JERP: esporte, saúde, educação e diversão!

Estudante-repórter: Érica de Jesus

Olá, pessoal!

Estudantes na disputa do handebol, no JERP. Foto: Érica de Jesus
Estudantes na disputa do handebol, no JERP. Foto: Érica de Jesus

O estudante André Sousa, 14 anos, 6° ano do Ensino Fundamental II, do Colégio Estadual Princesa Izabel, que fica em Salvador, no bairro Cidade Nova, participou dos Jogos Estudantis da Rede Pública (JERP), no primeiro dia do 4° Encontro Estudantil. Ele relata como o esporte o ajudou a valorizar a saúde e o jeito de ver o mundo, as pessoas  e a sociedade: “Aprendi a superar as dificuldades no esporte  e o JERP nos dá oportunidade de monstrar o nosso talento”. André disputou com a  equipe de Handebol de sua escola.

O estudante André Sousa. Foto: Érica de Jesus
O estudante André Sousa. Foto: Érica de Jesus

Os Jogos Estudantis da Rede Pública (JERP) é um projeto desenvolvido pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia e tem competições de basquete, futsal, handebol e vôlei, festivais de capoeira, xadrez e judô.

 

A estudante-repórter Érica de Jesus. Foto: Raulino Júnior
A estudante-repórter Érica de Jesus. Foto: Raulino Júnior

Érica de Jesus tem 21 anos, é estudante do Centro Estadual de Educação Profissional da Bahia, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

Anúncios

Orientações Curriculares para o Ensino Médio: como e por que

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC-BA) decidiu colocar os documentos das Orientações Curriculares para o Ensino Médio (OCEM) em consulta pública. A comunidade escolar e toda a sociedade vão poder contribuir na avaliação das propostas, criticando e sugerindo ideias. As colaborações podem ser enviadas até 31 de agosto e todas as informações necessárias para entender o processo estão no site da SEC.

Imagem: reprodução da capa do documento disponibilizado pela SEC-BA.
Imagem: reprodução da capa do documento disponibilizado pela SEC-BA.

Linguagens

Na área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, o documento disponibilizado no site esclarece quais são os cinco componentes curriculares que estão dentro dessa esfera (Língua Portuguesa, Língua Espanhola, Língua Inglesa, Arte e Educação Física) e descreve, pedagogicamente, como cada área é pensada dentro da proposta da Secretaria.

Para o ensino de Língua Portuguesa, por exemplo, a ênfase está nos aspectos pragmáticos, concebendo a língua como um atividade social viva: “…as competências e habilidades a serem desenvolvidas, em torno dos eixos temáticos propostos, devem ampliar as situações de práticas de leitura e de produção de textos em diversos gêneros textuais e nas modalidades da Língua Portuguesa: oral e escrita”.

Eixos integradores

Toda a orientação sugerida para a àrea de Linguagens deverá ser delimitada por quatro eixos integradores: a) Letramento e Formação cidadã (a escola deve possibilitar uma construção autônoma do conhecimento, contribuindo, assim, para uma formação cidadã); b) Interações e Diversidades (o intuito é fazer com que os educandos convivam e respeitem as diversidades existentes dentro e fora da escola, tendo os temas transversais como norteadores); c) Sociedades e Mundo Globalizado (nesse tópico, a “leitura de mundo e do mundo” é evidenciada); d) Pesquisa, Tecnologia e Produção Científica (os temas centrais são a importância da tecnologia e a preparação do estudante para o mundo do trabalho).

O documento traz também as competências e habilidades de cada componente curricular, relacionado-as com os eixos já citados. Além disso, levanta a discussão sobre as possibilidades metodológicas da área.

A sua parte

É importante que toda a sociedade e os interessados em educação contribuam, de fato, para melhorar as Orientações Curriculares para o Ensino Médio propostas pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia. Você tem até 31 de agosto para fazer a sua parte. Entre no site e envie as suas considerações!

Até o próximo!

Raulino Júnior

Professor da Rede Pública de Ensino da Bahia

CAPOEIRA EM SALA DE AULA

A capoeira é uma manifestação cultural, com matrizes africanas apreendidas em território brasileiro. Considerando o período histórico em que os povos africanos eram sequestrados de sua terra natal para se tornarem escravos no Brasil, pode-se afirmar que este fato, do período colonial, assume significativa relevância na formação do povo brasileiro.

Compreender o processo histórico de formação de uma sociedade é importante para que se possa entender e intervir na realidade de forma consciente, crítica e criteriosa, visto que a função social da escola é contribuir para a emancipação humana e transformação/transmissão de saberes historicamente organizados pela humanidade.

A Educação Física é uma disciplina que compõe o núcleo comum do Ensino Médio, importantes conteúdos ficam sob a responsabilidade desta área do conhecimento, tais como: jogo, dança, ginástica, lutas, capoeira, esporte.

Neste texto, destaco a presença relevante da capoeira enquanto elemento importante no processo de formação do estudante. Destaco este conteúdo pela sua relevância histórica para a formação do povo brasileiro, assim como pela condição que a capoeira representa no contexto histórico. Analisar criticamente este percurso é um dos desafios que professores e estudantes precisam superar.

Apropriar-se da capoeira como elemento da nossa cultura, reconhecer seus mestres, suas bandeiras de luta, entender a orquestra da dança, música e movimento, esclarecer conceitos de capoeira angola e capoeira regional, o papel dos quilombos em seu contexto histórico-cultural, cantos que denunciam, anunciam e apontam caminhos para uma condição de autonomia e emancipação humana, com um olhar para o homem enquanto sujeito de sua própria história são elementos que esta arte, a capoeira, nos possibilita apreender.

De acordo com a referência do MEC, a competência de área 3 da Matriz de Referência de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias diz assim:

“Compreender e usar a linguagem corporal como relevante para a própria vida, integradora social e formadora de identidade”

Muitos são os fatores que tornam esta temática relevante para o currículo da educação física. A capoeira precisa ser trabalhada criticamente no espaço da escola. Sendo assim, deixo como sugestão o site do Ambiente Educacional Web – AEW, que é um espaço que reúne vários objetos educacionais que tratam desta temática e pode auxiliar o professor em sala de aula. Recomendo os links abaixo, mas vale ressaltar que o Ambiente Educacional Web possui um amplo acervo sobre esta temática, que pode contribuir com professor e estudante na caminhada de um entendimento mais crítico da capoeira no cenário contemporâneo.

 

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/2097

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/2098

ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/234

A educação física no movimento do ENEM

É verdade que o Ensino Médio é um período muito intenso para os estudantes. Podemos associar a um treinamento de alto rendimento, em que eles tornam-se verdadeiros atletas. Como percorrer este caminho com barreiras, superando cada desafio sem permitir contusões e possibilitando a chegada na reta final com louvor e sucesso?

Receita, não existe, mas orientações, dicas, guias ou outros termos que deseje usar, no sentido de entender que não funcionará da mesma forma e nem da mesma medida para todos, são importantes para esta trajetória de muitas expectativas e apostas.
A Educação Física é uma disciplina que assume sua relevância, visto que é um componente curricular que deve ser compreendido na sua potencialidade, ajudando o estudante a reconhecer, assumir e usufruir as práticas corporais. A escola é um espaço em que essas práticas são ensinadas, vivenciadas, refletidas, recriadas e analisadas de forma crítica em todos os espaços onde se faz presente (clube, academia, parques, praças…).

A sugestão é: aproprie-se do conhecimento da educação física, acumulado ao longo da sua trajetória escolar, e vivencie-os com prazer para que possa chegar ao ENEM seguro, completo e confiante. O movimento para o sucesso no exame do ENEM passa pelo corpo.

Os links abaixo permite que você, leitor, relembre procedimentos para uma prática corporal saudável e também lhe instrumentaliza para responder questões da prova, tais como: diferença entre atividade física e exercício físico; zona alvo durante a prática corporal; definição de atividade aeróbia e anaeróbia, entre outras. Essas são algumas questões abordadas no vídeo, pelo especialista Ronan Augusto Silva (educação física) e também pelo Programa Ginga – Corpo e Cultura, na edição de número 12.

Neste ano de 2014, as análises para o TEMA da prova de redação indicam grandes possibilidades para assuntos relacionados ao futebol, megaeventos esportivos e mundiais. Mas sobre este tema, deixo registrado um convite para um encontro presencial na série de OLHO NO ENEM, que acontecerá no IAT – Instituto Anísio Teixeira, no dia 20 de outubro, com participação de todas as disciplinas que fazem parte da área de linguagens.

Lembre-se: o corpo participa do exame (ENEM), cuide bem dele.

O vídeo tem a duração de aproximadamente 16 minutos e 27 minutos respectivamente. Vale à pena conferir!

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/3571
http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/1527

CONVERSA DE CAPOEIRA

Um vídeo com personalidades representativas da capoeira. O bate-papo permite ampliar o conhecimento sobre a história da capoeira, com olhares críticos dos desdobramentos desta prática corporal na sociedade.

Dividido em três partes, o vídeo contém muitas informações importantes para que professores e estudantes possam reconhecer e ressignificar sua identidade.  A sugestão é que ele seja trabalhado em partes para que o aproveitamento seja o mais completo possível.

Imagens e depoimentos dos grandes mestres da Capoeira, intervenção de historiadores, de músicos e diversos artistas. Conheça melhor a Capoeira, suas origens, sua importância na história e sua relação com a música.

A indicação feita, com base na proposta abordada neste material, é que este objeto seja trabalhado no ensino fundamental (séries finais) e/ou ensino médio.

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/229

Sendo a capoeira um importante conteúdo no currículo de Educação Física, este material que pode ser encontrado no reservatório de Objetos Educacionais (no Ambiente Educacional Web), a partir do link disponibilizado acima, assume sua relevância na possibilidade de instrumentalizar professores para que possam construir e praticar esta luta/ arte marcial, dando vez e voz à história brasileira.

Para garantir a qualidade da prática pedagógica, outros vídeos devem ser consultados para que a partir deles as aulas sejam planejadas de forma dinâmica, criativa e significativa. Ao acessar o link indicado, observe que temos outros conteúdos relacionados.

Vale a pena consultar e compartilhar este material.

EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: DILEMAS E PRÁTICAS – PGM. 5 – EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR EM DEBATE

O objeto Educacional “Educação Física Escolar: Dilemas e Práticas – Educação Física em Debate” você pode encontrar no repositório do Ambiente Educacional Web (AEW).

Consta neste vídeo relatos sobre o papel da Educação Física Escolar na formação do estudante, indicando a necessidade de superação da Educação Física seletiva e excludente. Professores dialogam sobre o panorama e valorização da Educação Física no currículo, considerando a hierarquia das disciplinas no contexto educacional. Questões referentes ao espaço físico para a realização das aulas de Educação Física, considerando que a arquitetura em algumas situações limita (no primeiro momento) as possibilidades de ações da disciplina.

O material discute a representação da disciplina pela comunidade escolar, ora incidindo sobre a formação cultural do aluno, ora como atividade complementar que pode auxiliar a construção de um ambiente prazeroso e promover a formação de hábitos saudáveis e a socialização de experiências esportivas ou de expressão corporal. Um programa de debate com três especialistas.

Textos complementares podem ser encontrados no Guia Pedagógico que enriquece este Objeto Educacional.

Este Objeto é uma excelente oportunidade de refletir sobre a Educação Física Escolar e avançar nas possibilidades que esta área do conhecimento apresenta para estudantes e professores.

Duração de 50 minutos, dividido em três blocos.

Confira e compartilhe sua experiência!

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/2235

GINGA – CORPO E CULTURA (1ª edição)

Trabalhar com inclusão no espaço educacional é um desafio que deve ser superado cotidianamente no fazer pedagógico de cada docente. A primeira edição da série GINGA – CORPO E CULTURA apresenta os desafios e as possibilidades de práticas corporais para pessoas com deficiência.

Professores, estudantes e especialistas mostram a relevância da Educação Física no currículo escolar e as experiências, em espaços educacionais, de pessoas com deficiências praticando atividades relacionadas à proposta da Educação Física.

Este objeto educacional tem como um de seus objetivos, contribuir com o planejamento e a prática pedagógica do professor, construindo aulas/encontros com os estudantes de forma dinâmica e prazerosa.

O Guia Pedagógico que acompanha este Objeto Educacional (OE), além de apresentar a proposta da série (GINGA) sugere uma atividade interdisciplinar que pode ser vista como um parâmetro, mas é com referência na realidade de cada unidade educacional que as atividades devem ser construídas.

Pessoas com deficiência estão presentes nos bancos escolares e devem ser respeitadas. O olhar para estes sujeitos não deve versar apenas aos limites arquitetônicos, corporais, mas no potencial e na capacidade de cada sujeito que compõe o grupo, incluindo os estudantes com deficiência, que tem uma limitação aparente.

A parceria com a família e com a escola, a sensibilização do grupo, o diálogo, a criatividade, a construção e vivência de experiências positivas são algumas possibilidades para uma inclusão humanizada.

Os jogos/brincadeiras, a dança, os esportes, as lutas, a ginástica são elementos da cultura corporal e que devem ser acessados, vivenciados, resignificados pelo homem e a escola é um importante espaço para socialização dessas práticas construídas ao longo da história da humanidade.

Professores podem organizar aulas a partir deste material, adaptando a realidade da unidade de ensino e da turma.

Vale à pena consultar e compartilhar este Objeto Educacional.

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/1516

Cine PW: Muito Além do Peso

Salve, salve, turma!

 Vocês já pensaram sobre a qualidade dos alimentos que consumimos e de que forma eles ajudam ou prejudicam a nossa saúde?

Para refletir sobre o assunto, o Cine PW indica o documentário Muito Além do Peso.

O documentário Muito Além do Peso foi lançado em novembro de 2012, em um contexto de amplo debate sobre a qualidade da alimentação das nossas crianças e os efeitos da comunicação mercadológica de alimentos dirigida a elas. O filme é fruto de uma longa trajetória da Maria Farinha e do Instituto Alana na sensibilização e mobilização da sociedade sobre os problemas decorrentes do consumismo na infância.

Em 2008, o documentário Criança, a alma do negócio alertou para o resultado devastador dos apelos de mercado voltados ao público infantil e propôs uma reflexão sobre questões como ética e responsabilidade de cada ator social na proteção da criança frente às relações de consumo. Muito Além do Peso mergulha no tema da obesidade infantil ao discutir por que 33% das crianças brasileiras pesam mais do que deviam. As respostas envolvem a indústria, a publicidade, o governo e a sociedade de modo geral. Com histórias reais e alarmantes, o filme promove uma discussão sobre a obesidade infantil no Brasil e no mundo.

Fonte: Muito Além do Peso.

 

A Capoeira nas Aulas de Educação Física

Olá, pessoal!

A capoeira é um elemento da cultura corporal, por isso deve compor o currículo da Educação Básica nas aulas de Educação Física, seja de forma interdisciplinar o que permitiria potencializar as possibilidades desta temática ou de forma disciplinar, o que é importante acontecer no espaço educacional é o diálogo da capoeira com a história do povo brasileiro, tendo como atores deste cenário educadores e estudantes.

A abordagem do conteúdo da capoeira nas aulas de Educação Física pode acontecer de diversas formas, a proposta apresentada neste link: http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/2097 é uma dessas possibilidades. Trata-se de um dos diversos objetos educacionais que compõem o Ambiente Educacional Web (AEW), este Ambiente contempla diversos conteúdos de diversas disciplinas para a Educação Básica com ênfase no Ensino Médio.

O vídeo e a proposta de atividade do link acima citado estão indicados para o ensino fundamental II com possibilidade de adaptação para o Ensino Médio. Este material faz um breve relato sobre a capoeira no Brasil, sua importância para a formação e reconhecimento da identidade dos jovens. Também apresenta técnicas dos movimentos básicos da capoeira como, por exemplo: ginga, esquiva/ cocorinha / negativa, entre outros, relata também aspectos sobre a musicalidade e os instrumentos da capoeira.

Captura de tela em 2013-07-29 08:49:34

Em parceria a este vídeo temos um Guia Pedagógico, material muito rico com potencial de orientar as aulas sobre esta temática, ampliando a perspectiva do vídeo. Faz parte deste guia: sequência didática, proposta de atividades, indicações de filmes, sites entre outras.

Professores que não tem graduação de capoeira podem organizar aulas a partir deste material, adaptando a realidade da unidade de ensino e da turma.

Vale à pena consultar e compartilhar este material.

Estudantes da Escola Parque participam de festival internacional de dança de rua

O grupo baiano de hip-hop Unidade All Star Crew, do Núcleo de Pluralidade Artística do Centro Educacional Carneiro Ribeiro – Escola Parque, vai representar a Bahia no Euro Battle Qualifier Brasil, festival internacional de dança de rua que acontece nos dias 30 e 31 de março, em Brasília. Os estudantes foram selecionados para a competição pelo Instituto Cultural Black Spin Breakers, responsável pelo evento que acontece por etapas, sendo que a final ocorre em Portugal, quando será conhecido o vencedor deste ano.

hip-hop2

O grupo, que é formado de alunos e ex-alunos da Escola Parque, está radiante com mais essa conquista. Vejo esse convite como fruto do crescimento artístico deles. Essa será mais uma oportunidade de intercâmbio cultural com participantes de outros estados e países”, disse Silvana Pereira, coordenadora do Núcleo de Pluralidade Artística da Escola Parque.

Articulador do grupo, Michelângelo Santos conta que estão todos “muito felizes e motivados” com o convite para participar do Battle Qualifier. “Ficamos surpresos quando recebemos a notícia porque se trata de um grande evento de dança de rua no Brasil. Estamos treinando bastante para fazer valer essa oportunidade de ouro de representar a Bahia e a Escola Parque, que sempre nos ajudou e incentivou. Estamos indo com tudo”, declarou o estudante.

Captura_de_tela

Além de Michelângelo, o Unidade All Star Crew é formado pelo monitor Francisco Jorge Bomfim Junior e pelos estudantes Jeomar Silva, Jefferson Braga, Adão Lima, Adriano Conceição e Rodilandson Santos. Criado em 2009, o grupo de hip-hop participará do festival em clima de competição, conforme as regras do evento. “Vamos nos apresentar no estilo de dança batalha, no qual a gente disputa com outro grupo ao mesmo tempo”, conta.

Mais Educação – O Núcleo de Pluralidade Artística da Escola Parque está inserido no programa Mais Educação, que visa fomentar atividades educativas para melhorar o ambiente escolar. Desenvolvido pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, em parceria com o Ministério da Educação, o programa proporciona trabalhos com temáticas ligadas ao meio ambiente, esporte e lazer, direitos humanos, cultura e artes, cultura digital, prevenção e promoção da saúde, educomunicação, educação científica e educação econômica.

Fonte: http://estudantes.educacao.ba.gov.br/noticias/estudantes-da-escola-parque-participam-de-festival-internacional-de-danca-de-rua