Como foi o 4º Encontro Estudantil. Algumas opiniões.

Olá, galera! Beleza?

Estamos no terceiro e último dia do 4º Encontro Estudantil da Rede Estadual, na Itaipava Arena Fonte Nova, evento que, nesses três dias, proporcionou oportunidades para troca de saberes, conhecimentos e experiências de todos envolvidos.

A tônica do 4º Encontro Estudantil nos conduz para uma grande celebração do protagonismo juvenil vivenciada por estudantes e professores das escolas da rede estadual de ensino durante o ano letivo de 2015” (Site do 4ºEnconto Estudantil).

No áudio a seguir, ouça um pouco da opinião dos estudantes e visitantes do 4ºEE.

Confira:

A estudante-repórter Dandara Lopes. Foto: Raulino Júnior
A estudante-repórter Dandara Lopes. Foto: Raulino Júnior

Dandara Lopes tem 14 anos, é estudante do Colégio Estadual Governador Lomanto Júnior, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

Anúncios

3º Feira de Tecnologias Sociais no 4º Encontro Estudantil

Estudante-repórter: Dandara Lopes

Fala, pessoal! Tudo bem?

Estamos no segundo dia do 4º Encontro Estudantil, na 3º Feira de Tecnologias Sociais da Educação Profissional da Bahia.

A Educação Profissional da Bahia proporciona uma exposição como mostra dos seus projetos de Tecnologias Sociais. Reunindo estudantes e professores de cursos técnicos de todas as regiões territoriais do estado. O destaque na reportagem é a estudante, Ana Clara Xavier, do Centro de Educação Profissional do Território Sertão do São Francisco que fica na cidade de Juazeiro.

No áudio a seguir, entenda mais um pouco sobre a 3º Feira de Tecnologias Sociais.

Confira:

A estudante-repórter Dandara Lopes. Foto: Raulino Júnior
A estudante-repórter Dandara Lopes. Foto: Raulino Júnior

Dandara Lopes tem 14 anos, é estudante do Colégio Estadual Governador Lomanto Júnior, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

Para empreender e inovar no 4° Encontro Estudantil

Estudante-repórter: Lucicarla Lima

Olá, galera!

Quando pensamos em empreendedorismo, muitas ideias surgem. No 4° Encontro Estudantil, teve espaço para discutir a temática, através da palestra Empreendorismo para Estudantes, ministrada pelo professor de biologia Adaltron Araújo, que trabalhou o assunto de uma forma mais voltada para os adolescentes.

DSC00161
Adaltron Araújo durante a palestra. Foto: Bira Mendes

Empreendendorismo vem do verbo empreender, que significa resolver algum problema. Hoje, noś temos muitos exemplos de grandes empreendedores pelo mundo.

DSC00159
Adaltron Araújo sendo entrevistado pela estudante-repórter Lucicarla Lima. Foto: Bira Mendes

Adaltro defendeu o seu ponto de vista em relação ao empreendedorismo na sociedade: “Hoje, falei do empreendedorismo de uma forma mais voltada pra o protagonismo juvenil, ajudando esses jovens que estão apresentando seus projetos na Feira de Ciência e Matemática, de forma que eles possam transformar seus projetos em empreendimentos”.

Além de transformar, o empreendedorismo busca, realmente, produzir algo diferente e inovar. Por isso, todo jovem que busca esta área deve ser curioso, pois isso é uma das características de um empreendendor. Todo bom cientista tem, principalmente a criatividade para inovar e criar, pois sem elas não tem como ser um bom empreendendor.

A estudante-repórter Lucicarla Lima. Foto: Raulino Júnior
A estudante-repórter Lucicarla Lima. Foto: Raulino Júnior

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lucicarla Lima tem 17 anos, é estudante do Colégio Estadual José Tobias Neto, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

A cultura e o progresso: alguns projetos da EPA

Estudante-repórter: Érica de Jesus

 

DSC00148
Mocita Reis. Foto: Bira Mendes

A professora de história Mocita Reis, 40 anos, é a orientadora de um projeto realizado no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, de Bom Jesus da Lapa, e está participando pela segunda vez consecutiva do 4° Encontro Estudantil, através da EPA (Educação Patrimonial e Artística). As manifestações culturais do sertão nordestino é o tema do projeto, que aborda as riquezas patrimoniais e culturais, como a romaria e a Festa do Divino.

DSC00158
Luan Borges: projeto de valorização cultural. Foto: Bira Mendes

O estudante Luan Borges, 16 anos, que cursa o 2° ano do Ensino Médio no colégio citado, explicou por que o tema do álbum  é Ser tão cultural: “É uma chamada para olhar a si mesmo, o ser, a pessoa; buscar as raízes que foram esquecidas”. Já André Amorim, 23 anos, que estuda no Centro Territorial de Educação Profissional da Bacia do Rio Corrente, é finalista da EPA com o álbum O progresso a todo vapor. “É um projeto de caráter social e ambiental, que visa resgatar as características culturais e patrimoniais do município de Santa Maria e também valorizando a cidade de Salvador.

PhotoGrid_1449175908294
André Amorim: um olhar sobre o progresso. Foto: Érica de Jesus

A EPA está na sua 4ª edição e, no 4º Encontro Estudantil, apresenta 29 álbuns finalistas. Não deixe de ver!

A estudante-repórter Érica de Jesus. Foto: Raulino Júnior
A estudante-repórter Érica de Jesus. Foto: Raulino Júnior

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Érica de Jesus tem 21 anos, é estudante do Centro Estadual de Educação Profissional da Bahia, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

Tenda Digital dá espaço ao teatro no Encontro Estudantil

Estudante-repórter: Roniton Fernandes

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Peterson Azevedo

Organizados pelo professor e ator Nildson Veloso, os jogos teatrais integraram as atividades do Palco Livre, da Tenda Digital, desde o dia 2 de dezembro. Tudo isso, claro, dentro da programação do 4º Encontro Estudantil. O projeto conta com alunos de diversas localidades de Salvador e do interior da Bahia, recém-formados em um curso de audiovisual ministrado pela Rede Anisío Teixeira.

Professor Nildson Veloso, Coordenador dos jogos teatrais. Foto: Peterson Azevedo.
Professor Nildson Veloso, coordenador dos jogos teatrais. Foto: Peterson Azevedo.

Os jogos têm como objetivo inserir o teatro na programação do Encontro, que conta com projetos de literatura, esportes, artes visuais, ciência, tecnologia, entre outros. Em converssa com nossa equipe, o coordenador do projeto salientou a importância das artes cênicas: “É muito importante porque o teatro é transformador; ele dá a possibilidade de pensar em outra forma de viver a vida, de resolver vários conflitos e entender que ele pode se transformar em outra pessoa, sem deixar de ser ele “.

O ator dos jogos teatrais, Nickson Lima. Foto: Roniton Fernandes
O ator dos jogos teatrais, Nickson Lima. Foto: Roniton Fernandes

O estudante Nickson Lima, 17 anos, estuda no Colégio Estadual de Aplicação Anisío Teixeira e é um dos participantes da atividade. “Este evento é importante, pois mostra que o aluno também pode ensinar e a gente está aqui justamente pra isto: mostrar que todos podem ser professores em alguma coisa”.

O estudante-repórter Roniton Fernandes. Foto: Raulino Júnior
O estudante-repórter Roniton Fernandes. Foto: Raulino Júnior

Roniton Fernandes tem 18 anos, é estudante do Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

O ensaio é geral e o tempo das artes literarias é agora!

Estudante-repórter: Dandara Lopes

Fala, galerinha! Tudo bem?

Estamos no 4º Encontro Estudantil, no ensaio geral do TAL (Tempos de Arte Literária).

O TAL, neste ano, está com o objetivo de fazer com que as palavras “criem vida e lutem”, sejam a voz dos estudantes e jovens do Estado da Bahia.

No áudio a seguir, um pouco sobre o ensaio geral do TAL.

Confira:

A estudante-repórter Dandara Lopes. Foto: Raulino Júnior
A estudante-repórter Dandara Lopes. Foto: Raulino Júnior

Dandara Lopes tem 14 anos, é estudante do Colégio Estadual Governador Lomanto Júnior, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

Diversidade étnica e cultural no 4° Encontro Estudantil

Estudante-repórter: Lucicarla Lima

Uma das telas expostas na II Mostra Faces da Escola. Foto: Peterson Azevedo
Uma das telas expostas na II Mostra Faces da Escola. Foto: Peterson Azevedo

A II Mostra Fotográfica Faces da Escola traz uma exposição de pessoas, culturas e comunidades baianas, sob o olhar de educadores da rede pública de ensino. Foi necessário viajar por várias cidades do interior do estado, filmando e documentando as diversas culturas e identidades do povo baiano.

O fotógrafo e educador Peterson Azevedo conversa com a estudante-repórter Lucicarla Lima. Foto: Rodrigo Maciel
O fotógrafo e educador Peterson Azevedo conversa com a estudante-repórter Lucicarla Lima. Foto: Rodrigo Maciel

A exposição mostra uma diversidade étnica muito grande: brancos, negros e índios. A Mostra investiga um pouco da indentidade cultural desses povos. Peterson Azevedo, fotógrafo e professor da Rede Anísio Teixeira, conta a importância do Faces da Escola para a educação: A obras mostram, por meio da imagem, o protagonismo juvenil, o fazer desses estudantes; e mostra que a escola pública não é suja ,não é degradada, acabando com essa ideia de que estudante de escola pública não produz e não tem identidade. Os estudantes e professores são fundamentais para mostrar ao mundo que a escola pública é viva e se faz em qualquer lugar e em qualquer momento”, filosofou. Todas as obras expostas são de autoria do educador.

Jesiana Silva fala de suasimpressões sobre a II Mostra.Foto: Peterson Azevedo
Jesiana Silva fala de suasimpressões sobre a II Mostra.Foto: Peterson Azevedo

A estudante Jesiana Silva, 15 anos, do Colégio Estadual Padre Palmeira, em Salvador, achou a exposição interessante. “Mostra a identidade das pessoas. Acho que deveria ser feita em todas as escolas”.

A estudante-repórter Lucicarla Lima. Foto: Raulino Júnior
A estudante-repórter Lucicarla Lima. Foto: Raulino Júnior

Lucicarla Lima tem 17 anos, é estudante do Colégio Estadual José Tobias Neto, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

“Xadrerizando…”

Estudante-repórter: Érica de Jesus

Oi, turma! Tudo bem?

Rita Boenes explica os benefícios do jogo de xadrez. Foto: Bira Mendes
Rita Boenes explica os benefícios do jogo de xadrez à nossa estudante-repórter. Foto: Bira Mendes

Rita Boenes, 50 anos, professora de educação física, trabalha há cinco anos com jogos de xadrez, no Colégio Estadual Duque de Caxias (CEDC), localizado no bairro da Liberdade, em Salvador. “Além de diversão e entretenimento, os alunos desenvolvem habilidades cognitivas, raciocínio lógico, comportamental e educacional. Sendo assim, auxilia os alunos nas matérias exatas e nas de sociologia e filosofia”, afirma Rita.

Denilson Oliveira participou do Festival de Xadrez. Foto: Bira Mendes
Denilson Oliveira participou do Festival de Xadrez. Foto: Bira Mendes

O estudante Denílson Oliveira, 17 anos, que cursa o 3° ano do Ensino Médio, no CEDC, foi um dos participantes da competição Festival de Xadrez, no 4° Encontro Estudantil, contou um pouco sobre a sua experiência com o jogo de xadrez: “Quando você se dedica ao xadrez, você vê a vida e as pessoas com um olhar abrangente, onde não há nada impossível. Podemos superar todas as barreiras”. Xeque-mate!

A estudante-repórter Érica de Jesus. Foto: Raulino Júnior
A estudante-repórter Érica de Jesus. Foto: Raulino Júnior

Érica de Jesus tem 21 anos, é estudante do Centro Estadual de Educação Profissional da Bahia, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

Agora o AEW está mais perto de você!

Estudante-repórter: Lucicarla Lima

Olá, galera!

O Ambiente Educacional Web (AEW) é um espaço pedagógico em que estudantes e professores podem acessar, compartilhar e construir conhecimentos por meio das tecnologias da informação e da comunicação .

Em comemoração aos seus 5 anos, foi lançada,  durante o 4° Encontro Estudantil, a nova versão do AEW. Agora, conta com layout dinâmico e que permite a navegação mobile. Ou seja, em smartphones, tablets, notebooks etc. O coordenador da Rede Anísio Teixeira, Yuri Wanderley,  contou um pouco sobre a  plataforma educacional: Tudo que está no AEW é livre. São vídeos, jogos, animações que possibilitam à pessoa estudar da forma que ela se sente à vontade. A novidade é que ele pode ser acessado em um smartphone ou tablet. Então, resolvemos surfar nessa onda desses dispositivos, nessa plataforma que é livre e feita por professores da escola pública”.

Lucicarla Lima conversa com Yuri Wanderley sobre o novo AEW. Foto: Bira Mendes
Lucicarla Lima conversa com Yuri Wanderley sobre o novo AEW. Foto: Bira Mendes

O AEW continua com os conteúdos digitais catalogados. O estudante pode fazer a busca pelo conteúdo de seu interesse e ainda pode encontrar sites temáticos, com garantia da licença livre, sem nenhum tipo de restrição quanto ao uso.

O secretário da Educação, Osvaldo Barreto,prestigia o lançamento do novo AEW. Foto: Bira Mendes
O secretário da Educação, Osvaldo Barreto, prestigia o lançamento do novo AEW. Foto: Bira Mendes

O evento de lançamento da nova versão da AEW contou com a presença do secretário da Educação do Estado da Bahia, Osvaldo Barreto. Eu acho relevante que este ambiente exista na secretaria e esteja se qualificando cada vez mais. Certamente, queremos que estudantes e professores usem para estudar além da sala de aula”, afirmou.

A estudante Salvimara de Oliveira fala sobre a importância do AEW. Foto: Bira Mendes
A estudante Salvimara de Oliveira fala sobre a importância do AEW. Foto: Bira Mendes

A estudante Salvimara de Oliveira, 18 anos, do Colégio Modelo Luiz Eduardo Magalhães, de Bom Jesus da Lapa, disse que achou interressante o projeto, pois globaliza a inovação da internet no meio da sociedade, além de atrair a curiosidade dos jovens para um conhecimento melhor .

A estudante-repórter Lucicarla Lima
A estudante-repórter Lucicarla Lima

Lucicarla Lima tem 17 anos, é estudante do Colégio Estadual José Tobias Neto, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

Palestra discute educação profissional no 4º Encontro Estudantil

Estudante-repórter: Roniton Fernandes

Roniton Fernandes entrevista Almérico Lima. Foto: Bira Mendes
Roniton Fernandes entrevista Almérico Lima. Foto: Bira Mendes

Olá, amigos! Tudo bem?

Educação Profissional e Mundo do Trabalho foram os temas centrais da palestra que foi ministrada nesta quarta-feira, 2 de dezembro, pelo Superintendente de Desenvolvimento da Educação Profissional da Secretaria de Educação do Estado da Bahia, Almérico Lima. O debate discutiu assuntos como criação de currículos, vagas para estágio e inclusão de deficientes na educação profissional.

Uma das questões discutidas foi a inserção dos jovens no mercado de trabalho: “O mundo do trabalho exige três coisas básicas: escolaridade, experiência e conhecimento”, afirmou Almérico.

12313702_589716857833607_6990516106090309692_n
Kelvin Santos gostou do tema da palestra. Foto: Roniton Fernandes

O estudante Kelvin Santos, 17 anos, faz curso técnico em Segurança do Trabalho e revelou em entrevista o porquê do seu interesse em assistir à palestra: “É importante, pois amadurece o conceito de muita gente de como está o mercado de trabalho hoje em dia e também nos traz a importância de ser um bom profissional em cada aréa”, finalizou.

SAM_3287
O estudante-repórter Roniton Fernandes. Foto: Raulino Júnior

Roniton Fernandes tem 18 anos, é estudante do Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira, que fica em Salvador, e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.