que, talvez, você tenha.Vamos lá?

  • É obrigatório colocar título na redação?

Não é. Na página 9 do Guia, o MEC coloca a seguinte observação: “O título é um elemento opcional na produção da sua redação e será considerado como linha escrita”. Contudo, reflita: quando você passa por uma banca de revista ou acessa um site de notícias, o que é que chama a sua atenção para ler o conteúdo completo? Se você pensou no título, acertou! Ele serve de chamariz para que o leitor se interesse pelo texto. Então, use isso a seu favor. Crie um título criativo e coerente com a temática e abordagem da sua redação.

  • Quais são os critérios utilizados pelo MEC para atribuir nota zero a uma redação?

São vários critérios. De acordo com as recomendações do MEC, o texto que fugir do tema, apresentar apenas sete linhas, não obedecer à estrutura dissertativo-argumentativa, contiver formas propositais de anulação e desrespeitar os direitos humanos será desconsiderado. Além disso, se o candidato deixar a folha de redação em branco, mesmo que o texto esteja completo na folha de rascunho, receberá nota zero.

PW-dica-enem-linguagens-codigos

Não. Os brasileiros passariam a usar, obrigatoriamente, as novas regras em 1° de janeiro deste ano. Porém, um novo decreto ampliou o período de implantação do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa no país para 1º de janeiro de 2016. Ate lá, coexistirão a norma em vigor e a norma proposta pelo Acordo. Portanto, nenhum candidato é obrigado a escrever a redação seguindo o que está previsto no texto do Acordo Ortográfico.

  • O candidato pode copiar trechos dos textos motivadores na sua redação?

Não. Os textos motivadores, como o próprio nome já diz, servem para motivar; estimular o candidato a refletir sobre o tema. Eles direcionam o debate proposto na redação. Não devem, em hipótese alguma, ser copiados no corpo do texto.

Anotou tudo direitinho? Então, até o nosso próximo encontro!

Redação com erre maiúsculo

Oi, pessoal! Tudo bem?

O  Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano, que vai ocorrer nos dias 26 e 27 de outubro, terá regras mais rígidas para a prova de redação. Isso ficou claro na semana passada, quando o Ministério da Educação (MEC) publicou o Guia do Participante: a redação no Enem 2013, um documento que aborda vários aspectos sobre a prova e dá dicas aos candidatos. Contudo, não é necessário se desesperar. Quem está estudando e, principalmente, lendo muito, terá um bom desempenho.

O Enem exige que o estudante produza um texto dissertativo-argumentativo. Isso significa que a produção escrita deve discutir um tema de forma coerente e coesa, apresentando argumentos para embasar a tese (opinião). De acordo com o Guia, é importante também que cada estudante elabore uma conclusão pensando em uma alternativa para o problema abordado na proposta de redação. Essa sugestão deve respeitar os direitos humanos.

Para fazer a correção das provas, o MEC elencou cinco critérios (competências) de avaliação: a) Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa; b) Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa; c) Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista; d) Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação e 5) Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos. O texto é considerado “em prosa” quando é estruturado por parágrafos. Um poema, por exemplo, é um texto “em verso”, uma vez que é dividido em estrofes.

O mais importante não é pensar no possível tema que constará na prova; mas, sim, nos argumentos que você vai usar para defender o seu ponto de vista, baseando-se sempre nos critérios estabelecidos pelo Ministério da Educação. Se você vai fazer o Enem, fique atento às publicações deste blog, aos conteúdos pedagógicos do Ambiente Educacional Web e às recomendações do MEC e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Afinal, a sua aprovação já começa daí.

 Até o próximo!

ENEM 2012 – Dicas do INEP

Olá, amigos@, Tudo bem?

Alguns de vocês certamente já fizeram questionamentos do tipo:

Será que estou estudando o suficiente? Escolhi a carreira certa? E se eu não conseguir “passar”?

Isso é normal!

A fase de preparação para um dos exames mais disputados por estudantes em nosso país, o ENEM, é cansativa pois necessita-se de muita energia e foco para dedicar-se às intensas horas de estudos, não é mesmo?!

Mas é preciso que esse processo seja compreendido não como um fator temível ou definitivo, e sim como mais uma etapa a ser encarada, um momento de pôr em prática tudo aquilo que foi aprendido durante as aulas. E nessa hora manter a calma é fundamental, pois faz com que o desempenho nas provas gere resultados eficazes.

Nessa reta final algumas dicas devem ser observadas com bastante atenção, visto que cada detalhe pode fazer uma grande diferença.

Então, confiram algumas informações fornecidas pelo INEP para que os(as) candidatos(as) tenham sucesso na edição deste ano.

PROVA DE REDAÇÃO E LÍNGUA ESTRANGEIRA

A Prova de Redação será realizada no segundo dia do Enem 2012, 4 de novembro, junto com Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias. O tempo total para a prova será de 5h30.

A redação deve ser um texto dissertativo-argumentativo de no máximo 30 linhas, desenvolvido a partir de uma situação-problema e de subsídios oferecidos sob a forma de textos motivadores. O participante deve desenvolver uma reflexão escrita sobre um tema de ordem política, social ou cultural.

O que dá “nota zero” na Redação:

– Fuga do tema – Não atender a proposta solicitada ou desenvolver outra estrutura textual que não seja a do tipo dissertativo-argumentativo;

– Folha em branco – Entregar a Folha de Redação sem texto escrito;

– Texto insuficiente – Escrever apenas (até) sete linhas;

– Cópia dos textos motivadores – Não desenvolver argumentos próprios;

– Impropérios, desenhos;

– Desrespeito aos direitos humanos.

Dica!

– O texto dissertativo-argumentativo é um texto opinativo que se organiza na defesa de um ponto de vista sobre determinado assunto. Nele, a opinião do autor é fundamentada com explicações e argumentos. O texto é dissertativo porque disserta sobre um assunto, descreve-o, explica-o; e é argumentativo porque defende uma opinião e tenta convencer e cativar o leitor com argumentos.

LÍNGUA ESTRANGEIRA

No segundo dia de provas, o participante deve responder a cinco questões de Língua Estrangeira, conforme a opção escolhida no momento da inscrição: inglês ou espanhol.

Não é permitido trocar a opção no momento da prova.

Se o participante tiver dúvidas, deve conferir o Cartão de Confirmação da Inscrição. Lá está registrada a sua escolha.

Os participantes devem ficar atentos para responder às questões da prova de língua estrangeira que constam no seu Cartão de Confirmação da Inscrição.

Para obter mais dicas, cartão de confirmação e locais de prova, acessem http://www.enem.inep.gov.br   ou cliquem na imagem abaixo. 

*Fiquem atentos(as)

Os portões de acesso são abertos às 12h e fechados às 13h. Recomenda-se que  todos os participantes compareçam ao local de realização das provas até as 12h, de acordo com o horário oficial de Brasília.

É isso aí, pessoal! Uma ótima prova e boa sorte a tod@s!

Fonte: http://www.enem.inep.gov.br/, http://www.inep.gov.br/

Enem: redação passa por mudanças na avaliação

O Enem de 2012 virá com mudanças e mais rigor na correção da redação. A partir deste ano, o texto produzido pelos candidatos será corrigido por dois corretores de forma independente e haverá cinco itens de objetividade sendo avaliados. Caso haja diferença maior que 20% na nota final entre esses dois corretores, a redação será lida por um terceiro corretor.

E se, ainda assim, a discrepância persistir, ou seja, a diferença entre as três notas for superior a 200 pontos, a dissertação passará para uma banca examinadora de excelência, composta por três professores avaliadores e que darão então a nota final ao participante. No Enem de 2011, a discrepância entre as notas finais dos corretores podia ser maior, chegando a até 300 pontos, e havia dois corretores.

“Mudamos substancialmente o sistema de avaliação da redação para que haja maior objetividade e segurança aos estudantes. É uma avaliação com muito mais rigor para que tenhamos uma avaliação justa”, afirmou o ministro Aloizio Mercadante, em entrevista coletiva à imprensa, na quinta-feira, 25, no auditório do edifício-sede do Ministério da Educação. Segundo ele, para aprimorar a correção da redação haverá um aumento de 40% no número de avaliadores.

Também é novidade na redação a divisão da nota em cinco itens de competência: domínio da língua portuguesa, compreensão do tema proposto, capacidade de selecionar e organizar ideias, demonstração de conhecimento sobre o tema e apresentação de solução para a proposta dissertativa.

Cada um dos corretores deverá atribuir nota de zero a 200 pontos para cada uma dessas competências. Havendo discrepância maior que 80 pontos em cada uma, o terceiro corretor avaliará e atribuirá notas segundo o mesmo critério.

Por exemplo, a nota do primeiro corretor é de 640 pontos e a do segundo, 480. A priori, a diferença é inferior a 200 pontos e a nota final da redação desse candidato seria a média aritmética das suas notas. Mas, se na competência 1 a nota de um corretor tiver sido 160 e o do outro, 40, a redação será encaminhada para o terceiro corretor. Se a nota dele, nessa competência, se aproximar da de um dos dois corretores anteriores – por exemplo, nota 120 –, não haverá necessidade da banca examinadora. A nota mais baixa na competência com dispersão será eliminada. A nota final da redação será a média aritmética das duas notas mais próximas.

Em julho, um guia será enviado aos candidatos inscritos no Enem 2012, com explicações sobre as novas regras de correção da redação. “Esse manual, que estará disponível no portal do MEC, trará exemplos concretos, com textos, do que será cobrado em cada competência. E também trará exemplos de redação de excelência”, disse o ministro Aloizio Mercadante.  O estudante terá nota zero se o texto fugir do tema proposto, apresentar estrutura textual que não seja a do tipo dissertativo-argumentativo ou tiver sete linhas ou menos.

Segundo o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Luiz Cláudio Costa, após a divulgação dos resultados das provas do Enem, todos os corretores passarão por um treinamento online sobre o texto específico da redação. E, conforme acordado com a Justiça, os estudantes poderão ter acesso à redação. “Estamos definindo como será essa operacionalização para ter segurança no processo”, adiantou o ministro.

Fonte: http://www.educacao.estudantes.ba.gov.br/node/3333