Dinheiro: da moeda ao bitcoin

Olá, pessoal!

Escambo. A moeda, como hoje a conhecemos, é o resultado de uma longa evolução. No início, não havia moeda. As transações comerciais eram realizadas através de simples troca de mercadoria por outra, sem equivalência de valor. A esta transação se dá o nome de escambo. “Algumas mercadorias, pela sua utilidade, passaram a ser mais procuradas do que outras. Aceitas por todos, assumiram a função de moeda, circulando como elemento trocado por outros produtos e servindo para avaliar-lhes o valor”, segundo o site Banco Central do Brasil. Eram as moedas–mercadorias, como foi o caso do gado (do latim pecus) e do sal. Essa forma de comércio, porém, não permitia o acúmulo de riquezas.

As primeiras moedas. Com a descoberta do metal, este foi eleito como principal padrão de valor por apresentar vantagens como a possibilidade de entesouramento, divisibilidade, raridade, facilidade de transporte e beleza. A Bíblia cita transações comerciais cujas moedas eram o ouro, a prata e o bronze. No século VII a.C., surgem, então, as primeiras moedas com características das atuais: pequenas peças metálicas, com peso e valor definidos e com a impressão da marca de quem as emitiu e garante o seu valor. Hoje, as moedas trazem impressas algumas personalidades de seu país. Provavelmente, a primeira figura histórica a ter sua efígie registrada numa moeda foi Alexandre, o Grande, da Macedônia, por volta do ano 330 a.C. No século I, o imperador César também teve sua efígie registrada no denário, conforme relata Jesus em Mateus 22.19 – 21. Além disso, já existiram moedas ovais, quadradas, poligonais etc., e de materiais como madeira, couro e até porcelana.

No final do século 19, o cuproníquel e, posteriormente, outras ligas metálicas, passaram a ser muito empregados, vindo a moeda a circular pelo seu valor gravado em sua face, que independe do metal nela contido.

5_CENTAVOS_Brasil_1998

Figura 1

A origem da cédula e do cheque. Na Idade Média, surgiu o costume de se guardar os valores com um ourives. Este, como garantia, entregava um recibo. Com o tempo, esses recibos passaram a ser utilizados para efetuar pagamentos, circulando de mão em mão e dando origem à moeda de papel. Com o advento do papel-moeda, a cunhagem de moedas metálicas ficou restrita a valores inferiores, necessários para troco. No Brasil, os primeiros bilhetes de banco, precursores das cédulas atuais, foram lançados pelo Banco do Brasil, em 1810. Tinham seu valor preenchido à mão, tal como hoje, fazemos com os cheques. No Brasil, a primeira referência ao cheque apareceu em 1845, quando se fundou o Banco Comercial da Bahia; mas, mesmo assim, sob a denominação de cautela. Só em 1893, pela Lei 149-B, surgiu a primeira citação referente ao cheque, no seu art. 16, letra “a”, vindo o instituto a ser regulamentado pelo decreto 2.591, de 7 de agosto de 1912.

Deodoro_da_Fonseca_na_nota_de_20_mil_réis_de_1925

Figura 2

Com o tempo, da mesma forma ocorrida com as moedas, os governos passaram a conduzir a emissão de cédulas, controlando as falsificações e garantindo o poder de pagamento. Atualmente, quase todos os países possuem seus bancos centrais, encarregados das emissões de cédulas e moedas. O conjunto de cédulas e moedas utilizadas por um país forma o seu sistema monetário. Este sistema, regulado por meio de legislação própria, é organizado a partir de um valor que lhe serve de base e que é sua unidade monetária (Real, Dólar, Euro, etc.). Atualmente, quase todos os países utilizam o sistema monetário de base centesimal, no qual a moeda divisionária da unidade representa um centésimo de seu valor (cêntimo, cents, centavos). Os países, por meio de seus bancos centrais, controlam e garantem as emissões de dinheiro.

Cartões de Crédito. O uso de moedas e cédulas está sendo substituído cada vez mais por pequenos cartões de plástico, que podem ser usados na compra de grande número de bens e serviços, inclusive em lojas virtuais, através da internet. Os cartões não são dinheiro real, simplesmente registram a intenção de pagamento do consumidor. Cedo ou tarde, a despesa terá de ser paga, em espécie ou em cheque. É, portanto, uma forma imediata de crédito.

O Cartão de Crédito surgiu nos Estados Unidos na década de 20. Em 1950, o Diners Club criou o primeiro cartão de crédito moderno, confeccionado em papel cartão e em 1955 passou a usar o plástico em sua fabricação. Em 1958, foi a vez do American Express lançar seu cartão. Na época, os bancos perceberam que estavam perdendo o controle do mercado para essas instituições e, no mesmo ano, o Bank of America introduziu o seu BankAmericard, que, em 1977, passa a denominar-se Visa; que hoje, juntamente com a bandeira MasterCard, lideram o setor, seguidas pela brasileira Elo. Os cartões facilitam a compra! Os cartões telefônicos também são um bom exemplo disso!

índice

Figura 3

O mais recente avanço tecnológico em termos de cartão foi o desenvolvimento do smart card, o cartão inteligente. Perfeito para a realização de pequenas compras, ele vem com um chip que pode ser carregado com uma determinada soma em dinheiro. À medida que o portador vai gastando, seu saldo vai sendo eletronicamente descontado. Quando o saldo acaba, o cartão pode ser carregado com uma nova quantia”, segundo o site Banco Central do Brasil. Um bom exemplo de smart card é o Salvador card para pagamento da passagem de ônibus e de metrô.

O Bitcoin. Recentemente, num ataque de hackers que afetou computadores de organizações de vários países, “sequestraram” o acesso aos dados e pediram uma recompensa para que o tivesse de volta. Para tanto, usaram um vírus de resgate que inutilizaram o sistema ou seus dados até que fosse paga uma quantia em dinheiro bitcoins! Foi aí, então, que o jovem britânico Marcus Hutchins, de 22 anos, entrou em cena. Ele gastou o equivalente a R$ 35,00 para comprar o endereço e conseguir analisar o comportamento do vírus. Mas, quando fez isso, sem querer, a propagação do programa foi interrompida, como se um “botão de segurança” tivesse sido ativado, levando à sua autodestruição. Mas, afinal, o que é bitcoin?

Segundo o site mandaê, bitcoin é uma moeda virtual criada em 2009 por um programador desconhecido, de pseudônimo Satoshi Nakamoto. Acredita-se que em algum momento um grupo de programadores ou o próprio Nakamoto teve a ideia de desenvolver um processo chamadomineração”. Nesse processo, os indivíduos ou empresas que doarem seus esforços para resolver enigmas matemáticos do sistema virtual têm como recompensa bitcoins recém-criados, que são liberados após uma decodificação. Como essas codificações a serem desvendadas são limitadas, novos bitcoins deixarão de ser produzidos e todas as transações serão feitas com os já existentes. Será quando o valor dessa moeda se estabilizará significativamente.

Além de mineração, a moeda virtual pode ser obtida em troca de dinheiro, produtos e serviços, além de ser possível ver a cotação do dia como qualquer outra. É possível enviar e receber bitcoin eletronicamente usando um software que serve como uma carteira virtual e pode ser implementado em um computador pessoal, dispositivo móvel ou um aplicativo web. As transações das carteiras são processadas, verificadas e registradas publicamente no meio virtual, mas apenas o seu ID é armazenado no registro público, não o seu nome real ou qualquer outro documento. O que garante, além de tudo, segurança nas transações.

Com o bitcoin, os empreendedores podem realizar seus maiores desejos: pagamentos recebidos instantaneamente, nenhuma taxa de transação, uma moeda universal e sem a intermediação de bancos ou qualquer outra entidade financeira, sendo você o único responsável sobre os valores das suas vendas. Conheça outras moedas virtuais aqui!

Com a informática, o dinheiro se transformou em impulsos eletrônicos invisíveis, livres do espaço, do tempo e do controle de governos e corporações”, afirmou  à Superinteressante, o antropólogo Jack Weatherford, da Faculdade Macalester, Estados Unidos, autor do livro A História do Dinheiro.

Visite o Museu Eugênio Teixeira Leal, o Museu do Dinheiro, especializado em moedas e condecorações e que tem um acervo composto por mais de 6000 peças. O Museu fica na Rua do Açouguinho, nº 1 – Pelourinho e funciona de terça a sexta feira das 9h às 18h; sábados das 13h ás 17h e domingos das 10h ás 14h. Visite a página no Facebook.

museu

Figura 4

Um abraço.

Samuel Oliveira de Jesus

Professor de Matemática da Rede Pública Estadual de Ensino da Bahia

REFERÊNCIAS

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Museu de valores do Banco Central. Disponível em <http://www.bcb.gov.br/htms/origevol.asp>. Acesso em 17/05/2017, às 14h51.

BITCOINS BRASIL. O que é bitcoins? Disponível em: <https://www.bitcoinbrasil.com.br/o-que-e-bitcoin/ >. Acesso em 17/05/2017, às 13h25.

BITCOIN FORUM. Disponível em: <https://bitcointalk.org/index.php?topic=1506059.0>. Acesso em 17/05/2017, às 13h44.

MANDAÊ. Moeda virtual: bitcoin como solução para as vendas. Disponível em: <https://www.mandae.com.br/blog/moeda-virtual-bitcoin-como-solucao-para-as-vendas/?utm_source=worldsense&utm_term=moeda+virtual&utm_campaign=mandae&utm_medium=referral&utm_content=creative%25252540desktop>. Acesso em 18/05/2017, às 14h.

METRIC CONVERSION. Disponível em: <http://www.metric-conversions.org/pt/moeda/bitcoin-em-real.htm>. Acesso em 18/05/2017, às 17h05.

SECULTBA – SECRETARIA DE CULTURA. Disponível em: <http://www.cultura.ba.gov.br/2017/03/13378/Museu-Eugenio-Teixeira-Leal-apresenta-seu-acervo-especial.html>. Acesso em 25/05/2017, às 14h40.

SUPERINTERESSANTE. Como surgiu o dinheiro? Disponível em <http://super.abril.com.br/cultura/como-surgiu-o-dinheiro>. Acesso em 19/05/2017, às 14h04.

TECMUNDO. Além dos bitcoins: conheça outras moedas virtuais. Disponível em: <https://www.tecmundo.com.br/bitcoin/46659-alem-dos-bitcoins-conheca-outras-moedas-virtuais.htm>. Acesso em 18/05/2017, às 14h16.

UOL NOTÍCIAS. Disponível em: <https://tecnologia.uol.com.br/noticias/redacao/2017/05/17/cocuproníquelnheca-o-heroi-que-conseguiu-parar-o-avanco-do-ataque-virtual-wannacry.htm>. Acesso em 18/05/2017, às 17h17.

WIKIPÉDIA. Dinheiro. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Dinheiro>. Acesso em 17/05/2017, às 14h16.

IMAGENS, acessada em 24/05/2017.

Figura 1: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:5_CENTAVOS_Brasil_1998.jpg

Figura 2: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Deodoro_da_Fonseca_na_nota_de_20_mil_r%C3%A9is_de_1925.jpg

Figura 3: http://www.publicdomainpictures.net/view-image.php?image=150326&picture=&jazyk=PT

Figura 4: https://www.google.com.br/maps/@-12.9723968,-38.5092847,3a,60y,181.61h,91.27t/data=!3m6!1e1!3m4!1sLRb9sI6D1l6nqCc9HWdpxA!2e0!7i13312!8i6656

Salvar

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s