ENEM e Globalização: tudo a ver!

Olá, pessoal!

Um dos temas mais cobrados na prova do ENEM é a tal da globalização, sobretudo após a reformulação da prova que traz sempre uma abordagem contextualizada. E com tal importância dado a este tema, vamos também falar um pouquinho sobre ele aqui. Vamos começar por defini-la:  globalização é um processo que envolve relações de poder estabelecidas entre povos e culturas, tendo sido motivado pelo capitalismo, na tentativa de ampliar seu poder de atuação de forma mundial e uniforme; tendo na política capitalística a intencionalidade específica deste processo (democracia de mercado). Contudo, hoje esse aspecto já sofreu alteração pela influência das culturas envolvidas, e diz respeito à forma como os países interagem e aproximam pessoas. Ou seja, interliga o mundo, levando em consideração aspectos sociais, culturais,  políticos e, sobretudo econômicos.

O enfoque dado à globalização e sua capacidade de interferir no mundo a ponto de transformá-lo significativamente é contextualizado na prova de Ciência Humanas e suas Tecnologias para fins de avaliar se cada estudante compreende as transformações técnicas e tecnológicas e seu impacto nos processos de produção, no desenvolvimento, no conhecimento e na vida social. Sendo assim, este conteúdo sempre cobrará de você a compreensão sobre:

  • Globalização territorial e, posterior, sua fragmentação;
  • O impacto da globalização nas relações entre os povos e nações (interna e externamente);
  • Desenvolvimento do relativismo cultural;
  • Os aspectos positivos e negativos advindos com esta interatividade, entre outras consequências desta temática.

É importante você lembrar sempre que a globalização não é algo estático, logo é um processo de transformação das sociedades. Isso significa que, com os encontros culturais proporcionados por esta aproximação, as mudanças comportamentais são resultados direto disto, seja implantando um sistema comum de comunicação, seja transformando os já existentes, ou mesmo resgatando aspectos já perdidos.

Aprofunde-se mais assistindo ao documentário “O mundo global visto do lado de cá”, uma discussão conduzida a partir das ideias do reconhecido geógrafo baiano Milton Santos.

 

FONTES: MECTodos Pela Escola, WIKIPÉDIA.

Anúncios

Cine PW: Yoani Sánchez x Soy Cuba

Salve, salve, turma!

Recebida em meio a vaias e aplausos, Yoani Sánchez tem dividido opiniões entre os que se dizem “esquerdistas” e “direitistas” ao relatar as relações políticas e sociais em Cuba, aliado às acusações de a blogueira ser financiada pela C.I.A. e outras instituições burguesas que visam derrubar o governo Castrista.

Em 2007 Yoani cria o blog Generación Y, onde são publicadas críticas ao governo dos irmãos Castro, mostrando uma Cuba muito diferente dos sonhos de Ernesto Che Guevara ou dos relatos de Fernando Morais no livro “A Ilha” (período em que Cuba recebia a “mesada” do governo soviético).

A realidade apresentada no Generación Y é de uma ilha subjugada a uma ditadura socialista que se estende a mais de 50 anos, no entanto a história não nos deixa esquecer a ditadura econômica do imperialismo capitalista, imposto pelos E.U.A. com a Ementa Platt, pela qual a ilha perdia sua condição jurídica soberana e concedia à nação estadunidense o direito de intervir nos assuntos da política interna cubana. No período de dominação dos E.U.A., Cuba deixou de ser uma nação para se tornar a “ilha dos prazeres” de muitos estadunidenses e outros turistas. Um dos responsáveis por essa transformação foi o ditador (ou “testa de ferro” dos E.U.A) Fulgêncio Batista, que montou uma infraestrutura voltada para os turistas oferecendo cassinos, incentivo à prostituição e uso indiscriminado de drogas, além dos altos índices de corrupção que mergulharam a sociedade cubana numa profunda crise estrutural.

Ao tomar conhecimento dos textos de Yoani Sánchez o governo cubano não demorou em tomar a decisão de cercear a sua liberdade de expressão implementando, em 2008, um bloqueio ao Generación Y .

Com apoio de parceiros Yoani Sánchez mantém o blog relatando as contradições no cotidiano dos cubanos, que apesar de possuírem um bom sistema público de saúde e educação sobrevivem com baixos salários ao passo em que o governo se beneficia em acordos com empresas privadas, criando uma espécie de capitalismo estatal. Outra problemática apontada por Yoani é o acesso precário a internet e a telecomunicação, além da crise econômica enfrentada desde o fim da U.R.S.S., que tem sido amenizada com o apoio do governo venezuelano de Hugo Chávez.

Um fato inegável é o de que a sociedade cubana vive um momento crucial na sua história e Yoani Sánchez é uma das pontas do grande e enigmático iceberg que é Cuba. Sobre esse contexto surgem inúmeras dúvidas e especulações, mas há duas interrogações unanimes: Cuba vive uma abertura político-econômica ou sofre mais uma investida do capitalismo global? Será que a “ilha” não é mais a mesma?

Yoani Sánchez e o seu blog nos colocam diante do legado da Guerra fria e do cruel modelo de Globalização que mantém e legitima sistemas de expropriação e outras contradições próprias do capitalismo. E nos fazem refletir sobre como um blog, uma rede social, um celular ou qualquer outra tecnologia de comunicação tem um papel importante na busca por transformações sociais, culturais, políticas e econômicas, seja na comunidade, na escola ou num país.

Com a palavra Yoani Sánchez 

Bloco 2, Bloco 3 e Bloco 4

Com a palavra a Revolução Cubana

Confiram o olhar do russo Mikhail Kalatozov sobre a transição do regime de Fulgêncio Batista para a Revolução Cubana.

Sinopse

Quatro histórias ambientadas na Cuba pré-revolucionária. Em Havana, Maria envergonha-se quando o homem de quem gosta descobre como ela ganha a vida. Pedro, um camponês idoso, descobre que a terra que cultiva foi vendida a uma empresa. Um universitário vê seus amigos serem atacados pela polícia quando distribuíam panfletos a favor de Fidel Castro. Por fim, uma família de camponeses é ameaçada pelas forças de Batista.

Ótima sessão!

Uma renovação na geografia – Milton Santos

Olá, amig@s!

A geografia do Brasil passou por uma grande renovação, pois teve como representante um dos maiores intelectuais do século XX: estamos falando de Milton Santos, o geógrafo baiano.

Natural do município de Brotas de Macaúbas, formou-se em Direito pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e destacou-se com o seu trabalho para a geografia. Em sua trajetória de vida foi professor, ativista politico e sempre se posicionou com os princípios de mudança na estrutura da globalização e no desenvolvimento do meio urbano nos países subdesenvolvidos.

Lecionou em diversas universidades, tais como Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade de São Paulo (USP) entre outras, e recebeu o título de Doutor honoris causa e o prêmio Internacional de Geografia Vautrin Lud.

Então galera, revejam o vídeo que publicamos no Cine PW: Encontro com Milton Santos: O mundo global visto do lado de cá. Esperamos que tenham gostado de conhecer um pouco mais sobre a vida dessa personalidade de suma importância para a história do nosso país!

Saibam mais sobre a sua biografia em: http://miltonsantos.com.br/site/biografia/.

Abraços!!

As ações humanas e seus reflexos na natureza.

Fala, galera!

Atualmente ouve-se falar muito em desenvolvimento sustentável.

Para tanto, é preciso abordar alguns aspectos importantes sobre este assunto.

Um dos fatores determinantes para o aumento da degradação ambiental surgiu com a Revolução Industrial, a partir do século XVIII, que mudou profundamente a relação do homem com a natureza, alterando o modo de produção que era em maior parte artesanal, para a mecanização, utilizando-se da queima do carvão.

Esse processo fez com que as máquinas passassem a assumir o lugar do homem, executando tarefas em menos tempo e, consequentemente garantindo maiores lucros e estimulando cada vez mais o consumo.

A industrialização em escala planetária, movida pela globalização tornou-se um dos grandes agentes poluidores do meio ambiente. É essa a lógica do capitalismo, modificar a natureza para produzir bens de consumo e acumular excedentes.

Como consequência dessas transformações surgiram sérios problemas para a humanidade. As florestas vem sendo devastadas, assim como o solo, mares e oceanos poluídos, o ar sofre com os diversos poluentes que são lançados diariamente na atmosfera, enfim, os danos causados à natureza acabam comprometendo a sobrevivência das espécies.

Por essa razão, vem aumentando as indagações acerca do que vamos deixar para as futuras gerações e sobre o que ainda pode ser feito para reverter os problemas ambientais criados pela humanidade ao longo de sua “evolução”.

Uma ideia é fomentar ações efetivas onde o homem viva em harmonia com a natureza, e retire dela somente o que for de fato necessário. A conscientização individual é muito importante, isso porque cada ação de um indivíduo reflete num coletivo. Por em prática um novo comportamento do ser humano em relação a natureza, é determinante para a permanência da vida na terra.

Valeu, pessoal.

Abraços!!