Cidadania e Meio Ambiente – Parte 1

Muito se fala que a principal função da educação atualmente é a formação de cidadãos. Mas você sabe o que significa cidadania? E o que é necessário aprender para ser um cidadão?

As respostas podem ser complexas e não tão claras. Entretanto, é possível afirmar que a cidadania requer conhecimento sobre a sociedade em que estamos inseridos e sobre o meio ambiente que contém essa sociedade.

Estamos integrados a uma rede anterior à internet. Podemos considerar que fazemos parte de um único organismo vivo: o planeta Terra! Cada intervenção que o homem faz na Natureza tem consequências que podem ser, algumas vezes, desastrosas. Um cidadão do planeta Terra precisa conhecer sobre o meio ambiente para poder fazer escolhas conscientes e que contribuam para o equilíbrio de todos os integrantes dessa rede viva. É o que pode ser chamado de equilíbrio ecológico.

O nosso próprio corpo reflete a interação que temos com o meio ambiente. Povos oriundos das zonas entre os trópicos, a região que recebe a maior incidência de raios solares, apresentam características típicas como maior concentração de melanina na pele e escamas dos fios de cabelos abertas, resultando em uma aparência mais crespa. Nas regiões frias, os povos possuem menos melanina e fios de cabelos com escamas mais fechadas. É claro que as migrações e as miscigenações resultaram na diversidade tão evidente em nosso Estado da Bahia. As sensações de frio ou de calor causam respostas muito características no nosso corpo.

Mas, será que enquanto cidadãos, temos conhecimento das condições do meio ambiente do nossa querida Bahia? A seguir, citamos alguns problemas ambientais que já foram notícias e que são objeto de algumas pesquisas:

Contaminação por matéria orgânica dos rios que são tratados pela embasa

os rios que abastecem as estações de tratamento de água da Empresa Baiana de Saneamento (EMBASA) recebem toneladas de matéria orgânica proveniente de redes de esgoto clandestinas e escoamento de efluentes industriais. O tratamento fica mais difícil, mais caro e com eficiência comprometida quando a água a ser tratada tem uma carga orgânica alta.

Contaminação do ar atmosférico no pólo petroquímico de Camaçari

O Polo Petroquímico de Camaçari teve sua implantação iniciada em meados da década de 70 e trouxe desenvolvimento econômico muito grande para a região. Entretanto, a rede de Monioramento do Polo somente foi uma exigência oficial em 1994. Foi criada a CETREL – Central de Tratamento de Efluentes – empresa responsável pelo controle e fiscalização da qualidade dos efluentes das indústrias do polo, dentre estes as emissões gasosas. Gases como o dióxido de enxofre, óxidos de nitrogênio e monóxido de carbono podem ser responsáveis por doenças e danos no aparelho respiratório de homens e outros animais, além de prejudicar a vegetação, inclusive com a ação de chuvas ácidas formadas pela combinação desses gases com a água na atmosfera.

Contaminação da Baia de Todos os Santos por Hidrocarbonetos

Muitos acidentes ambientais decorrentes de vazamentos de petróleo e seus derivados foram registrados na Baía de Todos os Santos (ver figura a seguir) desde a criação de Refinaria Nacional de Petróleo S.A., também conhecida com Refinaria Landulpho Alves – RLAM. Cercada por manguezais e comunidades de pescadores e marisqueiros, a Baía de Todos os Santos é um berçário natural para fauna e flora marinhas, por isso é muito sensível a contaminações. Várias medidas foram tomadas pela PETROBRÁS para minimizar o impacto ambiental e social para a baía, porém, é preciso conhecer estes impactos.

 

Contaminação por radioatividade em Caetité

O urânio essencial para a produção de energia nas usinas nucleares ou para o desenvolvimento de armas nucleares é explorado também na região de Caetité. Toda exploração de minério gera toneladas de resíduos que se dispersam na forma de efluentes líquidos e atmosféricos (gases e particulados). O ministério da Ciência e Tecnologia revela que desde 2000 já ocorreram, em Caitité, várias contaminações das águas subterrâneas e superficiais por metais pesados e particulados em várias ocasiões.

Estudos da Universidade Estadual de Santa Cruz, em Ilhéus-BA, concluíram que a população de Caetité ingere cem vezes mais urânio do que a média mundial. A exposição a doses de radiação muito altas podem causar falência do Sistema Nervoso Central e síndrome gastrointestinal que pode levar a morte em questão de horas ou dias. A exposição a doses menores pode ser acumulativa, podendo levar ao surgimento de câncer após alguns anos ou décadas.

Ródnei Souza

Professor da Rede Pública Estadual de Ensino

Anúncios

One thought on “Cidadania e Meio Ambiente – Parte 1

  1. Gostei muito do conteúdo abordado, meio e ambiente e cidadania, um tema atual bastante discutido e comentado em nosso meio. Fiquei sabendo de alguns produtos químicos gerados por indústrias,que estão contaminando nosso solo, isso precisa ser divulgado, para que as autoridades tomem as devidas providencias. Contribuições como essas são muito importantes para os professores do Estado da Bahia e a comunidade em geral. É preciso criarmos o hábito do acesso a esses ambientes de aprendizagem para que possamos enriquecer nossas aulas e beneficiar nossos alunos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s