Cultura Negra ao pé da letra!

Olá, pessoal!

Quem entre nós nunca ouviu ou já falou sobre Matriz Africana, Povos Tradicionais e Intolerância Religiosa? Pois é, esses são exemplos de termos usados no nosso cotidiano quando o assunto é ‘Consciência Negra’ e suas subtemáticas. Mas será que estamos fazendo uso correto destes conceitos?

Pensando nesse cuidado para com o trato destas questões, é que foi lançado em Brasília – DF, nos dias 04 e 05 de julho o texto “Povos Tradicionais de Matriz Africana” na Plenária Nacional que leva o mesmo nome. O evento faz parte da programação do III CONAPIR (Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial), que acontecerá de 5 a 7 de novembro, como parte das atividades do mês da Consciência Negra.

O texto usa como referência o decreto 6040/2007, que estabelece a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável para Povos e Comunidades Tradicionais: foi lido pela Makota Valdina Oliveira Pinto e traz em seu corpo os conceitos análogos aos diálogos sobre políticas públicas voltadas ao seguimento religioso e atividades culturais destes povos.

A proposta é repensar o que realmente significa as práticas tradicionais de matriz africana para além da religião, valorizando suas contribuições históricas para a formação cultural brasileira referendando-as.

Então, para darmos maior suporte a prática diária dos debates e mesmo as conversações com estas temáticas, selecionamos aqui alguns termos e trataremos abaixo sobre cada um de seus conceitos. Assim, cada vez mais usaremos estes com propriedade, sabendo exatamente sobre o que estamos falando, evitando o uso equivocado e colocações inadequadas.

Racismo: forma de descriminação que considera a origem racial do ser. Devem-se neste fenômeno não apenas as manifestações mais agressivas e evidentes de intolerância e ódio racial, mas também as situações de racismo implícito ou simbólico, que escapam às categorizações mais óbvias do racismo segregacionista.

Racismo Científico: quando a ciência biológica, orientada pelas características morfológicas, determina a moralidade e as diferentes capacidades das distintas raças, orientando para uma separação entre elas. Somara-se a este critério cor, forma do crânio, a estrutura do cabelo, o tipo de nariz, lábios, queixo etc.

 Desigualdade Racial: é quando os índices de desigualdades indicam uma separação de condição humana atrelada a sua raça/etnia.

 Democracia Racial: ou “harmonia racial” trata-se de conceito idealizado no Brasil do século XX, onde afirmava-se haver convivência pacífica e ausente de conflitos, preconceitos ou discriminações de base racial entre os/as que viviam no país. Durante o período final do século XIX até os anos iniciais do XX o Brasil exportou para o mundo uma imagem de paraíso racial, local onde indivíduos de raças diferentes conviver sem qualquer tipo de problema ou conflito.

Valeu galera e continuem conosco neste canal de interação!

FONTES: http://www.acordacultura.org.br/artigo-12-05-2011

http://www.seppir.gov.br/iii-conapir/2013/07/liderancas-de-matriz-africana-divulgam-texto-orientador-em-plenaria-da-iii-conapir

https://www.ufmg.br/inclusaosocial/?p=59

http://tvcultura.cmais.com.br/metropolis/entrevistas/documentario-discute-desigualdade-racial-brasileira

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s