Febre Amarela

Olá pessoal! Como vão vocês?

Hoje abordaremos um assunto de suma importância! Uma epidemia de febre amarela doença provocada por um vírus que começa a se espalhar pelo país. E já chegou aqui, pertinho de nós. Este fato tem  deixado  os órgãos de saúde em alerta máximo, pois é uma doença infecciosa aguda de curta duração e transmitida pela picada dos mosquitos infectados não ocorrendo,portanto,   a transmissão direta de pessoa para  pessoa.febre amarela 01Importante saber que a  vacina é a principal ferramenta de prevenção e controle da doença.

O vírus apresenta dois ciclos distintos  epidemiológicos  de transmissão : ciclo silvestre (espaço rural) e  e ciclo urbano, como podem ser claramente visualizados na imagem.(Fig.01) No ciclo silvestre da febre amarela, os primatas não humanos (macacos) são os principais hospedeiros e amplificadores do vírus e os vetores são mosquitos com hábitos estritamente silvestres, sendo os gêneros Haemagogus e Sabethes os mais importantes na América Latina. No ciclo urbano, o homem é o único hospedeiro com importância epidemiológica e a transmissão ocorre a partir de vetores urbanos (Aedes aegypti) infectados. Mosquito este, que é responsável não só pela transmissão da febre amarela urbana, mas também dos vírus da chikungunya, zika e dengue, cria-se na água e proliferam-se dentro dos domicílios e suas adjacências. Quaisquer recipientes como caixas d’água, latas e pneus contendo água limpa são ambientes ideais para que a fêmea do mosquito ponha seus ovos, de onde nascerão larvas que, após desenvolverem-se na água, tornar-se -ão novos mosquitos.

Portanto, devemos evitar o acúmulo de água parada em recipientes destampados. Para eliminar o mosquito adulto, em caso de epidemia de dengue ou febre amarela, deve-se fazer a aplicação de inseticida através do “fumacê”. Além dismapablogso, devem ser tomadas medidas de proteção individual, como a vacinação contra a febre amarela, especialmente, para aqueles que moram ou vão viajar para áreas Fig. 02 com indícios da doença. Outras medidas preventivas são o uso de repelente de insetos, mosquiteiros e roupas que cubram todo o corpo.

Espero que tenha ajudado! Saber das medidas profiláticas e cumpri-las são ações positivas para  combater a febre amarela.

 

Luciano Albuquerque

Professor da Rede Pública Estadual de Ensino da Bahia

 

REFERÊNCIAS

COSTA, Z. G. A. et al. Evolução histórica da vigilância epidemiológica e do controle da febre amarela no Brasil. Revista Pan-Amazônica de Saúde, Ananindeua, PA, v. 2, n. 1, mar. 2011

TAUIL, P. L. Aspectos críticos do controle da febre amarela no Brasil. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 44, n. 3, p. 555-558, 2010.

SESAB. [Mapa vacinação da Bahia] .2017. Disponível em :http://www.saude.ba.gov.br/novoportal/index.php?option=com_content&view=article&id=11595:perguntas-e-respostas-febre-amarela&catid=103:febre-amarela. Acesso em 23 de março de 2017.

Anúncios

Com a saúde não se brinca: Ginga – Corpo e Cultura!

Olá, turma! Tudo bem?

Hoje falaremos de um assunto muito sério!

O cuidado com a alimentação não é uma questão de moda ou desnecessária como alguns ainda pensam, mas sim de saúde pública.

Inúmeras são as doenças provocadas por hábitos alimentares inadequados, e a principal delas é a obesidade, que é o acúmulo excessivo de gordura corporal. Se fizermos uma breve reflexão sobre o que comemos e quais as consequências de nossas escolhas, certamente concluiremos que poderíamos ter mais qualidade de vida se fossemos mais atentos a elas.

Na atual sociedade o alimento, mais que uma necessidade (pois são eles que nos mantêm nutridos e nos dão a energia que precisamos), tornou-se também uma forma de criar conceitos do que é bom ou não consumir, como nas propagandas de fast food, que atraem com estratégias muito “bem” elaboradas, tais como distribuição de brindes e similares a consumidores que, em geral, são crianças, e aí é onde está o perigo.

Ao crescer com uma educação alimentar desregrada, tanto em casa como nos diversos núcleos de convivência, estas crianças não têm a oportunidade de obtenção da consciência do que favorece ou não a sua qualidade de vida.

Visto que esse é um tema de extrema importância, precisando ser discutido por todos(as) nós, a TV Anísio Teixeira disponibiliza para a comunidade escolar no Ambiente educacional Web, o programa Ginga – Corpo e Cultura”, que aborda esse e outros temas importantes, fornecendo “informações sobre anatomia e fisiologia humana, além de dicas de qualidade de vida. A série defende a cultura corporal e esportiva como uma prática que colabora para a saúde.”

Confiram o episódio especial sobre a obesidade e distúrbios alimentares: clique aqui!

Esperamos, então, que tais conteúdos colaborem para uma plena tomada de consciência: corpos e mentes sãs, pessoal!

Abraços!

Fonte: http://ambiente.educacao.ba.gov.br/

Dengue – O que você precisa saber

Combater a dengue não é uma tarefa fácil, por isso são necessárias a mobilização e a colaboração de todos para eliminar os focos do mosquito e os riscos de epidemia no Brasil.

Medidas simples, desde que praticadas todos os dias, geram bons resultados e ajudam a proteger não só a sua família, mas toda a comunidade.

A Dengue é uma doença infecciosa aguda causada por um vírus que possui 4 sorotipos (DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4). É transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado. Ocorre principalmente em áreas tropicais e subtropicais do mundo, inclusive no Brasil. As epidemias geralmente ocorrem no verão, durante ou imediatamente após períodos chuvosos.
O quadro clínico é amplo, apresentando desde uma síndrome febril inespecífica até quadros graves, como hemorragia, choque e, às vezes, óbito.

É uma doença de notificação compulsória, mas sua forma grave é de notificação IMEDIATA.

A forma clínica clássica caracteriza-se pelos seguintes sintomas:

  • febre alta com duração de 2 a 7 dias;
  • dor de cabeça;
  • dor no corpo e nas juntas;
  • dor atrás dos olhos;
  • manchas vermelhas pelo corpo.

Quem tem diagnóstico de dengue, deve ficar atento ao surgimento dos sintomas abaixo.

Procure imediatamente um médico em qualquer uma das situações abaixo:

  • dores fortes e contínuas na barriga;
  • vômitos persistentes;
  • sangramento por nariz, boca e gengivas;
  • sede excessiva e boca seca.

Veja que, com medidas simples, você pode combater a dengue:

  • Não deixe água acumulada sobre a laje.
  • Jogar no lixo todo objeto que possa acumular água, como embalagens usadas, potes, latas, copos, garrafas vazias etc.
  • Guardar garrafas, para retorno ou reciclagem, emborcadas e em local em que não acumulem água.
  • Colocar o lixo em sacos plásticos e manter a lixeira bem fechada.
  • Não jogar lixo em terrenos baldios.
  • Manter o saco de lixo bem fechado e fora do alcance dos animais até o recolhimento pelo serviço de limpeza urbana.
  • Manter a caixa d’água completamente fechada para impedir que vire criadouro do mosquito.
  • Manter bem tampados tonéis e barris d’água.
  • Encher de areia até a borda os pratinhos dos vasos de planta ou lavá-los com escova, água e sabão semanalmente.
  • Lavar semanalmente por dentro, com escova e sabão, os tanques utilizados para armazenar água.
  • Remover folhas e galhos e tudo o que possa impedir a passagem da água pelas calhas.
  • Se você tiver vasos de plantas aquáticas, trocar a água e lavar o vaso, principalmente por dentro, com escova, água e sabão, pelo menos, uma vez por semana.
  • Lavar semanalmente, principalmente por dentro, com escova e sabão, os utensílios utilizados para guardar água em casa, como jarras, garrafas, potes, baldes etc.

Então, vamos aprender um pouco mais sobre a dengue e testar nosso conhecimento? 

Acessem a animação DENGUE no Ambiente educacional Web e saiba mais.

Para acessar a animação clique aqui!

Compartilhem essa informação com seus familiares e amigos, combater a dengue é um dever de todos nós.

Abraços!

Fonte:http://www.combatadengue.com.br/index.php