Semana da Internet Segura 2014

Olá, amig@s!

Entre os dias 10/02 e 14/02/2014, temos um encontro marcado para discutir e promover o uso da internet de forma segura e divertida. Com o tema “Construindo juntos uma internet melhor”, a iniciativa visa mobilizar os jovens para que eles participem e opinem a respeito da construção de alternativas que estimulem reflexões éticas a respeito do uso da internet.

Para os idealizadores do projeto “a proposta desta iniciativa anual é estimular que diferentes atores realizem atividades de promoção do uso responsável e seguro da internet nas principais regiões do país e do mundo”.

Mobilize a sua turma e compartilhe essa ideia de utilizar o ciberespaço de forma segura e consciente.

PW-dia-internet-2014-POST

Então, anote na sua agenda o nosso encontro!

Abraços e até lá! 

 

Fonte: http://www.safernet.org.br/site/

http://www.diadainternetsegura.org.br/site/sid2014

 

Anúncios

“Inclusão Digital” na África

E aí, galera!

Como você já sabe, a África carrega um histórico muito sofrido: de escravização de seus povos, colonização de terras, epidemias, de exploração de ouro, de diamantes, das técnicas agrícolas, das ciências e do genocídio de seus povos. E atualmente, vem enfrentando outro grande problema: grandes países, estão enviando os eletrônicos em final de vida útil para cidades da África, alegando contribuir com a inclusão digital, isso para não realizarem o descarte ideal dos equipamentos eletrônicos, pois para eles é mais fácil “doar” já que suas políticas de descarte são mais rígidas que as de exportação.

Com a falta de planejamento para o descarte ideal desses equipamentos, pois chegam com vida útil bastante reduzida, eles são armazenados de forma aleatória, gerando uma quantidade absurda de lixo eletrônico.

800px-AgbogbloshieEsse material, ao chegar no continente africano, operam por pouco tempo e logo é transformado em lixo, que é descartado no lixão/aterro, e são queimados para a retirada do cobre e comercialização do produto extraído no intuito de gerar renda e suprir suas necessidades. Contudo, esta atividade oferece sérios riscos à saúde das pessoas que inalam a fumaça a manuseiam os materiais, uma vez que a queima produz gazes nocivos e resíduos tóxicos.

Devido a grande Agbogbloshie_qquantidade de equipamentos que chega em Agbogbloshie e que são queimados, muitas crianças que trabalham na extração de cobre sofrem pelos diversos ferimentos e queimaduras causados neste processo. Há muitos casos de intoxicação pela fumaça, mas como não têm dinheiro para tratarem a saúde, elas continuam com o trabalho no lixão. Agbogbloshie é um bairro que fica localizada em Accra, a capital de Gana. Além das pessoas, é possível ver muitos animais no local do lixão. Próximo ao local, fica a zona comercial, uma espécie de feira livre.

Ou seja, os problemas sociais e de saúde pública gerados por esta problemática se agrava, pois um número maior de pessoas é atingido pela “rede” de contaminação estabelecidas por terceiras e quartas vias. Vale ressaltar que este tratamento dado ao continente africano é tido com naturalidade e ganha conotação de inclusão digital e democratização das mídias. Pois eles recebem “doações” de materiais eletrônicos que proporcionariam acesso ao mundo digital. Mas, será que este é o melhor fim para o material descartados em Agbogbloshie? Será isso, realmente, uma atividade de inclusão digital? Ou ainda há muito a repensar sobre isso?

Faça sua análise e compartilhe conosco!

É isso aí, turma!

Até a próxima!

Link da galeria do fotógrafo Andrew McConnell: http://andrewmcconnell.photoshelter.com/gallery/G0000oLuiBLHIsmM

Explorando a Placa Mãe

E aí, meu povo!

A placa-mãe é a peça responsável por fazer a conexão entre todos os periféricos do computador, através de conexões específicas para cada dispositivo, servindo de ponte para conexão entre um dispositivo e outro.
Antes de falarmos sobre cada componente da placa, é bom saber a diferença entre onboard e offboard. De maneira simplificada, o dispositivo onboard é aquele que já vem integrado à placa-mãe e o offboard é aquele que pode ser adicionado e removido da placa-mãe.
Placa D

Bateria da Bios – A bateria é responsável por manter a BIOS (Basic Input/Output System (Sistema Básico de Entrada/Saída) energizada, mesmo com o desligamento do computador. A BIOS é responsável por armazenar a data/hora e outras configurações de inicialização do computador.

Chipset – Responsável pelo controle de dispositivos onboard como placa de áudio, de rede, de som, USB e vídeo.

Conexão IDE – Conecta os dispositivos IDE (HDs e Drivers de CD/DVD mais antigos).

Conexão SATA – Conecta os dispositivos SATA (HDs e Drivers de CD/DVD mais atuais).

Conexão da Fonte – Onde se conecta os cabos da fonte de energia.

Conexão Power/Reset – Onde se conecta o botão de Ligar/Desligar do computador e o botão de reset, junto com os leds frontais do gabinete.

Conexões USB – Para conectar as portas USB frontais presentes em alguns gabinetes.

Slots PCI-Express (x1) – Conexão de baixa velocidade, utilizado para conectar alguns dispositivos, como placa de captura (TV), placa de áudio e placa de rede.

Slots PCI-Express (x16) – Conexão de alta velocidade para placas de vídeo de alto desempenho.

Slots de Memória RAM – Onde é encaixada a memória RAM, sendo diferente para cada tipo de memória que podem ser DDR2 e DDR3 (modelos mais utilizados atualmente).

Socket do Processador – Onde é encaixado o processador. A depender da arquitetura do processador suportada pela placa, o encaixe pode mudar.

DSC_2622

Painel Frontal – Onde ficam as conexões externas dos periféricos, como teclado, mouse, monitor, entre outros.

A placa-mãe possui um pequeno dispositivo de áudio chamado speaker, que atualmente vem acoplado à placa. Os modelos mais antigos eram removíveis. A sua função é gerar um aviso sonoro, que indica alguns problemas referentes a alguma peça do computador, através de bips curtos ou longos.

DSC_2630s

É isso aí, galera! Bons estudos!

Como Funciona o Computador?

E aí, galera! Beleza?

O computador é uma máquina utilizada para a realização de processamento de dados.

Foi criado durante a Segunda Guerra Mundial para realizar cálculos balísticos e para traçar rotas de mísseis.

O computador executa tarefas a partir da interação entre Hardware (parte física, como monitor, teclado, mouse e etc.) e Software (parte virtual, como os sistemas operacionais e os programas), através dos passos de entrada, processamento e saída de dados, que servem como uma ponte entre a parte física e a parte virtual do equipamento.

Com o decorrer das semanas aprenderemos um pouco mais sobre Hardware e quais as suas funções dentro do computador.

Então, para dar início à nossa série, falaremos da Fonte de Alimentação.

DSC_24773

A fonte é o periférico responsável por energizar o computador, transformando a corrente elétrica da tomada de 110/220v em saídas de 3v a 12v, para ser distribuída entre os componentes do computador. Geralmente localizada na parte superior do gabinete e liga cada componente separadamente através de seus conectores, possuindo de cinco a sete tipos de conectores diferentes, cada um fica responsável por um componente diferente.

São eles:

DSC_2448
ATX 12v de 24 pinos, responsável por energizar os circuitos da placa-mãe.

 

DSC_2452
AUX 12v(P4), responsável por energizar o slot do processador.

 

DSC_2457
SATA, é utilizado para ligar leitores de CD/DVD e HD’s Sata.

 

DSC_2461
Molex, é utilizado para ligar leitores de CD/DVD e HD’s IDE, alguns tipos de LED’s ou coolers. 

 

DSC_2463
Fllopy ou Berg, é o conector utilizado para ligar os quase extintos drives de disquetes.

 

Outro ponto importante em relação à fonte é saber diferenciar uma fonte Real de uma fonte Nominal.

DSC_2482

Fonte Real: é mais indicada para quem precisa utilizar alguns componentes a mais, como, por exemplo, dois HDs, dois leitores de CD/DVD ou uma placa de vídeo de alta performance, por permitir uma potência maior e mais estável.

Fonte Nominal: é a mais encontrada em computadores comuns por possuir uma potência mais baixa, não chegando a aplicar toda a potência informada.

Alguns problemas que podem estar relacionados à fonte são: desligamentos, ou quando o computador liga mas não dá vídeo (gera imagem no monitor), ou quando o computador não liga. Fiquem atent@s, pois mesmo que esses problemas aconteçam, o defeito pode estar em outra peça. O importante é você tentar eliminar possibilidades, mas em alguns casos, isso só é possível, fazendo testes com peças de outros computadores. Caso não tenha essas peças, daremos dicas nessa série de postagens de detalhes que podem te ajudar a fazer o diagnóstico correto…

É isso aí, galera! Bons estudos! Até a próxima!

Fotos: Gabriel Luhan

O Computador e Sua História

E ai galera! Tudo na paz?

A história do computador na sociedade tem Chinese-abacus formação desde o período dos nossos ancestrais, com a invenção do Ábaco, uma espécie de calculadora criada na China, e que alguns anos mais tarde passou a ser utilizada em outros países. Com o passar dos anos a necessidade de processar dados mais complexos em menos tempo foi aumentando, e no século XX Herman Hollerith criou o tabulador de Hollerith uma máquina que contabilizava dados através de cartões perfurados.

ENIAC

Mas foi durante a segunda guerra que criaram o primeiro computador o ENIAC (Eletronic Numerical Integrator and Computer/Computador Integrador Numérico Eletrônico) uma máquina capaz de realizar cálculos balísticos, podendo realizar até 5.000 operações por segundos.

Durante a corrida espacial surgiu outra necessidade, a de reduzir o tamanho dos computadores que chegavam a ocupar um prédio inteiro, para que pudessem ser acoplados as espaçonaves, isso foi possível devido a criação dos transistores, que substituíam as grandes válvulas dos computadores, a partir dai os computadores passaram a diminuir cada vez mais e foram ficando cada vez mais rápidos, chegando ao computador atual, capaz de realizar diversas funções, e que está presente em praticamente tudo, podendo ser utilizados em salas de aulas sem a necessidade de cabos ou botões, cabendo na palma de nossas mãos.

 

 É isso ai galera bons estudos!

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Computador

http://www.tecmundo.com.br/tecnologia-da-informacao/1697-a-historia-dos-computadores-e-da-computacao.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81baco

http://en.wikipedia.org/wiki/File:Chinese-abacus.jpg

http://en.wikipedia.org/wiki/File:Eniac.jpg

Link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=F3qWg1JBPZg

Mapeamento de textura

Olá, pessoal!

Como já foi mencionado em textos anteriores, a texturização é uma alternativa muito útil na simulação de superfícies e consiste no uso de imagens que serão fixadas à superfície do objeto semelhante a um embrulho de presente.

Em 3D, podemos modelar qualquer forma, da mais simples à mais complexa, sendo que a deformação do objeto influencia consideravelmente na texturização. Ou seja, cada forma modelada exige uma maneira diferente de dispor a imagem sobre sua superfície.

O mapeamento de textura é um recurso utilizado para melhor posicionar essas imagens em qualquer tipo de superfície. Existem vários tipos de mapeamentos, entre os mais utilizados está o mapeamento baseado em coordenadas  UV.

Quando imaginamos forrar um cubo, não é difícil deduzir quais procedimentos seguir; mas, e se, por exemplo, quiséssemos forrar um rosto? Ou uma esfera? Considerando as formas arredondadas desses modelos, forrá-los com um pedaço de papel já não seria tão simples assim. O que o mapeamento faz é cortar, abrir e planificar o objeto, facilitando arrumar a imagem sobre a malha.

Com ele, é possível dividir o modelo em várias partes, gerando um mapa, o qual servirá como um guia, para, a partir dele, criarmos uma textura personalizada em um editor de imagem. Dessa forma, é possível ilustrar qualquer objeto do jeito que o usuário desejar.

Confiram no vídeo a seguir como funciona o recurso.

Até breve!

Informatização da Educação

E aí, galera! Tudo beleza?

Com o constante crescimento e a popularização da informática, também crescem as discussões sobre o uso dela como ferramenta na educação escolar.

 Muitas das escolas do Brasil já possuem laboratório de informática, com acesso a internet e alguns softwares (programas) básicos como editor de texto, planilha, slide e navegador de internet. Mas, como fazer para eles funcionarem de modo a garantir o desenvolvimento educacional do estudante? É preciso trabalhar a ideia de que o computador é uma ferramenta com “mil e uma” utilidades.

Dialogando com os estudantes, os professores podem ajudá-los a compreender que o computador não gera conhecimento, mas que auxilia na aprendizagem; e que, a partir do momento que eles aprendem a utilizá-lo, aparece um mundo novo em suas mãos. Podendo utilizar o computador como auxiliar para trabalhos e atividades escolares.

Há também alguns projetos de inclusão digital que visam maior integração das pessoas com os recursos da informática, instruindo e socializando a comunidade com o meio digital. Vários municípios do estado da Bahia já contam com uma unidade dos Centros Digitais de Cidadania (CDCs). Que geram cerca de vinte mil acessos diários de acordo com a página do CDC na web.

E você? Acha que vale a pena a utilização de recursos informatizados como ferramenta de ensino?

Até a próxima!

 

Fonte: http://www.secti.ba.gov.br/cdc/

Brilho e reflexo no 3D

Olá, pessoal!

Sabia que as malhas e superfícies, quando criadas em um programa de modelagem e animação em 3D não apresentam cor nem características de reflexão ou brilho? Para isso, os programas de 3D possuem uma infinidade de parâmetros voltados para elaboração dos mais complexos tipos de materiais, como madeira, metal, vidro, pele humana, entre outros.

Trabalhar com materiais exige uma percepção apurada quanto ao comportamento das superfícies que são submetidas à luz. Sabemos que, a depender de suas características, podem apresentar os mais variados tipos de brilhos e reflexos.

Podemos dividir a configuração de materiais em duas etapas básicas: a que trabalha a cor da superfície e a que se dedica a tratar do brilho emitido por elas. Nos programas de modelagem e animação em 3D, essas características são configuradas nos campos relacionados à reflexão difusa e reflexão especular respectivamente.

 textMaterial Sem material                                                                                  Com material

Para o tratamento de cor, além da paleta de cores básicas, existem também as texturas procedurais e as texturas baseadas em imagem, sendo que essas últimas utilizam uma imagem projetada no objeto visando simular as mais diversas superfícies, como concreto, cerâmica, estampas de tecidos e etc.

Existe ainda uma gama de parâmetros que podem incrementar ainda mais os materiais, entre eles estão shading (sombreamento), transparency (transparência), mirror (espelhamento) e muito mais.

Os materiais são imprescindíveis numa produção em 3D, sem eles teríamos um ambiente totalmente cinza e sem vida.

A configuração de cada material, demanda tempo e requer a manipulação de muitos parâmetros. Vivemos em um mundo com uma infinidade de tipos e comportamentos de diferentes superfícies, tornando-se impossível descrever como se cria em 3D cada uma delas. Recomenda-se muitos testes até que se chegue a um resultado satisfatório.

Segue, abaixo um vídeo em que o usuário configura um material com alta reflexividade.

Até mais!

juntaDados

logo juntaDados

 E aí, galera! Beleza?

O juntaDados é um sistema operacional livre que foi desenvolvido na Universidade Estadual da Bahia (Uneb), baseando-se na filosofia do GNU e da FSF (Free Software Foundation), que visa facilitar a produção e o compartilhamento de conteúdo audiovisual dos pontos de cultura e dos centros de inclusão digital.

O juntaDados possui diversos softwares (programas) para escritório e para desenvolver áudio, vídeo, imagem, texto e o próprio software. Como principais programas do juntaDados, podemos citar o Ardour 3.3 (editor de áudio), o Blender 2.68 (modelador 3-D) e o Cinelerra 2.2CV (Editor de Vídeo).

 O juntaDados é uma customização do Debian Linux 7.1.0 (Wheezy), com pacotes do SnowLinux e tem os códigos disponíveis nos repositórios do Debian (apt-get source).

 Contando com um acervo de mais de 60 softwares pré-instalados, ele se mantém leve e sem travamentos, mesmo rodando pelo Live CD. Também tem uma vasta compatibilidade com os computadores atuais, possuindo as versões de 32bits (x86) e 64bits (x64).

 Então, pessoal, confira o site do projeto e clique aqui para fazer o download do sistema operacional

Abraços!

As TICs e o cotidiano: o que seria de mim sem você?

pw-prof-olline

E aí, meu povo! 

Imagine todas as pessoas compartilhando todo o mundo”! Esta é uma frase cantada por John Lennon, e não é tão difícil verificarmos que o mundo hoje está, conforme previsto por ele, (com)partilhando partes do todo, entretanto em um formato bem diferente.

Redes sociais, internet, blogs, sites e demais possibilidades que o computador nos permite hoje, faz a gente ir adiante, sem ao menos sair de casa, cria uma “doce ilusão” de encontros através de conexões digitais, em ambiente virtual. Quantos conteúdos e notícias sabemos em tempo real? Quantos ambientes e lugares lindos visitamos? Quantas pessoas “conhecemos” sem menos(?) E como tudo que surge no mundo social-real (mundo sensitivo) divide opiniões, não estaria a “era digital” fora desta regra. Há os que a amem e buscam usá-la cada vez mais, inserindo-a em seu cotidiano para quase tudo. Bem como há os que a resistem. Alguns alegam que a sensação que o mundo digital causa é ilusória, não consegue reunir verdadeiramente as pessoas em um mesmo espaço real, mas substitui este pelo espaço virtual.

Contudo, seja qual for o posicionamento, uma coisa é certa: a era digital mudou consideravelmente o cotidiano de quem usa e dos que não usam diretamente, influindo na rotina, mudando hábitos e, sobretudo, compartilhando os mundos – culturas – diferentes. E olha que nem sempre foi assim, também nem era possível conceber esta ideia.

O que para os mais velhos era comum, hoje é inimaginável entre os jovens, como brincar livremente de pique esconde, gude, pular corda, peteca, cinco-marias, amarelinha, soltar pipas e etc. A recíproca é verdadeira: parece que as crianças de hoje já nascem com “www”, “underline” “iPhone”, “iPad” e “arroba” no DNA, eles parecem “cibercrianças”. Nenhuma dessas linguagens os assustam tanto quanto a um adulto quando começa a lidar com estes termos e equipamentos. Se antes, para confeccionar uma maquete, @ professor/a passava uma lista de materiais para os alunos comprarem; hoje, com a ajuda da computação, é possível criar a maquete num ambiente que foge da realidade, daquilo que é palpável. Mas isso também auxilia, por exemplo, se o objetivo for compreender o uso das figuras geométricas estudadas em matemática; verificar como se dá a construção de maquetes correlacionando conteúdos como profundidade, superfície, vértice, polígonos e etc. Abrindo novas possibilidades de entrelaçar os conteúdos (interdisciplinarização).

E quem foi que disse que só até bem pouco tempo atrás poderíamos mudar o mundo? Este exemplo nos faz pensar que agora, sim, mais do que nunca, com toda possibilidade de nos conectar com o mundo todo, em tempo real, podemos mudar o mundo e transformá-lo em um lugar melhor de e para tod@s, unidos em suas particularidades. Sim, nós podemos!

Vivemos numa realidade virtualizada? Ou numa virtualidade realizada? Ou as duas? Ou nenhuma? (autor desconhecido)

Até mais!