Acervo Multimídia das Línguas Indígenas da Amazônia

Um acervo multimídia disponível para estudantes, professores e pesquisadores interessados em conhecer um pouco mais sobre a história e cultura dos indígenas. Esse é o predicado de um sujeito chamado Museu Paraense Emílio Goeldi. A instituição é vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Foi fundada em 1866 e, desde então, realiza pesquisas científicas. Emílio Goeldi era zoólogo de origem suíça, viveu uma época no Brasil e publicou trabalhos relacionados à questão racial, à relação entre natureza e cultura e  à etnologia.

AcervoDigital

Captura de tela feita em 16/4/2015. Clique na imagem para acessar o site.

No site do acervo digital, é possível encontrar um vasto material sobre a diversidade linguística e cultural da Amazônia brasileira e também sobre outras práticas culturais. O acervo é constituído de textos, filmagens, músicas, gravações de áudio, atividades e fotografias. Além disso, há seções de línguas por família linguística, por ordem alfabética e por estado. É importante destacar que grande parte do conteúdo é documentada por pesquisadores indígenas. Ou seja, pessoas que estão diretamente ligadas aos aspectos culturais desses povos. Isso é muito bom.

Outra dica

Outra dica bem bacana é o site Povos Indígenas no Brasil. Nele, há uma seção de línguas que fala sobre multilinguismo e o trabalho dos linguistas. A seção sobre troncos e famílias é bem rica em dados. De acordo com informações constantes na página, “mais de 150 línguas e dialetos são falados pelos povos indígenas no Brasil”. Interessante, não é?

Raulino Júnior

Professor da Rede Pública Estadual de Ensino

Anúncios
This entry was posted in História e Cultura Indígena, Linguagens e códigos, Literatura, Português, RSCJ, Temas Transversais and tagged , , , , by Raulino Júnior. Bookmark the permalink.

About Raulino Júnior

Raulino Júnior é professor de língua portuguesa da rede estadual de ensino da Bahia, especialista em Estudos Linguísticos (UEFS, 2008), jornalista e produtor cultural. Formou-se em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS, 2006) e em Jornalismo (2014) e Produção em Comunicação e Cultura (2016) pela Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (Facom/UFBA). Compõe desde a adolescência e, com a música "Mudanças", ficou em 3º lugar no 1º Festival de Música do Servidor Público, promovido pela Secretaria da Administração do Estado da Bahia (SAEB), em 2013. É autor do "Desde que eu me entendo por gente", blog de experimentações jornalísticas com ênfase em jornalismo cultural, integrante da produtora "Contramão Comunicação e Cultura", idealizador e apresentador do "Monotemático", programa de entrevistas com autores de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs). Desde 2013, integra a equipe de professores da Rede Anísio Teixeira, programa de difusão de mídias e tecnologias educacionais da Secretaria da Educação do Estado da Bahia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s