IAT, por meio da Rede Anísio Teixeira, promove oficina de Produção de Mídias na Educação

Estudante-repórter: Gilana Ferreira

O Instituto Anísio Teixeira (IAT), por meio da Rede Anísio Teixeira, promove uma oficina de produção de mídias para os alunos do Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira (CEAAT). O início das aulas ocorreu no dia 17 de julho e, no dia 31, o curso será finalizado. Os alunos formados farão a cobertura da Campus Party, que acontece de 9 a 13 de agosto, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Você poderá conferir toda a cobertura aqui no Blog do Professor Web e da Professora Online.

Fig.1: Geraldo Seara fala sobre a oficina de Produção de Mídias na Educação. Foto: Yago Lima

A fim de saber mais sobre a oficina de Produção de Mídias na Educação (PME), fizemos uma entrevista com Geraldo Seara, professor da área de Letras e editor de vídeos. Ele é um dos professores do módulo de sofware de edição de vídeo na formação. Confira abaixo:

Blog do Professor Web e da Professora Online: Qual o trabalho do senhor na formação?

Geraldo Seara: Eu trabalho, basicamente, com a edição de videos.

BPWPO: Como é realizado o seu trabalho?

GS: Em geral, nos chegamos na escola ou os alunos vêm até aqui. Durante um período de tempo, nós estamos com eles para essas práticas. Não só para ver como se faz, como também aprender a fazer a partir daí.

BPWPO: Qual é o objetivo?

GS: Instrumentalizar estudantes e professores para o uso e leitura crítica desses modos de produzir, pois, durante muito tempo, nós assistíamos à TV passivamente. Víamos o produto lá, acreditávamos em tudo o que diziam e pronto. Agora, a partir do momento que a gente aprende a fazer, a gente começa a desconfiar daquilo que está sendo veiculado.

BPWPO: O que é a PME?

GS: A gente tem mania de colocar abreviatura em tudo, fica parecendo nome de rémedio (risos). É a Produção de Mídias na Educação. No caso aqui, produção para um blog, que é diferente de uma produção para TV e vídeo, que é diferente de rádio. Cada meio tem a sua própria linguagem. Então, a Produção de Mídias na Educação (PME) é isto: um curso de formação para atuar na produção de conteúdos para os vários meios: escritos, televisados etc.

Fig. 2: Geraldo falou ainda sobre a participação dele na oficina. Foto: Yago Lima

BPWPO: Qual o objetivo da PME?

GS: É criar parcerias. O IAT é um instituto de formação de professores, mas nós sabemos que os professores sozinhos não dão conta dessa tarefa, que é muito grande. Então, quanto mais pessoas formamos para auxiliar a escola, melhor.

BPWPO: Quais os módulos abordados durante o curso?

GS: Fotografia, blog, edição de vídeos, produção audiovisual, entre outros.

BPWPO: São aceitos estudantes de todos os colégios?

GS: Por enquanto, só aceitamos estudantes da rede pública estadual. Mas o nosso interesse é que todos vocês sejam multiplicadores e atuem na escola e no bairro de vocês.

BPWPO: Onde as aulas são realizadas?

GS: Normalmente, vamos às escolas, no caso de escolas situadas em cidades no interior. Em geral, a maioria acontece aqui em Salvador, ou no IAT ou na própria escola.

BPWPO: Quem foi o criador da PME?

GS: Ela vem do bojo desse programa de difusão de mídias e softwares educativos da Rede Anísio Teixeira. Ela é composta da TV Anísio Teixeira, do Blog do Professor Web e da Professora Online e de um grande repositor de mídias educativas e livres.

BPWPO: Quando foi criada?

GS: Em 2013.

Anúncios

Uma nova oportunidade para o CEAAT

Estudante-repórter: Jefferson Costa

O curso de Produção de Mídias na Educação (PME), promovido pelo Instituto Anísio Teixeira (IAT), através da Rede Anísio Teixeira, está com uma nova turma, dessa vez formada por estudantes do Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira (CEAAT). A ideia, mais uma vez, é a de que, depois do curso, os estudantes implantem um núcleo de mídias no colégio.

A formação oferece módulos de diversas áreas da comunicação, como audiovisual, fotografia e produção textual.

A implantação do núcleo da PME dentro da instituição terá como o principal objetivo incentivar esses jovens a conhecerem as diversas áreas da comunicação e das mídias digitais. O projeto terá apoio dos concluintes da PME e incentivo da direção do colégio.

Alguns alunos e professores foram entrevistados, para que pudessem opinar sobre esta novidade no CEAAT. “Seria uma forma de os alunos, que não possuem condição de pagar um curso fora do colégio, ter acesso ao mercado de trabalho com mais facilidade”, disse Bruno Vinicius, 18 anos.

Fig. 1: Raine e Bruno comentam sobre o núcleo de mídias: inserção no mercado de trabalho. Foto: Rodrigo Bertoldo

A minha opinião é a mesma que a de Bruno: seria uma forma de a gente aprender. Existem pessoas que não possuem condições e esse curso, além de nos proporcionar um aprendizado a mais, já ajudaria no mercado de trabalho”, acredita Raine Nunes, 16 anos.

Fig.2: Marco Antônio acha que a novidade vai ajudar os estudantes nos trabalhos escolares. Foto: Rodrigo Bertoldo

Para Marco Antônio, professor de geografia da unidade, o acesso a novas mídias vai auxiliar na qualidade dos trabalhos escolares: Que os alunos tenham acesso a essas novas mídias, para que, quando passarmos uma atividade em sala de aula, eles executem com perfeição”.

Fotografando Saberes

Estudante-repórter: Emili Oliveira

Olá, gente! Eu e Carol Aguiar, do núcleo de produção fotográfica da Oficina de Produção de Mídias na Educação, fizemos a cobertura colaborativa do último dia do 5º Seminário Estadual de Educação Integral, que ocorreu nos dias 24 e 25 de novembro, no Instituto Anísio Teixeira (IAT) O evento contou com muitas palestras, uma delas discutiu a atual conjuntura política da educação brasileira, enfatizando o debate sobre a escola sem partido. Confira, abaixo, o registro fotográfico que fizemos da mesa redonda e da estrutura do IAT. Foi uma experiência que abriu novos caminhos, permitindo cada vez mais novas descobertas.

 

Foto: Autorretrato
Foto: Autorretrato

Emili Oliveira tem 16 anos, é estudante do Centro Estadual de Educação Profissional em Controle e Processos Industriais Newton Sucupira, que fica em Salvador, e faz parte da equipe da Cobertura Colaborativa Estudantil.