Radiola PW: Socorro

Oi! Tudo bem? Hoje, a dica de música da Radiola PW é Socorro, uma composição de Arnaldo Antunes e Alice Ruiz. A canção faz parte do repertório do CD Um som, lançado por Arnaldo em 1998.

Fig. 1: Arnaldo Antunes em cena do DVD Rosa Celeste, de 2012, em que canta a música Socorro. Imagem: captura de tela feita em 31 de maio de 2015

Fig. 1: Arnaldo Antunes em cena do DVD Rosa Celeste, de 2012, em que canta a música Socorro. Imagem: captura de tela feita em 31 de maio de 2016

A letra apresenta um eu lírico bastante desolado, procurando ânimo para viver. Logo no início, ele confidencia: Socorro, não estou sentindo nada/Nem medo, nem calor, nem fogo/Não vai dar mais pra chorar/Nem pra rir”. Esses versos mostram o desespero e a agonia de uma pessoa que está psicologicamente abalada. Na segunda estrofe, essa ideia é reforçada: “Já não sinto amor nem dor/Já não sinto nada”. A música é um banquete de substantivos abstratos.

A composição dá indícios de que a pessoa está com depressão e, por isso, pede socorro. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), depressão “é um transtorno mental comum, caracterizado por tristeza, perda de interesse ou prazer, sentimentos de culpa ou baixa autoestima, distúrbios do sono ou do apetite, sensação de cansaço e falta de concentração”. A estimativa é de que, em todo o mundo, 350 milhões de pessoas sejam afetadas pelo transtorno.

Num dado momento da letra, o eu lírico, em total desânimo, clama: “Socorro, alguém me dê um coração/Que esse já não bate nem apanha/Por favor, uma emocão pequena, qualquer coisa/Qualquer coisa que se sinta/Tem tantos sentimentos, deve ter algum que sirva”. Melancólico, não é?

Olha que interessante… 

Na linguagem informal, há casos em que o verbo ter é usado com o sentido de haver ou existir. Quando isso acontece, ele fica impessoal. Ou seja: não admite sujeito. Por isso, fica no singular. Na música Socorro, os compositores escreveram: “Tem tantos sentimentos, deve ter algum que sirva”. A forma “Tem” ficou no singular justamente por causa do que foi explicado acima. Vale ressaltar que a gramática normativa não reconhece o emprego do verbo ter no sentido citado aqui.

Até o próximo!

Raulino Júnior

Professor da Rede Pública Estadual de Ensino da Bahia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s