Secretaria da Educação do Estado disponibiliza conteúdos para reforçar preparação dos estudantes para o Enem

Ajudar na preparação dos estudantes da rede estadual para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que, em 2013, acontece nos dias 26 e 27 de outubro. Este é o principal objetivo da Secretaria da Educação do Estado da Bahia com a disponibilização para os alunos de uma série de conteúdos multimídia, que complementam as aprendizagens da escola. Na página Revisão Enem, o estudante pode encontrar jogos, videoaulas e sites temáticos com os principais assuntos abordados em sala de aula pelos docentes.

>> Clique aqui para acessar a página Revisão Enem

260712abc-esc105

Além disso, em parceria com o Geekie Games, os alunos têm a chance de participar de um simulado que vai avaliar os seus conhecimentos para o Enem. Para fazer parte do simulado, é necessário realizar a inscrição até o dia 31 de agosto na página Revisão Enem. A ferramenta também se constitui como uma plataforma de aprendizado que possibilita que todos os estudantes se preparem para o Enem por meio de elementos inovadores de diagnóstico e estudo personalizado.

A coordenadora de Educação Básica da Secretaria da Educação do Estado, Maria José Xavier, ressalta a importância do empenho dos estudantes para a realização do Enem. “Com a prova, os alunos têm a possibilidade de continuar os seus estudos, passando para a etapa da educação superior. O Enem é um grande diferencial neste sentido, até mesmo porque muitas universidades não aplicam mais vestibulares. Além disso, os estudantes têm muitas outras vantagens, como a chance de tentar bolsas por meio do ProUni”, disse.

Vantagens –Além de ser a porta de entrada dos estudantes para universidades públicas, o Enem permite ao aluno ter acesso a universidades públicas federais e estaduais, por meio do Sisu, concessão de bolsas de estudo com oportunidade de intercâmbio em universidades estrangeiras, por intermédio do Programa Ciência sem Fronteira, participação em cursos técnicos gratuitos do SisuTec/Pronatec, além da certificação do ensino médio para maiores de 18 anos que não tenham concluído o ensino médio.

No site do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), o estudante pode conferir o seu local de prova, além de outras informações importantes. Para a consulta, basta informar o seu CPF e a senha. No dia 26 de outubro, os estudantes realizam prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias e Ciências da Natureza e suas Tecnologias, enquanto que, no dia 27, de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Redação e Matemática e suas Tecnologias. As provas têm início às 12h.

Fonte:http://estudantes.educacao.ba.gov.br/noticias/secretaria-da-educacao-do-estado-disponibiliza-conteudos-para-reforcar-preparacao-dos-estud

Anúncios

Brilho e reflexo no 3D

Olá, pessoal!

Sabia que as malhas e superfícies, quando criadas em um programa de modelagem e animação em 3D não apresentam cor nem características de reflexão ou brilho? Para isso, os programas de 3D possuem uma infinidade de parâmetros voltados para elaboração dos mais complexos tipos de materiais, como madeira, metal, vidro, pele humana, entre outros.

Trabalhar com materiais exige uma percepção apurada quanto ao comportamento das superfícies que são submetidas à luz. Sabemos que, a depender de suas características, podem apresentar os mais variados tipos de brilhos e reflexos.

Podemos dividir a configuração de materiais em duas etapas básicas: a que trabalha a cor da superfície e a que se dedica a tratar do brilho emitido por elas. Nos programas de modelagem e animação em 3D, essas características são configuradas nos campos relacionados à reflexão difusa e reflexão especular respectivamente.

 textMaterial Sem material                                                                                  Com material

Para o tratamento de cor, além da paleta de cores básicas, existem também as texturas procedurais e as texturas baseadas em imagem, sendo que essas últimas utilizam uma imagem projetada no objeto visando simular as mais diversas superfícies, como concreto, cerâmica, estampas de tecidos e etc.

Existe ainda uma gama de parâmetros que podem incrementar ainda mais os materiais, entre eles estão shading (sombreamento), transparency (transparência), mirror (espelhamento) e muito mais.

Os materiais são imprescindíveis numa produção em 3D, sem eles teríamos um ambiente totalmente cinza e sem vida.

A configuração de cada material, demanda tempo e requer a manipulação de muitos parâmetros. Vivemos em um mundo com uma infinidade de tipos e comportamentos de diferentes superfícies, tornando-se impossível descrever como se cria em 3D cada uma delas. Recomenda-se muitos testes até que se chegue a um resultado satisfatório.

Segue, abaixo um vídeo em que o usuário configura um material com alta reflexividade.

Até mais!

Estudantes preparam projetos para a II Feira de Ciências e Tecnologias Sociais da Educação Profissional

 Os estudantes da Rede Estadual de Educação Profissional estão reservando grandes surpresas para a II Feira de Ciências e Tecnologias Sociais da Educação Profissional da Bahia, que acontece entre os dias 3 a 5 de setembro, no Centro de Convenções da Bahia, em Salvador, juntamente com III Encontro da Educação Profissional da Bahia.

Aberta ao público, a Feira será um espaço de popularização das tecnologias sociais produzidas por professores e estudantes, que ceepamev1contribuem para a solução de problemas vivenciados pela comunidade no entorno imediato ou no Território de Identidade onde estão inseridos os Centros de Educação Profissional.

Do Território de Identidade Litoral Sul, os estudantes apresentarão, dentre outras tecnologias sociais, o biodigestor portátil anaeróbico para produção  de biogás. Esse experimento verifica a possibilidade de utilizar o gás metano como alternativa para o funcionamento de um fogão doméstico para residências e restaurantes. Segundo os pesquisadores, essa tecnologia social poderá contribuir para diminuir custos com a utilização do gás derivado do petróleo e, ao mesmo tempo, na redução de impactos ambientais.

Para desenvolver o biodigestor, os estudantes usaram materiais como um tambor plástico de 20 litros, registros, mangueiras, suporte, silicone, durepoxi e fita veda rosca.No biodigesor, foram colocados resíduos orgânicos domésticos como substrato para a produção do biogás. O biogás obtido da decomposição desse lixo orgânico é formado por gases, tais como o metano e o dióxido de carbono.

Saúde em movimento –Os estudantes do Ceep em Biotecnologia e Saúde, de Itabuna, apresentarão o projeto Saúde em Movimento. Os futuros técnicos em Enfermagem, Nutrição e Dietética, Análises Clínicas e Segurança do Trabalho realizaram uma série de intervenções sociais junto à comunidade estudantil.O objetivo foi contribuir com a prevenção e cuidados nas doenças, bem como a promoção, manutenção e recuperação da qualidade de vida. Os estudantes pesquisaram sobre os indicadores críticos de saúde a partir do levantamento da medição de taxas de triglicérides, colesterol e glicemia capilar, além de verificar os hábitos alimentares entre os alunos. Como resultado, foi desenvolvido um cardápio escolar.

A alimentação também foi o tema escolhido pelos os estudantes do Proeja Fundamental, do Centro Territorial de Educação Profissional Médio Rio das Contas, em Ipiaú para participar da II Feira. Com o projeto “Entre texto e delícias alternativas”, eles desenvolveram receitas a partir de cascas, talos, sementes e folhas de vegetais para obter o aproveitamento quase que integral dos alimentos. No projeto, os orientadores utilizaram estudos de gêneros textuais entre eles receitas, blogs, reportagens, voltados á qualificação técnica dos estudantes para a produção das receitas.

Tecnologias sociais como estas ressaltam a matriz curricular da Rede Estadual de Educação Profissional que tem a intervenção social como princípio pedagógico, na medida em que possibilita que o estudante aprenda os conteúdos e práticas em situações reais, e contribui para a sua formação integral, fazendo com que compreenda a dimensão social da futura profissão.

Fonte: http://estudantes.educacao.ba.gov.br/noticias/estudantes-preparam-projetos-para-ii-feira-de-ciencias-e-tecnologias-sociais-da-educacao-pr

Royalties são o quê?

Oi, turma! Tudo bem?

 Eles movimentam a economia do nosso país. Volta e meia, você ouve falar deles. Basta abrir um jornal, uma revista ou assistir aos noticiários da TV. Talvez, até por curiosidade e a fim de aprender, já tenha pesquisado. Mas, não custa nada perguntar: royalties são o quê?

PW-royalties

De uma forma bem objetiva, são compensações financeiras que as empresas exploradoras de combustíveis minerais (carvão, petróleo, gás natural e etc.) pagam ao governo para poderem explorar determinada área. De acordo com a chamada Lei dos Royalties, elescorrespondem à compensação financeira devida à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios pela exploração e produção de petróleo, de gás natural e de outros hidrocarbonetos fluidos”.

 Curiosidade

 A palavra royalty tem origem inglesa e deriva de royal. O termo royal, por sua vez, estava relacionado com algo que pertencia ao rei ou à realeza. Royal era o pagamento recebido pelos reis quando alguém extraía matéria-prima de suas propriedades. Royalties é o plural de royalty. Na língua inglesa, os substantivos terminados em y, precedidos de consoante, fazem o plural substituindo o y por ies. É válido lembrar que, com o Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, que entrará em vigor, no Brasil, em 2016; o k, o w e o y passam a fazer parte do nosso alfabeto.

Grande abraço, turma!

Até o próximo!

 


CONVERSA DE CAPOEIRA

Um vídeo com personalidades representativas da capoeira. O bate-papo permite ampliar o conhecimento sobre a história da capoeira, com olhares críticos dos desdobramentos desta prática corporal na sociedade.

Dividido em três partes, o vídeo contém muitas informações importantes para que professores e estudantes possam reconhecer e ressignificar sua identidade.  A sugestão é que ele seja trabalhado em partes para que o aproveitamento seja o mais completo possível.

Imagens e depoimentos dos grandes mestres da Capoeira, intervenção de historiadores, de músicos e diversos artistas. Conheça melhor a Capoeira, suas origens, sua importância na história e sua relação com a música.

A indicação feita, com base na proposta abordada neste material, é que este objeto seja trabalhado no ensino fundamental (séries finais) e/ou ensino médio.

http://ambiente.educacao.ba.gov.br/conteudos-digitais/conteudo/exibir/id/229

Sendo a capoeira um importante conteúdo no currículo de Educação Física, este material que pode ser encontrado no reservatório de Objetos Educacionais (no Ambiente Educacional Web), a partir do link disponibilizado acima, assume sua relevância na possibilidade de instrumentalizar professores para que possam construir e praticar esta luta/ arte marcial, dando vez e voz à história brasileira.

Para garantir a qualidade da prática pedagógica, outros vídeos devem ser consultados para que a partir deles as aulas sejam planejadas de forma dinâmica, criativa e significativa. Ao acessar o link indicado, observe que temos outros conteúdos relacionados.

Vale a pena consultar e compartilhar este material.

Cultura Popular de Ponta a Ponta do Brasil

Salve, salve galera!

Você já deve ter notado o quanto a nossa gente é bastante diversificada, diferença que vai além da cor da pele e do cabelo; variamos também de acordo com a regionalidade, a crença, o clima e outros elementos. Assim também acontece com nossas representações culturais: diferentes costumes, festejos populares, ritmos, datas comemorativas, jogos, vestimentas, comidas típicas e modo peculiar de falar – sotaque; tudo graças a formação miscigenada dando origem a nossa gente. Onde se misturou diferentes povos entre nativos (indígenas), povos africanos, árabes, asiáticos, cristãos, judeus e muçulmanos vindos dos quatro cantos do mundo. Assim cada elemento cultural original foi se incorporando aos demais, numa fusão que criando às manifestações culturais de hoje.

cultura

E a música, sendo a representação que se faz presente em todas as culturas, é a expressão cultural que conta as histórias, transmite crenças, imprime costumes e tradições de cada cultura com coreografias e passos marcados. E como tal não poderia deixar de ser tão diferente a cada povo, variando em ritmo, conteúdo e elementos (instrumentos). Então vamos conhecer algumas destes ritmos e suas histórias.

  • Na região Norte, temos o Carimbó; é considerado um gênero musical de origem indígena Seu nome, em língua tupi, refere-se ao tambor com o qual se marca o ritmo, o curimbó;  acompanhada por tambores feitos com troncos de árvores. Aos tambores se dá o nome de “curimbó”, bem parecido com o nome do próprio ritmo, costumam se fazerem presentes também os maracás.

  • Na região Sudeste, temos o Congado; é uma manifestação cultural e religiosa de influência africana. Trata basicamente de três temas em seu enredo: a vida de São Benedito, o encontro de Nossa Senhora do Rosário submergida nas águas, e a representação da luta de Carlos Magno contra as invasões mouras.

  • No Centro-Oeste, temos a Catira; que também pode ser chamada de cateretê, é uma dança da tradição brasileira em que o ritmo musical é marcado pela batida dos pés e mãos dos dançarinos. De origem híbrida, com influências indígenas, africanas e europeias, a catira (ou “o catira”) tem coreografia executada na maioria das vezes por homens (boiadeiros e lavradores) e pode ser formada por seis a dez componentes e mais uma dupla de violeiros, que tocam e cantam a moda.

  • E a Chimarrita no Sul; é uma dança típica da cultura gaúcha. Teve origem no Arquipélago dos Açores e na Ilha da Madeira, e foi trazida de Portugal por colonos açorianos, na segunda metade do séc. XVIII. Desde a sua chegada ao Rio Grande do Sul, a “chamarrita” foi evoluindo ao longo de gerações e, no início do séc. XX, passou a ser adotada a forma de dança de pares enlaçados.

Acarajé de Dinha Foto Rita Barreto (6787)

  • No Nordeste festejamos o Maracatu, entre outras expressões, que é caracterizado principalmente pela percussão forte, em ritmo frenético; A Bahia é um belo exemplo de múltiplas influencias culturais compondo seus elementos tradicionais e religiosos. Entre estes podemos citar o delicioso acarajé, uma iguaria da culinária baiana e o samba de roda do Recôncavo composto por música, dança, poesia e festa

Espero que tenham gostado do papo, continue nos visitando. Até mais!

FONTES: SECOPA, UFRJ, UFF, Wikipédia, Porto Alegre, Uberaba, Pará.

Cultura e Territórios de Identidade

Olá, turma!

Falando em folclore, cultura, tradições, crenças, vale ressaltar a importância da Identidade Cultural, elemento muito forte em nosso Estado, para a organização dos Territórios de Identidade, expressão criada pelo ilustríssimo geógrafo baiano Prof.º Milton Santos.

“A cultura, além da sua dimensão simbólica, ela também tem um reconhecimento nacional de sua  importância para o desenvolvimento econômico e para a inserção  do cidadão em todo o planejamento local, todo o planejamento territorial.”(Ângela Andrade)

A população cultural dos Territórios de Identidade torna-se, protagonista nesta dinâmica econômica do nosso Estado. Dialogar com as populações locais dos municípios que formam os territórios de identidade foi e continua sendo imprescindível para a construção de uma política cultural local. A partir de então, ocorrem incentivos aos novos espaços culturais e ao desenvolvimento e manutenção dos já existentes, apoio para a  diversidade cultural,para a sustentabilidade da cultura,fomento para a cultura local,etc..

O Estado da Bahia é o pioneiro nesta organização em Territórios de Identidade, hoje com 26 territórios, com pontos de cultura que conservam e valorizam e reproduzem manifestações culturais como: Samba de lata, samba do território, fanfarras, dança da boa morte, grupo de capoeira, samba de roda, chula, terno de reisado, maculelê, entre outros. Também, como cultura, valoriza-se produções de flores, de couro, do barro, da palha, do sisal, etc. que se apresentam expressivas na identidade do território.

Enfim, manter, produzir, reinventar culturas e produções que dão formas ao patrimônio cultural material e  imaterial dos municípios , que trazem uma identificação e sentimento de pertencimento  aos municípios dos  território de identidade, são ações que cabem a todos em prol de um desenvolvimento social,político, econômico e cultural para os territórios.

Até breve!

Assista ao vídeo: Pensar Bahia,Territórios de Identidade, disponível em:

http://www.irdeb.ba.gov.br/tve/catalogo/media/view/810

Saiba mais em :

http://www.seplan.ba.gov.br/municipios

http://www.fatorbrasis.org/cultura