Consulta Pública – Base Nacional Comum Curricular

Fig. 1: banner oficial da Base Nacional Comum Curricular. Imagem: divulgação/MEC

Fig. 1: banner oficial da Base Nacional Comum Curricular. Imagem: divulgação/MEC

 

A Base Nacional Comum Curricular (BNC) vai deixar claro os conhecimentos essenciais aos quais todos os estudantes brasileiros têm o direito de ter acesso e se apropriar durante sua trajetória na Educação Básica, ano a ano, desde o ingresso na creche até o final do Ensino Médio. Com ela, os sistemas educacionais, as escolas e os professores terão um importante instrumento de gestão pedagógica.

A Base Nacional Comum Curricular será mais uma ferramenta que vai ajudar a orientar a construção do currículo das mais de 190 mil escolas de Educação Básica do país, espalhadas de Norte a Sul, públicas ou particulares. Com a BNC, ficará claro para todo mundo quais são os elementos fundamentais que precisam ser ensinados nas áreas de conhecimento (Matemática, Linguagens, Ciências da Natureza e Humanas).

A Base é parte do currículo e orienta a formulação do projeto político-pedagógico das escolas. A partir da Base, os mais de 2 milhões de professores continuarão podendo escolher os melhores caminhos de como ensinar e, também, quais outros elementos (a parte diversificada) precisam ser somados nesse processo de aprendizagem e desenvolvimento dos estudantes. Tudo isso respeitando a diversidade, as particularidades e os contextos de onde estão.

A Base é uma conquista social. Sua construção é crucial para encontrarmos um entendimento nacional em torno do que é importante no processo de desenvolvimento dos estudantes brasileiros da Educação Básica. Entender seu real significado e participar da sua construção é direito e dever de todos.

Até o dia 15 de março de 2016, os cidadãos brasileiros, organizações e escolas poderão contribuir nesse processo. Basta se cadastrar no site basenacionalcomum.mec.gov.br e seguir as orientações. Contribua!

Este texto foi adaptado do site oficial da Base Nacional Comum Curricular.

Anúncios

Agenda PW: Olimpíada de Matemática das Escolas Públicas

As inscrições para a 11ª Olimpíada de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) serão abertas em 23 de fevereiro e seguirão até 31 de março. A Obmep é dirigida às escolas públicas municipais, estaduais e federais, com matrícula de estudantes do sexto ao nono ano do Ensino Fundamental e dos três anos do Ensino Médio.

Composta de duas série de testes – a primeira prova, neste ano, será em 2 de junho; e a segunda, em 12 de setembro – a Olimpíada de Matemática das Escolas Públicas vai premiar 6,5 mil alunos, sendo 500 com medalhas de ouro, 1,5 mil de prata e 4,5 mil de bronze. Os medalhistas também serão convidados a participar do Programa de Iniciação Científica Júnior, em 2016. A Obmep reconhece, ainda, o trabalho dos professores, das escolas e das secretarias de educação dos 6,5 mil vencedores.

Todos os estudantes inscritos participam da primeira prova, que será realizada na própria escola, em 2 de junho. O desafio é resolver 20 questões de múltipla escolha. Do desempenho desta fase, a olimpíada seleciona cerca de 5% dos estudantes, por escola, com melhor pontuação que vão para a segunda etapa, em 12 de setembro. Conforme o calendário da Obmep 2015, a relação de vencedores será divulgada em 27 de novembro.

Iniciativa

Promoção dos ministérios de Ciência, Tecnologia e Inovação e da Educação, a Obmep é realizada pelo Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (Impa) e pela Sociedade Brasileira de Matemática (SBM). Realizada desde 2005, a competição é um projeto de estímulo ao estudo da matemática nas redes públicas da educação básica de todo o país. Para incentivar a participação, produz e distribui material didático, oferece bolsas de iniciação científica aos estudantes e reconhecimento aos educadores, escolas e secretarias. A Obmep também prepara, a cada ano, cerca de 30 medalhistas de ouro para competições internacionais.

A 10ª edição, em 2014, registrou 18,1 milhões de inscrições, a adesão de 46.711 escolas públicas da educação básica estabelecidas em 5.533 municípios, o que representa 99,41% das cidades.

Mais informações: www.obmep.org.br.

Ionice Lorenzoni

Texto adaptado do site do Ministério da Educação.

Prorrogadas as inscrições gratuitas para 30º Encontro de Física

A Universidade Federal da Bahia (UFBA) prorrogou até o dia 25 de agosto o prazo para as inscrições no 30º Encontro de Físicos do Norte Nordeste. Os professores de física do ensino médio da rede estadual podem participar gratuitamente do evento,  com comunicações orais e apresentação de painéis. As inscrições devem ser feitas no site da Sociedade Brasileira de Física.

O 30º Encontro de Físicos do Norte Nordeste é realizado pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), em parceria com a Secretaria da Educação do Estado da Bahia, e acontece de 5 a 9 de novembro, em Salvador.

Inscrições gratuitas – Estão garantidas aos docentes da rede estadual 70 vagas para inscrição gratuita. Os contemplados com a gratuidade receberão da comissão organizadora do evento um e-mail de confirmação. Terão prioridade os professores que submeterem trabalhos para apresentação.

Acesse aqui a ficha de inscrição

O  coordenador da Educação Superior da Secretaria da Educação, Nildon Pitombo, destaca a relevância da participação dos professores da rede estadual no encontro. “Ações desta natureza estimulam os docentes de Física a participar das discussões e debates sobre a situação da educação científica no país, bem como a avaliar o contexto do ensino de Física e sua importância no desenvolvimento nacional”, assegura

Escola e universidade – A coordenadora das atividades de ensino do 30º Encontro de Físicos do Norte Nordeste, Maria Cristina Penido, informa que a novidade do evento é, justamente, articulação entre universidade e escola. “Os professores participarão ativamente das discussões, submetendo trabalhos e pesquisas sobre suas experiências e práticas didáticas para apresentação”

Também estão previstos na programação minicursos, oficinas, mostra de vídeo e mesas-redondas. De acordo com a coordenadora, “as atividades darão ênfase à formação continuada de professores em aspectos atuais da problemática do Ensino de Física no nível da Educação Básica. Elas despertarão para o desenvolvimento de experiências didáticas, com material de fácil aquisição, que são um diferencial importante para o ensino de física nas regiões do Norte e Nordeste”, conclui Maria Cristina Penido.

 

Fonte: http://www.educacao.educadores.ba.gov.br/node/3509

Textos inscritos na olimpíada surpreendem pela qualidade

Especialistas em língua portuguesa analisaram uma amostra representativa dos quase 18 mil textos escritos por estudantes de escolas públicas que já participaram da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro. O resultado do trabalho é a publicação O que nos dizem os textos dos alunos?, apresentada nesta terça-feira, 30, durante o seminário A escrita sob foco: uma reflexão em várias vozes, que segue até a quarta-feira, 31, em Brasília.

Com o objetivo de mostrar os aspectos dos gêneros literários e do trabalho com a escrita que podem ser aprimorados, a publicação oferece orientações sobre práticas de ensino da língua portuguesa. Para o organizador da obra, Egon de Oliveira Rangel, um exemplo disso é a abordagem sobre tempo verbal, fundamental para os gêneros narrativos, como crônica e memória literária.

Segundo Egon Rangel, uma das surpresas do conjunto de textos analisados é a qualidade. “No geral, são textos com um acabamento para circulação social bem mais ampla do que o ambiente escolar”, disse. Para ele, isso é surpreendente porque a amostra analisada é representativa de uma quantidade maior de textos que não foram selecionados para as etapas finais da olimpíada. “A Olimpíada de Língua Portuguesa é uma competição em que todos ganham, porque cada um faz o seu melhor.”

Formação – De acordo com a coordenadora da Olimpíada de Língua Portuguesa, Sonia Madi, um dos critérios para seleção dos professores de escolas públicas que apresentam trabalhos durante o seminário foi que o ponto de partida de seus projetos fosse a sequência didática trabalhada durante a olimpíada, mas que tivessem desdobramentos em outras atividades de escrita. “Por isso temos aqui trabalhos como o projeto Correio da Amizade, da cidade de Patu (RN), em que a escrita é desenvolvida por meio de cartas”, destaca.

Para Sônia, até mesmo o processo de preparação para a apresentação dos projetos no seminário já se caracteriza como uma ação de formação para o professor. “A sistematização das informações que apresentam é um momento de apropriação do que ele fez, do que tem por fazer.”

O seminário A escrita sob foco: uma reflexão em várias vozes é uma das ações da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, promovida pelo Ministério da Educação e pela Fundação Itaú Social e coordenada pelo Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec).

Maria Filha

Fonte: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=17007

Crianças do segundo ano farão este mês provas de matemática

Escolas das redes públicas com turmas de estudantes no segundo ano (alfabetização) do ensino fundamental recebem, até a metade deste mês, a Provinha Brasil de matemática. A exemplo da provinha de língua portuguesa, que o MEC distribui desde 2008, a aplicação desta provinha não é obrigatória.
Dados da Secretaria de Educação Básica (SEB) indicam que 3,3 milhões de alunos cursam o segundo ano do ensino fundamental em 107,1 mil escolas públicas. A primeira edição da provinha de matemática tem 24 testes de múltipla escolha, que serão aplicados pelo professor em sala de aula ou por coordenador pedagógico definido pela direção da escola. O ministério recomenda que a avaliação seja realizada neste mês.
A partir de 2012, as escolas públicas com classes de alfabetização vão receber as provinhas de língua portuguesa e de matemática no início e no final do ano letivo. Além da provinha impressa, professores, coordenadores pedagógicos e gestores podem consultar a matriz de referência da provinha de matemática que está disponível no sítio do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).
A realização da Provinha Brasil compreende uma série de atividades que envolvem a SEB, o Inep e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), além de parcerias com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed). A definição de conteúdos, elaboração dos testes, impressão e distribuição dos materiais são atribuições dos órgãos do MEC. A Undime e o Consed são responsáveis pela mobilização e orientação das escolas em cada rede de ensino.

Ionice Lorenzoni

Conheça a matriz de referência da provinha de matemática.

Fonte: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=16931

Professores devem confirmar a inscrição até o domingo, 19/06

Professores indicados para cursos de extensão e aperfeiçoamento oferecidos na Plataforma Freire têm prazo até o próximo domingo, 19, para confirmar sua inscrição. Dos 62.222 professores indicados pelos diretores das escolas públicas para fazer os cursos de extensão e aperfeiçoamento, 35.823 confirmaram a sua inscrição e 1.224 negaram. Os demais indicados têm até domingo, 19, para confirmar sua inscrição.

Há cursos em todos os estados, com inscrição gratuita feita pela Plataforma Freire. Esse sistema, criado pelo MEC, oferece formação inicial e continuada para professores em todo o Brasil, e deve ser acessado pelo Portal do Ministério.

Especializações – Nesta segunda-feira, 13, tiveram início as inscrições para cursos de pós-graduação strictu sensu. A expectativa era de oferecer 3 mil vagas nessa modalidade; entretanto, em todo país, 8 mil vagas estão disponíveis. Ao contrário do que foi feito para os cursos de extensão, nas especializações é o próprio professor quem faz a sua inscrição, também pela Plataforma Freire. Vale lembrar, entretanto, que os docentes inscritos em cursos de extensão não poderão se inscrever nos cursos de especialização.

Assessoria de comunicação Social

Acesse a lista com a oferta de cursos de especialização

Acesse a Plataforma Freire

Fonte:http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=16746

Cursos para professor recebem inscrições até dia 29 de maio

Diretores das escolas públicas podem indicar, até 29 de maio, os professores de sua unidade escolar nos cursos de extensão e de aperfeiçoamento oferecidos por meio da Plataforma Freire.

A formação é uma parceria entre a Secretaria de Educação Básica (SEB), a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad) e a Secretaria de Educação Especial (Seesp) com instituições públicas de ensino superior, e atenderá professores de todos os entes da federação.

A Plataforma Freire é um sistema desenvolvido pelo MEC por meio do qual o professor se inscreve em cursos oferecidos pelo Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica, com o objetivo de adequar a sua graduação.

Entre as opções disponíveis para os professores estão os cursos de formação continuada em educação ambiental, ensino integral, educação e saúde e relações etnorraciais e diversidade no ambiente escolar. No total, serão oferecidas 89.733 vagas em um total de 1.357 cursos, divididos entre presenciais, semipresenciais e a distância, todos com duração de até 300 horas.

Somente poderão ser indicados professores que tenham sido registrados como educadores em efetivo exercício no Censo Escolar 2009 ou 2010. O professor que já tenha se pré-inscrito em curso de formação inicial também não poderá se inscrever nos cursos de extensão e aperfeiçoamento.

Os professores indicados devem acessar a plataforma e confirmar o seu interesse em realizar a formação entre os dias 23 de maio e 5 de junho. Após esse prazo, as secretarias de educação devem validar as pré-inscrições dos educadores até o dia 16 de junho.

Mais informações sobre o processo de inscrição dos cursos de formação continuada podem ser obtidas no portal da Plataforma Freire.

Assessoria de Imprensa da SEB

Fonte: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=16630