Praças da Ciência

Olá, pessoal. Tudo bem!

Vocês já visitaram uma ‘Praça da Ciência’? Hoje vamos falar sobre esse importante equipamento montado em vários municípios baianos, inclusive em Salvador.

bat1

O ‘Praças da Ciência’ é um projeto implantado pela Secretaria de Ciência Tecnologia e Inovação do Estado da Bahia com o intuito de incentivar a popularização da ciência. Para potencializar a construção de novos saberes pelos visitantes das praças, o projeto conta com a parceria do Programa de Ciência, Empreendedorismo e Inovação da Bahia, da Secretaria da Educação do Estado e com as prefeituras dos municípios onde foram implantadas.

A proposta das Praças da Ciência é implantar experimentos em praças públicas de 40 municípios, contendo oito brinquedos lúdicos (balanços de comprimentos diferentes, alavanca, cadeira giratória, conchas acústicas, bicicleta geradora de energia, harpa de tubo, basquete giratórios e gangorras de braços diferentes), figura abaixo, objetivando a democratização e educação em ciência e tecnologia que atraiam a atenção, principalmente, de crianças e adolescentes, promovendo a exploração ativa, o envolvimento pessoal, a curiosidade, o uso dos sentidos e o esforço intelectual, de forma lúdica e divertida, que gerem o interesse pela Ciência e Tecnologia.

bat2

As Praças da Ciência começaram a ser implantadas no final de 2014 e pretende alcançar 40 municípios baianos. Até agora, vinte e seis já foram inauguradas, oito estão em obras e seis ainda serão implantadas, segundo informações da SECTI. A Praça da Ciência, localizada aqui no Instituto Anísio Teixeira, já está pronta, aguardando apenas sua inauguração. Clique aqui e veja lista dos municípios.

Visite a Praça da Ciência da sua cidade! Antes, porém, acesse a Cartilha ‘Práticas para compartilhar: Praças da ciência – Estudante’, e saiba a composição dos equipamentos, os conceitos explorados, como utilizar cada um deles e sua aplicação no nosso cotidiano. Então, divirta-se e perceba que Educação e Tecnologia estão de mãos dadas!

Um abraço e até mais!

Samuel Oliveira de Jesus

Professor de Matemática da Rede Pública Estadual de Ensino da Bahia

REFERÊNCIAS

AMBIENTE EDUCACIONAL WEB. Práticas para compartilhar – Praças do Conhecimento. Disponível em: <http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/6472>. Acesso em 06/06/2017, às 14h00.

EDUCADORES. IAT e Secti formam professores para uso das Praças da Ciência. Disponível em:<http://educadores.educacao.ba.gov.br/noticias/iat-e-secti-formam-professores-para-uso-das-pracas-da-ciencia>. Acesso em 06/06/2017 às 15h00.

SECRETARIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO. Práticas para compartilhar: Praças do Conhecimento – Estudantes. Disponível em: <http://www.secti.ba.gov.br/arquivos/File/EDITAIS/praca.pdf>. Acesso em 06/06/2017, às 14h00.

Anúncios

Aprenda a tocar um instrumento e ganhe um cérebro saudável!

Você toca violão, teclado ou qualquer outro instrumento musical? Saiba que este é o tipo de atividade que pode ser a mais saudável para o desenvolvimento do seu cérebro.

Ao ouvir uma musica, várias áreas do seu cérebro são ativadas. Mas quando você toca um instrumento, a atividade torna-se  um exercício para o seu cérebro inteiro! Com isso acontece? Para entender, assista ao vídeo disponibilizado no link : https://www.youtube.com/watch?v=R0JKCYZ8hng. (ative as legendas em português, ou, se preferir, pratique seu inglês!)

No vídeo, são citadas algumas pesquisas que mostram como neurocientistas comparam a atividade de tocar um instrumento musical como uma “queima de fogos” na atividade cerebral. Para realizar esse diagnóstico, os neurocientistas usam a Ressonância Magnética Funcional (fMRI) e a Tomografia de Emissao de Pósitrons (PET). A seguir, imagens obtidas pelas duas técnicas de análise.

Schematic of cortical areas involved with pain processing and fMRI

Imagens do cérebro por MRI.
Fonte: http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Schematic_of_cortical_areas_involved_with_pain_processing_and_fMRI.jpg
PET Normal brain.jpg
Imagem do cerebro com atividade normal  feita pelo PET.
Fonte:  “PET Normal brain” by US National Institute on Aging, Alzheimer’s Disease Education and Referral Center – http://www.nia.nih.gov/Alzheimers/Resources/HighRes.htm. Licensed under Public domain via Wikimedia Commons.

Ao monitorar a atividade do cérebro de alguns indivíduos, quando estavam ouvindo música, ficou evidente o engajamento de muitas áreas do principal órgão do sistema nervoso. Mas, quando as pessoas tocavam instrumentos musicais, trocando os fones de ouvido por instrumentos reais, a atividade cerebral se transformou numa “grande queima de fogos”.

Todos os campos do cerebro são ativados: memória, motricidade, emoções. O que pode ajudar nas resoluções de problemas, aprendizado e demais funções cognitivas.

Portanto, vamos aproveitar a musicalidade da nossa terra e tocar muita música para ter um cérebro saudável!

Você pode acessar o Ambiente Educacional WEB e encontrar conteúdos que relacionam a música com vários campos do conhecimento, como estes:

  • A MATEMÁTICA DA MÚSICA –  disponível em:

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/285

  • O ARTISTA E O MATEMÁTICO – disponível em:

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/305

  • MÚSICA QUASE POR ACASO – disponível em:

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/781

  •  Ondas mecânicas – Música é cultura – disponível em:

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/3592

 

 

Colégio Úrsula Catharino trabalha a criatividade por meio da matemática

O Colégio Estadual Úrsula Catharino é um exemplo de como tornar a matemática mais próxima do cotidiano do estudante. A unidade, que funciona no bairro do Politeama, em Salvador, realiza, anualmente, o projeto A Matemática no Ambiente Escolar, dentro do Programa Gestão da Aprendizagem (Gestar). As atividades têm como objetivo desenvolver a criatividade do educando por meio da contextualização dos conceitos matemáticos no seu dia a dia.

“O projeto é uma oportunidade para que o educando desenvolva a sua criatividade ao criar uma situação cotidiana utilizando os conceitos matemáticos, além do desenvolvimento de outras habilidades na aplicação das tecnologias”, avalia a diretora da unidade escolar, Maristela Santana. Por meio dele, completa, os educadores refletem sobre novas práticas educativas, “buscando trabalhar no indivíduo as suas múltiplas capacidades, na apropriação de conhecimentos, hábitos e atitudes no que se refere à importância da matemática no ambiente escolar e nas relações que o educando desenvolve na família, na escola e na comunidade”.

GESTAR ALUNOS.JPGA professora de matemática e articuladora do projeto, Iramar Santos da Silva, explica que as atividades são realizadas na terceira unidade com alunos da 5ª e 6ª séries, por meio das quais a disciplina é contextualizada de acordo com o subtema de cada equipe.  “Esse projeto mostra ao estudante que a matemática está presente em diversas situações do cotidiano, por meio da inserção dos alunos em várias situações”.

Subtemas – Este ano, o trabalho realizado na terceira unidade das três turmas de 5ª série teve como subtemas Eu e a matemática,  A matemática na sala de aula, A matemática na quadra, A matemática na cantina, A matemática no entorno do colégio, A matemática no lixo ecológico e A matemática na gestão escolar. “Foi fantástica essa experiência. Os alunos se sentiram motivados, e muitos que não tinham afinidade com a disciplina passaram a vê-la com outros olhos”, afirma a professora Iramar da Silva. Com os alunos da 6ª série, este ano, o foco foi estatística.

A estudante Laiana Silva Santos, 11 anos, 5ª série, conta que o projeto mudou a sua concepção de mundo. “Aprendi muito sobre coleta seletiva, que é importante para não poluir o planeta. Se jogar papel no chão, os efeitos negativos para o meio ambiente vão se multiplicar e isso é matemática”.

O colega Guilherme Pimenta de Souza, 12 anos, 6ª série, também opina: “Meu trabalho foi sobre turismo na Bahia. Deu para aprender bastante sobre empreendedorismo com a empresa de jornal que criamos. Já sei que vou querer fazer vestibular para administração de empresas”, conta.

“Foi muito bom participar desse projeto. Aprendi muito sobre os conteúdos e passei a gostar ainda mais da disciplina”, disse Richardy Pereira de Souza, 11 anos, aluno da 5ª série.

Fonte: http://www.educacao.escolas.ba.gov.br/node/4056

Centros Digitais de Cidadania oferecem cursos gratuitos de informática

 

Podem se inscrever jovens de Salvador e Região Metropolitana

 
A maioria das empresas que recrutam mão-de-obra na Bahia exigem que o candidato à vaga tenha conhecimentos básicos em informática. Visando minimizar essa carência, a Secretaria de Ciência Tecnologia e Inovação do Estado da Bahia (SECTI), em parceria com a  Universidade do Estado da Bahia (UNEB), está oferecendo cursos gratuitos à distância em 20 Centros Digitais de Cidadania (CDCs) de Salvador e Região Metropolitana (veja a relação completa abaixo).

Podem participar alunos que estejam cursando ou sejam concluintes do Ensino Médio ou equivalente da Rede Pública de Ensino. As inscrições podem ser realizadas nos próprios CDCs nos dias 12 e 13 de março, das 9h às 12h e das 14h às 17h. Os cursos serão realizados no período de 15 de março a 20 de abril e ao final todos receberão certificado emitido pela SECTI e pela  UNEB.

O curso de informática básica e internet terá 60 horas e são oferecidas 200 vagas, já os cursos de língua portuguesa, interpretação e escrita de textos e matemática básica e raciocínio lógico terão 80 horas e cada um deles vai oferecer 200 vagas.

Na avaliação do Secretário de Ciência Tecnologia e Inovação, Paulo Câmera, essa iniciativa integra o esforço da SECTI para diminuir as carências básicas dos jovens baianos em informática e com isso eles podem se inserir no mercado de trabalho. “Estamos ampliando, com essa iniciativa, a função dos CDCs, levando cursos à distância para as comunidades carentes”, destaca Paulo Câmera.

A preocupação do secretário é a mesma do Sine Bahia, serviço de intermediação de mão-de-obra do governo do Estado, que está oferecendo uma oficina de informática, na qual o trabalhador pode obter conhecimentos básicos sobre o tema. Isso devido à exigência da maioria das empresas para que o trabalhador tenha esse tipo de conhecimento.

Locais dos cursos:

Salvador- Biblioteca Pública dos Barris, Congregação Batista Bariri (Engenho Velho de Brotas), Centro de Esporte, Arte e Cultura César Borges (São João do Cabrito), Colégio Senhor do Bonfim (Barris), CSU de Narandiba, Escola estadual Helena Magalhães (Av. Tancredo Neves), Escola estadual Luiz José de Oliveira (Cajazeiras), Ilê Ayê (Liberdade), LTECS (Mata Escura), Unidade de Polícia Pacificadora de Fazenda Coutos, Uneb Proex (Imbuí) e  Unidade de Polícia Pacificadora do Calabar
– Simões Filho – Fundação Terra Mirim
– Camaçari – Centro Social Urbano
– Candeias – Associação Comunitária de Santo Antônio
– São Sebastião do Passé – Colégio Municipal Dr. João Paim
– Dias D´Ávila –  Colégio Professor Altair da Costa Lima
– Lauro de Freitas – Terreiro São Jorge Filho da Goméia
– Pojuca – Prefeitura Municipal

 

 

 

Fonte: http://www.secti.ba.gov.br/index.php/noticias/37-bahia/770-centros-digitais-de-cidadania-oferecem-cursos-gratuitos-de-informatica-

Cetep de Irecê realiza semana de cultura, ciência e tecnologia

Caatinga e sustentabilidade: desafios e proposições. Este é o tema da II Semana de Culturas, Ciências e Tecnologias que acontece de 24 a 27 de outubro, no Centro Territorial de Educação Profissional de Irecê (CETEP Irecê). O evento contribuirá para que os estudantes compreendam os fundamentos científicos e tecnológicos do sistema produtivo onde atuam e, também, o contexto socioeconômico e ambiental dos Territórios de Identidade nos quais estão inseridos.

A Semana será aberta na segunda-feira (24), às 8h, com uma aula pública na Praça das Rádios, seguida por apresentações de teatro, música e poesia de artistas locais. A partir das 14h, serão iniciadas mesas-redondas, oficinas e palestras, que abordarão assuntos como abastecimentos sanitários, incidência de câncer de pele e uso racional da água no Território de Irecê.

As oficinas terão foco em tecnologias sociais e contará com a participação da nutricionista Alda Alencar, que ensinará aos estudantes como reaproveitar alimentos. Já as mesas-redondas contarão com a presença de especialistas e de representantes do Banco do Nordeste e da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrário (EBDA), que vão falar sobre agricultura familiar, economia solidária e desenvolvimento sustentável. A importância do estágio na preparação dos jovens para o mundo do trabalho também será discutida na mesa formada por representantes da Universidade do Estado da Bahia (Uneb).

Nas palestras, os estudantes receberão orientações de como proceder diante de acidentes com animais peçonhentos. O engenheiro civil Paulo Oliveira apresentará o funcionamento do sistema eólico mostrando os benefícios trazidos por esse tipo de energia.

Pesquisa científica – O último dia do evento está reservado para a apresentação de trabalhos científicos inscritos por estudantes, professores, pesquisadores. A perspectiva dos organizadores é atribuir um caráter mais científico a esta ação pedagógica, abrindo espaço para as apresentações dos trabalhos selecionados.
O CETEP de Irecê oferece cursos técnicos em Enfermagem, Edificações, Recursos Humanos, Agente Comunitário, Biocombustíveis, Agropecuária e Agroindústria.