IAT, por meio da Rede Anísio Teixeira, promove oficina de Produção de Mídias na Educação

Estudante-repórter: Gilana Ferreira

O Instituto Anísio Teixeira (IAT), por meio da Rede Anísio Teixeira, promove uma oficina de produção de mídias para os alunos do Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira (CEAAT). O início das aulas ocorreu no dia 17 de julho e, no dia 31, o curso será finalizado. Os alunos formados farão a cobertura da Campus Party, que acontece de 9 a 13 de agosto, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Você poderá conferir toda a cobertura aqui no Blog do Professor Web e da Professora Online.

Fig.1: Geraldo Seara fala sobre a oficina de Produção de Mídias na Educação. Foto: Yago Lima

A fim de saber mais sobre a oficina de Produção de Mídias na Educação (PME), fizemos uma entrevista com Geraldo Seara, professor da área de Letras e editor de vídeos. Ele é um dos professores do módulo de sofware de edição de vídeo na formação. Confira abaixo:

Blog do Professor Web e da Professora Online: Qual o trabalho do senhor na formação?

Geraldo Seara: Eu trabalho, basicamente, com a edição de videos.

BPWPO: Como é realizado o seu trabalho?

GS: Em geral, nos chegamos na escola ou os alunos vêm até aqui. Durante um período de tempo, nós estamos com eles para essas práticas. Não só para ver como se faz, como também aprender a fazer a partir daí.

BPWPO: Qual é o objetivo?

GS: Instrumentalizar estudantes e professores para o uso e leitura crítica desses modos de produzir, pois, durante muito tempo, nós assistíamos à TV passivamente. Víamos o produto lá, acreditávamos em tudo o que diziam e pronto. Agora, a partir do momento que a gente aprende a fazer, a gente começa a desconfiar daquilo que está sendo veiculado.

BPWPO: O que é a PME?

GS: A gente tem mania de colocar abreviatura em tudo, fica parecendo nome de rémedio (risos). É a Produção de Mídias na Educação. No caso aqui, produção para um blog, que é diferente de uma produção para TV e vídeo, que é diferente de rádio. Cada meio tem a sua própria linguagem. Então, a Produção de Mídias na Educação (PME) é isto: um curso de formação para atuar na produção de conteúdos para os vários meios: escritos, televisados etc.

Fig. 2: Geraldo falou ainda sobre a participação dele na oficina. Foto: Yago Lima

BPWPO: Qual o objetivo da PME?

GS: É criar parcerias. O IAT é um instituto de formação de professores, mas nós sabemos que os professores sozinhos não dão conta dessa tarefa, que é muito grande. Então, quanto mais pessoas formamos para auxiliar a escola, melhor.

BPWPO: Quais os módulos abordados durante o curso?

GS: Fotografia, blog, edição de vídeos, produção audiovisual, entre outros.

BPWPO: São aceitos estudantes de todos os colégios?

GS: Por enquanto, só aceitamos estudantes da rede pública estadual. Mas o nosso interesse é que todos vocês sejam multiplicadores e atuem na escola e no bairro de vocês.

BPWPO: Onde as aulas são realizadas?

GS: Normalmente, vamos às escolas, no caso de escolas situadas em cidades no interior. Em geral, a maioria acontece aqui em Salvador, ou no IAT ou na própria escola.

BPWPO: Quem foi o criador da PME?

GS: Ela vem do bojo desse programa de difusão de mídias e softwares educativos da Rede Anísio Teixeira. Ela é composta da TV Anísio Teixeira, do Blog do Professor Web e da Professora Online e de um grande repositor de mídias educativas e livres.

BPWPO: Quando foi criada?

GS: Em 2013.

Anúncios

Uma nova oportunidade para o CEAAT

Estudante-repórter: Jefferson Costa

O curso de Produção de Mídias na Educação (PME), promovido pelo Instituto Anísio Teixeira (IAT), através da Rede Anísio Teixeira, está com uma nova turma, dessa vez formada por estudantes do Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira (CEAAT). A ideia, mais uma vez, é a de que, depois do curso, os estudantes implantem um núcleo de mídias no colégio.

A formação oferece módulos de diversas áreas da comunicação, como audiovisual, fotografia e produção textual.

A implantação do núcleo da PME dentro da instituição terá como o principal objetivo incentivar esses jovens a conhecerem as diversas áreas da comunicação e das mídias digitais. O projeto terá apoio dos concluintes da PME e incentivo da direção do colégio.

Alguns alunos e professores foram entrevistados, para que pudessem opinar sobre esta novidade no CEAAT. “Seria uma forma de os alunos, que não possuem condição de pagar um curso fora do colégio, ter acesso ao mercado de trabalho com mais facilidade”, disse Bruno Vinicius, 18 anos.

Fig. 1: Raine e Bruno comentam sobre o núcleo de mídias: inserção no mercado de trabalho. Foto: Rodrigo Bertoldo

A minha opinião é a mesma que a de Bruno: seria uma forma de a gente aprender. Existem pessoas que não possuem condições e esse curso, além de nos proporcionar um aprendizado a mais, já ajudaria no mercado de trabalho”, acredita Raine Nunes, 16 anos.

Fig.2: Marco Antônio acha que a novidade vai ajudar os estudantes nos trabalhos escolares. Foto: Rodrigo Bertoldo

Para Marco Antônio, professor de geografia da unidade, o acesso a novas mídias vai auxiliar na qualidade dos trabalhos escolares: Que os alunos tenham acesso a essas novas mídias, para que, quando passarmos uma atividade em sala de aula, eles executem com perfeição”.

O coração do IAT

Estudante-repórter: João Pedro Santos

Ana Moreira, funcionária do Instituto Anísio Teixeira (IAT), foi entrevistada com o objetivo de falar sobre a importância do trabalho que ela realiza. A sua função é acompanhar os eventos e dar suporte logístico aos participantes do cursos. O setor no qual ela trabalha, a Coordenação de Logística de Cursos e Eventos (CLC), tem que comprovar perante o Tribunal de Contas todas as despesas do evento.

Fig.1: Coordenação de Logística de Cursos e Eventos. Foto: Marcos Valerio.

Ela cadastra os participantes e também é responsável pela lista de presença. O seu setor é constituído por quatro pessoas (um coordenador e três técnicos). O trabalho é dividido igualitariamente, tanto para o coordenador quanto para os técnicos, que acompanham todos os eventos.

Fig.2: Ana Moreira responde as perguntas do repórter. Foto: Marcos Valerio.

Quando questionada como se sente trabalhando com estudantes, ela responde: “É bom. É um público que sempre está aqui a fim de aprender coisas novas. Eu vejo que vocês têm o interesse de aprender coisas novas. Isso é bom pra gente também, porque o Instituto sempre está aberto para receber os estudantes da rede estadual de ensino”.

Projeto da Rede Anísio busca transmitir conteúdos em rádio para a comunidade escolar

Estudante Repórter: Roniton Fernandes

Uma proposta de nova mídia para fazer parte da grade da Rede Anísio Teixeira (Rede AT) foi lançada hoje, 30 de novembro, durante o Inovatec. Os professores Carlos Barros, Joalva Moraes e Geize Gonçalves, que integram a Rede AT, são os responsáveis pelo projeto experimental da Rádio Anísio Teixeira, que tem como objetivo compartilhar matérias escolares sobre histórias da Bahia, cultura e  sociedade baiana. O programa tem como principal público os estudantes e professores da rede pública de ensino.

Fig 1: Geize Gonçalves, Joalva Moraes, Carlos Barros Foto: Carol Aguiar

Fig. 1: Geize Gonçalves, Joalva Moraes e Carlos Barros. Foto: Carol Aguiar

A rádio terá programas de 5 minutos  e enquetes, entrevistas com especialistas e estudantes, além de dicas de livros e filmes. Em entrevista à nossa equipe, a professora e jornalista Joalva Moraes explicou o projeto: “É um programa rápido de cinco minutos, que vai servir de disparador e estímulo para que professores iniciem discussões na sala de aula”.

Fig 2: Joalva Moraes Foto: Carol Aguiar

Fig. 2: Joalva Moraes. Foto: Carol Aguiar

Um dos objetivo do projeto é dar força à resistência do rádio, que, apesar das inovações, se mantém como uma ferramenta importante da comunicação. Para que essa ideia se propague, ele tem, como aliadas, as mídias virtuais da Rede Anísio. “Os conteúdos estarão disponibilizados no Ambiente Educacional Web, que é a plataforma do Instituto Anísio Teixeira, e também na Rádio Educadora. Ou seja, as pessoas terão acesso amplo”, disse o professor Carlos Barros.

Fig 3: Carlos Barros Foto: Carol Aguiar

Fig. 3: Carlos Barros Foto: Carol Aguiar

 

O estudante-repórter Roniton Fernandes. Foto: Raulino Júnior

O estudante-repórter Roniton Fernandes. Foto: Raulino Júnior

Roniton Fernandes tem 19 anos, é estudante do Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira, localizado em Salvador, e faz parte da equipe da Cobertura Colaborativa Estudantil.

Arena Games e Educação

Estudante-repórter: Lucicarla Lima

O I Congresso Baiano de Inovação e Tecnologia na Educação (Inovatec) trouxe novidades também para os estudantes, como o uso de games como meio de aprendizagem. Com o universo dos games, a complexa linguagem de programação se torna mais prazerosa e interessante para os estudantes. Esse é o objetivo da Arena Games.

A professora de informática, Patrícia Melo, que ensina Lógica e Técnica de Programação, no Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira (CEAAT), conta que a proposta é trazer jogos, como o Sudoku, para os estudantes aprenderem a desenvolver raciocínio lógico. Assim, o processo educacional fica muito mais lúcido.

sam_1087

Fig. 1: A professora Patrícia Melo explica como os games auxiliam o processo de ensino e de aprendizagem, enquanto André Felipe mostra, no computador, mais um recurso de gamificação. Foto: Carol Aguiar.

Para Patrícia, é evidente os benefícios que os jogos possibilitam para os educandos. André Felipe, estudante do CEAAT, participou do Inovatec e mostrou para o público um pouco do que aprendeu, ressaltando que o ambiente de gameficação é totalmente diferente da sala de aula. “Eu estou impressionado com um publico tão extenso. Quando as pessoas chegam aqui na Arena, cada um tem o seu jogo e cada um leciona sobre seu jogo”.

sam_1094

Fig. 2: Games como recurso didático. Foto: Carol Aguiar. 

 

Estudante: Lucicarla Foto: Caroline Aguiar

Estudante-repórter: Lucicarla. Foto:Carol Aguiar

 

Lucicarla Lima tem 18 anos e faz parte da equipe de Cobertura Colaborativa Estudantil.

Mídia na sala

Estudante-repórter: Eduardo Marins

Estudantes da rede pública estadual participaram do curso de Produção de Mídias na  Educação, da Rede Anísio Teixeira. As aulas duraram quinze maravilhosos dias e contaram, no final, com uma Cobertura Colaborativa. Nela, os estudantes puseram em prática tudo que foi aprendido no processo. A formação contou com com conteúdos de produção textual para multimeios, fotografia, roteiro, produção de vídeo, podcast, edição, finalização, uso de softwares e licenças livres.

imagem-do-auto

Fig. 1:  Estudantes produzindo matéria jornalística. Foto: Eduardo Marins

A importância do curso vai muito além das próprias matérias. Aquele que participa passa de mero espectador, que recebe o conteúdo pronto, para alguém que julga com real conhecimento o que recebe, e que também produz.

equipe-plano-geral

Fig. 2:  Uma das equipes de audiovisual da Cobertura Colaborativa. Foto: Eduardo Marins

Mídia é?

O que é a mídia atualmente?
Um veículo de comunicação?
Um manipulador que mente?
Ou um espelho da população?

Dizem que a TV aliena,
Mas é você que desliga o coração e liga a antena
Nossa mente, todo dia, bombardeada de mensagem
E não mais se há triagem do que se assimila

A massa controla a mídia
A mídia controla a massa
A história se entrelaça
Se mantendo parada na estampa da vidraça

Mas tudo isso muda quando se aprende
E o ensinamento não tende a morrer quando é propagado
Sendo ensinado todo o processo, tudo será mudado
E só haverá produtor e nenhum manipulado.
Mas é impossível dizer sequer o que a mídia é…

Educação a Distância no Inovatec

Estudante-repórter: Lucicarla Lima

O I Congresso Baiano  de Inovação e Tecnologia na Educação (Inovatec) ofereceu aos participantes diversas atividades. Entre  elas, o lançamento do livro Educação a Distância: Impactos nos Planos Profissional e Pessoal, da professora Letícia Machado. Na obra, a autora mostra a importância da educação a distância e de como ela pode modificar a vida profissional das pessoas, desde que elas se envolvam com responsabilidade e compromisso.

Foto- Caroline Aguiar

Fig. 1: Educação a distância em discussão. Foto: Carol Aguiar

Além disso,  o volume propõe mostrar aos leitores as diversas formas de EAD (Educação a Distância), considerando as particularidades de cada uma.

autora

Foto- Caroline Aguiar

Na entrevista que concedeu à nossa equipe, a professora disse: “Fui aluna de colégio público e sempre gostei muito de escrever. Trago isso como uma motivação para os alunos da rede estadual, como uma forma de ver que eles são capazes de fazer qualquer atividade”.

sam_1104

Estudante-repórter: Lucicarla Lima. Foto: Carol Aguiar

Lucicarla Lima tem 18 anos e faz parte da equipe da Cobertura Colaborativa Estudantil.