Sociologia no ENEM – como estudar!

A Sociologia é uma disciplina das Ciências Humanas. Sua importância no Ensino Fundamental e Médio está – além das temáticas abordadas – no estudo do mundo social e das dinâmicas que determinam a vida em sociedade.  Surgida na virada dos séculos XVIII para o XIX no contexto da Europa pós-Iluminismo, a Sociologia faz parte do Currículo no Brasil desde pelo menos 1928, em Pernambuco, tendo o cientista social Gilberto Freyre como o primeiro professora da disciplina no Brasil.

Hoje, a Sociologia integra o grupo de disciplinas da Base Comum Curricular, na área de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas e ocupa no Exame Nacional do Ensino  Médio (ENEM) um espaço de conteúdos no caderno de Ciências Humanas e suas Tecnologias, com cerca de um terço das questões da prova, junto às questões de Filosofia. É sempre bom estar atento aos acontecimentos marcantes da realidade no mundo para fazer uma boa prova de Sociologia. Ler jornais, revistas, artigos, assistir vídeos e filmes sempre ajuda na ampliação de conhecimento para a prova de Sociologia do ENEM.

Em termos das temáticas mais abordadas no Exame, pode-se elencar cinco temas mais recorrentes nas provas:

·         Movimentos socioculturais

·         Cultura

·         Trabalho

·         Política

·         Questões de Gênero e Diversidade Cultural

Esses assuntos dão conta da diversidade da vida social, expressando dinâmicas que vêm se tornando cada vez mais reveladoras do nosso caráter enquanto país. Os temas das provas do ENEM em Sociologia trazem um certo recorte do Brasil e de problemáticas sócio-existenciais que precisamos dar atenção.

Os movimentos sócio-culturais se destacam na recorrência nas provas, trazendo questões sobre as manifestações democráticas, as Diretas Já, os movimentos estudantis de 1968 e o Impeachment de Fernando Collor. Na prova de 2017, é possível que esses contextos sejam de alguma maneira vinculados à realidade mais atual.   

Cultura e Trabalho são conceitos e temas que recentemente vêm ocupando espaço nas provas, sobretudo nas relações entre cultura erudita e popular, bem como a própria emergência da cultura de massa na sociedade contemporânea. O Trabalho e sua centralidade no entendimento do que é modo de produção e sua importância na constituição da sociedade aparece com certa frequência, sobretudo na interface com conteúdos de História e Filosofia.

Os temas de Política como estudo das formas de organização da sociedade, bem como os temas de diversidade cultural e gênero figuram hoje como parte importante do ENEM, com foco nas diferenças culturais e seus impactos no cotidiano brasileiro.

Vale a pena conferir algumas questões recentes no ENEM:

 

questao-sociologia-enem-moviemento-sociocultural

Questão de Sociologia do Enem 2009 sobre movimentos socioculturais (resposta – a)

 

questao-enem-sociologia-politica

Questão de Sociologia Enem 2014 sobre política (resposta c)

questao-sociologia-enem-cultura

Questão de Sociologia sobre Cultura Enem 2010 (resposta b)

questao-enem-sociologia-diversidade cultural-1

Questão de Sociologia Enem 2014 sobre cultura (resposta d)

Na Plataforma Anísio Teixeira, há conteúdos de Sociologia muito úteis para o ENEM!

Se jogue!

Anúncios

Se ligue! O Blog está de mudança!

O Blog do Professor Web e da Professora Online está de mudança, aliás, já até mudou para um novo endereço e pode ser acessado aqui:  blog.pat.educacao.ba.gov.br.

BLOG

Imagem: Josymar Alves

No nosso novo espaço, o Blog possibilitará uma interação maior com a comunidade escolar através das novas abas Fala, Rede  e Rede em Movimento, que permitem compartilhar experiências educacionais produzidas tanto pelos colaboradores do Blog quanto pelos estudantes e professores da rede estadual. Com isso, o diálogo com a comunidade escolar vai se tornar mais profícuo. Também publicaremos a respeito de  eventos, concursos, palestras e congressos, na aba Saiba!.

Permanecem as postagens semanais relacionadas às áreas de conhecimento, aos temas transversais e o estímulo à utilização de mídias e tecnologias educacionais livres. Continuaremos publicando textos de professores e estudantes da rede pública de ensino. A nova plataforma também conta com os  ambientes REA, Emitec, Colaborativus, TV Anísio Teixeira, Aplicativos Educacionais.

Outra novidade importante é que o nosso blog passa a se chamar Blog da Rede.   Continuem nos seguindo nesse novo espaço.

Valdineia Oliveira

Professora da Rede Pública Estadual de Ensino da Bahia

Cobertura Colaborativa – Estudantes da rede pública realizam enquete sobre expectativa da Campus Party Bahia

A Arena de Drones é uma das atrações da Campus Party Bahia. Os estudantes da rede pública Breno e Rodrigo entrevistaram Ricardo Yamamoto, que veio a Salvador mostrar suas criações no mundo dos Drones.

Aqui, uma entrevista com Ricardo Yamamoto!

Cobertura Colaborativa – Estudantes da rede pública realizam enquete sobre expectativa da Campus Party Bahia

A Campus Party Bahia é um evento que reúne gent que curte diversas formas de tecnologias. Entre 09 e 13 de agosto, ela acontece em Salvador, na Arena Fonte Nova.

Os estudantes da escola pública estão fazendo a cobertura colaborativa do evento nos formatos Blog, TV e Rádio e aqui você escuta uma edição especial do Programa Nas Ondas da Rede com uma enquete sobre as expectativas dos campuseiros para o evento.

A enquete foi produzida por Thiago, Breno e Jefferson.

 

Uma ideia na cabeça, uma escrita e o começo de tudo

Olá, pessoal!

Desenvolveu-se no Instituto Anísio Teixeira mais uma oficina para o audiovisual que faz parte da formação Produção de Mídias na Educação (PME). Estudantes do  Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira participaram desse momento reflexivo, de leitura, planejamento, criação e produção escrita de roteiro que faz parte de um contexto discursivo multiletrado, mais amplo que enreda várias linguagens artísticas e suas semioses. Potencializar a leitura, a escrita, a expressão oral, o planejamento e, sobretudo, o pensamento crítico são objetivos da formação em todas as suas etapas que se desenvolvem sempre de forma dialógica e colaborativa.

(Fig.:1 – Estudantes da formação PME 2017 produzindo um roteiro. Foto: Marcus Leone)

Minissérie, telenovela, cinema, gênero ficcional, documental e outras tantas formas narrativas verossímeis ou não são arquiteturas e discursos humanos. Nesse sentido, a criatividade é impulsionada por vivências, leituras diversas, diálogos e observações cotidianas que sugerem e potencializam mundos. Essas vivências enredam personagens que se relacionam em um imprescindível fluxo conflituoso que vão se costurando na trama. Técnica e conteúdo vão, ao mesmo tempo, sendo expressos em uma escrita guia, norteadora de vários fluxos posteriores que ocorrem antes, durante e depois de cada set de filmagem até o nascer do filme. Ufa! Isso, amigo(a) leitor(a), evidencia um roteiro em audiovisual.

Fig.:2 – Roteiro sendo produzido por estudantes da formação PME. Foto: Marcus Leone)

Durante a formação, os estudantes escreveram roteiros, em seu primeiro tratamento, para a realização de minidocumentários que pudessem ser gravados, inicialmente em caráter de exercício, nas dependências do Instituto Anísio Teixeira ou do próprio Colégio de Aplicação. A escolha do gênero discursivo e dos temas a serem roteirizados foi feita pelos próprios estudantes, pois a criticidade, responsabilidade, autonomia e emancipação dos sujeitos são fundamentais nos processos da PME. Mesmo em um curto espaço de tempo (seis horas) para se trabalhar teoria e prática na escrita de roteiros, os estudantes se apropriaram de conhecimentos básicos e importantes para refletirem, planejarem e escreverem vislumbrando histórias.

Dessa forma, “Escrever um roteiro é muito mais do que escrever”. (Comparato, 2000, p. 20). Durante a oficina os estudantes entendem que os processos criativos e, em nosso caso, os que envolvem diretamente a escrita, se alicerçam em leituras e percepções variadas, em reflexões e, muitas vezes, em debates produtivos. Na prática, esses meninos e meninas aprenderam que planejar de forma criteriosa as ações e antevê os fatos são processos fundamentais antes deles se lançarem nas etapas de qualquer produção audiovisual e também nos caminhos da vida.

Fig.:3 – Mediação durante a escrita: professor Marcus Leone e estudantes do Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira. Foto: Geraldo Seara)

Durante a oficina, três roteiros foram escritos colaborativamente. Foi muito gratificante ver a construção desses roteiros (protótipos) autorais por parte dos estudantes. Nisso tudo, o mais importante foi presenciar o processo em que os estudantes pensaram e pesquisaram as ações de forma colaborativa, a argumentação na defesa das ideias, o repensar e corrigir aquilo que ainda precisava ser ajustado no texto. Enfim, foi muito bom experimentar com eles a prática contextualizada da leitura, da escrita e da oralidade, num processo de produção multimodal que transcende os muros da escola e possibilita diálogos com o mundo.

(Fig.:4 – Apresentação de roteiro autoral. Estudantes do Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira. Foto: Geraldo Seara)

A partir de então, pós-formação, espera-se que mais leituras, reflexões, mais debates, pesquisas, escritas planejadas e produções para interação e intervenção social sejam desenvolvidas pelos estudantes em sua escola e comunidade e que os mesmos compartilhem esses saberes com outros jovens.

Fig.:5 – Professor Marcus Leone e estudantes do Colégio Estadual de Aplicação. Foto: Peterson Azevedo)

 

Abaixo seguem os vídeos cujos roteiros foram feitos na oficina.

 

 

Busquemos aprendizagens que sigam caminhos em via de mão dupla, pois ela se alicerça nas sensatas consequências dialógicas docente/discente, na verdade potente e necessária da diversidade cultural, na poesia crítica do olhar em liberdade, na interação e intervenção social, nas multissemioses dos textos e na escola que se renova no fazer junto, no colaborar.

Sigamos assim, construindo redes. Sigamos em frente, escrevendo nossa história com força e sensibilidade sempre!

 

Abraço e até breve!

 

Marcus Leone O. Coelho

Professor da Rede Pública Estadual de Ensino da Bahia

 

 

Referências

MOLETTA, A. Criação de curta metragem em vídeo digital: uma proposta de produção de baixo custo. São Paulo: Summus, 2009.

COMPARATO, D., Da criação ao roteiro. Rio de Janeiro: Rocco, 2000

“Vou subindo a ladeira do Pelô”

O verso que intitula este texto está presente na música Ladeira do Pelô, do compositor Betão, lançada pela Banda Mel, em 1987, no disco Força Interior, que trazia também o sucesso Faraó, Divindade do Egito (Luciano Gomes). Na semana de 9 a 13 de agosto, certamente, muita gente terá motivo para dizer: “Vou subindo a ladeira do Pelô”. Isso porque o famoso ponto turístico do Centro Histórico de Salvador será palco da primeira Festa Literária Internacional do Pelourinho (FLIPELÔ). O saudoso escritor Jorge Amado será o homenageado, além de Zélia Gattai e Myriam Fraga, importantes personalidades ligadas à vida do autor de Tieta do Agreste, Capitães da Areia, A Morte e a Morte de Quincas Berro D’Água e tantas outras obras.

Fig. 1: 1ª Festa Literária do Pelô movimentará o famoso ponto turístico. Imagem: divulgação

O evento literário pretende reunir leitores vindos dos quatro cantos da Bahia (e do Brasil!), que estão sedentos por mesas de debates, oficinas, saraus, apresentações teatrais, exibição de vídeos e shows que tenham a arte da palavra como protagonista. A programação está bem diversa e terá nomes como Conceição Evaristo, Mabel Veloso, Paloma Amado (filha de Jorge e Zélia Gattai), José Carlos Capinan, Bule-Bule e Aleilton Fonseca. Veja qual vai ser o seu itinerário para a FLIPELÔ. Quando vir todas as atrações, você dirá: “E eu vou, e eu vou, e eu vou”.

Raulino Júnior

Professor da Rede Pública Estadual de Ensino da Bahia

Onda Digital promove curso de extensão para professores da educação básica

Professores da educação básica terão mais uma chance de aprimorar os conhecimentos acerca do uso pedagógico da computação: trata-se do curso Desenvolvimento de competências interdisciplinares no currículo escolar por meio do raciocínio computacional, promovido pelo Grupo de Pesquisa e Extensão em Informática, Educação e Sociedade (Onda Digital), da Universidade Federal da Bahia (UFBA). A atividade de extensão tem carga horária total de 80 horas, dividida em 38 horas presenciais e 42 on-line. Serão 11 encontros semanais, durante quatro meses, das 18h30 às 22h10, no campus da UFBA, em Ondina.

O objetivo do curso é mostrar como os conceitos do Raciocínio Computacional podem ser utilizados de forma interdisciplinar nas práticas da educação básica. Todos os participantes receberão certificados emitidos pela UFBA. As inscrições podem ser feitas até o dia 6 de agosto de 2017, pelo site www.ondadigital.ufba.br, e as aulas estão previstas para começar no dia 15. São 24 vagas disponíveis.