Cine PW – “Amistad” e “Besouro”

Salve, turma!

O PW convida a tod@s a assistirem duas belas obras sobre a escravidão, “Amistad” e “Besouro”.

“Amistad”

 

A história remonta ao ano de 1839 e é baseada em factos verídicos que ocorreram a bordo do navio La Amistad. O filme relata a luta de um grupo de escravos africanos em território americano, desde a sua revolta até seu julgamento e libertação.

Através desta trama de forte conteúdo emocional, é possível conhecer as condições de captura e transporte de escravos africanos para os trabalhos na América do Norte, a máquina jurídica americana de meados do século XIX e o germe das primeiras medidas para a abolição da escravatura naquele território.

“Besouro”

 

Bahia, década de 20. No interior os negros continuavam sendo tratados como escravos, apesar da abolição da escravatura ter ocorrido décadas antes. Entre eles está Manoel (Aílton Carmo), que quando criança foi apresentado à capoeira pelo Mestre Alípio (Macalé). O tutor tentou ensiná-lo não apenas os golpes da capoeira, mas também as virtudes da concentração e da justiça. A escolha pelo nome Besouro foi devido à identificação que Manuel teve com o inseto, que segundo suas características não deveria voar. Ao crescer Besouro recebe a função de defender seu povo, combatendo a opressão e o preconceito existentes.

Fontes: Wikipedia, Besouro o filme

Anúncios

População de Cachoeira recebe festival de cinema gratuito

População de Cachoeira recebe festival de cinema de 25 a 30 de outubro

Entre os dias 25 e 30 de outubro, Cachoeira será o grande centro da sétima arte no interior da Bahia. Neste período, a cidade sedia pela primeira vez o Panorama Internacional Coisa de Cinema, em sua oitava edição. Com muitos filmes inéditos na Bahia, a programação apresena 30 produções, todas exibidas gratuitamente. Alguns filmes são dirigidos por alunos da Universidade Federal do Recôncavo (UFRB), onde acontece a exibição das obras, mais precisamente no Centro de Artes, Literatura e Humanidades (CAHL).

Durante o festival, o público poderá conhecer a produção de estudantes de cinema da UFRB, que têm realizado curtas-metragens continuamente, conquistando reconhecimento e premiações. É o caso de Leon Sampaio, que atualmente escreve o roteiro do seu primeiro longa-metragem. Ele é diretor de “O cadeado”, a ser exibido no dia 26 (18h30), que foi premiado no Festival Internacional de Curtas de São Paulo e exibido na Mostra de Tiradentes.  No filme, ele mostra as reações de alunos e professores diante de uma escola sempre fechada, na qual sempre há um cadeado no portão.

Na mesma sessão está “Rua dos Bobos”, de Ohana Almeida, outra prata da casa, que apresenta uma mulher em processo de desapego das convenções sobre espaço e objetos. O trio de estudantes da UFRB se completa com “Entre Passos”, curta de Elen Linth sobre as dores da infância, que será exibido no dia 27, às 18h10. Nas duas sessões com curtas baianos (seis filmes em cada), os diretores das produções exibidas estarão presentes e conversarão com o público ao final da sequência de filmes.

Para a professora da UFRB e coordenadora do CineClube Mário Gusmão (apoiador do Panorama), Cyntia Nogueira, um dos grandes ganhos desta parceria é a oportunidade de colocar realizadores e público frente a frente. Na sua avaliação, esse encontro agrega conhecimento não só para os estudantes de cinema como também ao público em geral, que pode entender melhor as obras e seus processos de produção.

Além de apresentar as produções dos cineastas em formação na UFRB, o Panorama traz também filmes já consagrados, como os longas-metragens “A febre do rato”, de Cláudio Assis, e “Histórias que Só Existem Quando Lembradas”, de Julia Murat. O primeiro é o filme brasileiro indicado ao Prêmio Goya, considerado o Oscar espanhol, e tem premiações acumuladas nos festivais de Paulínia, Triunfo e no Cine Ceará. O segundo é uma das produções brasileiras mais premiadas no exterior, tendo recebido troféus nos festivais de Cinema Brasileiro de Paris, de Cartagena (Colômbia) e de Abu Dhabi (Emirados Arábes).

A população, que já tinha recebido uma mostra itinerante do Panorama em 2011, vai poder conferir também uma iniciativa inédita na trajetória do evento: a parceria com o Animage – Festival Internacional de Animação de Pernambuco. Com isso, sete animações de diversas partes do mundo, desde o Brasil à distante Estônia. Vale ressaltar que são filmes que dificilmente entrarão em circuito exibidor em Salvador ou qualquer cidade brasileira.

Aguardando o início das atividades do recém-reformado do Cine Glória, Cachoeira atualmente tem sua programação cinematográfica garantida apenas por meio da iniciativa dos cineclubes ligados à UFRB. O CineClube Mário Gusmão promove sessões semanais na Universidade e uma sessão mensal em praça pública. Por conta do curso universitário de cinema, a cidade abriga também a revista eletrônica CineCachoeira, editada pelo professor Guilherme Sarmiento, que será júri da Competitiva de Curtas Baianos no VIII Panorama Internacional Coisa de Cinema.

Patrocinada pela Petrobras, a 8ª edição do Panorama conta com apoio da Secretaria de Cultura, por meio do Fundo de Cultura da Bahia; do Irdeb; da Diretoria de Audiovisual da Funceb (Dimas); do Centro de Artes Humanidades e Letras (CAHL) da Universidade Federal do Recôncavo (UFRB) e do Cineclube Mário Gusmão (CAHL/UFRB).

SERVIÇO

O que: VIII Panorama Internacional Coisa de Cinema

Quando: 25 a 30 de novembro

Onde: Auditório da Universidade Federal do Recôncavo – UFRB (Praça Ariston Mascarenhas, s/n. Tel: 75 3425-2729)

Custo: gratuito

Programação completa: http://www.coisadecinema.com.br/VIII_Panorama

Fonte: http://www.cultura.ba.gov.br/2012/10/22/populacao-de-cachoeira-recebe-festival-de-cinema-de-25-a-30-de-outubro/

Estudantes participam de desfile cívico em Cachoeira

Mais de 150 estudantes da rede estadual de educação vão participar, hoje (segunda-feira, 25/06), do desfile, em Cachoeira, que marca a abertura das celebrações oficiais do Dois de Julho no Recôncavo baiano. Eles vão animar a festa cívica com suas fanfarras. São estudantes do Colégio Estadual de Cachoeira, do Colégio Estadual Gerhard Meyer Suerdick, em Maragogipe, e do Colégio Estadual Rômulo Galvão, em São Félix.

Diretor da Fanfarra do Colégio Estadual Gerhard Meyer Suerdick, Fernando Wagner Santana conta que essa será a primeira vez que a fanfarra vai participar do desfile. Para desfilar nas ruas de Cachoeira, os estudantes têm ensaiado três vezes por semana. “Vamos ter um repertório bem diversificado, com direito a músicas clássicas, nacionais, internacionais e também músicas mais atuais”, informa. Eles levarão para a rua um corpo musical com 40 integrantes, um pelotão cívico com 10 pessoas, um pelotão coreográfico com seis integrantes, mais mor e baliza.

No dia, acontece a transferência do governo para o município de Cachoeira, que foi definida em lei aprovada pela Assembleia Legislativa da Bahia e sancionada pelo governador Jaques Wagner, em 2008, para homenagear os heróis cachoeiranos. No dia 25 de junho de 1822, eles deram início às lutas contra os portugueses pela Independência do Brasil, culminando no 2 de Julho, em 1823.

Fonte: http://www.educacao.estudantes.ba.gov.br/node/3376

Agenda Cultural do Estado da Bahia

Olá, pessoal!

Trazemos uma dica sobre como você pode se atualizar em relação à agenda cultural do estado da Bahia. A Fundação Cultural da Bahia disponibiliza uma agenda com atividades culturais que acontecerão em nosso Estado. Você também pode contribuir informando algum evento que acontecerá em sua cidade. Veja como cadastrar seu evento ou como se informar sobre a agenda cultural no site: http://www.agendacultural.ba.gov.br/

Forte abraço e um ótimo fim de semana!

Centenário do Mercado Modelo

Olá, galera!

Vocês sabiam que hoje é comemorado o centenário do Mercado Modelo?

Pois é! Assim como nas obras de Jorge Amado, esse local conta um pouco da história de Salvador.

Sua inauguração se deu em 1912, e ficava inicialmente entre a Casa da Alfândega, que é onde se encontra hoje, e a Escola de Aprendizes de Marinheiro.

Em 1969 o local foi destruído por um incêndio, mudando em definitivo para local atual em 1971.

No começo Mercado Modelo, funcionava como principal centro de abastecimento da cidade de Salvador. Através dele era feito o comércio dos mais variados gêneros alimentícios, vindos princialmente do Recôncavo e que eram transportados nos saveiros que ligavam o porto de Salvador a outras cidades.

Com o passar dos anos, o Mercado passou a ser parada obrigatória da maioria dos turistas que passam por aqui. As dezenas de lojas oferecem vareados tipos de produtos. Conta também com restaurantes, apresentação de roda de capoeira e muito mais.

Existe no subsolo do Mercado, alguns túneis sustentados por arcadas, que só foram redescobertos na última reforma. Eles foram construídos para o armazenamento de vinhos e outras mercadorias que necessitavam de umidade. Mas conta a lenda que no subsolo ficavam os escravos recém chegados. Os vigias que tomam conta do mercado a noite relatam que ouvem ruídos de correntes dos escravos que, segundo a lenda, teriam habitado o subsolo.

Então, aproveitem o finalzinho das férias para visitar esse lugar que é tão rico em beleza e história.


É isso aí, galara. Continuem conectados!

Fonte:http://www.mercadomodelobahia.com.br/

Brasão do Estado da Bahia

O brasão de armas do Estado da Bahia “representa as figuras do trabalho e da República, de mãos enlaçadas sobre um escudo do qual se vê na proa de uma embarcação, um marinheiro apontando para a terra próxima (alusão ao descobrimento do Brasil) e tem por timbre uma estrela aureolada em cima da inscrição ‘Estado da Bahia’, por baixo do escudo, numa fita, a legenda Per ardua surgo e mais abaixo a palavra Brasil.” Esse brasão figura na coleção das leis do estado referente ao ano de 1891.

Constitui-se dos seguintes elementos:

  • Timbre com uma estrela, que simboliza o Estado.
  • Escudo com uma embarcação com a vela içada, onde um marinheiro acena com um lenço branco e, ao fundo, vê-se o Monte Pascoal, local do primeiro registro visual de terra pela esquadra de Cabral.
  • Insígnia com dois tenentes sobre listel com o lema:
Per ardua surgo – que significa, numa tradução literal: “Pela dificuldade venço” ou, no sentido real: vencer apesar das dificuldades.
  • Tenentes: à esquerda, um homem semi-nu, com uma marreta, uma bigorna e uma roda, representando a indústria local; à direita, uma mulher com barrete frígio (alusivo à liberdade), carregando a bandeira da Bahia atrás do triângulo maçônico.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Bras%C3%A3o_da_Bahia

01/02/2011 as 12:18