TRIBUTO LUIZ GAMA – ANO II

Êa, turma!

Quem é bode, berra!”

Fazendo referência ao poema “Quem sou eu?” – mais conhecido como “Bodarrada”, de 1859 – o público era convidado a participar das atividades do Tributo Luiz Gama que, em seu segundo ano, homenageia o escritor, jornalista e advogado baiano, uma das mais atuantes e combativas personalidades brasileiras engajadas nas lutas contra a escravidão no Brasil, conhecidas como Campanha Abolicionista. Isso porque “bode” era um dos apelidos dispensados aos(às) que, como Gama, eram negros(as), na tentativa de ridicularizá-los(as).

A ação, que aconteceu no último domingo, 26/08, na praça que leva o nome do homenageado – localidade conhecida como Largo do Tanque, no bairro da Liberdade – apresentou um resumo da vida e da obra do autor e ofereceu ainda ao público presente recitais de literatura e intervenções poéticas com diversos(as) autores(as) locais, música ao vivo com bandas e duelos de freestyle, atividades lúdico-esportivas com o equipamento conhecido como slackline, sorteio de brindes, além de um delicioso almoço vegetariano. A organização do evento recebeu também doações de livros durante todo o dia, destinados a recompor a biblioteca comunitária Luiz Gama, destruída em um incêndio em 2011.

A iniciativa é uma realização do Coletivo Libertai, “uma organização não-governamental que atua na Liberdade, São Caetano e outros bairros periféricos de Salvador promovendo intervenções artísticas e contribuindo para o desenvolvimento da consciência crítica dos moradores desses bairros, usando a arte para a cidadania” como explica o músico Vagner Encarnação, 27, membro do Coletivo.

A equipe do Professor Web marcou presença no local e conversou com os(as) jovens organizadores(as) do evento:

PROFESSOR WEB: Essa é a 2ª edição do Tributo Luiz Gama. Qual o objetivo dessa ação?

COLETIVO LIBERTAI: “O Tributo Luiz Gama existe como uma forma de valorização de personalidades da história afro-brasileira, história essa que não tem sido contada ao longo dos anos pelo ensino formal. O nosso principal objetivo é resgatar essas referências que foram invisibilizadas por esse modelo de aprendizado”, revela Diógenes Barbosa, 29, músico.

PROFESSOR WEB: Qual a importância de se promover uma ação como essa num bairro popular e periférico de Salvador, como a Liberdade?

COLETIVO LIBERTAI: “Essa ação é fundamental pela influência que a gente causa dentro do contexto da Liberdade e outros bairros periféricos, onde questões como violência e tráfico de drogas, por exemplo, são delicadas. Além disso há a apropriação do espaço público, que é o que está acontecendo aqui hoje, pra falarmos de Luiz Gama e o fortalecimento da ideia de que nós, sociedade civil, também temos uma parcela de contribuição para o melhoramento da população soteropolitana e baiana como um todo”, explica o músico Val Da Mata, 33.

PROFESSOR WEB: Qual a intenção em escolher Luiz Gama como personalidade a ser homenageada?

COLETIVO LIBERTAI: “Luiz Gama é a base do que a gente vem promovendo aqui hoje: lutar contra a segregação racial, contra o sexismo, o machismo, enfim, contra toda forma de preconceito, e Luiz Gama foi um exemplo disso. Nós não queremos perder uma vida, queremos trazer essa vida pra o nosso lado. Sabemos que não houve reparação depois da dita libertação dos escravos e nós estamos lutando por essa reparação”, informa a escritora e poetisa Luz Marques, 27.

O estudante Darlan Sacramento, 22, que aproveitou o ensolarado dia de atividades na praça, também deixou suas impressões sobre a homenagem:

PROFESSOR WEB: O que você está achando do evento?

DARLAN SACRAMENTO: “O evento é muito importante pra galera do bairro, pois nós que residimos aqui somos muito carentes de música, de cultura, poesia, enfim, de arte, e o Coletivo Libertai está trazendo isso pra nós.”

PROFESSOR WEB: Qual a importância de uma ação como essa num bairro popular e periférico de Salvador, como a Liberdade?

DARLAN SACRAMENTO: O evento traz cultura, a galera aqui carece de leitura, não conhece a poesia e nem a interpreta muito bem. Eu garanto que tem várias pessoas que estão aqui que não sabem nem quem foi Luiz Gama e estão tendo esse primeiro contato agora.

Para saber um pouco mais sobre a vida e a obra de Luiz Gama cliquem aqui!

Confiram algumas fotos do Tributo Luiz Gama – Ano II aqui!

Até a próxima, pessoal!

Anúncios

Lançamento do Museu de Street Art de Salvador – MUSAS

Salve, turma esperta!

Aconteceu em Salvador na última sexta-feira, 10 de agosto, o lançamento do Museu de Street Art de Salvador, o MUSAS. Com sede em um imóvel da localidade conhecida como Gamboa de Baixo – ao lado da Av. Lafayete Coutinho, a popular Av. Contorno – o espaço, fruto de uma iniciativa de jovens artistas, produtores(as) e agitadores(as) culturais de diversos países, pretende ser uma alternativa para quem se interessa pela “arte de rua” ou “arte urbana”, onde se destacam elementos como a música e o grafite.

Além do “mutirão de grafite” que coloriu e encheu de arte parte das ruas da comunidade, o evento contou ainda com uma exposição de fotografias de artistas locais, varal de leitura onde se podia ter acesso a livros e revistas e com um pequeno brechó de roupas e acessórios.

A equipe do Professor Web esteve presente no encontro participando das atividades, divulgando os conteúdos educacionais da Rede Anísio Teixeira e fortalecendo a interação entre a Secretaria estadual da Educação e as ações promovidas pela comunidade escolar baiana. Confiram abaixo as entrevistas com o idealizador da iniciativa, o grafiteiro e cenógrafo Júlio Costa e com a modelista Taís Muniz, organizadora do brechó:

PROFESSOR WEB: Qual o objetivo do evento?

JÚLIO COSTA: Inicialmente inaugurar o espaço. Segundo, pintar toda a comunidade, não só fazendo graffiti mas pintando as casas mesmo, além de promover cultura e demonstrar que a gente não precisa de tanto pra fazer as coisas acontecerem, porque aqui a maioria das coisas é feita com reciclagem e doação de amigos.

PROFESSOR WEB: O projeto pretende ter continuidade?

JÚLIO COSTA: Esta ação pretende ter continuidade, contando com esse espaço físico, que é a sede, com um ateliê, uma galeria e outras possibilidades, abrindo espaço para artistas locais mostrarem seus trabalhos e trocarem informações. Temos também a intenção de oferecer uma residência artística aqui.

PROFESSOR WEB: Como os(as) moradores(as) do bairro tem visto esta ação?

JÚLIO COSTA: Eles (os moradores) tem aberto as portas e a maioria liberou as suas próprias casas pra pintar. Uma senhora vem aqui e traz uma máscara, um morador serve uma água, um suco, o outro vem aqui ver o espaço, como já vieram vários, está sendo ótima a interação. Nós fizemos uma experiência de seis meses morando aqui no bairro antes de abrir o espaço, pra fortalecer a convivência, mesmo.

PROFESSOR WEB: O que você está achando do evento?

TAÍS MUNIZ: O evento está acontecendo como um grande sonho do Júlio Costa, juntamente com o coletivo de grafite, que veio com a intenção de agregar pessoas a um lugar que é maravilhoso – apesar de recair sobre ele uma aura de violência, que se desfaz quando nos aproximamos do bairro – promovendo a interação e trazendo novas possibilidades para os(as) moradores(as) locais.

PROFESSOR WEB: Qual a importância desta iniciativa para o cenário artístico-cultural de Salvador e da Bahia?

TAÍS MUNIZ: Eu acho que vai trazer uma movimentação bem interessante, a princípio pelo próprio nome “Museu de Street Art” que por si só já gera uma curiosidade em quem se interessa pelo tema. Em Salvador várias pessoas tem despertado seu interesse pela arte de rua, em suas diversas vertentes, e ter um espaço onde essas pessoas possam estar, interagir, trocar e propor coisas é algo de agregador não só para a cidade, mas como para a Bahia.

Confiram algumas fotos do lançamento do MUSAS aqui.

Um abraço e até a próxima, pessoal!

SALVADOR SEDIA VI CONGRESSO INTERNACIONAL DE ESTUDOS SOBRE A DIVERSIDADE SEXUAL E DE GÊNERO

Olá, turma!

Nos dias 01, 02 e 03 de agosto aconteceu em Salvador, no campus de Ondina da Universidade Federal da Bahia (UFBA) o VI CONGRESSO INTERNACIONAL DE ESTUDOS SOBRE A DIVERSIDADE SEXUAL E DE GÊNERO, promovido pela Associação Brasileira de Estudos da Homocultura (ABEH), reunindo pesquisadores(as), ativistas brasileiros(as) e estrangeiros(as). Nesta edição o congresso teve o tema “Memórias, rumos e perspectivas dos estudos sobre a diversidade sexual de gênero” e foi considerado o maior encontro na história do evento.

O congresso contou com cerca de 430 trabalhos de pesquisadores(as) de diversos países, que foram apresentados em sessões de comunicação e mesas coordenadas e 12 trabalhos na mostra artística. Ao todo houve 10 eixos temáticos: Artes; Comunicação, Educação; Histórias, sociabilidades e etnografias; Literatura; Políticas; Religiões; Saúde; Subjetividades e Direitos. (fonte –UFBA)

Junto com os congressistas, a equipe do Professor Web esteve presente apresentando as peças educacionais produzidas pela TV Anísio Teixeira, em especial o Muito Prazer (programa que aborda a sexualidade a partir de orientações inseridas no eixo Direitos Humanos e Diversidade nas dimensões biológica e sócio-cultural), e realizando a cobertura das atividades.

Confira aqui as entrevistas com o presidente da ABEH, Prof. Leandro Colling e com o Prof. Mario Roberto Agostinho da Silva.

Continue lendo

CAPITAL BAIANA SEDIA IMPORTANTES ENCONTROS NA ÁREA DO ENSINO DE QUÍMICA

Olá, turma!

Aconteceram em Salvador, entre os dias 17 e 20 deste mês, dois eventos importantes para o ensino e a educação em química: o XVI Encontro Nacional de Ensino de Química (ENEQ) e o Encontro de Educação Química da Bahia (EDUQUI), este em sua décima edição. Organizados por diversas instituições de Ensino de todo o Brasil, os encontros foram sediados no campus de Ondina da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Durante quatro dias cerca de duas mil pessoas, entre docentes, universitári@s e profissionais da educação em química se reuniram para trocar ideias, trabalhos e experiências sobre a área de ensino de química no Brasil e na Bahia, fortalecendo o diálogo entre os diversos grupos e as linhas de pesquisa no tema e contribuindo para a melhoria da formação d@s educador@s.

Para o professor do Instituto de Química da UFBA e coordenador do XVI ENEQ e do X EDUQUI, José Luis Silva “o ensino de química creseu em quantidade de pessoas, em número de trabalhos realizados, em quantidade de cursos de pós-graduação – não só na área de química mas em ciências, como um todo – e a qualidade dos trabalhos também cresceu bastante com o aprimoramento das teorias desenvolvidas no Brasil”. Ainda segundo ele “a Bahia não está entre os maiores centros, que estão no sul e sudeste do país, bem como as universidades mais fortes, mas nós temos aqui um grupo relativamente numeroso, presente nas instituições universitárias de ensino e pesquisa, tanto nas federais quanto nas estaduais”.

O professor salienta também a importancia dos encontros para a Bahia: “Um evento como esse mostra para as pessoas daqui, que não tem podido viajar para participar de outras edições do encontro, o tamanho da comunidade do ensino de química, a diversidade de temas, e isso vai abrindo horizontes, despertando interesses”.

Conversamos também com um dos participantes deste verdadeiro intercâmbio de conhecimentos, o estudante José Elias dos Santos, que cursa licenciatura em química no Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE) e que nos contou com entusiasmo o que achou dos encontros: “O ensino de química avançou, tem havido um bom desempenho na área, que se reflete no melhor aprendizado da disciplina. Participei de um mini-curso sobre química na cozinha onde pudemos aprender que a química não é, como a maioria das pessoas pensa, um bicho-de-sete-cabeças: ela é simples, e é possível demonstrá-la através dos alimentos”. Ainda segundo José Elias “nós estudantes vamos levando para Pernambuco ótimos resultados e o objetivo é de que tenhamos oportunidade de nos reunirmos novamente não só aqui, mas em outros estados que sediem novos encontros de química.”

A equipe do Professor Web marcou presença nos encontros realizando a cobertura das atividades, apresentando os conteúdos digitais educacionais produzidos pel@s educomunicador@s da Rede Anísio Teixeira e fortalecendo ainda mais a interação com a comunidade escolar baiana, nossa permanente inspiração.

Vejam aqui algumas fotos do evento

Abraços e até a próxima, pessoal!

Visita ao Colégio Estadual Helena Celestino Magalhães

A equipe do professor web acredita na escola pública que deixa de ser exclusiva consumidora de conhecimentos e passa a ser, também, produtora. O tamanho desta crença tem sido medido, utilizando uma metodologia infalível: observe o brilho nos olhos de cada pessoa que faz parte da comunidade escolar e você saberá a quantidade de energia produzida por uma escola.

Fomos convidados para fazer a cobertura do encerramento do projeto mais educação no Colégio Estadual Helena Celestino Magalhães. Estávamos ansiosos, pois recebemos a notícia que a banda You Rock, formada por estudantes da escola, tinha aceitado o desafio de criar o rock do professor web, utilizando, como base, a letra do “rap do professor web”.

Ao chegar na escola tivemos a grata surpresa de conhecer o trabalho desenvolvido pelo grupo de professores de música e de dança, vinculados ao projeto mais educação, aliado ao esforço dos estudantes. A música e a dança passaram a fazer parte do cotidiano desses jovens que se tornaram produtores de conhecimento, com ajuda dos sons e do movimento coreográfico.

Capturamos algumas fotos e fizemos um vídeo resumido com as apresentações para compartilhar com a rede.

Galeria de fotos:clique aqui!

Gostaríamos de enviar agradecimentos especiais à Vice Diretora Carla Almeida que mediou nosso encontro com a escola e ao grupo You Rock por ter aceitado nosso desafio e ter produzido a primeira versão oficial, criada por estudantes da escola pública, do “rap do professor web”. Em breve voltaremos para fazer uma gravação de melhor qualidade para divulgarmos para todos os cantos da Bahia.

Entre em nossa rede de jornalismo independente, fazendo a cobertura de um evento na sua escola e envie para publicarmos no blog do professor web.

CARAVANA DIGITAL – Escola de Aplicação Anísio Teixeira

Jogos, descontração e muitos desafios. Assim foi a Caravana Digital do Professor Web, evento realizado no dia 19 de setembro de 2011, no auditório do Instituto Anísio Teixeira, que contou com a participação dos alunos da Escola de Aplicação Anísio Teixeira nos turnos da manhã e da tarde.

A caravana foi aberta, pelos coordenadores do projeto, Yuri Wanderley e Reinaldo Souza, com o rap do professor web e logo depois foi apresentado o ambiente educacional. Um espaço pedagógico multidisciplinar criado pela Secretaria da Educação para que estudantes e professores possam acessar, compartilhar e construir conhecimentos por meio das novas tecnologias da informação e da comunicação.

Os alunos conheceram, também, o Projeto A Física e o Cotidiano em que foram desafiados a participar dos jogos “Atravessando o mar”, que simula a travessia Mar Grande – Salvador, e “Salto ao carro”, que traz a animação do lançamento oblíquo de um veículo. O objetivo é apresentar conteúdos de física de forma menos tradicional, mais lúdica e experimental.

No evento, Geraldo Seara, professor da Rede Anísio Teixeira, apresentou a história de Anísio Teixeira, educador baiano nascido em Caetité que trouxe infinitas contribuições para a educação e dá nome à escola dos alunos.

Professor Web – O Professor Web é um personagem que foi criado para fazer a comunicação direta com professores e estudantes. “A nossa equipe multidisciplinar se reuniu e adotou como estratégia a criação de um personagem que a gente achava que seria mais interessante para estabelecer a comunicação tanto com professores como estudantes. Por conta disso, o Professor Web está nas redes sociais, tem um blog, publica dicas semanais no site da Secretaria da Educação e usa uma linguagem bem juvenil com o intuito de se fazer ouvir pelos estudantes da rede pública”, afirmou Yuri Bastos Wanderley, coordenador geral da Rede Anísio Teixeira.

Na caravana, os alunos foram apresentados à proposta do Professor Web, seu blog e suas redes sociais. Yasmin Pereira, 14 anos, aluna da 7º série afirmou não conhecer  o blog e achou interessante a forma da apresentação. Sua colega de classe, Claudimeire dos Santos, 14 anos, afirmou que o trabalho foi ótimo. “Foi tudo muito divertido. E acho que deveria apenas ter mais jogos”. Já Kenia Ribeiro, 15 anos, do 1º ano C já conhecia o Professor Web através do facebook e achou a iniciativa da caravana maravilhosa, “principalmente porque o blog oferece muitas informações bacanas, além de trazer dicas interessantes que podem ser aproveitadas pela STAFF (empresa Júnior da Escola Estadual de Aplicação)”.

Conheça a empresa da Escola de Aplicação

Interação – Nos intervalos entre as atividades, os torpedos animavam os alunos que puderam deixar seus recados, registros e impressões sobre o trabalho. Além dos estudantes, o evento contou também com a participação de professores, como Tiago Mariano, que ministra aulas de química e biologia na escola de Aplicação e achou a iniciativa criativa. “Esse evento quebra com o tabu e o preconceito com determinadas disciplinas, como matemática, física e química, por mostrar que aquele conhecimento não é tão difícil quanto parece. Para mim não existe o difícil, o difícil é o fácil se escondendo. E eu passo isso direto aos meus alunos. E eu acho que a caravana deu certo, funcionou!”, observa Tiago.

Nesse contexto, Yuri avalia positivamente as atividades dessa caravana porque os estudantes interagiram, brincaram e gostaram do que foi apresentado. “A caravana é o momento no qual a nossa equipe consegue se comunicar diretamente com o estudante e conseguimos mostrar todo o trabalho que a gente vem realizando de produção de tecnologias para eles utilizarem junto com seus professores nas escolas e em casa”, disse Yuri.

O coordenador ressalta ainda que existem outras ações de comunicação que complementam essas atividades, tais como os programas da TV Anísio Teixeira, o portal da educação, as redes sociais e o blog. “A palestra é o momento de maior intensidade nessa comunicação, quando a gente está frente a frente, mas quando não está havendo a caravana a gente busca outros meios de comunicação que são essas redes”, enfatizou Yuri.

GALERIA DE FOTOS:CLIQUE AQUI!

Fonte:http://www.iat.educacao.ba.gov.br/node/2318