Você é o que você compartilha

Sete de fevereiro consta no calendário como o Dia da Internet Segura. De acordo com o site da Safernet, o dia foi criado pela Rede Insafe na Europa a fim de promover “atividades de conscientização em torno do uso seguro, ético e responsável das TICs, nas escolas, universidades, ONG’s e na própria rede” [sic]. A ação é importante para fazer com que as pessoas reflitam sobre como as Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) podem ser usadas para o bem e para o mal.

Um exemplo evidente dessa dicotomia está presente na internet. Ao mesmo tempo em que ela é uma ferramenta de democratização do conhecimento, que contribui para a transformação social (muitos movimentos políticos ganharam vida por causa de mobilizações organizadas através da rede) e gera novos empregos, é usada para a disseminação de mentiras que podem causar prejuízos. Quem ganha com isso, quase sempre, é uma indústria que está interessada em transformar cliques em cifras.

Fig. 1: Andressa Falcão: "A gente precisa pesquisar e analisar os fatos". Veja enquete no final desta postagem.

Fig. 1: Andressa Falcão: “A gente precisa pesquisar e analisar os fatos”. Foto: Raulino Júnior.  Veja a enquete no final desta postagem.

Notícias mentirosas são divulgadas e compartilhadas nas redes sociais sem nenhuma preocupação sobre a veracidade delas. Quem compartilha deve saber que, de alguma forma, se compromete com aquele conteúdo que passa adiante. A pessoa está dando o aval para algo que foi noticiado sem nenhuma apuração, de forma irresponsável, descabida e tendenciosa.

Fig. 2: Denilson da Silva: "Você tem que pesquisar mais para ver se é verdadeiro ou se é mentira". Veja enquete no final desta postagem.:

Fig. 2: Denilson da Silva: “Você tem que pesquisar mais para ver se é verdadeiro ou se é mentira”. Foto: Raulino Júnior.  Veja a enquete no final desta postagem.

No início de janeiro, a atriz Suzy Rêgo publicou um vídeo no seu Instagram em que problematizava isso. De forma bastante lúdica, crítica e cheia de ironia, Suzy usou a sua própria arte – a de interpretar – para chamar a atenção do público sobre as mentiras que estão na internet, e que muita gente acredita. No final do vídeo, uma mensagem necessária: “Deixe de acreditar em tudo que você vê na internet. A internet é um palco perfeito pra mentira, pra boato… Então, procure saber, certifique-se, comprove, pesquise”.

O recado está dado. Antes de compartilhar qualquer conteúdo, procure saber mais sobre ele. Nessa era de muita informação, você é o que você compartilha. Fique atento(a)!

Raulino Júnior

Professor da Rede Pública Estadual de Ensino da Bahia

Anúncios

O Olhar Digital

Fig1: Binary-World

Fig1: Binary-World

E aí, galera! Será que estamos a sós na internet?

…Pois, em algum lugar,
Há sempre alguém a nos observar com atenção
Mesmo sem a gente saber
Ou sequer perceber, querer
Ou notar,
Diante de alguma tela indiscreta de observação!

Porque somos todos deuses e seus filhos
E independentes de escuridão ou brilhos,
Estamos todos numerados, rastreados,
Cadastrados,
fotografados…”

(trecho da poesia “Olhares Vigilantes do Sisttema” – Patrício Franco)

A poesia de Patrício Franco serve de alerta para as pessoas que utilizam a internet no seu cotidiano, de que “Há sempre alguém a nos observar com atenção, mesmo sem sequer perceber, ou notarpara no mostrar que, a cada link clicado, página acessada e conteúdo compartilhado, sem sequer notarmos, estamos sempre sendo observados. Nenhum dos anúncios e propagandas que aparecem para você são por acaso, todas são com base nos seus conteúdos acessados e é preciso ter muito cuidado e fazer um uso consciente da internet. Há sempre olhos curiosos nos observando a todo momento e tudo com a nossa autorização através de uma assinatura digital conhecida por muitos: “Li e aceito”. Muitas pessoas, simplesmente, ignoram o contrato e o assinam sem sequer ler, dando autorização ao uso indiscriminado de suas fotos, sua localização atual, a ativação da câmera do seu celular, entre outros, isso fica claro no trecho “independente de escuridão ou brilhos, estamos todos numerados, rastreados, cadastrados, fotografados…”

Independentemente da plataforma, seja através de um computador, smartphone ou tablet, basta uma conexão com a internet para cair na “grande teia mundial” e sermos observados a todo instante.

É preciso ler os termos de contrato para saber exatamente com o que estamos lidando. Precisamos ser mais criteriosos com o uso da internet, para mantermos nossas informações seguras.

É isso aí, galera! Todos juntos por uma internet mais segura e consciente.

Acessem também:

Dia Mundial da Internet Segura

Cartilhas da SaferNet

Gabriel Luhan

Colaborador da Rede Anísio Teixeira

Caravana Digital Formação em Apropriações Tecnológicas no processo de ensino-aprendizagem

Olá, amig@s!

A Rede Anísio Teixeira compreende que a apropriação tecnológica é condição importante à formação de todos os atores educacionais. Não se trata tão somente do empoderamento na utilização dos recursos tecnológicos, mas, sobretudo, de um movimento político, socialmente efetivo à fomentação intelectual de produção, apropriação e compartilhamento de Mídias e Tecnologias Educacionais cuja promoção está em defender a tecnocultura livre.


Diante do exposto, nos dias 10 e 13 de novembro, ocorreram as “Caravanas Digitais”, movimento idealizado pela Rede AT, em parceria com as escolas públicas da Rede Estadual de Ensino da Bahia. Dessa vez, a equipe de educadores esteve no Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira e no Colégio Estadual Mestre Paulo dos Anjos. O propósito da atividade é dar visibilidade às produções que acontecem nas unidades escolares por parte de educadores e educandos, bem como difundir as produções desenvolvidas pelos projetos da Rede AT: Ambiente Educacional Web, Blog do Professor Web e da Professora OnLine e TV Anísio Teixeira.

Foto: Samuel Oliveira

Foto: Samuel Oliveira

A “Caravana Digital” chegou às unidades escolares com duas propostas de atividades que ocorreram de forma paralela: lúdica, tendo como público-alvo os educandos; e de formação, para os educadores.

A formação buscou trabalhar a relação, sociedade, tecnologia e educação, no sentido de refletir como esses três pilares tornam-se elementos fundantes, que interferem direta e indiretamente no cotidiano escolar, em que educandos e educadores, cada vez mais, se apropriam das novas tecnologias.

Foto: Eugles Oliveira

Foto: Eugles Oliveira

O debate foi bastante proveitoso, bem como a participação dos educadores nas atividades propostas. Eles trouxeram exemplos do seu dia a dia, das suas relações com as tecnologias disponíveis na unidade escolar e da relação com os educandos que utilizam aparelhos tecnológicos em sala. Apontaram as reais dificuldades no tocante ao acesso à internet em seu locus de trabalho e a insuficiência de equipamentos disponíveis.

Foto: Ródnei Souza

Foto: Ródnei Souza

 

Eugles Oliveira

Campanha #InternetSemVacilo

Campanha #internetsemvacilo

Campanha #internetsemvacilo

Olá pessoal,

a Unicef Brasil – Fundo das Nações Unidas para a Infância, atua desde 1950 com ações para defesa dos direitos básicos de crianças e adolescentes aqui no Brasil, criou recentemente uma campanha que esta sendo difundida na internet com o objetivo de sensibilizar o uso consciente de conteúdos na Rede Mundial de Computadores (Internet).

#InternetSemVacilo tem uma sequencia de vídeos que ironiza o cotidiano com o uso irresponsável de conteúdos multimídia, são temas como Difusão de imagens com pessoas em situações intimas, sem a devida autorização para essa difusão, Privacidade, Relacionamento, Preconceito e Intolerância, dentre vários outros temas, vai valer a pena se você acessar o site e conferir os videos.

A campanha traz uma nítida reflexão do modo inseguro como muitas pessoas se expõem nas redes sociais sem refletir sobre as suas consequências.

Você sabe o que é sexting?

Oi, pessoal! Será que sexting tem a ver com sexualidade e com sexo? Ufa! Tanto sex…Calminha! Essa discussão remete a outra reflexão.

A iniciação à vida sexual tem sido cada vez mais precoce entre os jovens. Para uma criança ou um adolescente os pais ou a família são, geralmente, os primeiros professores e eles nem sempre estão abertos ou preparados para esses diálogos. Sabemos que boa parte das informações e dos conhecimentos dos adolescentes são oriundos fora da família ou entre amigos.

Comumente, as pessoas acham que falar de sexualidade é falar de sexo. Claramente, o texto não tem a intenção de fazer uma análise acerca dos temas nem tampouco esgotar o assunto. Mas, cá pra nós, discutir sobre sexo mexe ainda com tabus sociais, por isso a importância da orientação sexual entre os jovens e prepará-los para uma vida sexual segura e madura. Mesmo que sejamos considerados a sociedade do conhecimento e da informação, as discussões que giram em torno do assunto tem sido cada vez mais hodiernas.

imagesMas o que é sexting? A expressão é resultante de um neologismo proveniente das palavras inglesas sex (sexo) e texting (mensagem de texto). A prática consiste na divulgação de fotos eróticas ou sensuais basicamente por meio de celulares, computadores ou qualquer outro tipo de dispositivo eletrônico. Cada vez mais frequente no mundo virtual, tem sido bastante polêmico, pois o resultado leva sempre à exposição ao ridículo de quem sofre a ação.

Dados recentes divulgados pela SAFERNET , no Brasil, especializada em ações ilícitas e segurança na Internet, são alarmantes. Confira no quadro abaixo:

A

Galera, as relações humanas se modificaram em muitos aspectos com o advento das TIC (Tecnologias da Informação e da Comunicação). A Internet, enquanto tecnologia da interatividade, provocou mudanças que possibilitaram o surgimento de um novo sujeito: o “homem erótico”. Não se trata de um erotismo na essência da semântica,mas um erotismo social validado pela nova formatação de comunicação, de laços fragilizados e efêmeros.

B

O problema é que muitos não sabem, mas, de acordo com o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), quem pratica o sexting pode ser preso (com pena entre três a seis anos). Qualquer disponibilização, divulgação, troca, emissão, compartilhamento, publicação de material que contenha cena de sexo ou pornografia envolvendo criança ou adolescente é enquadrado na referida lei. Meninos e meninas produzem e divulgam material com imagens íntimas, sendo que elas são sempre as maiores vítimas. A SAFERNET possui um canal gratuito de ajuda para orientar crianças e adolescentes. O endereço do site é: http://www.canaldeajuda.org.br/.

A pergunta é: estaria o sexting ligado à sexualidade mal direcionada? Seria muito simplista dizer que “sim” ou que “não! A sexualidade versa por diferentes questões e o que a torna complexa é o fato de perpassar por dimensões pessoais, culturais, locais, sociais e temporais, que subjazem aos processos idiossincráticos. Ou seja, ela traça uma marca identitária do sujeito porque se manifesta diferentemente em cada um.

São imensuráveis os benefícios e avanços possibilitados pelas tecnologias, mas não podemos desconsiderar os  riscos quando algo dessa natureza possa acontecer. É necessário termos conhecimento sobre o uso da Internet com segurança e buscarmos soluções para os entraves causados pelo mundo virtual no tocante à violação dos direitos que competem a cada um.

Mônica Mota

Professora da Rede Estadual de Ensino da Bahia

Oficina Gestão de Blogs Livres – Protagonismo e colaboração

Olá, amig@!

Se está navegando nessa plataforma de conteúdos educacionais livres, certamente já refletiu sobre o potencial das tecnologias da informação e comunicação  (TICs) no contexto educacional e em como educadoras/es e educandas/os podem tornar as aulas/escolas mais significativas e atrativas com o suporte dessas tecnologias, não é mesmo?!

Essa e outras questões foram levantadas também na oficina Gestão de Blogs Livres, realizada pela Rede Anísio Teixeira, nos dias 26 e 28 de maio, em parceria com o Centro Juvenil de Ciência e Cultura – Central. A atividade difundiu no espaço escolar importantes discussões acerca do blog, que é uma mídia mundialmente utilizada, tanto por quem busca informações e conteúdos, quanto por quem deseja compartilhar suas experiências pessoais e/ou coletivas com uma maior liberdade de autoria e gestão.

18

Foto: Leila Cruz

Estudantes, professoras/es e demais presentes, puderam dialogar com as/os educadoras/es da Rede Anísio Teixeira, que buscaram problematizar as questões relacionadas ao uso das tecnologias, principalmente no contexto educacional; assim como, de maneira dinâmica, por meio de um desenho pedagógico, relacionaram, desde as subjetivas necessidades de adesão a uma plataforma de compartilhamento multimídia, às estratégias a serem adotadas e a interação com o público-alvo, a fim de fortalecer, sobretudo, as construções coletivas/colaborativas e críticas na comunidade escolar.

Ao passo que foram apresentados vídeos e explanações sobre os conteúdos e as licenças livres, diversas dúvidas foram surgindo, principalmente partidas de algumas(uns) estudantes, que demonstraram bastante interesse em (re)inciar blogs pessoais e coletivos na unidade em que estudam. As/os participantes refletiram sobre o dinamismo das múltiplas conexões na sociedade atual e como esta influencia e é influenciada pela escola, assim com o  debate relacionado ao “virtual”, “real”, significação das informações obtidas na web, com e sem a mediação pedagógica. As imprescindíveis discussões sobre normas de segurança digital deixaram o debate intenso e bastante produtivo.

E por falar em conteúdos livres, você sabe o que são ou utiliza licenças livres nos seus estudos, pesquisas, entretenimento ou em outras atividades?                                                                                                                        Confira no vídeo disponível no Ambiente Educacional Web, um pouco mais sobre essa importante questão que envolve os direitos autorais e a liberdade de uso e compartilhamento.

Clique aqui ou na imagem abaixo.

ccaew

Ações como essas, fazem reverberar as palavras de Freire (1996, p. 86) ao declarar que, “o fundamental é que professor e alunos saibam que a postura deles, do professor e dos alunos, é dialógica, aberta, curiosa, indagadora e não apassivada, enquanto fala ou enquanto ouve. O que importa é que professor e alunos se assumam epistemologicamente curiosos.” No contato com as pessoas que diretamente atuam nas escolas, se tem a certeza de que as diversas contribuições realizadas nesses ambientes, são necessárias para que suas/seus autoras/es reconheçam-se a cada dia mais como protagonistas das intervenções geradas neles, deem sentido prático ao uso pedagógico das novas tecnologias e  suscitem outras mediAções.

Até o próximo encontro!

Fontes:

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

Conheça a licença creative commons – Disponível em: http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/3986

Oficina Gestão de Blogs Livres

oficna-blog

Imagem: Josymar Alves

A fim de colocar em prática algumas de suas premissas básicas (divulgar, realizar formação de docentes e estudantes e dá apoio técnico e pedagógico ao uso de tecnologias da informação e da comunicação), o Programa de Difusão de Mídias e Tecnologias Educacionais – Rede Anísio Teixeira, em parceria com o Centro Juvenil de Ciência e Cultura (CJCC), promove a oficina Gestão de Blogs Livres.

Com carga horária de 8h, a oficina é voltada para docentes e estudantes de escolas públicas, tem como objetivos apresentar os conceitos de criação de blogs, a partir de um desenho pedagógico minucioso, que apontará quais estratégias serão aplicadas às necessidades do(a) publicador(a), a fim de divulgar informações e conteúdos pertinentes para alcançar o público-alvo. Serão discutidos temas relevantes relacionados ao uso das TCI no contexto educacional, assim como o foco da oficina também será a gestão das funções administrativas da plataforma, busca e publicação de conteúdos multimídia livres, produção textual para blogs, além da experiência dos(as) editores(as) do blog educacional Professor Web e Professora Online.

A oficina ocorrerá na unidade do Centro Juvenil de Ciência e Cultura, em Salvador (Avenida Joana Angélica – Nazaré), nos dias 26/05 e 28/05, das 13h às 17h. Interessados(as) em participar podem enviar email(constando nome completo, unidade escolar e telefone) para o endereço: professorweb2010@gmail.com.

*Vagas limitadas