diferENTES!

Olá, pessoal!

A melhor forma de aprender os costumes e a história de qualquer civilização é conhecendo sua diversidade cultural, pois permite uma amplitude de conhecimentos. Fazer uma viagem por esses saberes, trilhando caminhos que perpassam pela história, geografia, arte e muitos outros da cultura, não somente brasileira, é reafirmar, antropologicamente, nossa condição humana.

A pluralidade cultural possibilita conhecer a origem, a diferença, a marca identitária de cada povo e está intrinsecamente ligada à multiculturalidade, porque reúne uma variante de fatores ligados à definição de cultura, diferentes manifestações e características peculiares.

O processo cultural vai se formando historicamente ao longo do tempo e se transformando no encontro da fusão de diferentes povos. O antropólogo brasileiro Darcy Ribeiro (1922-1997) afirma:

Preste atenção! O mais importante é inventar o Brasil que nós queremos. Surgimos da confluência, do entrechoque, do caldeamento do invasor português com índios silvícolas e com negros africanos. Somos uma cultura sincrética …” (RIBEIRO, 1995), trecho do livro “O Povo Brasileiro”, obra traduzida para o inglês (Brazilian People), que relata a formação histórica, étnica e cultural da nossa gente.

É partindo dessa ótica que os PCNs propõem educar numa lógica diferente, que busque um modelo que fomente o diálogo sobre Pluralidade Cultural como Tema Transversal, para a valorização de características étnicas e culturais de diferentes grupos sociais.

Dada a importância de considerar tais questões e de reconhecer o valor étnico dos diferentes povos que contribuíram,significativamente, para a formação do nosso país onde tiveram seus direitos negligenciados, violados e que se mostram ainda no palco de lutas foram instituídos dias que marcam o traçado histórico, como se pode observar:

O I Congresso Indigenista Interamericano ocorrido no México em 1940 instituiu “O Dia do Índio embora, deva ser considerado todos os dias. No Brasil, somente em 1943, por determinação do presidente Getúlio Vargas, do Marechal Cândido Rondon, um dos pioneiros na luta pela causa indígena no país.

O Dia da Consciência Negra no Brasil que foi instituída em 2003 e em 2011 foi sancionada a lei que permite que algumas cidades decretem feriado. A lei 10.639/03 deixa claro ainda, a obrigatoriedade do ensino da história africana, afro-brasileira e indígena no país.

Viver em sociedade é uma negociação permanente com a diversidade e quem se nega a essa dinâmica provoca ações discriminatórias ou promove o Etnocentrismo, gerando o separatismo cultural. Qual o princípio que valida o que é certo ou o que é errado? É aí que entra o Relativismo cultural , que defende a ideia de que o bem e o mal, o certo e o errado são relativos a cada cultura o que faz valer um princípio essencial ao bom convívio: Respeito. Respectu. Respeto. Rispetto. Respect. Portanto, não importa qual idioma porque todo mundo,no mundo todo quer mesmo é PAZ! Porque o maior desafio está em possibilitar a harmonia entre os povos indígenas, os povos negros e os imigrantes europeus e asiáticos que contribuíram para uma formação miscigenada. E viva o POVO BRASILEIRO!

Mônica Mota

Professora da Rede Pública de Ensino da Bahia