CINE PW: RETRÔ 2013

Salve, salve, galera!

 O ano de 2013 está quase acabando e com ele muitas coisas ficam para trás, já outras, sentimos inevitável vontade de eternizar e reviver . É neste clima de lembranças e de finalização de mais uma etapa de nossos diálogos (aliás, finalização não, apenas um breve intervalo), que trazemos obras já indicadas neste canal.

Hoje, nossa retrospectiva traz os vídeos indicados que mais marcaram nossas discussões este ano. São obras que consideramos muito relevantes ao entendimento das nossas relações sociais, com abordagens diversificadas, linguagem fácil e conteúdo atual. Confira abaixo nossa lista, programe-se e boa sessão!

Iniciamos o primeiro semestre trazendo, em janeiro, o cine “Mundo virtual: relações humanas, demasiado humanas, uma discussão sobre como o advento da informatização e da internet tem transformado nossa vida. Em fevereiro, trouxemos diferentes olhares sobre a situação de Cuba em “Yoani Sánchez x Soy Cuba”. Já março foi um mês bastante gratificante, pois o filme indicado, “Crianças Invisíveis”, recebeu uma grande quantidade de acessos e comentários.

Esta obra gerou uma interação interessante, pois a professora Nísia, a quem agradecemos, desenvolveu um trabalho com seus estudantes que contribuíram e opinaram sobre a abordagem do vídeo.

Em abril, trabalhamos com a temática Povos Indígenas, e a obra indicada foi “Produções Indígenas”; que homenageia hoje as centenas de comunidades indígenas e suas produções audiovisuais. Para maio, trouxemos o filme “Guerra de Canudos“;obra onde o diretor Sérgio Rezende retrata a situação de seca e miséria que o sertão baiano enfrenta. E para finalizar o semestre inicial, que tal uma reflexão sobre nossos hábitos alimentares e a saúde? Então confira o documentário “O veneno está na mesa”. Trata-se de um alerta sobre o uso de agrotóxicos na produção de alimentos.

Nosso segundo semestre também trouxe sugestões interessante. Como é o caso de “Os Heróis do Brasil, documentário cujo conteúdo é a resistência baiana contra a colonização portuguesa, ainda em comemoração ao 02 de julho. Também tivemos a discussão quanto aos cuidados que temos dado à alimentação de nossas crianças, com a abordagem adotada no documentário “Muito além do peso”, em agosto. Seguimos em setembro com as questões sociais, com a produção Fahrenheit 9/11, que traça um elo entre as causas e consequência dos atentados em 11 de setembro de 2001 nos EUA e a invasão estadunidense no Iraque. Outubro contemplou as discussões sobre inclusão social e respeito à pessoa com deficiência, quando sugeriu o filme “City Down – A história de um diferente”; que retrata a história de um jovem nascido numa cidade onde todos possuem Síndrome de Down, levando-nos a refletir a respeito do lugar do outro, do diferente.

Como de costume, em novembro nossas postagens estiveram direcionadas às questões do Novembro Negro, com isso nosso cine não poderia ficar de fora. Entre as obras indicadas destacamos nesse mês o documentário “Quanto vale ou é por quilo?”;

A obra faz, em sua abordagem, uma comparação entre a escravidão do passado e o sistema atual de exploração capitalista.

E, finalizando nossa “retrô”, trazemos a obra que homenageou, em vida, o homem e o herói que foi Nelson Mandela, com a produção “Invictus”. Vale a pena conferir!

É isso aí, pessoal. Que 2013 tenha sido bem proveitoso e que 2014 nos possibilite mais interação, com muitas e boas indicações. Podem enviar sugestões que o espaço está aberto. Quer conferir mais vídeos do Cine PW?

https://oprofessorweb.wordpress.com/category/multimidia/cine-pw-multimidia/ 

Um forte abraço!

Anúncios

Iluminação com imagens HDR

Olá, pessoal!

O que proporciona tanto realismo às cenas em 3D?

Assistimos à animações e filmes, nos impressionamos com os fantásticos cenários dos games e nos perguntamos como é possível atingir tamanho realismo em produções que envolvem o mundo virtual.

Um dos aspectos que mais contribuem para um cenário realista é uma boa iluminação. É claro que uma modelagem de qualidade e texturas em alta resolução, também são indispensáveis; mas, se a iluminação não estiver a altura, de nada adiantará.

Entre algumas técnicas de iluminação, há uma que se destaca por apresentar um resultado com alto nível de realismo: É a iluminação a partir de imagens HDR.

Imagens HDR (High Dynamic Range), são aquelas que armazenam informações em seus pixels, não apenas de cor, mas de luminosidade também. São fotografias tratadas em softwares de edição de imagens, objetivando realçar detalhes e simular o alcance dinâmico do olho humano.

É possível iluminar uma cena em 3D com apenas uma imagem HDR. Essa é uma técnica muito empregada em cenas com alta variação de luminosidade, como cenários que envolvem céu aberto e horizonte.

Ao preparar o cenário em 3D, com as devidas modelagens e seus respectivos materiais aplicados, os recursos referentes á atmosfera, que afeta o horizonte, pode ser configurado com textura de imagem HDR. Com as opções ajustadas para esse fim, a proposta é que essa imagem produza na cena criada a mesma iluminação do ambiente da própria imagem.

Em outras palavras, a imagem emite luz, tornando-se a fonte de iluminação da cena.

Confiram, no vídeo, o resultado da técnica.

 

Até a próxima.

Cine PW: Hannah Arendt

Salve, salve turma!

Sem dúvida Hanna Arendt é uma das figuras mais importantes da filosofia do século XX. Dentre os seus trabalho destaca-se o estudo do Totalitarismo e a defesa do “pluralismo” político, conceito que potencializaria a liberdade e igualdade política entre as pessoas. Com esse pensamento, Arendt se situava de forma crítica ante a democracia representativa e preferia um sistema de conselhos ou formas de democracia direta. (saiba mais)

Hannah Arendt (Barbara Sukowa) e seu marido Heinrich (Axel Milberg) são judeus alemães que chegaram aos Estados Unidos como refugiados de um campo de concentração nazista na França. Para ela a América dos anos 50 é um sonho, e se torna ainda mais interessante quando surge a oportunidade dela cobrir o julgamento do nazista Adolf Eichmann para a The New Yorker. Ela viaja até Israel, e na volta escreve todas as suas impressões e o que aconteceu, e a revista separa tudo em 5 artigos. Só que aí começa o verdadeiro drama de Hannah: Ela mostra nos artigos que nem todos que praticaram os crimes de guerra eram monstros, e relata também o envolvimento de alguns judeus que ajudaram na matança dos seus iguais. A sociedade se volta contra ela e a New Yorker, e as críticas são tão fortes que até mesmo seus amigos mais próximos se assustam. Hannah em nenhum momento pensa em voltar atrás, mantendo sempre a mesma posição, mesmo com todo mundo contra ela. (fonte)

Cine PW: Capitães da Areia

Salve, salve, turma!

O Cine PW indica hoje o filme “Capitães da Areia”, baseado na obra do escritor Jorge Amado.

Pedro Bala, Professor, Gato, Sem-Pernas, Boa Vida e Dora, personagens imortalizados na obra de Jorge Amado, ganham as telonas do cinema em Capitães da Areia, longa assinado por Cecília Amado, neta do escritos baiano.

Assim como no romance publicado na década de 1930, a narrativa traz a história de um grupo de crianças e adolescentes abandonados por suas famílias que crescem nas ruas de Salvador, praticando assaltos, e fugindo da polícia enquanto lutam para sobreviver.

Liderada por Pedro Bala, a trupe é conhecida por Capitães da Areia pela facilidade que tem de se camuflar sem deixar pistas e sem ser notada. Assim, ao longo de um ano, os garotos encaram diversas aventuras, realizando sonhos e vivendo reais pesadelos.

(fonte: guiadasemana)
 

Ótima sessão, pessoal!

Cine PW: Retro 2012

Salve, salve, turma!

Ao longo de 2012 a sétima arte foi a nossa grande companheira. Todas as quarta-feiras nós aprendemos, rimos, nos emocionamos e descobrimos novos olhares sobre o mundo através dos filmes, documentários, curtas e longa-metragens.

PW-cine

Confiram algumas das produções que passaram pelo Cine PW este ano e tenham uma ótima sessão, pessoal!

  1. Cine PW: Tempos Modernos e O Grande Ditador.

  2. Cine PW: Lixo Extraordinário e Ilha das Flores

  3. Cine PW especial – Escritores da Liberdade

  4. Cine PW: Milton Santos e Bertold Brecht

  5. Cine PW: “O Auto da Compadecida”, “Orfeu” e “O Pagador de Promessas”

  6. Cine PW: “O que é isso, companheiro?” e “Hércules 56”

  7. Cine PW: “O crime do Padre Amaro”, “Deus e o Diabo na terra do Sol” e “O Baile Perfumado”

  8. Cine PW: “Confiar”

  9. Cine PW: A Dama de ferro, Adeus, Lênin! Batalha de Argel

  10. Cine PW: “La Educación Prohibida”

  11. Cine PW: “Criança, a alma do negócio”

  12. Cine PW: Garoto-Barba e Swing of Change

Cine PW: A Corrente do Bem

Salve, salve, turma!

Inspirado pelo clima de fraternidade natalina o Cine PW levanta uma questão: o que vocês podem fazer para mudar o mundo? Vocês podem dizer que é algo muito difícil, impossível ou uma utopia. Será?

A Corrente do Bem

Eugene Simonet (Kevin Spacey), um professor de Estudos Sociais, faz um desafio aos seus alunos em uma de suas aulas: que eles criem algo que possa mudar o mundo. Trevor McKinney (Haley Joel Osment), um de seus alunos e incentivado pelo desafio do professor, cria um novo jogo, chamado “pay it forward”, em que a cada favor que recebe você retribui a três outras pessoas. Surpreendentemente, a ideia funciona, ajudando o próprio Eugene a se desvencilhar de segredos do passado e também a mãe de Trevor, Arlene (Helen Hunt), a encontrar um novo sentido em sua vida. (Fonte: adorocinema)

De Bônus: Kindness Boomerang da life vest inside

Ótima sessão, pessoal!

Cine PW: “Crash – No Limite”

Salve, turma!

O Cine PW de hoje apresenta “Crash – No Limite”, um filme que aborda os preconceitos presentes no cotidiano, como o racismo.

“Em Los Angeles ninguém te toca. Estamos sempre atrás do metal e do vidro. Acho que sentimos tanta falta desse toque, que batemos uns nos outros só para sentir alguma coisa. “ (Frase de Crash). Partindo de tal premissa, Crash é um filme que demonstra o retrato de uma sociedade marcada pelo preconceito. Este, no entanto, não é refletido na ingênua fórmula preto-branco, mas antes é demonstrado como uma realidade multicolorida e complexa: negrosbrancosmuçulmanoslatinospobresricos.

Tudo começa a partir do roubo de um carro de uma mulher rica. A partir de então uma série de incidentes acabar por aproximar habitantes de diversas origens étnicas e classes sociais de Los Angeles: um veterano policial racista e seu jovem parceiro passivo em relação as suas atitudes, um detetive negro e seu irmão traficante de carros roubados, um bem-sucedido diretor de cinema negro que finge ser budista para não ter exposto sua origem afro-descendente, um imigrante persa que possui um pequeno comércio que vive sendo assaltado, um trabalhador latino que luta para sustentar sua família. Todos estão lá como peões num intrigado tabuleiro de emoções que afloram conforme eles se encontram, ou melhor, se esbarram no acaso da vida do dia-a-dia.

Nesses encontros, os personagens tomam consciência de quem realmente são e a maneira como conduzem suas vidas, muitas vezes patéticas. O sentimento que serve de fio condutor é o racismo presente nos EUA.

Fonte: Wikipédia