Meio milhão de acessos foi alcançado, mas a meta principal é contribuir com a educação

PW-500-mil-acessos-CAPA-FACE

O número de acessos ao blog tem crescido gradualmente e o que nos deixa mais felizes é identificar que postagens com conteúdos curriculares, dentro de uma proposta interdisciplinar, são as que têm apresentado os melhores resultados. Como é possível observar no quadro com as 10 páginas mais vistadas do blog no último trimestre, todas as áreas do conhecimento estão contempladas e são bem procuradas.

Página inicial / Arquivos

24.038

O que é renderizar?

2.539

Os personagens da independência

1.955

Cine PW: “Crianças Invisíveis”

1.070

Arte cinética ou o cinetismo

893

Código de barras – Pura Matemática!

831

Super dicas para o ENEM

747

A linguagem e suas funções

695

As ações humanas e seus reflexos na natureza.

667

Linguagem binária: Que lingua é essa?

602

Nos últimos anos, as postagens voltadas para temas transversais tornaram-se prioritárias e começaram a fazer parte de campanhas publicadas no Portal da Educação e no Ambiente Educacional Web. Além disso, as postagens com dicas sobre uso e produção de mídias também aparecem como marcas fortes no blog e ganharam um tópico especial entre os itens de menu.

Há muito o que comemorar, mas o melhor de tudo é que o blog passou a ser efetivamente gerido por professores e estudantes da rede pública estadual de educação da Bahia. Com muita felicidade, vemos o fortalecimento do blog, inicialmente utilizado como um espaço para noticiar e dar dicas, como um espaço de compartilhamento de produções da rede pública. Veja postagens de professoras(es) e de estudantes da Bahia.

Agradecemos a todas as pessoas que ajudaram a construir o blog, compartilhando textos, críticas e sugestões. Agradecemos também a cada pessoa que passa por aqui de maneira silenciosa, mas deixa a impressão de que estamos no caminho certo. Todas(os) vocês fazem parte disso e, para o futuro, desejamos cada vez mais interação…

Gratidão.

Grande abraço!

Equipe do Blog da Professora Online e do Professor Web.

Anúncios

Cine PW: Samba Riachão

O documentário Samba Riachão (2001), de Jorge Alfredo, é uma obra bastante significativa para quem quer saber e entender um pouco sobre a história do samba, principalmente o da Bahia. Ao colocar o sambista Riachão como protagonista, o cineasta produziu uma narrativa em que fica evidente o quanto Clementino Rodrigues, verdadeiro nome de Riachão, se confunde com o samba. E vice-versa. O nome do documentário já evidencia isso. É como se Jorge batizasse uma vertente do samba como sendo “Riachão”, para contrapor à samba-canção, samba de roda, samba-reggae e etc. Por isso, não há vírgula no título. O “Riachão”, no caso, não é vocativo; é adjetivo. Ou seja, o nome do filme não remete a um comando para que Riachão sambe (com a vírgula: “Samba, Riachão”), mas traz a ideia de que Riachão é o próprio samba. Boa sacada!

A obra

Os oitenta e nove minutos do filme trazem depoimentos de pessoas famosas do cancioneiro brasileiro, como Dorival Caymmi, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Carlinhos Brown, Armandinho, Daniela Mercury e Tom Zé. Todos falam sobre samba e sobre Riachão. Estudiosos da área também depõem sobre o ritmo e fazem elogios ao cronista do samba baiano, como Riachão é conhecido.

A obra adentra na intimidade de Clementino, com locações na casa dele, no Pelourinho, onde Riachão sempre aparece cercado de amigos, fazendo uma roda de samba, e no bairro do Comércio. Numa das tomadas, o documentário mostra Riachão se preparando para sair de casa. Nesse sentido, todas as atenções se voltam para o emblemático e já folclórico figurino do artista, em que uma toalha está sempre no pescoço.

Um pouco mais de Riachão

Clementino Rodrigues nasceu em 14 de novembro de 1921, na Fazenda Garcia, em Salvador, onde continua morando atualmente. Ele tem mais de 500 composições criadas, sendo as mais conhecidas Cada Macaco no Seu Galho (que já foi gravada por Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gang do Samba, Lampirônicos e Anastácia), Retrato da Bahia (gravada por Trio Nordestino) e Vá Morar com o Diabo (que se popularizou na gravação feita por Cássia Eller, em 2001). Riachão costuma dizer o seguinte sobre sua própria arte: “Eu sou o artista que me torno uma nota musical para levar alegria ao povo”.

Em 2009, a Assembleia Legislativa do Estado da Bahia publicou o livro Riachão: o cronista do samba baiano, de autoria da jornalista Janaína Wanderley da Silva. A biografia integra a coleção Gente da Bahia, que é distribuida gratuitamente. Quem tiver interesse em adquirir o livro sobre Riachão (e os outros títulos da coleção!), basta enviar um e-mail para cerimonialba@gmail.com e solicitar. Há poucos exemplares no acervo. Então, corra!

#FicaADica: o vocativo é uma palavra ou expressão utilizada para se referir a um interlocutor. Ou seja, a alguma pessoa com a qual a gente conversa. A ideia é expressar um chamado. O vocativo é acompanhado de uma pausa e, quando vem no interior de uma oração, deve vir acompanhado de vírgula. Exemplos: “Canta aí, Riachão!”, “Senhor, que horas são?”, “Não adianta disfarçar, professora, a gente já percebeu que a senhora está chorando”.

Diversidade étnico-racial é destaque no programa Intervalo

O quadro Diversidades, que integra o programa Intervalo, produção da TV Anísio Teixeira que estreou no dia 28 de outubro, na TVE-BA, discute temas que são debatidos com frequência na sociedade. O objetivo é  ouvir a opinião da comunidade escolar sobre tais temas e fomentar a discussão. Um dos episódios do quadro abordou a temática da diversidade étnico-racial, um assunto relevante e sempre atual. No vídeo, especialistas, professores e estudantes deixaram boas reflexões sobre racismo, preconceito e discriminação. Acesse http://ambiente.educacao.ba.gov.br/tv-anisio-teixeira/programas/exibir/id/3851, assista e dê a sua opinião também! O Intervalo vai ao ar, de segunda a sexta, às 18h30, na TVE-BA.

 

 

Invenções Africanas

E aí, galera! Beleza?

Como vocês devem acompanhar na mídia, muito do que se fala sobre a África é a respeito de seus problemas , mas acabam esquecendo de falar sobre suas vitórias e sobre tudo que é criativo e construtivamente produzido pelos povos deste continente. Por isso, resolvemos compartilhar alguns inventos tecnológicos africanos que quase ninguém conhece.

padO camaronês Marc Arthur Zang Adzaba criou o Cardiopad, um “tablet” capaz de realizar exames cardiológicos como o ECG (eletrocardiograma), visando atender à população rural onde tais exames não podem ser feitos devido a falta de hospitais e da distância do centro. Está disponível, inicialmente, apenas em Camarões.

 

Carregador

E que tal recarregar o celular ao andar? Pois essa foi oi a ideia do queniano Anthony Mutua, que criouum carregador que utiliza chip’s ultra-finos de cristal, que são acoplados na sola dos sapatos, para que a medida que você caminhe gere eletricidade através da pressão dos pés.

computer-tomography-62942_640

A TAC (Tomografia Axial Computadorizada), conhecida no mundo inteiro para realização de tomografias computadorizadas, é utilizada em hospitais de todo o mundo. Foi desenvolvida no Reino Unido, na Universidade de Tufts, pelo sul-africano e físico Allan Cormack e pelo britânico Godfrey Hounsfield, que receberam o prêmio Nobel de fisiologia/medicina em 1979.

cell-phonerTem também o “Please call me service”(“Serviço de ‘me ligue por favor’”). Sabe aquela mensagem que a operadora nos oferece de graça dizendo pra retornarem a ligação após uma ligação sem sucesso por falta de crédito? Pois é, ela começou na África, não se sabe ao certo quem a inventou, mas sim que foi criada por um funcionário da Vodacom ou da MTN, na África do Sul.

5868318012_2f367c20f5_mO M-Pesa, que significa dinheiro móvel, é um serviço criado para as operadoras Safaricom e Vodacom para pagamento, transferência e levantamento de dinheiro, e também para a compra de créditos pelo celular, disponível atualmente no Quênia, Tanzânia, Índia, África do Sul, Afeganistão, Moçambique e Egito.

 

20140918155351_dbarquivosO mais recente é a impressora W.Afate, feita inteiramente de material reciclável, desenvolvida pelo togolês Kodjo Afate Gnikou. É a primeira impressora 3D feita de material reciclável do mundo, utilizando o lixo eletrônico do lixão de Lomé, feita para suprir necessidades da população, já que pode servir para a criação de utensílios domésticos, brinquedos, próteses, ferramentas, entre outros. Gnikou está recebendo doações para desenvolvimento em larga escala da W.Afate, para que mais pessoas tenham acesso ao produto.

E vocês já conheciam alguma dessas invenções? O que vocês acharam delas? Como podemos ver, há muita informação que não nos é passada referente a África, não só em questões tecnológicas como também sociais. Pesquisem e se aprofundem no assunto, conhecimento nunca é demais. Se você conhecer tecnologias não citadas na postagem, é só compartilhar pelos comentários.

Abraço!

Vídeo de apresentação da W.Afate – http://www.youtube.com/watch?v=ffXsCCo8OCw

A Câmera fotográfica imita o olho ou olho imita a câmera?

O olho humano é um órgão excepcional e complexo. Constituído, basicamente, pela pupila, cristalino, retina e nervo óptico. Atua de forma análoga a uma câmera fotográfica, coletando, focando luz e convertendo-a em sinais elétricos que serão traduzidos em imagens pelo cérebro. Alias, é incrível como a estrutura do olho e da câmera fotográfica é parecida! Observando a pupila do nosso olho, veremos que ela desempenha o mesmo papel do obturador de uma câmera, regulando a quantidade de luz que entra no seu interior, aumentando a abertura, quando o ambiente possui pouca luz; e reduzindo a abertura, quando o ambiente é bem iluminado.

Fonte: pixabay - Repositório Digital¹.

Fonte: pixabay – Repositório Digital¹.

Fonte: wikipedia - Enciclopédia Digital²

Fonte: wikipedia – Enciclopédia Digital²

Já o cristalino é uma estrutura biconvexa, gelatinosa, que possui grande elasticidade. Ela atua no nosso olho da mesma forma que a lente convergente de uma câmera fotográfica, ou seja, ela reduz a imagem e concentra a luz proveniente de um objeto de forma que ela se ajuste perfeitamente sobre a retina, auxiliando na focalização de objetos próximos e distantes, fornecendo, assim, imagens nítidas.

Quando a imagem formada não tem nitidez, é um indicativo de que há alguma coisa errada! Várias doenças na visão podem ocasionar esse problema, dentre elas a miopia e a hipermetropia. A primeira é caracterizada pela dificuldade que um indivíduo tem para focalizar objetos distantes (enxergar de longe), isso ocorre porque a imagem entra em foco antes de atingir a retina, gerando uma imagem embaçada. No entanto, esse problema pode ser corrigido utilizando lentes divergentes, cujo efeito é afastar a imagem conjugada pelo cristalino e fazer com que ela se forme exatamente sobre a retina. Já a hipermetropia é caracterizada pela dificuldade que um indivíduo tem para focalizar objetos próximos (enxergar de perto), isso ocorre porque a imagem é conjugada pelo cristalino após a retina, originando uma imagem turva do objeto que se quer ver. No entanto, esse problema pode ser corrigido através do uso de lentes convergentes, cujo efeito é aproximar a imagem conjugada e fazer com que ela se forme exatamente na retina.

Fonte: wikipedia - Enciclopédia Digital³

Fonte: wikipedia – Enciclopédia Digital³

Fonte: wikipedia - Enciclopédia Digital

Fonte: wikipedia – Enciclopédia Digital

E, para finalizar, temos a retina, uma das estruturas mais importantes e complexas do nosso olho. Comparando-a com a câmera fotográfica, ela desempenha o mesmo papel do filme fotográfico, mas, em vez deixar a imagem impressa e estática, o que existe aqui é um conjunto de foto-receptores (cones e bastonetes) que libertam moléculas neurotransmissoras a uma taxa que é máxima na escuridão e diminui, de um modo proporcional (logarítmico), com o aumento da intensidade luminosa. Essas células detectam e processam os sinais luminosos, convertendo-os em impulsos elétricos que são conduzidos pelo nervo óptico até cérebro, onde são decodificados e convertidos em imagens.

Gostou? Quer aprender mais? Acesse os conteúdos digitais do Ambiente Educacional Web e aprenda mais sobre este fantástico órgão do nosso corpo:

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/3721

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/3469

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/296

Imagens:

1 – Disponível em: <http://pixabay.com/pt/c%C3%A2mera-lente-lente-prime-fotografia-158471/&gt; Acesso em novembro. 2014

2 – Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Olho_humano > Acesso em novembro. 2014

3 – Disponível em: <http://en.wikipedia.org/wiki/Myopia&gt; Acesso em novembro. 2014

4 – Disponível em: <http://id.wikipedia.org/wiki/Rabun_dekat&gt; Acesso em novembro. 2014

Bibliografia:

LAMB, TREVOR D. SCIENTIFIC AMERICAN. A Evolução do Olho, ano I 2012. Disponível em:                                <http://www.modernaplus.com.br/custo/scabrasilsa10.html?&sessionId=8A8A8A8349E108170149E1C029C873EF&userId=3BBD918A2BBFCF3A012BD15F258A491B&p=0&gt;. Acesso em: 12 novembro. 2014.

<http://pt.wikipedia.org/wiki/Olho_humano>. Acesso em: 12 novembro. 2014.

< http://pt.wikipedia.org/wiki/Miopia&gt;. Acesso em: 12 novembro. 2014.

Entrevista: Mabel Velloso

 Estudante-repórter: Mirella Medeiros

No 3º Encontro Estudantil, também aconteceu a final do 6º Sarau Estadual do TAL – Tempos de Arte Literária. Lá, encontramos Maria Isabel Viana Telles Velloso ou, simplesmente, Mabel Velloso. Escritora, compositora, poetisa, cordelista e, acima de tudo, professora-educadora; aos 80 anos, Mabel é uma referência na área de educação da Bahia. Com toda essa bagagem, nós quisemos saber a opinião dela referente a sua experiência no evento.

Mirella Medeiros: Professora, qual foi a sensação de estar num grande evento como o 3º Encontro Estudantil, voltado aos estudantes da escola pública e vendo vários estudantes se expressarem, mostrando seus talentos, hábitos, ideias e experiências, num conjunto que mostra um pouco da riqueza e diversidade da cultura baiana?

Mabel Velloso: A sensação foi de entusiasmo e alegria. Tenho acompanhado o trabalho de vários professores e fico feliz por sentir a força e a vontade que demonstram no trabalho de ajuda e apoio aos alunos. Cada aluno vitorioso deve uma parte grande da sua vitória ao professor.

MM: Nós notamos a presença de várias escolas do interior da Bahia no evento. Qual é a importância e o impacto disso na educação?

MV: A importância de saber que todo o estado da Bahia está envolvido num trabalho brilhante de Arte/Educação, é algo que nos encoraja a seguir em frente, é ter esperança no futuro.

MM: Nós percebemos uma subestimação por parte da sociedade em relação à escola pública. Qual o impacto desse tipo de evento para a imagem da escola pública?

MV: A escola pública é injustiçada. A força dos colégios particulares deixa o colégio público jogado para um segundo plano. Um encontro como o que aconteceu na Fonte Nova mostra a coragem dos organizadores e prova o valor do trabalho feito em todas as cidades, o interesse de todos que lidam com a educação. De cada pedacinho da Bahia, vieram artistas, poetas, cientistas. Mesmo sem recursos, cada escola trabalhou com seus alunos. Pena que a divulgação foi pequena. Devia ser mostrado o trabalho realizado na Fonte Nova como se fosse um BA x VI! Os alunos e os professores marcaram um GOL que merece o maior aplauso.

Com as palavras da professora Mabel, reafirmamos a força que nós, alunos, temos e a importância que eventos desse cunho possuem para a educação e a sociedade baiana.

Mirella Medeiros tem 19 anos, estuda no Colégio Estadual Edvaldo Brandão e fez parte da equipe de cobertura jornalística do 3º Encontro Estudantil.

Está acompanhando o programa “Intervalo”, na TVE-BA?

O “Intervalo” estreou dia 28 de outubro, na TVE-BA. O programa é uma produção da TV Anísio Teixeira e vai ao ar, de segunda a sexta, às 18h30. Quer saber o que vai rolar em cada episódio, durante esta semana? Veja a programação na foto abaixo. Ah, e não esqueça de assistir ao episódio de hoje!

Intervalo