Por trás de uma grande mulher….

 Em 1948, morria sozinha e desconhecida em Zurique, Mileva Maric. Poucas histórias no mundo científico seriam tão dolorosas e injustas como a dela!  Uma mulher brilhante, com pensamentos e atitudes muito além do seu tempo!  Nascida num período em que as mulheres eram responsáveis pela criação dos seus filhos e pela manutenção da casa, Mileva, diferentemente das demais, tinha outros anseios. A sua vocação para os estudos, e seu interesse por temas relacionados à Física e à Matemática, levaram o seu pai a pleitear uma permissão especial para que ela estudasse numa Escola Secundária, que, na época, era apenas para homens. No Outono de 1896, ela ingressou no renomado Instituto Federal Suíço de Tecnologia -ETH, em Zurique, onde iniciou os seus estudos de Física. Era a única mulher numa turma de seis alunos, e a quinta mulher a fazer parte daquela instituição.  Nesse mesmo ano, ingressava na mesma classe de Mileva, o jovem Albert Einstein, por quem mais tarde ela se apaixonaria e se casaria.

Einstein, Albert (1879-1955), Einstein-Maric, Mileva (1875-1948)

Disponível em wikimedia, acessado em 16/05/2017

Sabe aquele ditado que diz que por trás de todo grande homem, existe uma grande mulher? Pois é! Acho que, no caso de Maric, a história dessa grande mulher, por uma ironia ou não do destino, foi ofuscada e escondida por trás de Albert Einstein.

No início, tudo não passava de uma relação de estudos compartilhados, experiências, ideias e inspiração mútua. Mileva se destacava nos estudos e isso fascinava o jovem Einstein, que logo se sentiu atraído pela jovem e passou a cortejá-la. Mesmo se sentindo atraída por ele, Maric renunciou por várias vezes o envolvimento, afinal, ela estava ciente dos desafios que enfrentaria como mulher num mundo estritamente masculino e preconceituoso.  Finalmente, depois de muitas investidas, em 1898, Mileva e Einstein se tornaram um casal e, nesse mesmo ano, os dois colaram grau. Einstein graduou-se, em Física, em 1900, enquanto Maric tentou duas vezes obter um diploma, mas seus esforços foram interrompidos quando ela ficou grávida em 1901. A filha, mantida em segredo pelas famílias, provavelmente foi dada em adoção ou faleceu depois do nascimento, só sabemos dela, graças às cartas deixadas por Einstein. Deprimida e envergonhada com a gravidez, Mileva retorna à casa dos seus pais e abandona definitivamente os planos de se graduar na ETH. Em janeiro de 1903, depois de vários conflitos, Einstein e Mileva, finalmente, se casaram.

Em 1905, Einstein publicou a primeira versão da Teoria da Relatividade, na qual o nome de Mileva aparece como coautora. No entanto, não sabemos o porquê, essa referência desaparece nas versões posteriores. Ao que tudo indica, Mileva teve papel decisivo na elaboração da Teoria da Relatividade, e isso está mais evidente num conjunto de 54 cartas de amor trocadas entre eles, encontradas em 1986, em que Einstein fala por várias vezes “a nossa teoria”, “nosso trabalho” e “nossa investigação” . Em uma das cartas, ele escreveu: “Quão feliz e orgulhoso serei quando nós dois juntos tivermos levado nosso trabalho sobre o movimento relativo a uma conclusão vitoriosa!”

Mas, quando Albert subiu para a estratosfera científica, Mileva foi relegada aos deveres domésticos e a criação dos filhos. Cada vez mais solitária e isolada, ela se tornou presa de suas próprias inseguranças, que a mergulharam numa depressão. Foi um destino trágico para uma mulher que não era apenas um gênio em seu próprio direito, mas que também pode ter contribuído para a Teoria da Relatividade.

 Separaram-se em 1914 e divorciaram-se dois anos mais tarde. Como parte do acordo, Einstein prometeu a Mileva os valores provenientes do Prêmio Nobel, dinheiro que ela recebeu em 1922. Ele nunca mais voltaria a produzir física ao mesmo nível da obra de 1905.

Referências:

WIKIPÉDIA. Desenvolvido pela Wikimedia Foundation. Mileva Maric´. Disponível em: <https://en.wikipedia.org/wiki/Mileva_Mari%C4%87>. Acesso em: 16 de maio de 2017.

 DORIAN COPE. THE DEATH OF MILEVA MARIC. Disponível em: <http://www.onthisdeity.com/4th-august-1948-the-death-of-mileva-maric/>. Acesso em 06 de maio de 2017.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL – UFRGS/ INSTITUTO DE FÍSICA. Albert Einstein & Mileva Maric.  Disponível em:<http://www.if.ufrgs.br/einstein/mileva.html>. Acesso em 06 de maio de 2017.

Cem anos de Relatividade Geral

Olá, galera do PW! Vocês já ouviram falar sobre a Teoria da Relatividade Geral? Pois bem, neste ano de 2015, ela completa 100 anos! Concebida  pelo  físico alemão Albert Einstein, ela revolucionou a Física e a forma como idealizamos a natureza e o Universo.

A Relatividade pode ser pensada como uma interpretação da força da gravidade, até então, explicada pela Teoria da Gravitação Universal de Isaac Newton. Segundo este, duas partículas quaisquer do Universo se atraem por meio de uma força que é diretamente proporcional ao produto de suas massas e inversamente proporcional ao quadrado da distância. No entanto, a velha Física Clássica não explicava uma série de fenômenos associados a luz, incluindo aí, o desvio que ela sofre ao passar por campos gravitacionais muito intensos.

A ideia principal da Teoria da Relatividade Geral reside no fato de que a matéria distorce o espaço (malha espaço-tempo) ao seu redor e esta distorção é percebido por nós, sob a forma de força. Uma  analogia bacana, para entendermos como isto ocorre,  seria imaginarmos um grande lençol esticado com uma bola de boliche no centro e uma série de bolas de gude arremessadas sobre esta malha. Como consequência, teremos essas pequenas esferas rodando em torno da bola de boliche, fruto da depressão que esta provocou sobre o lençol. É assim que a nossa estrela, o Sol, mantém os planetas presos a sua órbita e é assim também que a Terra mantém a Lua orbitando ao seu redor.

 

Essa distorção na malha espaço-tempo não é só responsável pela alteração da trajetória dos planetas, o próprio Einstein, previu que a luz sofreria o mesmo efeito ao se aproximar de astros muito grandes, tal como o Sol. Somente em 1919, Einstein teria a confirmação dessa previsão através de um eclipse total do Sol que ocorreu na ilha de Príncipe, na África, e outro em Sobral, no Ceará. Segundo suas previsões, a luz de uma estrela, na ocasião, deveria sofrer um desvio de 1,7” ao passar bem perto do Sol. O astrônomo inglês Artur Eddington conseguiu confirmar essas previsões, comparando as posições desta estrela em fotografias obtidas à noite, longe do Sol, com fotografias da mesma estrela na presença do Sol, durante o eclipse. Os desvios observados levaram à confirmação da Teoria da Relatividade e das previsões de Einstein sobre o desvio da luz,  tornando-o uma das figuras mais conhecidas da ciência.

 

 

E aí, galerinha do PW, quer aprender um pouco mais sobre a Teoria da Relatividade Geral? Então, não perca tempo! Acesse agora mesmo o AEW e bons estudos!

Referências:

Disponível em https://pt.wikipedia.org/wiki/Relatividade_geral, acessado em 28/12/2015

Disponível em http://mundoestranho.abril.com.br/materia/o-que-e-a-teoria-da-relatividade acessado em 28/12/2015

Disponível em https://pt.wikipedia.org/wiki/Albert_Einstein acessado em 28/12/2015

 

André Soledade

Professor da Rede Pública de Ensino da Bahia