Rede Anísio Teixeira realiza formação em Vitória da Conquista

A Secretaria de Educação do Estado da Bahia, através do Instituto Anísio Teixeira (IAT), da Rede Anísio Teixeira (TV Anísio Teixeira) e do Centro Juvenil de Ciência e Cultura (CJCC) de Vitória da Conquista, em parceria com a Faculdade de Comunicação da Universidade Federal Bahia (Facom/UFBA), vai promover a formação Memórias e Identidades: produção formativa de vídeos educacionais, de 29 de abril a 17 de junho de 2016, sempre às sextas e aos sábados, no CJCC do Colégio Estadual Rafael Spínola. A carga horária é de 48 horas.

Fig. 1: Ascom/IAT
Fig. 1: Ascom/IAT

O objetivo é estimular o uso de softwares e de licenças livres na produção audiovisual, promover um diálogo sobre o uso ético e seguro das tecnologias da informação e da comunicação (TICs), incentivar a produção de vídeos por estudantes e professores da rede pública estadual de ensino, com o olhar voltado para a valorização e reafirmação das suas cultura, da memória social e das realidades das comunidades onde moram ou estudam. Nesse sentido, o estímulo à participação no PROVE (Produção de Vídeos Estudantis) e no EPA (Educação Patrimonial e Artística) será uma das tônicas da atividade.

Como fazer a inscrição

Apenas professores e estudantes da rede estadual de ensino poderão se inscrever na formação. Para isso, terão de seguir estes passos:

a) formar grupo de cinco pessoas (quatro estudantes e um professor)

b) assistir ao vídeo abaixo, no qual o professor José Roberto Severino (Facom/UFBA) explica a natureza da formação:

c) fazer a inscrição através deste link: http://bit.ly/memoriaseidentidadesAs inscrições estão abertas de 8 a 24 de abril de 2016.

O resultado da seleção será divulgado no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br), aqui no Blog do Professor Web (www.oprofessorweb.wordpress.com) e também através de contato via e-mail e/ou telefone, até o dia 26 de abril.

Os vídeos resultantes da formação serão disponibilizados no Ambiente Educacional Web do Portal da Educação. Acesse e conheça todas as nossas produções: ambiente.educacao.ba.gov.br.

Anúncios

Como nascem os poetas?

Não existe fórmula. Mas não requer dons especiais, apesar de já ter sido considerado no passado como algo divino.
Uma vez, na aula de português, a professora nos incentivou a escrever um poema. E lembro que um colega que nunca tinha feito um poema, escreveu com muito lirismo, rimando. Eu tinha 12 anos na época e não foi a primeira vez que escrevi alguma coisa sem preocupação com métrica e coisas afins, já que poesia não precisa de tantas técnicas. Mas precisa de inspiração! Que pode vir de uma gama de situações, posturas políticas, emoções e sentimentos, dentre outras motivações.

Você conhece algum poeta? Desses famosos, porém de outro século, temos por exemplo o Castro Alves. Está eternizado numa estátua na praça com seu nome, que também foi dado ao maior teatro de Salvador. Sua cidade natal, Curralinho, hoje em dia também leva seu nome. Ah, e o Dia da Poesia, 14 de março, é a data de seu nascimento.

praça-castro-alves

Fig. 1 – Praça Castro Alves. Foto: Rita Barreto – Setur/Flickr Turismo Bahia (Creative Commons)
Mas quem foi esse baiano revolucionário, que morreu aos 24 anos, em 1871? Poetas podem ser classificados de acordo com seu estilo literário e o “Condoreirismo” (ou Condorismo) foi o movimento marcado por uma poesia de cunho social, que defendia a igualdade de direitos entre todos. Lembre que o “Poeta dos Escravos”, como ficou conhecido, escreveu também poesia lírica, mas foi o poema épico-dramático “O Navio Negreiro”, publicado na obra “Os escravos” (que se tornou o expoente de sua poesia), defendia a abolição da escravatura numa época em que o regime era a Monarquia e havia movimentos em defesa da República.

Voltando às aulas, nem conto quantas vezes tive que escrever redações. Nos concursos, ENEM, vestibular, a gente também tem que saber escrever redação. Mas por que não aprendemos a nos tornar também poetas/poetisas? Mas será que se aprende isso?

O que você acha dos trechos das músicas transcritas abaixo? São poesias também?

Luz do sol – Caetano Veloso

“Luz do sol
Que a folha traga e traduz
Em verde novo
Em folha, em graça
Em vida, em força, em luz…”
Admirável gado novo – Zé Ramalho

“Lá fora faz um tempo confortável
A vigilância cuida do normal
Os automóveis ouvem a notícia
Os homens a publicam no jornal”

Pra não dizer que não falei das flores – Geraldo Vandré

“Há soldados armados
Amados ou não
Quase todos perdidos
De armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam
Uma antiga lição
De morrer pela pátria
E viver sem razão”

Para conhecer projetos que estimulam a poesia em escolas baianas, recomendo que veja o vídeo “Ser Professor – De onde vem…Grandes Ideias?”

como nascem os poetas

Fig. 2 – Alunos participantes  do projeto ” De onde vem…. Grandes ideias?”

Vamos tentar escrever um poema?! Em breve teremos o TAL (Tempo de Artes Literárias) e você poderá inscrever seu poema! Mãos à obra! Assim nascem os poetas!

 

Guel Pinna

Professora da Rede Pública Estadual de Ensino da Bahia

Escrita Estudantil

Olá, pessoal!

Vocês já escreveram alguma poesia? Já conhecem o TAL – Tempo de Arte Literária?

Pois é, os estudantes das escolas públicas baianas podem participar do TAL, um festival que valoriza a produção literária estudantil, desenvolvendo a autoestima e a autonomia dos discentes.

img7728 tal 2012
Fig. 1: Estudantes participantes do TAL 2011 – Portal da Educação

O projeto acontece nas esferas escolares, municipais, regionais e, por fim, a estadual, através de saraus que ocorrem nas escolas, em bairros/municípios e nos Núcleos Regionais de Educação – NRE.

Mas o que é mesmo um sarau? Sarau é um evento que reúne grupos de pessoas para realizar atividades lúdicas e recreativas (dança, música, poesia, prosa, por exemplo). A palavra vem do latim seranus/serum, que significa entardecer ou pôr do sol, período do dia  em que, geralmente, ocorrem os saraus.

No TAL, as obras que se destacam, nas primeiras etapas, participam do Sarau Estadual, aqui em Salvador.  Os principais critérios se baseiam na originalidade, criatividade, estética, técnica e clareza textual, segundo os organizadores.

O regionalismo também está presente nesses textos. Em 2011, o destaque foi Ênio Ribeiro que, na época, estudava no Colégio de Paramirim, sudoeste baiano. Seu sotaque, suas influências familiares e o ambiente rural no qual vive impõem uma peculiaridade nas poesias que ele produz. Vocês podem conferir um pouco do talento de Ênio no Faça Acontecer, da TV Anísio Teixeira.

E aí? Vamos tentar escrever uma poesia? Participar de algum Sarau do TAL? Vamos lá, tudo começa a partir de uma tentativa. A arte da escrita precisa de prática. Conversem com seu professor, leiam muito e conheçam o prazer de colocar suas ideias num papel.

Joalva Moraes
Professora da Rede Pública Estadual de Ensino da Bahia

1° Encontro Estadual de Líderes de Classe

Estudante-repórter: Tayline Alves

Neste vídeo, você vai conferir o 1° Encontro Estadual de Líderes de Classe, realizado no 4º Encontro Estudantil da Rede Estadual e teve como objetivo buscar o fortalecimento da cultura de participação estudantil nas escolas públicas da rede estadual e dar voz ao estudante e líderes de classe.

Se ligue aí:

 

Abraços, pessoal!

 

SAM_3284
A estudante-repórter Tayline Alves. Foto: Raulino Júnior

Tayline Alves tem 17 anos, é estudante do Colégio Estadual Polivalente do Cabula, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil

Como foi o 4º Encontro Estudantil. Algumas opiniões.

Olá, galera! Beleza?

Estamos no terceiro e último dia do 4º Encontro Estudantil da Rede Estadual, na Itaipava Arena Fonte Nova, evento que, nesses três dias, proporcionou oportunidades para troca de saberes, conhecimentos e experiências de todos envolvidos.

A tônica do 4º Encontro Estudantil nos conduz para uma grande celebração do protagonismo juvenil vivenciada por estudantes e professores das escolas da rede estadual de ensino durante o ano letivo de 2015” (Site do 4ºEnconto Estudantil).

No áudio a seguir, ouça um pouco da opinião dos estudantes e visitantes do 4ºEE.

Confira:

A estudante-repórter Dandara Lopes. Foto: Raulino Júnior
A estudante-repórter Dandara Lopes. Foto: Raulino Júnior

Dandara Lopes tem 14 anos, é estudante do Colégio Estadual Governador Lomanto Júnior, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

Jogos com Realidade Aumentada do CJCC

Olá, amigos ! Tudo bem ?

DSC00260
Fagner Ramos apresentando seu projeto; Foto: Bira Mendes

Hoje, 4 de dezembro, foram apresentados no Centro Juvenil de Ciência e Cultura – CJCC, os jogos com realidade aumentada. Quem visitou o estande pode acompanhar painéis feitos por Janaír Borges, diretora dos Centros Juvenis presentes no evento, acompanhados de elementos em 3D feitos por Fagner Ramos, monitor de Ciências da Natureza do Centro Juvenil de Senhor do Bomfim.

DSC00264
Aplicativo criado por Fagner; Foto: Bira Mendes

Além dos painéis, também foi apresentado um jogo desenvolvido pelo monitor Fagner Ramos juntamente com alunos do Centro Juvenil de Senhor do Bomfim.” Eles aprenderam a modelar, aprenderam a lógica de programação, utilizando softwares livres”, disse Fagner.

SAM_3287
estudante-repórter Roniton Fernandes.Foto: Bira Mendes

Roniton Fernandes tem 18 anos, é estudante do Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

2ª Mostra do Dance – 4º Encontro Estudantil

Estudante-repórter: Tayline Alves

E aí, galera!

Neste vídeo, você vai conferir a 2ª Mostra do Dance que consiste em 15 apresentações de dança realizadas em 744 escolas da Rede Estadual. Nesta reportagem, você vai conferir algumas destas apresentações.

 

Abraços!

 

SAM_3284
A estudante-repórter Tayline Alves. Foto: Raulino Júnior

Tayline Alves tem 17 anos, é estudante do Colégio Estadual Polivalente do Cabula, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

3º Feira de Tecnologias Sociais no 4º Encontro Estudantil

Estudante-repórter: Dandara Lopes

Fala, pessoal! Tudo bem?

Estamos no segundo dia do 4º Encontro Estudantil, na 3º Feira de Tecnologias Sociais da Educação Profissional da Bahia.

A Educação Profissional da Bahia proporciona uma exposição como mostra dos seus projetos de Tecnologias Sociais. Reunindo estudantes e professores de cursos técnicos de todas as regiões territoriais do estado. O destaque na reportagem é a estudante, Ana Clara Xavier, do Centro de Educação Profissional do Território Sertão do São Francisco que fica na cidade de Juazeiro.

No áudio a seguir, entenda mais um pouco sobre a 3º Feira de Tecnologias Sociais.

Confira:

A estudante-repórter Dandara Lopes. Foto: Raulino Júnior
A estudante-repórter Dandara Lopes. Foto: Raulino Júnior

Dandara Lopes tem 14 anos, é estudante do Colégio Estadual Governador Lomanto Júnior, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

Para empreender e inovar no 4° Encontro Estudantil

Estudante-repórter: Lucicarla Lima

Olá, galera!

Quando pensamos em empreendedorismo, muitas ideias surgem. No 4° Encontro Estudantil, teve espaço para discutir a temática, através da palestra Empreendorismo para Estudantes, ministrada pelo professor de biologia Adaltron Araújo, que trabalhou o assunto de uma forma mais voltada para os adolescentes.

DSC00161
Adaltron Araújo durante a palestra. Foto: Bira Mendes

Empreendendorismo vem do verbo empreender, que significa resolver algum problema. Hoje, noś temos muitos exemplos de grandes empreendedores pelo mundo.

DSC00159
Adaltron Araújo sendo entrevistado pela estudante-repórter Lucicarla Lima. Foto: Bira Mendes

Adaltro defendeu o seu ponto de vista em relação ao empreendedorismo na sociedade: “Hoje, falei do empreendedorismo de uma forma mais voltada pra o protagonismo juvenil, ajudando esses jovens que estão apresentando seus projetos na Feira de Ciência e Matemática, de forma que eles possam transformar seus projetos em empreendimentos”.

Além de transformar, o empreendedorismo busca, realmente, produzir algo diferente e inovar. Por isso, todo jovem que busca esta área deve ser curioso, pois isso é uma das características de um empreendendor. Todo bom cientista tem, principalmente a criatividade para inovar e criar, pois sem elas não tem como ser um bom empreendendor.

A estudante-repórter Lucicarla Lima. Foto: Raulino Júnior
A estudante-repórter Lucicarla Lima. Foto: Raulino Júnior

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lucicarla Lima tem 17 anos, é estudante do Colégio Estadual José Tobias Neto, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

A cultura e o progresso: alguns projetos da EPA

Estudante-repórter: Érica de Jesus

 

DSC00148
Mocita Reis. Foto: Bira Mendes

A professora de história Mocita Reis, 40 anos, é a orientadora de um projeto realizado no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, de Bom Jesus da Lapa, e está participando pela segunda vez consecutiva do 4° Encontro Estudantil, através da EPA (Educação Patrimonial e Artística). As manifestações culturais do sertão nordestino é o tema do projeto, que aborda as riquezas patrimoniais e culturais, como a romaria e a Festa do Divino.

DSC00158
Luan Borges: projeto de valorização cultural. Foto: Bira Mendes

O estudante Luan Borges, 16 anos, que cursa o 2° ano do Ensino Médio no colégio citado, explicou por que o tema do álbum  é Ser tão cultural: “É uma chamada para olhar a si mesmo, o ser, a pessoa; buscar as raízes que foram esquecidas”. Já André Amorim, 23 anos, que estuda no Centro Territorial de Educação Profissional da Bacia do Rio Corrente, é finalista da EPA com o álbum O progresso a todo vapor. “É um projeto de caráter social e ambiental, que visa resgatar as características culturais e patrimoniais do município de Santa Maria e também valorizando a cidade de Salvador.

PhotoGrid_1449175908294
André Amorim: um olhar sobre o progresso. Foto: Érica de Jesus

A EPA está na sua 4ª edição e, no 4º Encontro Estudantil, apresenta 29 álbuns finalistas. Não deixe de ver!

A estudante-repórter Érica de Jesus. Foto: Raulino Júnior
A estudante-repórter Érica de Jesus. Foto: Raulino Júnior

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Érica de Jesus tem 21 anos, é estudante do Centro Estadual de Educação Profissional da Bahia, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.