Museus são uma boa opção de lazer no verão

Praia, ensaios de verão, lavagens são excelentes atrativos de lazer durante a estação mais quente do ano na Bahia, nesse leque de opções os museus também são uma ótima dica para baianos e turistas conferirem a diversidade cultural presente no nosso estado. Em Salvador, os museus vinculados à Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (DIMUS/IPAC) apresentam uma série de exposições que podem ser conferidas gratuitamente. Mostras de arte africana, de arte popular, arte sacra são exemplos do que podem ser vistos. Um rico e prazeroso mergulho na nossa história da formação do povo brasileiro.

O Solar Ferrão, no Pelourinho, oferece quatro salas expositivas: a Galeria Solar Ferrão apresenta a exposição Carnaval Negro Baiano, com a produção dos blocos e afoxés de Salvador desde a década de 70 aos dias atuais, e nos outros espaços, recentemente requalificados, são expostos os objetos que compõem as coleções de Arte Popular, de Arte Africana Claudio Masella e do músico suíço Walter Smetak. O Solar abriga ainda o Museu Abelardo Rodrigues, que exibe um recorte de seu acervo, um dos mais importantes de arte sacra do país.

Mais dois programas culturais podem ser feitos no Pelourinho: O Museu Tempostal proporciona uma viagem pela história por meio de postais e o Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica apresenta a obra do ceramista alemão Udo Knoff e azulejos que trazem parte significativa da arquitetura de Salvador.

O público também podem aproveitar para conhecer as exposições que estão em cartaz no Palacete das Artes e no Museu de Arte da Bahia. No primeiro espaço, Maria Adair e Eliana Kértesz fazem um tributo a Jorge Amado com pinturas, esculturas, mobiliário e obras do cotidiano dos livros do escritor. Vale a pena levar as crianças ao MAB para conhecer a exposição Brinquedos que moram nos sonhos: o brinquedo popular brasileiro. Até mesmo os adultos ficam fascinados com os 1.500 brinquedos que compõem a mostra, dividida em seções tema, a exemplo da Sala dos Sonhos e da Sala do Medo.

Museu de Arte Moderna da Bahia e Museu de Arte da Bahia funcionam de terça a sexta, das 13h às 19h, e sábados, domingos e feriados, das 14h às 19h. Museu Tempostal, Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica e Solar Ferrão ficam abertos à visitação de terça a sexta, das 12h às 18h, e sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h.

PROGRAMAÇÃO DOS MUSEUS

Museu Abelardo Rodrigues

ACERVO DO MUSEU

A mostra expõe um recorte do acervo do Museu Abelardo Rodrigues, com imagens, crucifixos, pintura, oratórios, mesa de altar e santos de roca, confeccionados em materiais diversos. Nossa Senhora das Almas do Purgatório, Santo Antônio, Santa Isabel, A Sagrada Família, Nossa Senhora com o Menino, São Joaquim, Nossa Senhora do Rosário e São Miguel Arcanjo são algumas das imagens apresentadas ao público. O Museu Abelardo possui uma das maiores coleções de arte sacra do país.

Onde: Rua Gregório de Mattos, nº 45 – Pelourinho.

Quando: terça a sexta, das 12h às 18h; sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h.

Tel: (71) 3117.6440

Museu de Arte da Bahia

BRINQUEDOS QUE MORAM NOS SONHOS – O BRINQUEDO POPULAR BRASILEIRO

A mostra encanta a crianças e adultos pela força lúdica dos 1.500 brinquedos que a compõem e pela inventividade da criação popular. Os brinquedos ocupam todos os espaços expositivos do Museu de Arte da Bahia e estão divididos nas seguintes seções tema: A Sala de Brinquedos, A Sala dos sonhos, a Sala do Espetáculo, a Sala do Medo, A Sala das Reciclagens, A Sala do Desafio, A Sala das Representações e a Sala de brinquedos de madeira. Fica em cartaz até abril de 2013.

ACERVO DO MUSEU

O Museu de Arte da Bahia, o mais antigo do Estado, fundado em 1918, possui um acervo de inestimável valor artístico e histórico que, através das mais variadas manifestações de arte, deixa entrever aspectos significativos do passado de uma sociedade, do seu cotidiano, dos seus gostos e dos seus valores. O acervo do MAB foi constituído, essencialmente, pela reunião de duas grandes coleções privadas adquiridas pelo Estado: a de Jonathas Abbott e a de Góes Calmon.

Onde: Av. Sete de Setembro, 2340, Corredor da Vitória.

Quando: terça a sexta, das 13h às 19h. Sábados, domingos e feriados, das 14h às 19h.

Tel: (71) 3117-6902.

Museu de Arte Moderna da Bahia

NO AR

A exposição No Ar traz o trabalho da artista visual paulistana Laura Vinci, instalado na Capela do MAM. Propondo uma reflexão sobre a passagem do tempo, Laura apresenta ao público duas de suas obras: No Ar, que dá nome a exposição, e a inédita Diurna. A mostra tem co-realização da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB) e fica em cartaz até 17 de março de 2013.

SALA RUBEM VALENTIM

A sala apresenta 30 obras do pintor, escultor e gravador baiano que dá nome ao local. São 20 esculturas em madeira e tinta acrílica, que representam divindades do “panteão” do Candomblé, e 10 relevos, sobre a mesma temática. As obras expostas integram a série Templo de Oxalá, que expressa uma linguagem plástico-visual-signótica ligada aos valores místicos da cultura afro-brasileira. 

Onde: Av. Contorno, s/n, Solar do Unhão.

Quando: terça a sexta, das 13h às 19h. Sábados, domingos e feriados, das 14h às 19h.

Tel: (71) 3117-6139.

Museu Tempostal

PELOURINHO – UM CARTÃO-POSTAL DA BAHIA

A mostra, composta por postais, fotografias e vídeos, apresenta as mudanças sofridas no Pelourinho com o passar do tempo e traz uma reflexão sobre patrimônio cultural como produto do homem e de suas relações políticas, sociais e econômicas. São 150 imagens, entre peças do próprio acervo do Museu Tempostal e postais e fotografias cedidos por diversas instituições.

PELOS CAMINHOS DE SALVADOR

A exposição retrata parte da urbanização, crescimento e modernização da capital baiana. A mostra constitui um grande apanhado de imagens e fotografias que retratam as diversas transformações ocorridas no tecido urbano da cidade, iniciadas em fins do século XIX.  Através de uma leitura histórica, é possível conferir, também, as mudanças nos hábitos e costumes ligados à vida cotidiana.

BAHIA – LITORAL E SERTÃO

A mostra apresenta a relação econômica e social desenvolvida entre duas regiões distintas da Bahia através de registros de imagens. Fotografias e postais, datadas do início do século XX, de diferentes cidades do interior do Estado, revelam a importância da nossa formação geopolítica, ressaltando o impacto da exploração colonial, do povoamento heterogêneo, e a pluralidade de atividades econômicas exercidas tanto na região litorânea quanto no sertão.

Onde: Rua Gregório de Matos, 33, Pelourinho, Salvador.

Quando: terça a sexta, das 12h às 18h. Sábados e domingos e feriados, das 12h às 17h.

Tel: (71) 3117-6383.

Museu  Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica

TOQUE DE LUZ – UM NOVO OLHAR SOBRE A OBRA DE UDO KNOFF

A mostra apresenta cerca de 30 obras, dentre azulejos relevados, medalhões e objetos tridimensionais como vasos, jarros e garrafas com distintas formas e texturas, além de instrumentos utilizados pelo artista na produção de suas obras. O público alvo da exposição são as pessoas com deficiência visual. Nessa nova leitura do acervo pertencente ao museu, o visitante cego ou com baixa visão, pode sentir as diversas formas e texturas encontradas nas distintas obras elaboradas pelo ceramista. Em cartaz até março de 2013.

AZULEJOS DE UDO

Ampliada com 14 obras, sendo 12 delas do ceramista alemão Udo Knoff, a mostra constrói uma leitura histórica sobre as especificidades do cenário urbano ao apresentar mais de 300 azulejos que trazem parte significativa da arquitetura de Salvador.  A mistura de história e arte, somada ao trabalho rebuscado da coleção, contextualiza o papel social e artístico da cerâmica – legado do trabalho do ceramista alemão Udo Knoff.

Onde: Rua Frei Vicente, nº 03, Pelourinho.

Quando: terça a sexta, 12 às 18 horas, sábado e domingo e feriados, 12 às 17 horas.

Tel: (71) 3117-6389.

Palacete das Artes

A exposição  de Maria Adair e Eliana Kértesz celebra o centenário do escritor baiano traduzindo as conhecidas histórias do autor em obras de arte. Eliana Kértesz criou 80 peças, entre esculturas e relevos, onde transforma suas já conhecidas gordinhas em personagens femininos de Jorge, além de 19 painéis representando cenas do Bataclan, bordel de luxo da obra Gabriela. Já Maria Adair escolheu como tema universo Amado, resultando em mais de 150 peças, entre pinturas, esculturas, mobiliário e obras do cotidiano dos livros do escritor. A mostra, que tem entrada gratuita, fica em cartaz na Sala Contemporânea do Palacete até o dia 17 de fevereiro de 2013.

Onde: Rua da Graça, 284, Graça.

Quando: terça a sexta, das 13 às 19 horas, sábados, domingos e feriados, das 14 às 19 horas.

Tel: 3117-6910

Solar Ferrão

CARNAVAL NEGRO BAIANO

A exposição, uma criação do bloco Cortejo Afro, traz a partir da indumentária, a produção dos blocos e afoxés de Salvador desde a década de 70 aos dias atuais. São expostas fantasias de blocos como Obá Laiyê, Puxada Axé, Zambiapombo, Unzó de Obá Xireê, Obadudu Agoyê e Afoxé Pai Burukô, além dos tradicionais Ilê Aiyê, Olodum, Malê Debalê, Muzenza, Cortejo Afro e o afoxé Filhos de Gandhy. A exposição fica em cartaz até o dia 24 de fevereiro de 2013.

EXPOSIÇÃO DE ARTE AFRICANA – COLEÇÃO CLAUDIO MASELLA

Apresenta a riqueza estética e a diversidade da produção cultural africana do século XX, expressada em objetos, sobretudo máscaras, estatuetas e utensílios de uso cotidiano ou ritualístico. Doadas ao Governo do Estado da Bahia, em 2004, pelo industrial italiano Claudio Masella, as obras representam vários estilos étnicos das sociedades africanas.

SMETAK – O ALQUIMISTA DO SOM

As “Plásticas Sonoras” – criadas por Walter Smetak (1913-1984) e consideradas obras de arte por críticos e pesquisadores podem ser conferidas na mostra de longa duraçãoSmetak – O Alquimista do Som. As peças do acervo da família do músico suíço foram restauradas e expostas apenas no Museu de Arte Moderna da Bahia e no de São Paulo, em 2007 e 2008.

EXPOSIÇÃO DE ARTE POPULAR

A Coleção de Arte Popular reúne peças representativas da Cultura Popular do Nordeste. O acervo reunido por Martim Gonçalves e, posteriormente, ampliado pela arquiteta italiana Lina Bo Bardi é composto por peças utilitárias e figurativas, dentre elas carrancas, ex-votos, imaginária, esculturas em cerâmica, fifós, panelas, potes de barro, brinquedos, utensílios domésticos e objetos criados a partir de materiais recicláveis, que mostram uma sintonia entre a arte e a vida cotidiana.

Onde: Rua Gregório de Mattos, nº 45 – Pelourinho.

Quando: terça a sexta, das 12h às 18h; sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h.

Tel: (71) 3117.6357

 

Fonte: http://www.cultura.ba.gov.br/2013/01/18/museus-sao-uma-boa-opcao-de-lazer-no-verao/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s