Estudantes preparam projetos para a II Feira de Ciências e Tecnologias Sociais da Educação Profissional

 Os estudantes da Rede Estadual de Educação Profissional estão reservando grandes surpresas para a II Feira de Ciências e Tecnologias Sociais da Educação Profissional da Bahia, que acontece entre os dias 3 a 5 de setembro, no Centro de Convenções da Bahia, em Salvador, juntamente com III Encontro da Educação Profissional da Bahia.

Aberta ao público, a Feira será um espaço de popularização das tecnologias sociais produzidas por professores e estudantes, que ceepamev1contribuem para a solução de problemas vivenciados pela comunidade no entorno imediato ou no Território de Identidade onde estão inseridos os Centros de Educação Profissional.

Do Território de Identidade Litoral Sul, os estudantes apresentarão, dentre outras tecnologias sociais, o biodigestor portátil anaeróbico para produção  de biogás. Esse experimento verifica a possibilidade de utilizar o gás metano como alternativa para o funcionamento de um fogão doméstico para residências e restaurantes. Segundo os pesquisadores, essa tecnologia social poderá contribuir para diminuir custos com a utilização do gás derivado do petróleo e, ao mesmo tempo, na redução de impactos ambientais.

Para desenvolver o biodigestor, os estudantes usaram materiais como um tambor plástico de 20 litros, registros, mangueiras, suporte, silicone, durepoxi e fita veda rosca.No biodigesor, foram colocados resíduos orgânicos domésticos como substrato para a produção do biogás. O biogás obtido da decomposição desse lixo orgânico é formado por gases, tais como o metano e o dióxido de carbono.

Saúde em movimento –Os estudantes do Ceep em Biotecnologia e Saúde, de Itabuna, apresentarão o projeto Saúde em Movimento. Os futuros técnicos em Enfermagem, Nutrição e Dietética, Análises Clínicas e Segurança do Trabalho realizaram uma série de intervenções sociais junto à comunidade estudantil.O objetivo foi contribuir com a prevenção e cuidados nas doenças, bem como a promoção, manutenção e recuperação da qualidade de vida. Os estudantes pesquisaram sobre os indicadores críticos de saúde a partir do levantamento da medição de taxas de triglicérides, colesterol e glicemia capilar, além de verificar os hábitos alimentares entre os alunos. Como resultado, foi desenvolvido um cardápio escolar.

A alimentação também foi o tema escolhido pelos os estudantes do Proeja Fundamental, do Centro Territorial de Educação Profissional Médio Rio das Contas, em Ipiaú para participar da II Feira. Com o projeto “Entre texto e delícias alternativas”, eles desenvolveram receitas a partir de cascas, talos, sementes e folhas de vegetais para obter o aproveitamento quase que integral dos alimentos. No projeto, os orientadores utilizaram estudos de gêneros textuais entre eles receitas, blogs, reportagens, voltados á qualificação técnica dos estudantes para a produção das receitas.

Tecnologias sociais como estas ressaltam a matriz curricular da Rede Estadual de Educação Profissional que tem a intervenção social como princípio pedagógico, na medida em que possibilita que o estudante aprenda os conteúdos e práticas em situações reais, e contribui para a sua formação integral, fazendo com que compreenda a dimensão social da futura profissão.

Fonte: http://estudantes.educacao.ba.gov.br/noticias/estudantes-preparam-projetos-para-ii-feira-de-ciencias-e-tecnologias-sociais-da-educacao-pr

Anúncios

Caravana Digital – Embarque nessa com a gente

Olá, pessoal!

Viemos convidar vocês para um excelente evento que acontecerá no próximo sábado.

Saibam mais: Cliquem aqui

Até lá!

Estudantes prestam serviços gratuitos de informática

Você sabe como instalar um programa no seu computador? Quer saber mais sobre a Internet e as redes sociais? Então programe-se para participar, no próximo sábado (29/09), das 7h30 às 17h, da I Feira de Tecnologia do Colégio Estadual Góes Calmon, no bairro de Brotas. A Feira abordará o tema A importância da tecnologia na educação. Neste dia, os estudantes dos cursos técnicos de nível médio em Informática, Manutenção e Suporte de Informática e Rede de Computadores prestarão vários serviços gratuitos à comunidade.

Foto: Claudionor Jr. Ascom/Educação

A programação compreende atendimento personalizado e minicursos. Individualmente, os visitantes poderão receber orientações, por exemplo, de como elaborar um currículo, como baixar e imprimir contas de água e luz pela Internet, de como usar programas de computadores para criar logomarcas e sobre as possibilidades e cuidados que devem ser adotados ao se usar as redes sociais. Coletivamente, receberão instruções, via minicursos. Em um destes cursos, os estudantes falarão sobre instalação e funcionamento de sistemas operacionais como o Windows XP, fundamental para o uso de diversos programas no computador.

Em outro minicurso, os estudantes irão falar sobre lixo eletrônico. A ideia é demonstrar como é possível fazer o reaproveitamento de peças para a montagem de novos equipamentos. Trata-se de uma tecnologia social, de baixo custo e que beneficia a comunidade, inclusive, evitando o descarte deste tipo de equipamento no meio ambiente. Uma sala de entretenimento também será montada para que os visitantes possam se divertir com videogames, a exemplo do Playstation e do X-BOX, e também tenham contato com jogos em rede e jogos educacionais.

Presença da comunidade – Vinícius Barral, 20 anos, que está no 4° ano do curso técnico de nível médio em Informática, acredita que este projeto vai permitir uma maior aproximação da comunidade com a escola. “É importante essa aproximação, é uma oportunidade de conhecerem o colégio, os projetos desenvolvidos. Muitos que virão não possuem contato com a tecnologia. Será um momento em que poderão conhecer e aprender coisas novas, por exemplo, como funciona um computador por dentro ou como funciona a Internet”, disse.

Já Ian Santos, 17 anos, também estudante do curso técnico de nível médio em Informática, e estagiário do colégio, está entusiasmado com os minicursos. “Faço estágio aqui de segunda a sexta no próprio colégio, dando manutenção e suporte à rede e em microcomputadores. É o momento em que coloco em prática tudo o que aprendo em sala de aula. A Feira vai permitir que eu aprofunde ainda mais meus conhecimentos, já que terei uma maior integração com pessoas da comunidade e com colegas de outras turmas”, disse.

Para a diretora do colégio, Jeane Cerqueira, o evento é interessante por diversas razões. “A Feira é um momento de troca de conhecimentos, de aprendizado. Para os estudantes que estão se formando, é uma chance de explorar os conhecimentos adquiridos ao longo dos anos de estudo. Para os que estão começando, é a chance de conhecerem mais sobre a futura profissão”, afirma.

A diretora acrescenta que os serviços prestados pelos jovens à comunidade se configuram como “uma ação de intervenção social, fundamental para contribuir para uma maior integração entre eles e a comunidade” e que reafirmam o trabalho como princípio educativo e a intervenção social como princípio pedagógico na Educação Profissional da Bahia.

Fonte: http://www.educacao.ba.gov.br/node/3701