“Tudo muda/O tempo todo/No mundo”

O mundo está em constante transformação. Você olha para o lado e, quando volta para a posição original, a cena já não é mais a mesma. As coisas mudam. Mudanças acontecem. Como você as encara? Alguns clichês foram usados aqui, de forma proposital, para mostrar que quando a coisa não muda, muitas vezes, ela começa a ser rechaçada. Assim acontece com os clichês. Agora, chegou a nossa vez de mudar.

Fig. 1: …e vai mudar para melhor. Aguarde as novidades! Imagem: Josymar Alves

O Blog do Professor Web iniciou as suas atividades em 2010, com os projetos A Física e o Cotidiano, Ambiente Educacional Web (AEW) e Produção de Conteúdos Digitais nas Escolas. Atualmente, todos eles são desenvolvidos pela Rede Anísio Teixeira (Rede AT) e os resultados das ações são compartilhados por meio do AEW. Mas isso vai mudar. E para melhor!

Desde o começo, o blog teve como objetivo estimular o uso das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) na educação. Cumprimos com esse intuito através de nossas produções multimídia, tutoriais e formações com a comunidade escolar. E isso vai continuar! Contudo, vamos fazer parte de uma outra plataforma, que, em breve, será anunciada para todas as pessoas.

O nosso compromisso com a rede estadual pública de ensino permanece o mesmo. Ou seja: vamos continuar nos esforçando, em parceria com toda a comunidade escolar, para promover uma educação de qualidade. Isso se faz respeitando todos os agentes desse universo, inovando, contextualizando as produções de acordo com as necessidades do nosso estado e convidando todo mundo para fazer parte da nossa rede. Você, que está lendo este texto, é parte importante dessa mudança. Afinal, “…há tanta vida lá fora/Aqui dentro, sempre”. Continue com a gente, pois a gente vai continuar produzindo com (e para) você!

Anúncios

Instituto Anísio Teixeira abre inscrições para Oficina de Produção de Mídias Estudantis

O Instituto Anísio Teixeira, por meio do Programa de Difusão de Mídias e Tecnologias Educacionais Livres da Rede Pública Estadual de Ensino, Rede Anísio Teixeira – Rede AT, abre inscrições para a Oficina de Produção de Mídias Estudantis. O objetivo da oficina é formar estudantes e professores da rede pública de ensino para atuarem como produtores e gestores multimídia, além de estimular o uso de softwares livres nas unidades escolares.

Fig. 1: banner de divulgação
Fig. 1: banner de divulgação

Inscrição

Professores e estudantes do ensino médio da rede pública de ensino da Bahia têm até o dia 01 de julho para se inscrever na atividade de formação. O curso tem carga horária de 56 horas e disponibilizará 20 vagas, sendo 4 para professores e 16 para estudantes.

Para participar da seleção, é muito fácil:

1ª fase: basta ler na íntegra a chamada pública e preencher a ficha de inscrição, respondendo atentamente a cada item.

2ª fase: após análise de ficha de inscrição, serão convocados 40 candidatos para uma entrevista presencial. Essa etapa é classificatória e, através dela, serão selecionados os 20 candidatos que participarão do curso.

Resultado

O resultado da primeira fase será divulgado no dia 08 de julho (análise do formulário de inscrição). Já o resultado final será informado após a segunda fase (entrevista), no dia 15 de julho 2016, no Portal da Educação, aqui no Blog do Professor Web e também através de contato via e-mail e/ou telefone.

Local e período da formação

A formação ocorrerá no Instituto Anísio Teixeira (IAT), instituição situada na Estrada da Muriçoca, Avenida Paralela, Salvador – BA. (Próximo ao Colégio de Aplicação Anísio Teixeira) . A oficina vai acontecer no período de 18 de julho a 01 de agosto de 2016 (exclusivamente no turno vespertino, das 14h às 18h ).

Para obter mais informações, entre em contato pelo e-mail rede.anisio@educacao.ba.gov.br ou pelo telefone (71) 3116- 9061.

Vem compartilhar o seu mundo com a gente!

Batalhe Pela Independência da Bahia

E aí,  galera, beleza?!

As celebrações do 2 de Julho passaram, mas que tal nos divertirmos um pouco com a nossa história através de jogos digitais?

Para começar, sugerimos o 2 de JulhoTower Defense, que é um jogo baseado nas batalhas pela Independência da Bahia que culminaram no dia 2 de Julho de 1823. Desenvolvido pelo grupo Comunidades Virtuais (UNEB), o jogo apresenta personagens icônicos como Maria Quitéria, Maria Felipa e General Labatut, que marcaram essas lutas. O objetivo consiste em criar uma estratégia, com nossas tropas de militares, índios, escravos e encourados, para impedir o avanço das tropas portuguesas em nosso território. É um jogo muito divertido e desafiador.

Acessem e joguem – Cliquem aqui!

Screenshot_2015-07-01-17-17-58

Outro jogo bem divertido, também com foco na Independência da Bahia, é o Tabuleiro Virtual 2 de Julho.

Esse é um jogo de tabuleiro comum, em que vocês podem jogar com seus amigos e aprender bastante. Cada jogador escolhe um personagem para jogar e, no lugar dos dados, existe uma roleta que após ser girada informará a quantidade de casas que o jogador irá avançar. Em algumas casas, temos que responder questões sobre o 2 de Julho para podermos avançar. O Tabuleiro virtual é um ótimo jogo didático, que favorece o aprendizado, de maneira lúdica com muita diversão.

Todo esse conhecimento fortalece o nosso entendimento de como é importante a união de todos em busca de mudanças e melhorias sociais, não é mesmo? Então, junte a sua turma e vamos aprender e nos divertir, afinal, “Nossa pátria hoje é livre e dos tiranos não será.”

Acessem e joguem – Cliquem aqui!

Tabuleiro_Virtual_2_de_Julho-2

Fontes: 2 de Julho Tower Defense , Tabuleiro 2 de Julho

Cidadania e Meio Ambiente – Parte 2

Contaminação do solo do recôncavo baiano pelo uso de agrotóxicos na agricultura


O uso indiscriminado de produtos químicos, ao mesmo tempo que permite o desenvolvimento de uma diversidade de culturas agrícolas, traz como consequência o aumento da resistência das pragas e a contaminação do solo e de lençóis freáticos e rios.

O Recôncavo Baiano apresenta uma diversidade de culturas agrícolas e uso intensificado de fertilizantes e agrotóxicos, principalmente nas lavouras de fumo, mandioca, laranja, entre outras, tem aumentado a concentração de nitratos , fosfatos e outros resíduos químicos, provocando um desequilíbrio no ciclo da matéria orgânica, assim como alterações na microflora do solo. Outras consequências, como o favorecimento do processo de lixiviação e a contaminação de mananciais próximos de lavouras são objetos de estudos de órgãos governamentais como a ANVISA ( Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Medidas como o uso correto, o controle das aplicações dos agrotóxicos e fertilizantes e a fiscalização para impedir o uso de produtos proibidos na agricultura (o Brasil consome 14 agrotóxicos proibidos no mundo, reconhecidos como cancerígenos) podem diminuir os impactos ambientais e os casos de intoxicação (veja o quadro a seguir)

Quadro: Sintomas de intoxicação por agrotóxicos.

Classificação

Sintomas da intoxicação aguda

Sintomas da intoxicação crônica

INSETICIDAS

Fraqueza, cólica abdominal, vômito, espasmos musculares, convulsão, náusea, contrações musculares involuntárias, irritação das conjuntivas, espirros, excitação.

Efeitos neurológicos retardados, alterações cromossomais, dermatites de contato, arritmias cardíacas, lesões renais, neuropatias periféricas, alergias, asma brônquica, irritação das mucosas, hipersensibilidade.

FUNGICIDAS

Tonteira, vômito, tremores musculares, dor de cabeça, dificuldade respiratória, hipertermia, convulsão.

Alergias respiratórias, dermatites, doença de Parkinson, cânceres, teratogênese, cloroacnes.

HERBICIDAS

Perda de apetite, enjoo, vômito, fasciculação muscular, sangramento nasal, fraqueza, desmaio, conjuntivites.

Indução da produção de enzimas hepáticas, cânceres, teratogênese, lesões hepáticas, dermatites de contato, fibrose pulmonar.

Fonte: Peres e Moreira, 2003

Para mais informações veja a Cartilha da ANVISA diponível no AEW em:

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/4024

Contaminação do rio Subaé em Santo Amaro por Metais Pesados

Aempresa COBRAS, subsidiária de uma empresa francesa, instalou-se na cidade de Santo Amaro em 1959, localizada aproximadamente a 300 metros do rio Subaé que corta toda a cidade. O objetivo era a extração do minério de chumbo que contém altas concentrações de outros metais pesados como o cádmio, arsênico, zinco, entre outros. Todos estes metais não interessavam a empresa e foram disponibilizados em contato direto com o solo do pátio de fundição. Como alternativa, toda essa escória rica em metais pesados foi usada até como pavimentação das ruas da cidade durante as décadas de 1960 e 1970.

Durante quase 40 anos, quatro milhões de toneladas de escória da metalúrgica contaminaram o meio ambiente e as pessoas, principalmente pelo chumbo e o cádmio. Essa é considerada a maior contaminação do mundo por metais pesados. Esses metais pesados podem causar doenças como o saturnismo, demência, câncer, infetilidade, má formação de fetos e problemas respiratórios.

Decorridos mais de 16 anos do fechamento da metalúrgica, os resultados apontam para uma persistência nos níveis de contaminação no solo por chumbo e um pequeno decréscimo para o cádmio.

Várias pesquisas forma feitas por universidades e organizações da área de saúde. Acesse alguns artigos de pesquisas sobre essa contaminação em Santo Amaro através dos links a seguir:

1) http://www.meau.ufba.br/site/publicacoes/conteudo-de-cd-e-pb-em-alimentos-vegetais-e-gramineas-no-municipio-de-santo-amaro-ba

2) http://www.meau.ufba.br/site/artigos/estudo-da-influencia-na-contaminacao-do-solo-por-metais-pesados-derivada-das-emissoes-atmosf

Estes são apenas alguns dos muitos problemas ambientais que estão próximos de nossa realidade. A verdadeira cidadania requer também a formação de um pesquisador.

Propomos a professores e estudantes a realização de uma atividade de pesquisa sobre estes e outros casos de contaminação do meio ambiente no Estado da Bahia. A atividade de pequisa pode solicitar:

1- Caracterizar o problema quanto a:

  • História – levantar os fatos históricos pertinentes (notícias, entrevistas, imagens, etc.);

  • Ciências (Química, Biologia, Física) – interpretar o problema à luz do conhecimento científico, com destaque para os conhecimentos da ciência química;

  • Economia – destacar as consequências para a economia da região;

  • Saúde – relatar como o problema afeta a saúde da população local;

  • Impactos ao Meio Ambiente;

2 – Apresentar as soluções adotadas

3 – Apresentar propostas de soluções

Conteúdos que ajudam a compreender o meio ambiente e o que pode causar desequílibrios são recorrentes no Enem. Vários conteúdos estão disponibilizados no Ambiente Educacional WEB – AEW. No link a seguir, você encontrará uma busca já realizada no AEW sobre o tema transversal “Educação Ambiental”: http://bit.ly/1rKvsmF.

 

Ródnei Souza

Professor da Rede Pública Estadual de Ensino

Cidadania e Meio Ambiente – Parte 1

Muito se fala que a principal função da educação atualmente é a formação de cidadãos. Mas você sabe o que significa cidadania? E o que é necessário aprender para ser um cidadão?

As respostas podem ser complexas e não tão claras. Entretanto, é possível afirmar que a cidadania requer conhecimento sobre a sociedade em que estamos inseridos e sobre o meio ambiente que contém essa sociedade.

Estamos integrados a uma rede anterior à internet. Podemos considerar que fazemos parte de um único organismo vivo: o planeta Terra! Cada intervenção que o homem faz na Natureza tem consequências que podem ser, algumas vezes, desastrosas. Um cidadão do planeta Terra precisa conhecer sobre o meio ambiente para poder fazer escolhas conscientes e que contribuam para o equilíbrio de todos os integrantes dessa rede viva. É o que pode ser chamado de equilíbrio ecológico.

O nosso próprio corpo reflete a interação que temos com o meio ambiente. Povos oriundos das zonas entre os trópicos, a região que recebe a maior incidência de raios solares, apresentam características típicas como maior concentração de melanina na pele e escamas dos fios de cabelos abertas, resultando em uma aparência mais crespa. Nas regiões frias, os povos possuem menos melanina e fios de cabelos com escamas mais fechadas. É claro que as migrações e as miscigenações resultaram na diversidade tão evidente em nosso Estado da Bahia. As sensações de frio ou de calor causam respostas muito características no nosso corpo.

Mas, será que enquanto cidadãos, temos conhecimento das condições do meio ambiente do nossa querida Bahia? A seguir, citamos alguns problemas ambientais que já foram notícias e que são objeto de algumas pesquisas:

Contaminação por matéria orgânica dos rios que são tratados pela embasa

os rios que abastecem as estações de tratamento de água da Empresa Baiana de Saneamento (EMBASA) recebem toneladas de matéria orgânica proveniente de redes de esgoto clandestinas e escoamento de efluentes industriais. O tratamento fica mais difícil, mais caro e com eficiência comprometida quando a água a ser tratada tem uma carga orgânica alta.

Contaminação do ar atmosférico no pólo petroquímico de Camaçari

O Polo Petroquímico de Camaçari teve sua implantação iniciada em meados da década de 70 e trouxe desenvolvimento econômico muito grande para a região. Entretanto, a rede de Monioramento do Polo somente foi uma exigência oficial em 1994. Foi criada a CETREL – Central de Tratamento de Efluentes – empresa responsável pelo controle e fiscalização da qualidade dos efluentes das indústrias do polo, dentre estes as emissões gasosas. Gases como o dióxido de enxofre, óxidos de nitrogênio e monóxido de carbono podem ser responsáveis por doenças e danos no aparelho respiratório de homens e outros animais, além de prejudicar a vegetação, inclusive com a ação de chuvas ácidas formadas pela combinação desses gases com a água na atmosfera.

Contaminação da Baia de Todos os Santos por Hidrocarbonetos

Muitos acidentes ambientais decorrentes de vazamentos de petróleo e seus derivados foram registrados na Baía de Todos os Santos (ver figura a seguir) desde a criação de Refinaria Nacional de Petróleo S.A., também conhecida com Refinaria Landulpho Alves – RLAM. Cercada por manguezais e comunidades de pescadores e marisqueiros, a Baía de Todos os Santos é um berçário natural para fauna e flora marinhas, por isso é muito sensível a contaminações. Várias medidas foram tomadas pela PETROBRÁS para minimizar o impacto ambiental e social para a baía, porém, é preciso conhecer estes impactos.

 

Fonte: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/4/4f/Ilhas_da_baia_de_todos_os_santos.svg/200px-Ilhas_da_baia_de_todos_os_santos.svg.png
Fonte: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/4/4f/Ilhas_da_baia_de_todos_os_santos.svg/200px-Ilhas_da_baia_de_todos_os_santos.svg.png

Contaminação por radioatividade em Caetité

O urânio essencial para a produção de energia nas usinas nucleares ou para o desenvolvimento de armas nucleares é explorado também na região de Caetité. Toda exploração de minério gera toneladas de resíduos que se dispersam na forma de efluentes líquidos e atmosféricos (gases e particulados). O ministério da Ciência e Tecnologia revela que desde 2000 já ocorreram, em Caitité, várias contaminações das águas subterrâneas e superficiais por metais pesados e particulados em várias ocasiões.

Estudos da Universidade Estadual de Santa Cruz, em Ilhéus-BA, concluíram que a população de Caetité ingere cem vezes mais urânio do que a média mundial. A exposição a doses de radiação muito altas podem causar falência do Sistema Nervoso Central e síndrome gastrointestinal que pode levar a morte em questão de horas ou dias. A exposição a doses menores pode ser acumulativa, podendo levar ao surgimento de câncer após alguns anos ou décadas.

Ródnei Souza

Professor da Rede Pública Estadual de Ensino

Lavagem do Bonfim 2013

Êa, turma esperta!

 Ontem, 17/01, foi celebrado um dos momentos mais significativos para a cultura baiana e seu povo: a tradicional lavagem das escadarias da Igreja de Nosso Senhor do Bonfim ou, como é mais carinhosamente conhecida, a Lavagem do Bonfim. Os festejos tiveram início por volta das 8:30h da manhã com a realização do Ato Ecumênico no átrio da Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia, no bairro do Comércio, que além de contar com a presença de autoridades políticas locais trouxe líderes e representantes de diversas correntes religiosas, saudando os milhares de presentes com mensagens de paz e confraternização entre os povos e suas crenças e costumes.

DSC00107

Em seguida, a multidão de fiéis e simpatizantes rumou pelos cerca de 8 quilômetros em direção a Colina Sagrada, no bairro do Bonfim, onde está localizada a Igreja de Nosso Senhor do Bonfim, para a tão esperada lavagem das escadarias do templo. Diversas entidades culturais, entre afoxés, grupos de capoeira, mascarados e bandas de sopro e percussão garantiram o entusiasmo dos que seguiram o cortejo.

Ao som do Hino ao Senhor do Bonfim, as Baianas – mulheres geralmente ligadas aos cultos afro-brasileiros, como o candomblé, empunhando quartinhas de água de cheiro e caracterizadas com suas vestes e adornos que as tornaram mundialmente conhecidas – encerraram o dia de celebração religiosa, aspergindo sobre o povo o líquido cheiroso de seus vasos, tido como portador de boas energias e proteção, a exemplo da água benta utilizada nos ritos católicos. Em seguida teve lugar o lado profano da festa, no largo da Igreja, com a animação de barracas de bebidas e comidas típicas e muita música, onde os populares levam sem hora para acabar, num misto fé e alegria.

DSC00201

Confiram abaixo o Hino ao Senhor do Bonfim, de autoria de Arthur de Salles e João Antônio Wanderley, na famosa versão dos cantores Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil e os Mutantes

 

Vejam ainda algumas imagens da Lavagem do Bonfim 2013 aqui.

Até a próxima, pessoal!

Estudantes da zona rural concluem ensino médio com o EMITec

Mais de três mil estudantes residentes na zona rural da Bahia concluíram o ensino médio na rede estadual com o projeto Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (EMITec) em 2012. As formaturas estão acontecendo em 140 localidades rurais, de 74 municípios baianos, desde o mês de dezembro. No dia 12 de janeiro, é a vez dos estudantes da Comunidade Quilombola de Parateca, no município de Malhada (a 899 km de Salvador), receberem o diploma. Neste mês, também foram diplomados os concluintes do ensino médio em Caiubi (no município de Itapebi), Nova Esperança (no município de Remanso) e Distrito de Mato Grosso (no município de Rio de Contas).

emitec

O EMITec é um iniciativa pioneira no Nordeste e já alcança 14.686 estudantes com aulas transmitidas via satélite e em tempo real. Implantado em 2008 pela Secretaria da Educação da Bahia, o projeto garante às populações do campo, nas localidades mais distantes, o acesso à educação no lugar onde vivem. Atualmente, o Emitec conta com salas de aula instaladas em 210 localidades, de 93 municípios. Em cada classe, há um mediador capacitado para tirar as dúvidas dos estudantes e ajudar nas tarefas.

A estudante Nacleia Pereira, 40 anos, que cursou o 3º ano do ensino médio no Colégio Estadual de Salobrinho, em Ilhéus, revela suas impressões sobre o EMITec. “Esse programa me surpreendeu pela capacidade de aprendizagem que oferece. Os mediadores são excelentes. Melhor ainda foi a formatura, muito bem organizada. Concluir o ensino médio foi uma oportunidade ótima na minha vida”, disse.

Transformação – O Secretário da Educação do Estado da Bahia, Osvaldo Barreto, ressalta o papel das Tecnologias da Informação e Comunicação, que possibilitam a chegada do conhecimento a lugares remotos e permitem a participação e interação dos alunos e professores. “É com esta linguagem digital que o EMITec vem atuando em várias localidades distantes do interior baiano e revolucionando a educação do campo e o cotidiano da sociedade”.

O caráter inovador do projeto e a possibilidade de longo alcance tornaram o programa referência para outros estados do Nordeste. Equipes do Piauí e Ceará vieram à Bahia conhecer a tecnologia aplicada. Além disso, o EMITec foi premiado na Categoria Inovação do Prêmio de Excelência ABED Pearson em Educação a Distância (EaD), ficando em 3º lugar entre projetos de todo o país. A iniciativa se destacou por inovar na oferta de educação básica e por contar com sistemas diferenciados de avaliação para os estudantes, como atividades extraclasse baseadas no cotidiano das comunidades.

O projeto também deu origem ao livro Educação Básica com Intermediação Tecnológica: tendências e práticas – volume I. A obra compreende experiências didáticas desenvolvidas entre 2010 e 2011 pelo corpo docente e pedagógico do EMITec. “Esse trabalho traz estratégias e fundamentações muito bem feitas, e o sumário, dividido por área, é algo inusitado no Brasil em se tratando de literatura ligada à educação”, ressalta a coordenadora do EMITec, Letícia Machado.

Tecnologia do Emitec – Diante do desafio de levar ensino médio às regiões mais longínquas, zona rural e distritos da Bahia, a solução foi aliar tecnologia a uma metodologia pedagógica especializada. Os conteúdos do projeto EMITec são veiculados através de uma moderna plataforma de telecomunicações, com uso de solução tecnológica, que inclui possibilidades de videoconferência e acesso simultâneo à comunicação interativa entre usuários empregando IP (Internet Protocol) por satélite VSAT (Very Small Aperture Terminal).

Fonte: http://www.educacao.ba.gov.br/node/4124

Cine PW – “Amistad” e “Besouro”

Salve, turma!

O PW convida a tod@s a assistirem duas belas obras sobre a escravidão, “Amistad” e “Besouro”.

“Amistad”

 

A história remonta ao ano de 1839 e é baseada em factos verídicos que ocorreram a bordo do navio La Amistad. O filme relata a luta de um grupo de escravos africanos em território americano, desde a sua revolta até seu julgamento e libertação.

Através desta trama de forte conteúdo emocional, é possível conhecer as condições de captura e transporte de escravos africanos para os trabalhos na América do Norte, a máquina jurídica americana de meados do século XIX e o germe das primeiras medidas para a abolição da escravatura naquele território.

“Besouro”

 

Bahia, década de 20. No interior os negros continuavam sendo tratados como escravos, apesar da abolição da escravatura ter ocorrido décadas antes. Entre eles está Manoel (Aílton Carmo), que quando criança foi apresentado à capoeira pelo Mestre Alípio (Macalé). O tutor tentou ensiná-lo não apenas os golpes da capoeira, mas também as virtudes da concentração e da justiça. A escolha pelo nome Besouro foi devido à identificação que Manuel teve com o inseto, que segundo suas características não deveria voar. Ao crescer Besouro recebe a função de defender seu povo, combatendo a opressão e o preconceito existentes.

Fontes: Wikipedia, Besouro o filme

População de Cachoeira recebe festival de cinema gratuito

População de Cachoeira recebe festival de cinema de 25 a 30 de outubro

Entre os dias 25 e 30 de outubro, Cachoeira será o grande centro da sétima arte no interior da Bahia. Neste período, a cidade sedia pela primeira vez o Panorama Internacional Coisa de Cinema, em sua oitava edição. Com muitos filmes inéditos na Bahia, a programação apresena 30 produções, todas exibidas gratuitamente. Alguns filmes são dirigidos por alunos da Universidade Federal do Recôncavo (UFRB), onde acontece a exibição das obras, mais precisamente no Centro de Artes, Literatura e Humanidades (CAHL).

Durante o festival, o público poderá conhecer a produção de estudantes de cinema da UFRB, que têm realizado curtas-metragens continuamente, conquistando reconhecimento e premiações. É o caso de Leon Sampaio, que atualmente escreve o roteiro do seu primeiro longa-metragem. Ele é diretor de “O cadeado”, a ser exibido no dia 26 (18h30), que foi premiado no Festival Internacional de Curtas de São Paulo e exibido na Mostra de Tiradentes.  No filme, ele mostra as reações de alunos e professores diante de uma escola sempre fechada, na qual sempre há um cadeado no portão.

Na mesma sessão está “Rua dos Bobos”, de Ohana Almeida, outra prata da casa, que apresenta uma mulher em processo de desapego das convenções sobre espaço e objetos. O trio de estudantes da UFRB se completa com “Entre Passos”, curta de Elen Linth sobre as dores da infância, que será exibido no dia 27, às 18h10. Nas duas sessões com curtas baianos (seis filmes em cada), os diretores das produções exibidas estarão presentes e conversarão com o público ao final da sequência de filmes.

Para a professora da UFRB e coordenadora do CineClube Mário Gusmão (apoiador do Panorama), Cyntia Nogueira, um dos grandes ganhos desta parceria é a oportunidade de colocar realizadores e público frente a frente. Na sua avaliação, esse encontro agrega conhecimento não só para os estudantes de cinema como também ao público em geral, que pode entender melhor as obras e seus processos de produção.

Além de apresentar as produções dos cineastas em formação na UFRB, o Panorama traz também filmes já consagrados, como os longas-metragens “A febre do rato”, de Cláudio Assis, e “Histórias que Só Existem Quando Lembradas”, de Julia Murat. O primeiro é o filme brasileiro indicado ao Prêmio Goya, considerado o Oscar espanhol, e tem premiações acumuladas nos festivais de Paulínia, Triunfo e no Cine Ceará. O segundo é uma das produções brasileiras mais premiadas no exterior, tendo recebido troféus nos festivais de Cinema Brasileiro de Paris, de Cartagena (Colômbia) e de Abu Dhabi (Emirados Arábes).

A população, que já tinha recebido uma mostra itinerante do Panorama em 2011, vai poder conferir também uma iniciativa inédita na trajetória do evento: a parceria com o Animage – Festival Internacional de Animação de Pernambuco. Com isso, sete animações de diversas partes do mundo, desde o Brasil à distante Estônia. Vale ressaltar que são filmes que dificilmente entrarão em circuito exibidor em Salvador ou qualquer cidade brasileira.

Aguardando o início das atividades do recém-reformado do Cine Glória, Cachoeira atualmente tem sua programação cinematográfica garantida apenas por meio da iniciativa dos cineclubes ligados à UFRB. O CineClube Mário Gusmão promove sessões semanais na Universidade e uma sessão mensal em praça pública. Por conta do curso universitário de cinema, a cidade abriga também a revista eletrônica CineCachoeira, editada pelo professor Guilherme Sarmiento, que será júri da Competitiva de Curtas Baianos no VIII Panorama Internacional Coisa de Cinema.

Patrocinada pela Petrobras, a 8ª edição do Panorama conta com apoio da Secretaria de Cultura, por meio do Fundo de Cultura da Bahia; do Irdeb; da Diretoria de Audiovisual da Funceb (Dimas); do Centro de Artes Humanidades e Letras (CAHL) da Universidade Federal do Recôncavo (UFRB) e do Cineclube Mário Gusmão (CAHL/UFRB).

SERVIÇO

O que: VIII Panorama Internacional Coisa de Cinema

Quando: 25 a 30 de novembro

Onde: Auditório da Universidade Federal do Recôncavo – UFRB (Praça Ariston Mascarenhas, s/n. Tel: 75 3425-2729)

Custo: gratuito

Programação completa: http://www.coisadecinema.com.br/VIII_Panorama

Fonte: http://www.cultura.ba.gov.br/2012/10/22/populacao-de-cachoeira-recebe-festival-de-cinema-de-25-a-30-de-outubro/

Estudantes participam de desfile cívico em Cachoeira

Mais de 150 estudantes da rede estadual de educação vão participar, hoje (segunda-feira, 25/06), do desfile, em Cachoeira, que marca a abertura das celebrações oficiais do Dois de Julho no Recôncavo baiano. Eles vão animar a festa cívica com suas fanfarras. São estudantes do Colégio Estadual de Cachoeira, do Colégio Estadual Gerhard Meyer Suerdick, em Maragogipe, e do Colégio Estadual Rômulo Galvão, em São Félix.

Diretor da Fanfarra do Colégio Estadual Gerhard Meyer Suerdick, Fernando Wagner Santana conta que essa será a primeira vez que a fanfarra vai participar do desfile. Para desfilar nas ruas de Cachoeira, os estudantes têm ensaiado três vezes por semana. “Vamos ter um repertório bem diversificado, com direito a músicas clássicas, nacionais, internacionais e também músicas mais atuais”, informa. Eles levarão para a rua um corpo musical com 40 integrantes, um pelotão cívico com 10 pessoas, um pelotão coreográfico com seis integrantes, mais mor e baliza.

No dia, acontece a transferência do governo para o município de Cachoeira, que foi definida em lei aprovada pela Assembleia Legislativa da Bahia e sancionada pelo governador Jaques Wagner, em 2008, para homenagear os heróis cachoeiranos. No dia 25 de junho de 1822, eles deram início às lutas contra os portugueses pela Independência do Brasil, culminando no 2 de Julho, em 1823.

Fonte: http://www.educacao.estudantes.ba.gov.br/node/3376