Povos Indígenas e a Tecnologia

E aí, galera! Será que conhecemos mesmo os nossos povos?

Atualmente muitas pessoas ainda acreditam que os povos indígenas devem viver reclusos na mata, isolados da civilização e longe das tecnologias.

“Estar incluído nas novas tecnologias não altera em nenhum momento a identidade de nenhum povo, a identidade indígena continua viva e crescendo a cada dia. Identidade étnica não altera com sua profissão, ou com seu meio de comunicação. A identidade indígena está nos traços natos, nos ideais, na natureza está no dia a dia, está com cada um cidadão que faz parte dessa imensa família chamada indígena.” (Alex Maurício – ÍNDIO QUER SE CONECTAR E ENTRAR NA REDE, Publicado em: 28/06/2012)

Figura 1- Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil, Indígena utilizando o computador e um smartphone.

Figura 1- Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil, Indígena utilizando o computador e um smartphone.

A internet não torna os indígenas menos indígenas, ela da voz aos nossos povos a nível global, facilita a comunicação entre diversas aldeias, através da internet os povos indígenas podem ser ouvidos, podem fazer denúncias, podem compartilhar sua cultura. Não é preciso muitas pesquisas para perceber que eles já estão se apropriando das tecnologias, através de smartphones e computadores, com acesso internet, os índios perceberam que poderiam gerar seus próprios conteúdos digitais, e com isso diversos sites indígenas foram criados por eles, para que pudessem utilizar a internet para se comunicar, compartilhar a sua arte, história, música entre outros, e tudo isso sem a intervenção de terceiros, essas iniciativas devem ser incentivadas por todos nós, o conhecimento deve ser compartilhado sempre e dessa forma poderemos nos aproximar, conhecer e compartilhar cada vez mais a história dos nossos povos, contadas por eles mesmos.

Afinal a internet quando bem utilizada pode ser uma ferramenta muito poderosa de união e compartilhamento de ideias e ideais.

Alguns sites indígenas:

http://www.indioeduca.org

http://www.tupivivo.org/

http://radioyande.com

Gabriel Luhan – Colaborador da Rede Anísio Teixeira

Anúncios

Chegada dos portugueses ao Brasil

Olá, turma!

Como todos sabem, no dia 22 de abril é comemorado o Descobrimento do Brasil, não é verdade?

Mas, como podemos afirmar que essas terras foram descobertas, se nelas já existiam centenas de milhares de habitantes?

Bem, para melhor compreender esses questionamentos é preciso voltar um pouco na história. Nos últimos anos que antecederam as Grandes Navegações, Portugal vivenciava uma grave instabilidade econômica, dentre outros fatores, devido as revoltas camponesas que se alastravam na Europa. Naquele momento o mercantilismo foi adotado como política econômica para garantir os privilégios da nobreza abalada com a crise do feudalismo.

Em busca de novos mercados, Portugal lançou-se ao mar. Essa expansão marítima resultou na vitória da burguesia sobre os interesse da nobreza.

Em 1500, numa expedição cujo o intuito era chegar no Oriente, as caravelas sob o comando de Pedro Álvares Cabral acabaram vindo parar onde hoje conhecemos como Brasil, entretanto naquela época não tinha essa denominação. – A princípio acharam que se tratava da Índia, até perceberem que os atrativos comercias que buscavam não se encontravam por aqui. Todavia, isso não foi impedimento para eles, que logo desenvolveram outras formas de exploração.

A opção de invasão adotada por Portugal buscava submeter os povos locais à cultura e à coroa portuguesa. Não havia intenção de construir novas formas de relações com aqueles que já habitavam a região. Assim a forma de colonização revelou os interesses comercias da coroa em busca de melhorias para os poucos beneficiários dessa invasão. Dos povos que já viviam no Brasil foram retiradas terras, força de trabalho e vidas. Foi assim que o Brasil se descobriu explorador de seu povo e diante de posturas clientelistas ainda se percebe o quanto interesses comercias falam mais alto do que o respeito à dignidade.

Depois de passados mais de 500 anos, podemos apenas esperar por novas formas de relação ou agir e construir as mudanças…

Gostaríamos de saber a opinião de vocês a respeito disso. O Brasil foi descoberto ou houve uma tentativa de destruir a sua essência?

A TV Anísio Teixeira foi à Praça Castro Alves descobrir o que pensam os brasileiros sobre o dia 22 de abril, conhecido como o dia do descobrimento do Brasil.

Para saber mais sobre a TV Anísio Teixeira, acesse
www.iat.educacao.ba.gov.br/TVAT

Siga o Instituto Anísio Teixeira também no twitter – @iat_com, no orkut e no facebook – InstitutoAnisioTeixeira.

 

E se os índios filmassem nas aldeias?

Os índios, nossos povos nativos, muito antes da chegada dos conquistadores europeus, viviam sob um modelo de organização social com base em suas próprias culturas, onde não havia diferença de classe, todos tinham os mesmos direitos e a divisão das tarefas era feita de acordo com o sexo e a idade, sem que uma desmerecesse a outra – Mantinham uma relação de muito respeito com a natureza e, por considerá-la sagrada, retiravam dela somente o necessário para a sua sobrevivência através de atividades como a pesca, o plantio, coleta e produção de utensílios domésticos.

Eram profundos conhecedores dos fundamentos medicinais – onde a figura do pajé representava uma espécie de curandeiro e conselheiro espiritual, utilizando os recursos naturais para curar doenças das quais tinham entendimento.

Os ensinamentos religiosos bem como cultivo desses valores, eram transmitidos dos mais velhos para os mais novos, que nutriam grande apreço pelas experiências adquiridas ao longo da vida.

Todavia, a forma de viver dos diversos povos indígenas, se distinguia da conhecida pelos portugueses que, ao se apossarem das suas terras não respeitaram as especificidades de cada tribo, tratando todos eles como se fossem iguais – e não tardaram a lhes impor a outra cultura, desprezando suas crenças, conhecimentos e percepção de mundo, assim como a língua própria de cada etnia.

Os lusitanos tinham o interesse de empreender um modelo de exploração econômica nas terras conquistadas e suas ambições alteraram de forma drástica o cotidiano das populações locais – destruindo suas manifestações culturais, tirando o direito de cultivar a terra, oprimindo, escravizando e até dizimando comunidades inteiras durante todo processo de formação da nossa nação.

Passados mais de 500 anos, as comunidades indígenas ainda lutam por respeito e dignidade, direito à terra, preservação de suas culturas, participação nos processos democráticos, entre outras reivindicações, como forma de reparar uma dívida histórica.

Eles vêm usando as novas tecnologias para auxiliar nesta luta pelos seus direitos e para a valorização de suas tradições, o que é fundamental do ponto de vista social, uma vez que a apropriação dos conhecimento tecnológicos permite que estejam cada vez mais integrados enquanto sujeitos, formando comunidades cada vez mais fortalecidas e conscientes de suas realidades. Confira vídeo:

O dia do índio, mais que uma data comemorativa, sugere em reconhecimento dos direitos iguais, uma reflexão sobre a importância da inserção desses povos nos diversos segmentos da sociedade brasileira, atuando como parte de um todo, mas sem abrir mão de suas tradições.

Saiba mais sobre a cultura e as leis de amparo aos povos indígenas nos links abaixo:

http://www.indiosonline.net/

http://pib.socioambiental.org/pt

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L6001.htm

Dia do Índio – 19 de Abril