Estudantes baianos são premiados na Febrace 2013

A produção científica está consolidada nas escolas da rede estadual da Bahia. Em 2013, quatro projetos foram premiados durante a 11ª Feira Brasileira de Ciência e Engenharia (Febrace), dos cinco que participaram do evento, entre os dias 12 e 16 de março, em São Paulo.  “A produção e investigação científica nas escolas estaduais é estimulada pelo projeto Ciência na Escola, que chega a todos os estudantes da rede”, afirma o Secretário da Educação do Estado da Bahia, Osvaldo Barreto, explicando que o projeto inclui a formação de professores, realização anual da Feira de Ciências e, também, a edição de livros e matérias didáticos focados na realidade baiana.

Um dos destaques da Febrace 2013 foi o projeto “Ciência Virtual: modelagem de laboratórios didáticos através da realidade aumentada, sensores de movimento (kinect) e comandos por voz”, do estudante Igor Gomes da Costa dos Santos (Colégio Estadual Odorico Tavares – Salvador), vencedor de três prêmios: Milset Internacional; 2º lugar em Ciências Humanas (Individual) e Inovação em Acessibilidade e Inclusão da Pessoa com Deficiência.

Confira aqui a relação dos projetos baianos premiados na Febrace 2013

Em setembro, Igor Gomes, 19 anos, e o seu professor orientador, Jorge Lúcio Rodrigues, irão representar a Bahia no Milset Internacional (Expo-Sciences International), em Abu Dhabi – United Arab Emirates.  O estudante desenvolveu o projeto Ciência Virtual, durante o ensino médio. Atualmente, ele cursa engenharia elétrica e garante não ter dúvidas quanto ao sucesso da experiência também no exterior. “Nosso projeto vai ajudar muito na educação. Colégios que não têm laboratórios de ciências agora poderão realizar experimentos na sala de aula”.

O Colégio da Policia Militar, no bairro do Lobato, em Salvador, também foi contemplado com o prêmio American Psychological Association Outstanding for Behavioral Sciences, pelo projeto A Rádio na Escola: como a educação pode atuar na transformação e integração da Sociedade”dos alunos Luiza Vitória dos Santos Souza e Danilo Rodrigues Brito.

Escolas do InteriorDa Escola Estadual Coronel Jerônimo Rodrigues Ribeiro, do município de Uauá (438 Km de Salvador), saiu o ganhador do 3ª lugar na categoria Ciências da Saúde. Os estudantes Ana Karolina de Morais, David Gabriel de Morais e Denis dos Santos, orientados pela professora Edna dos Santos, desenvolveram o projeto A cura da gastrite através de plantas da caatinga”.

FEBRACE 2013

Para David Gabriel de Morais, que integra a equipe do projeto, o resultado vai servir de estímulo. “Vamos continuar a trabalhar com este projeto. Sempre gostei de trabalhos científicos, e uma oportunidade como esta só faz com que a gente procure,   ainda mais, esse caminho”, considera o estudante.

Já o estudante Arismário de Araújo Lima Júnior, do Colégio Estadual César Borges, no município Valente (a 238 km de Salvador), recebeu o prêmio Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza, com o projeto “Guitar Control: uma alternativa lúdica para incentivar a prática de instrumentos”.

Tramontina aproveita projeto – Em 2012, os projetos científicos elaborados por estudantes da rede estadual também foram premiados na Febrace. Entre eles, o Sistema de Segurança para Fogões contra Acidentes Domésticos”, desenvolvido pelo estudante Lucas Borges, do Colégio Nossa Senhora de Fátima, no município baiano de Fátima (a 319 km de Salvador). Hoje, o projeto está no setor de desenvolvimento da empresa Tramontina.

Veja o video sobre a experiência de Lucas Borges

O estudante Lucas, filho de mecânico, afirma que desde criança teve a criatividade aguçada. “Eu sempre tive esse desejo de inventar, descobrir soluções para os problemas. Só que eu nunca tive incentivo por parte de determinado evento, quando surgiu a proposta da I Feira de Ciências da Bahia, do Ciência na Escola, eu pude colocar as idéias em prática”.

Fonte: http://estudantes.educacao.ba.gov.br/noticias/estudantes-baianos-sao-premiados-na-febrace-2013

Anúncios

Estudantes da Educação Profissional são finalistas da Febrace

Três projetos desenvolvidos por estudantes da rede estadual de Educação Profissional estão entre os finalistas da Mostra de Talento e Inovação da 10ª  Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace). O evento será realizado de terça-feira (13/03) até sábado (17/03), na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo. Os projetos selecionados, desenvolvidos usando  tecnologias sustentáveis, de baixo custo, foram escolhidos entre 1.505 inscritos de todo o país.

Os estudantes do 2º ano do curso Técnico em Edificações, do Centro Territorial de Educação Profissional do Semiárido Nordeste II, em Ribeira do Pombal, concorrem com a “Casa Ecológica, construída utilizando materiais reaproveitados como garrafas pet, cordas e madeiras. Os estudantes envolvidos no projeto são Fernando Souza dos Santos, Maria Aparecida Freire Santos e Thainá Alves dos Santos Santa Rosa.

Os estudantes do curso Técnico em Agroindústria, do Colégio Estadual Pio XII, em Jaguaquara, apresentarão o “Secador Econômico” feito à base de papelão, folhas de jornais, plástico e outros materiais reaproveitáveis, como embalagem de alimentos composto por papel laminado. Serve para desidratação de produtos como tomates, transformando-os em tomates secos. Foi desenvolvido pelos estudantes Rafael Costa, Josenira Marques e Cleriston Santos de Jesus.

O outro projeto também dos estudantes do Técnico em Agroindústria, do Pio XII, Maílson Silva Santos, Alana Araújo Rodrigues e João Pedro Sena Santos, é o biodigestor que é ativado por esterco bovino, água e vegetais, gerando o biogás. Maílson explica que a ideia surgiu para evitar o descarte inadequado dos legumes, frutas e hortaliças, oriundos do setor hortigranjeiro do município.

Formação Integral – Na rede estadual, a Educação Profissional tem o trabalho como princípio educativo, a intervenção social como princípio pedagógico e visa à formação integral dos estudantes, articulando as diferentes formas de educação, trabalho, ciência e tecnologia. A professora Valéria Maria Souza Brito, orientadora do projeto “Secador Econômico”, ressalta que incentivar os estudantes na participação de atividade de extensão como a Febrace é um dos papéis da Rede objetivando essa formação. “Temos a obrigação de incentivar nossos estudantes para a construção de um mundo melhor. A formação que recebem, pautada na Educação Profissional, possibilita que tenham um aprendizado interdisciplinar visando à melhoria da sociedade em que vivem”, disse.

Maria José Silva Almeida, orientadora do projeto, explica que a Casa Ecológica é o modelo ideal para corresponder às necessidades de uma sociedade que tanto prega a sustentabilidade. “Reaproveitar garrafas pet na construção de casas é uma alternativa sustentável por dar utilidade a todo esse material usado indiscriminadamente pela sociedade de consumo. O nosso projeto demonstra que existe a possibilidade de reduzir o lixo nos aterros sanitários, além de apontar as suas consequências nos processos de decomposição de materiais orgânicos. É um processo econômico, pois consome apenas 30% da energia necessária para produção da maneira prima”, justifica.

Fonte: http://www.educacao.estudantes.ba.gov.br/node/3162

I Feira de Ciências da Bahia

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia – SEC, através do Instituto Anísio Teixeira – IAT, promove, de 17 a 22 de outubro de 2011, a I Feira de Ciências da Bahia no estacionamento E do shopping Iguatemi. O objetivo do evento, que está atrelado à Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, é auxiliar os educadores a obter os conhecimentos necessários para orientar seus estudantes quanto à produção científica.

O projeto está estruturado em três etapas, que incluem a formação continuada de professores, a realização de feiras escolares e a culminância que acontece com a realização da Feira de Ciências Estadual.

A formação continuada para os professores que participarão da Feira busca democratizar o acesso às ciências, especialmente no que se refere às práticas escolares, estimulando a produção científica. A participação no curso – Formação de professores para a prática de Ciências na Educação Básica – foi a primeira etapa do projeto e é pré-requisito para os que pretendem participar da Feira de Ciências da Bahia.

Para mais informações, entrar em contato pelos telefones 71 3116-9069 (Rogério Lima) e 71 3116-9036 (João Henrique) ou através do e-mail feiradecienciasba@gmail.com.

 

Fonte:http://www.iat.educacao.ba.gov.br/node/1708

Estudantes apresentam experiências na I Feira de Ciência e Tecnologia

A I Feira de Ciências e Tecnologia: a pesquisa científica desenvolvendo conhecimento, realizada pelo Centro Territorial de Educação Profissional da Região Metropolitana de Salvador (CETEP da RMS), em Camaçari, mudou a rotina do Centro nos últimos dias 28 e 29 de maio. Experiências até então desenvolvidas nos laboratórios de química, a exemplo da produção de sabão, foram apresentadas à sociedade, numa demonstração de como os futuros técnicos estão sendo preparados para adentrar no mundo do trabalho.
A proposta pedagógica dos cursos técnicos da Educação Profissional da Bahia trabalha com a formação integral, articulando conteúdos de educação básica e educação profissional. Neste caso, a Feira trabalha as bases científicas da tecnologia. Deste modo, os estudantes não apenas aprendem a “fazer”, mas por que “fazer”. Com tais conhecimentos são capazes de compreender e atuar em situações distintas e não apenas seguir prescrições, superando o “adestramento” que sempre caracterizou a educação profissional tradicional.
Participaram da atividade, estudantes dos cursos em Eletromecânica, Controle Ambiental, Petroquímica, Química e Segurança do Trabalho. Divididos em grupos, expuseram, em estandes, o passo a passo das etapas da reciclagem de papéis, o processamento das sementes para obtenção de biocombustível, as formas de obtenção de energia eletromagnética e os tipos de equipamentos de proteção individual utilizados na área de segurança. Também ministraram oficinas para os visitantes e à própria comunidade estudantil.
Como forma de interagir com outros estudantes da Rede Estadual de Educação Profissional, a I Feira Ciências e Tecnologia do CETEP da RMS contou com a participação de estudantes do curso técnico em Segurança do Trabalho, do Centro Estadual de Educação Profissional em Serviços e Processos Industriais Irmã Dulce, instalado em Simões Filho.
A diretora do CEEP da RMS, Nancy Bulcão, disse que a Feira de Ciência e Tecnologia foi uma ação pedagógica estratégica. Além de demonstrar à sociedade um pouco das atividades desenvolvidas pelos estudantes e promover a integração dos mesmos com diferentes atores sociais, a Feira cumpre um papel importantíssimo no sentido de promover o amadurecimento dos futuros técnicos. “Tudo isso aqui é uma resposta à sociedade dos investimentos feitos pelo Estado na qualificação e formação profissional da nossa juventude que fica ainda mais motivada com esse tipo de experiência”, ressalta.