2ª Mostra do Dance – 4º Encontro Estudantil

Estudante-repórter: Tayline Alves

E aí, galera!

Neste vídeo, você vai conferir a 2ª Mostra do Dance que consiste em 15 apresentações de dança realizadas em 744 escolas da Rede Estadual. Nesta reportagem, você vai conferir algumas destas apresentações.

 

Abraços!

 

SAM_3284

A estudante-repórter Tayline Alves. Foto: Raulino Júnior

Tayline Alves tem 17 anos, é estudante do Colégio Estadual Polivalente do Cabula, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

Anúncios

Hoje, é dia de fazer arte!

Oi, galerinha! Tudo bem?

 Hoje, 12 de agosto, é o Dia Nacional da Arte. A arte é importante para a formação cultural e política do ser humano. Tod@s nós temos, de certa forma, algum envolvimento com a arte. Mesmo que você não realize nenhuma atividade artística, as artes estão no seu cotidiano em forma de música, literatura, artes visuais, dança e teatro.

 A escolas estão se apropriando das linguagens artísticas com bastante intensidade. Na rede estadual de ensino da Bahia, várias iniciativas têm como objetivo fomentar, introduzir e potencializar as experiências artísticas dos estudantes. O FACE, o TAL, o AVE e o Prove são bons exemplos disso. Nos Parâmetros Curriculares Nacionais: arte, documento do Ministério da Educação, o professor recebe orientações de como ensinar a disciplina em sala de aula e sobre qual é a importância de unir arte e conhecimento. De acordo com o texto, “a manifestação artística tem em comum com o conhecimento científico, técnico ou filosófico seu caráter de criação e inovação. Essencialmente, o ato criador, em qualquer dessas formas de conhecimento, estrutura e organiza o mundo, respondendo aos desafios que dele emanam, num constante processo de transformação do homem e da realidade circundante” (1997, p. 26).

 @ estudante pode ampliar os seus conhecimentos acerca de arte de diversas maneiras: lendo, visitando museus, indo aos espetáculos de artes cênicas e pesquisando na internet. O site da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB) traz muitas informações sobre eventos artísticos, bem como anúncios de cursos de formação nas mais diferentes linguagens artísticas. Quando estiver acessando a página, não deixe de clicar no link da Agenda Cultural. Outra opção na rede, é o site da Fundação Nacional de Artes (Funarte). Nele, além de várias referências sobre o universo da arte, a gente encontra o link do portal “Brasil Memória das Artes”, no qual temos contato com um riquíssimo acervo digitalizado. E, como última dica, vale a pena navegar pelo site do Almanaque Brasil, iniciativa do artista plástico Elifas Andreato. Então, coloque mais arte na sua vida!

Estudantes da Escola Parque participam de festival internacional de dança de rua

O grupo baiano de hip-hop Unidade All Star Crew, do Núcleo de Pluralidade Artística do Centro Educacional Carneiro Ribeiro – Escola Parque, vai representar a Bahia no Euro Battle Qualifier Brasil, festival internacional de dança de rua que acontece nos dias 30 e 31 de março, em Brasília. Os estudantes foram selecionados para a competição pelo Instituto Cultural Black Spin Breakers, responsável pelo evento que acontece por etapas, sendo que a final ocorre em Portugal, quando será conhecido o vencedor deste ano.

hip-hop2

O grupo, que é formado de alunos e ex-alunos da Escola Parque, está radiante com mais essa conquista. Vejo esse convite como fruto do crescimento artístico deles. Essa será mais uma oportunidade de intercâmbio cultural com participantes de outros estados e países”, disse Silvana Pereira, coordenadora do Núcleo de Pluralidade Artística da Escola Parque.

Articulador do grupo, Michelângelo Santos conta que estão todos “muito felizes e motivados” com o convite para participar do Battle Qualifier. “Ficamos surpresos quando recebemos a notícia porque se trata de um grande evento de dança de rua no Brasil. Estamos treinando bastante para fazer valer essa oportunidade de ouro de representar a Bahia e a Escola Parque, que sempre nos ajudou e incentivou. Estamos indo com tudo”, declarou o estudante.

Captura_de_tela

Além de Michelângelo, o Unidade All Star Crew é formado pelo monitor Francisco Jorge Bomfim Junior e pelos estudantes Jeomar Silva, Jefferson Braga, Adão Lima, Adriano Conceição e Rodilandson Santos. Criado em 2009, o grupo de hip-hop participará do festival em clima de competição, conforme as regras do evento. “Vamos nos apresentar no estilo de dança batalha, no qual a gente disputa com outro grupo ao mesmo tempo”, conta.

Mais Educação – O Núcleo de Pluralidade Artística da Escola Parque está inserido no programa Mais Educação, que visa fomentar atividades educativas para melhorar o ambiente escolar. Desenvolvido pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, em parceria com o Ministério da Educação, o programa proporciona trabalhos com temáticas ligadas ao meio ambiente, esporte e lazer, direitos humanos, cultura e artes, cultura digital, prevenção e promoção da saúde, educomunicação, educação científica e educação econômica.

Fonte: http://estudantes.educacao.ba.gov.br/noticias/estudantes-da-escola-parque-participam-de-festival-internacional-de-danca-de-rua

Talento estudantil – Faça Acontecer

Olá, pessoal!

Do despertar da curiosidade ao talento descoberto e incentivado, respeito às diferenças e habilidades que nos completam e formam o todo que somos. O ambiente escolar, além de proporcionar crescimento educacional, influi em diversos aspectos na vida dos sujeitos que dele são partícipes.

Não temos dúvidas de que colaboradores, professores e estudantes são artífices da construção dos saberes que também constituem a dinâmica social.

Hoje, compartilhamos com vocês um belo exemplo de talento, superação e aptidão – a série de documentários Faça Acontecer, realizada pela TV Anísio Teixeira que de maneira singular mostra conquistas estudantis e “tem como objetivo valorizar a capacidade intelectual, artística e esportiva dos estudantes da Rede Pública de Ensino da Bahia, a partir de depoimentos deles mesmos, dos seus familiares, professores e amigos.”

Confiram no Ambiente Educacional Web os episódios da série – Cliquem aqui!

Comp 1 (0-00-15-23)

Realizações como essas nos deixam cada dia mais confiantes de que por meio da educação um mundo de possibilidades se abre quando fazemos acontecer.

“Se a educação sozinha não pode transformar a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda.”

(Paulo Freire)

Abraços, amig@s!

Fonte: http://educadores.educacao.ba.gov.br; http://ambiente.educacao.ba.gov.br/

Prêmio Funarte de Arte Negra

INSCRIÇÕES PRORROGADAS ATÉ 25 DE MARÇO DE 2013

Acesse aqui a portaria da prorrogação

A Fundação Nacional de Artes, em parceria com a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República – SEPPIR, lançou o Prêmio Funarte de Arte Negra. A portaria que instituiu o Prêmio foi publicada no Diário Oficial da União de 20 de novembro e retificada no dia 26 de novembro de 2012. Serão premiados 33 projetos nas áreas de artes visuais, circo, dança, música, teatro e preservação da memória.

As inscrições estão abertas até 25 de março de 2013. Para participar, os proponentes precisam se autodeclarar pretos ou pardos, categorias de classificação de cor ou raça adotadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.

O investimento total é de R$ 4,440 milhões, dos quais R$ 4,3 milhões serão concedidos em prêmios de R$ 100 mil, R$ 150 mil e R$ 200 mil. Os recursos são do Fundo Nacional de Cultura.

Podem concorrer artistas, produtores culturais e instituições privadas (com ou sem fins lucrativos, de natureza artística e/ou cultural), que comprovem experiência no desenvolvimento de atividades artísticas que conservam elementos das culturas de matriz africana e/ou realização de trabalhos com temas ligados à experiência social e política da população negra dentro e fora do Brasil.

Os trabalhos serão avaliados por uma Comissão de Seleção composta por 12 membros, indicados pela Funarte e pela Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.

O material de inscrição deverá ser enviado por SEDEX, em envelope único, para a Rua da Imprensa, 16 – 6º andar / Setor de Protocolo – Castelo – Rio de Janeiro – RJ – CEP 20030-120, conforme instruções contidas no edital.

Posteriormente, a relação com a classificação de todos os projetos, inclusive os 33 selecionados, será divulgada nesta página eletrônica da Funarte (www.funarte.gov.br).

Fonte: http://www.funarte.gov.br/edital/premio-funarte-de-arte-negra/

III Encontro Dançando Nossas Matrizes: um diálogo entre as Danças Afro-Brasileiras

DATA: 13 e 14 de novembro

HORÁRIO: 08hs às 21hs

LOCAL: Sala Principal – Espaço Xisto Bahia

VALOR: Gratuito

QUEM: Grupo de Artistas e Professores da dança de Matrizes Africanas na Bahia

SOBRE: Com o objetivo de propiciar novos pensamentos em torno desta área de conhecimento que compõe o complexo universo da dança no Brasil, mais especificamente na Bahia, o projeto III Encontro Dançando Nossas Matrizes: um diálogo entre as Danças Afro-brasileiras tem como objetivo principal fomentar discussões entorno das questões que envolvem as práticas das Danças Afros na Bahia, além de compreender e divulgar a teoria e a dinâmica destas Danças, suas dimensões e características culturais, filosóficas, mitológicas, religiosas, metodológicas e suas produções.

Fonte: http://espacoxisto.wordpress.com/2012/11/06/iii-encontro-dancando-nossas-matrizes-um-dialogo-entre-as-dancas-afro-brasileiras/

FESTIVAL A CENA TÁ PRETA

Festival internacional A Cena Tá Preta reúne teatro, música, cinema, dança, exposição e manifestações populares, de 09 a 18 de novembro, em Salvador.

A quarta edição do A Cena Tá Preta, festival internacional de arte negra que integra teatro, dança, música, cinema, exposição e manifestação popular, acontece de 09 a 18 de novembro, em Salvador, no Teatro Vila Velha, com entrada franca. O encontro inclui mostra artística e ações de caráter formativo (oficinas) e reflexivas (seminário com conferência e mesas-redondas), reunindo produções de cinco estados brasileiros (São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Minas Gerais e Bahia), Moçambique, Guiné, Burkina Faso, Togo e França. Além da programação artística, o festival conta com participação de pesquisadores do Brasil, Congo, Cuba e Estados Unidos.

A Cena Tá Preta tem como foco a arte negra e, a partir da mostra de trabalhos artísticos, debates e atividades de intercâmbio, reflete e apresenta um recorte dos caminhos percorridos pela cultura de legado africano em manifestações de várias linguagens. A ideia do festival é fortalecer, divulgar e celebrar a criação artística que tenha como base a cultura de matriz africana e destacar a sua representatividade na constituição da identidade cultural de povos afrodescendentes, notadamente o Brasil. Para isso, promove a troca de experiências entre artistas e estudiosos de distintas regiões brasileiras, colocando-os também em diálogo com países nos quais questões de negritude também se impõem sócio-culturalmente.

O festival, que acontece no mês em que se comemora o Dia da Consciência Negra (20 de novembro), é realizado e produzido pelo Bando de Teatro Olodum em parceria com o Teatro Vila Velha, convênio com a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR) e apoio financeiro do Fundo de Cultura do Estado da Bahia. A coprodução é do Coletivo de Produtores Culturais do Subúrbio.

Nesta quarta edição, A Cena Tá Preta acontece pelo terceiro ano consecutivo. “Tivemos um grande intervalo depois da primeira edição, em 2003, mas agora estamos conseguindo nos manter no calendário anual. Manter o fôlego, pelo caráter do festival, é também uma forma de resistência”, observa Chica Carelli, diretora do A Cena Tá Preta – Ano IV. O fôlego, em verdade, amplia-se este ano: pela primeira vez na história do festival, acontecem apresentações de música, dança, exposição e representações da cultura popular tradicional, como samba-de-roda e as máscaras de Maragojipe, que promovem uma charanga no Passeio Público.

Continue lendo