Eu sei que é Junho! Tradições culturais no Nordeste do Brasil

O mês de junho no Brasil coincide com o início do inverno, estação caracterizada entre outras marcas pela diminuição da temperatura e também por manifestações mais ligadas aos elementos interioranos de nossa cultura.

As festas juninas apareceram Europa e ocorriam no período do solstício de verão para comemorar o início da colheita.  Eram realizadas pelos celtas, egípcios, entre outros povos. Inicialmente eram chamadas “junônias”, em referência à Juno (a deusa grega Hera), esposa de Júpiter (o Deus grego Zeus) e com a influência em crescimento da Igreja Católica na Europa e pela coincidência com o nascimento de João Batista (24 de junho), as festas passaram a se chamadas de “joaninas”.

No Nordeste Brasileiro, onde a temperatura cai menos que no Sul e Sudeste do país, as tradições juninas estão ligadas historicamente à forte presença europeia e à fé católica popular, que além de São João, cultua Santo Antônio e São Pedro nesse período festivo.

As celebrações juninas nesta região trazem como temática central a alegria da colheita do milho, do amendoim, da laranja, dos alimentos que sustentam uma região do país marcada pela seca e pelo descaso histórico do estado ao longo do tempo.

Praça_do_Forró

Praça do Forró, por Cido Carneiro (2010).

O Forró é o gênero que engloba diferentes manifestações de música e dança que são típicas da cultura junina. O Xote, Baião e Xaxado, além das Toadas, compõem um mosaico de estilos que juntos fazem a festa nas noites enluaradas dos sertões do Maranhão ao norte de Minas Gerais. Esses gêneros musicais e de dança foram popularizados no Brasil pós-década de 50 do século XX sobretudo através do trabalho realizado pelo cantor, compositor e acordeonista Luiz Gonzaga, também conhecido como o Rei do Baião.

O período de junho no nordeste brasileiro pode ser considerado como o momento em que o interior açucareiro (da cultura do açúcar colonial) mostra a força de suas tradições fortemente marcadas pelo catolicismo português. Na dança, os folguedos juninos são celebrados através das quadrilhas que chegaram no Brasil Imperial por influência francesa e se popularizaram no nordeste, onde ainda hoje as expressões “anarriê” e “anavantur” remetem à língua originária dessa dança de baile.

E como a cultura nordestina continua viva e sendo transformada a cada dia, o compositor Edilson Barreto (que foi aluno da Rede Estadual de ensino da Bahia) compôs a música Contos de Baião, que você pode conferir no Quadro Gramofone, do Programa Intervalo, Rede Anísio Teixeira no link abaixo:

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/tv-anisio-teixeira/programas/exibir/id/3830

 

Carlos Barros

Professor da Rede Estadual de Ensino da Bahia

2 thoughts on “Eu sei que é Junho! Tradições culturais no Nordeste do Brasil

  1. …fundamental, Carlos Barros, a sua VOZ HISTÓRICA!…parabéns!!!…

    • Obrigado, Raquel.
      Sempre bom saber que a comunicação se faz com fluência!
      Um abraço grandíssimo!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s