Videoconferência orienta sobre editais para criadores e produtores negros

Para divulgar cinco editais voltados a criadores e produtores negros, a Representação Regional do Ministério da Cultura na Bahia e em Sergipe (MinC Ba | Se) realiza, em parceria com a Fundação Cultural Palmares, uma videoconferência no dia 1º de março (sexta-feira), às 14h, no auditório do Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador. A videoconferência será ministrada pela representante da Fundação Cultural Palmares / Bahia e Sergipe, Nairobi Aguiar.

A oficina de capacitação para os editais pode ser acompanhada ao vivo pelos pontos de exibição conectados à Rede Educação (http://educadores.educacao.ba.gov.br), da Secretaria de Educação do Estado da Bahia, em 33 municípios baianos, incluindo o próprio local de transmissão da palestra – o auditório do IAT, em Salvador. Além disso, a oficina pode ser acessada em tempo real pela internet no endereço http://educadores.educacao.ba.gov.br.

A ideia do encontro é apresentar o conteúdo dos cinco editais aos participantes, que poderão tirar suas dúvidas durante a videoconferência, através do envio de questões pelos mediadores presentes nas salas de transmissão – para quem comparece às salas da rede – ou ainda pela internet, através do site do IAT. A estrutura tecnológica que sustenta as videoconferências, nos auditórios do IAT, permite a transmissão e recepção de áudio e vídeo em dois ou mais pontos distantes entre si, possibilitando a comunicação e interação em tempo real entre os participantes.

Participação na Videoconferência


O público tem três formas de participar da videoconferência:

pela internet – É só acessar e entrar no link “Videoconferência – Acesse aqui” no http://educadores.educacao.ba.gov.br , nas datas e horários definidos;

no local da oficina – em Salvador, o auditório do Instituto Anísio Teixeira (IAT);

nas salas no interior do estado – as videoconferências são transmitidas ao vivo em salas de mais 32 municípios: Alagoinhas, Amargosa, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Brumado, Caetité, Cruz das Almas, Eunápolis, Feira de Santana, Guanambi, Ibotirama, Ilhéus, Irecê, Itaberaba, Itabuna, Itapetinga, Jacobina, Jequié, Juazeiro, Macaúbas, Paulo Afonso, Pintadas, Piritiba, Ribeira do Pombal, Santo Amaro, Santo Antônio de Jesus, Seabra, Senhor do Bonfim, Serrinha, Teixeira de Freitas, Valença e Vitória da Conquista.

Editais
Até 25 de março, produtores, pesquisadores e criadores negros podem se inscrever em cinco editais do Ministério da Cultura (MinC), nas áreas de pesquisa, artes visuais, audiovisual, circo, dança, música, literatura, teatro e preservação. Os editais estão abertos a pessoas físicas que se autodeclaram negras e instituições envolvidas com a cultura negra. São prêmios profissionais, no total de R$ 9 milhões, garantidos nas cinco regiões do país, através de uma parceria do MinC e da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir). Os recursos são disponibilizados por meio da Secretaria do Audiovisual, da Fundação Nacional de Artes (Funarte) e da Fundação Biblioteca Nacional (FNB).
Informações sobre os editais podem ser obtidas no site do MinC –
http://www.cultura.gov.br/ – e diretamente na Representação Regional do Ministério da Cultura nos Estados da Bahia e Sergipe (Rua Ignácio Acioly, n. 06, Pelourinho), em horário comercial, ou pelos telefones (71) 3417-6918/6917.
Em Salvador, o MinC Ba | Se realizou duas oficinas de capacitação. A primeira ocorreu em janeiro no Centro de Cultura da Câmara Municipal de Salvador. A segunda oficina foi realizada no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA), no último sábado (23/02), reunindo mais de 150 pessoas.

SERVIÇO
Videoconferência sobre editais para criadores e produtores negros
Quando: 1º de março (sexta-feira), 14h
Onde:
– Presencialmente no local da palestra
Auditório do Instituto Anísio Teixeira (IAT) – Estrada das Muriçocas, s/n – Paralela, Salvador/BA.
– Presencialmente em salas de 32 cidades do interior do estado ligadas ao IAT
Informações no site
http://educadores.educacao.ba.gov.br
Pela internet
Através do site 
http://educadores.educacao.ba.gov.br
Aberta ao público

Informações para imprensa:
Janaina Rocha | (71) 3417-6915 |
janaina.rocha@cultura.gov.br

Fonte: http://educadores.educacao.ba.gov.br/noticias/videoconferencia-orienta-sobre-editais-para-criadores-e-produtores-negros

Cine PW: Yoani Sánchez x Soy Cuba

Salve, salve, turma!

Recebida em meio a vaias e aplausos, Yoani Sánchez tem dividido opiniões entre os que se dizem “esquerdistas” e “direitistas” ao relatar as relações políticas e sociais em Cuba, aliado às acusações de a blogueira ser financiada pela C.I.A. e outras instituições burguesas que visam derrubar o governo Castrista.

Em 2007 Yoani cria o blog Generación Y, onde são publicadas críticas ao governo dos irmãos Castro, mostrando uma Cuba muito diferente dos sonhos de Ernesto Che Guevara ou dos relatos de Fernando Morais no livro “A Ilha” (período em que Cuba recebia a “mesada” do governo soviético).

A realidade apresentada no Generación Y é de uma ilha subjugada a uma ditadura socialista que se estende a mais de 50 anos, no entanto a história não nos deixa esquecer a ditadura econômica do imperialismo capitalista, imposto pelos E.U.A. com a Ementa Platt, pela qual a ilha perdia sua condição jurídica soberana e concedia à nação estadunidense o direito de intervir nos assuntos da política interna cubana. No período de dominação dos E.U.A., Cuba deixou de ser uma nação para se tornar a “ilha dos prazeres” de muitos estadunidenses e outros turistas. Um dos responsáveis por essa transformação foi o ditador (ou “testa de ferro” dos E.U.A) Fulgêncio Batista, que montou uma infraestrutura voltada para os turistas oferecendo cassinos, incentivo à prostituição e uso indiscriminado de drogas, além dos altos índices de corrupção que mergulharam a sociedade cubana numa profunda crise estrutural.

Ao tomar conhecimento dos textos de Yoani Sánchez o governo cubano não demorou em tomar a decisão de cercear a sua liberdade de expressão implementando, em 2008, um bloqueio ao Generación Y .

Com apoio de parceiros Yoani Sánchez mantém o blog relatando as contradições no cotidiano dos cubanos, que apesar de possuírem um bom sistema público de saúde e educação sobrevivem com baixos salários ao passo em que o governo se beneficia em acordos com empresas privadas, criando uma espécie de capitalismo estatal. Outra problemática apontada por Yoani é o acesso precário a internet e a telecomunicação, além da crise econômica enfrentada desde o fim da U.R.S.S., que tem sido amenizada com o apoio do governo venezuelano de Hugo Chávez.

Um fato inegável é o de que a sociedade cubana vive um momento crucial na sua história e Yoani Sánchez é uma das pontas do grande e enigmático iceberg que é Cuba. Sobre esse contexto surgem inúmeras dúvidas e especulações, mas há duas interrogações unanimes: Cuba vive uma abertura político-econômica ou sofre mais uma investida do capitalismo global? Será que a “ilha” não é mais a mesma?

Yoani Sánchez e o seu blog nos colocam diante do legado da Guerra fria e do cruel modelo de Globalização que mantém e legitima sistemas de expropriação e outras contradições próprias do capitalismo. E nos fazem refletir sobre como um blog, uma rede social, um celular ou qualquer outra tecnologia de comunicação tem um papel importante na busca por transformações sociais, culturais, políticas e econômicas, seja na comunidade, na escola ou num país.

Com a palavra Yoani Sánchez 

Bloco 2, Bloco 3 e Bloco 4

Com a palavra a Revolução Cubana

Confiram o olhar do russo Mikhail Kalatozov sobre a transição do regime de Fulgêncio Batista para a Revolução Cubana.

Sinopse

Quatro histórias ambientadas na Cuba pré-revolucionária. Em Havana, Maria envergonha-se quando o homem de quem gosta descobre como ela ganha a vida. Pedro, um camponês idoso, descobre que a terra que cultiva foi vendida a uma empresa. Um universitário vê seus amigos serem atacados pela polícia quando distribuíam panfletos a favor de Fidel Castro. Por fim, uma família de camponeses é ameaçada pelas forças de Batista.

Ótima sessão!

Dia Nacional do Livro Didático

Salve, galera!

Hoje, 27/02, é celebrada no Brasil uma data muito especial para educandos(as), educadores(as) e todas as pessoas que acreditam no papel transformador da leitura e da Educação: o Dia Nacional do Livro Didático.

pw_estudante

A data remonta ao surgimento, em 1929, do Instituto Nacional do Livro (INL), órgão concebido na chamada Era Vargas – período do primeiro governo do presidente Getúlio Vargas, que durou de 1930 a 1945 – e destinado inicialmente a elaborar uma enciclopédia e um dicionário da língua portuguesa falada no Brasil, retratando a identidade e a memória nacional, além de apoiar a implantação de bibliotecas públicas em todo o país. Desde então a política oficial do Estado brasileiro para o livro didático passou por várias transformações, até chegar ao Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), instituído em 1985 e vigente ainda hoje. A partir daí o(a) professor(a) passou a escolher o livro mais adequado aos(às) educandos(as) e ao projeto pedagógico da escola. A reutilização do livro e a introdução de critérios de produção seguindo normas técnicas, com o objetivo de garantir maior durabilidade e qualidade do material, também foram importantes avanços.

A distribuição dos livros didáticos nas escolas brasileiras obedece ao seguinte ordenamento:

– 1º e 2º ano: alfabetização linguística, alfabetização matemática e obras complementares (ciências da natureza e matemática, ciências humanas, linguagens e códigos);

– 3º ao 5º ano: língua portuguesa, matemática, história, geografia, ciências, história regional e geografia regional;

– Anos finais do ensino fundamental (do 6º ao 9º ano): ciências, matemática, língua portuguesa, história, geografia e língua estrangeira moderna (inglês e espanhol);

– Ensino médio: língua portuguesa, matemática, geografia, história, física, química, biologia, sociologia, filosofia e de língua estrangeira (inglês ou espanhol).

É isso aí, turma: fica a dica para reconhecermos a importância dos livros didáticos, cuidando da conservação destas obras que tanto auxiliam educadores(as) e educandos(as) a abrirem, como em todo livro, janelas para o mundo!

Até a próxima!

 

Fontes: http://pt.wikipedia.org/wiki/Instituto_Nacional_do_Livro; http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=1843; http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12373%3Apnld-e-pnlem-saiba-mais&catid=311%3Apnlem&Itemid=668

Sites temáticos: repositório de conteúdos digitais

Salve, salve, turma!

Vocês já conhecem os Sites Temáticos do Portal Educação da Secretaria da Educação do Estado da Bahia?

Os Sites Temáticos são repositórios de conteúdos digitais organizados por disciplina do ensino fundamental e médio.  Nesses repositórios estão disponíveis, sob licença Creative Commons, jogos, vídeos, áudios, softwares e outras mídias que os(as) professores(as) podem utilizar para incrementar suas aulas e onde os(as) estudantes encontrarão uma fonte rica para seus estudos.

Sites tematico.

Então turma, não percam tempo: cliquem aqui, escolham a sua disciplina e naveguem por esses excelentes conteúdos!

Talento estudantil – Faça Acontecer

Olá, pessoal!

Do despertar da curiosidade ao talento descoberto e incentivado, respeito às diferenças e habilidades que nos completam e formam o todo que somos. O ambiente escolar, além de proporcionar crescimento educacional, influi em diversos aspectos na vida dos sujeitos que dele são partícipes.

Não temos dúvidas de que colaboradores, professores e estudantes são artífices da construção dos saberes que também constituem a dinâmica social.

Hoje, compartilhamos com vocês um belo exemplo de talento, superação e aptidão – a série de documentários Faça Acontecer, realizada pela TV Anísio Teixeira que de maneira singular mostra conquistas estudantis e “tem como objetivo valorizar a capacidade intelectual, artística e esportiva dos estudantes da Rede Pública de Ensino da Bahia, a partir de depoimentos deles mesmos, dos seus familiares, professores e amigos.”

Confiram no Ambiente Educacional Web os episódios da série – Cliquem aqui!

Comp 1 (0-00-15-23)

Realizações como essas nos deixam cada dia mais confiantes de que por meio da educação um mundo de possibilidades se abre quando fazemos acontecer.

“Se a educação sozinha não pode transformar a sociedade, tampouco sem ela a sociedade muda.”

(Paulo Freire)

Abraços, amig@s!

Fonte: http://educadores.educacao.ba.gov.br; http://ambiente.educacao.ba.gov.br/

Secretaria da Educação inicia inscrições para o Viver Escola

Os pais de estudantes que concluíram o 5º ano (4ª série) na rede municipal de Salvador e que estão ingressando na rede estadual, este ano, no 6º ano do ensino fundamental (5ª série), podem inscrevê-los no projeto Viver Escola, que a Secretaria da Educação do Estado da Bahia preparou especialmente para eles. As inscrições começam nesta quinta-feira (21/02) e prosseguem até dia 28 de fevereiro, nas escolas da rede pública estadual.

4_6

Foto: Claudionor Jr. Ascom/Educação

O Viver Escola acontece de 4 a 27 de março, em 62 escolas-polo distribuídas em diversos bairros de Salvador. A lista dos nomes e endereços das escolas-polo pode ser acessado clicando aqui ou em qualquer escola da rede. A Secretaria da Educação do Estado se preparou para acolher os 17 mil estudantes da rede municipal de Salvador que vão ingressar no 6º ano na rede estadual.

A ideia do projeto Viver Escola é ambientar os novos estudantes que estão vivendo a fase de transição para a adolescência e passando para uma nova rede de ensino. Durante o período que vai acontecer o projeto, os estudantes irão participar de atividades pedagógicas nas áreas de matemática, língua portuguesa e ciências da natureza, em horário regular, nos turnos matutino e vespertino, totalizando 540 turmas com 30 alunos em cada uma. Os alunos, também, serão envolvidos em jogos e atividades lúdicas educacionais e terão garantida a alimentação.

Fonte: http://estudantes.educacao.ba.gov.br/noticias/secretaria-da-educacao-inicia-inscricoes-para-o-viver-escola

Escola Olodum abre inscrições para cursos gratuitos

A Escola Olodum inscreve de 01 a 28 de fevereiro, para os cursos de Percussão Samba-reggae, Dança Afro, Coral Afro, Canto e Guitarra oferecidos gratuitamente. Os candidatos devem ser crianças e adolescentes, dos 07 aos 21 anos, que estejam matriculados em escolas públicas. Serão atendidos 330 alunos, divididos nos turnos matutino e vespertino.

Para se inscrever é necessário:

O preenchimento de todos os campos da ficha de matricula, fornecida pela Escola Olodum;

01 Foto 3X4 recente;

Fazer uma redação sobre o tema apontado;

Cópias dos seguintes documentos:

Matricula na escola pública – municipal, estadual, comunitárias ou filantrópicas

Carteira de identidade

CPF

Salvador Card

Comprovante de residência

Após o processo de inscrição os candidatos participarão do processo seletivo, por meio de audição de aptidão para o curso escolhido.

Continue lendo