Estudantes da Escola Parque usam reciclados na decoração de Natal

Com uma decoração de Natal elaborada com material reciclado, os alunos do Centro Educacional Carneiro Ribeiro – Escola Parque, na Caixa D´Água, em Salvador, deram uma aula de produção sustentável. Eles buscaram, no próprio bairro, a matéria-prima necessária para produzir os objetos que enfeitam a unidade escolar nos festejos de final de ano.

1

São garrafas pet, caixas de papelão, cordas, barbantes, retalho de tecido, arame, metal e revistas transformadas em árvores de natal, anjos, presépios e guirlandas natalinas. Tudo reutilizado numa decoração que conta com presépios em biscuit e em cerâmica, além de guirlandas natalinas.

2

Dentre as peças expostas, o presépio afro chama a atenção pela originalidade. Além de todos os componentes feitos de cerâmica, o presépio traz elementos da cultura afro e animais das faunas brasileira e africana. O estudante da 5ª série da Escola Anísio Teixeira, Jonathan Nascimento, explica como foi feito o trabalho “Nós pegamos a argila, tiramos as impurezas, e fomos dando forma, criando, usando nossa imaginação, depois, deixamos a argila secar e pintamos também de forma livre, somos livres para nos expressar”, conta.

3

Willie Santana, estudante da 7ª série da Escola Classe, participou da produção de um anjo em tamanho humano. Ele explica que todo o material estava em desuso na escola e com um corte específico e cola, foram transformados em uma nova peça. Assim como o ramalhete de flores feito de lata de leite na oficina de serralheria, a árvore de natal de retalhos de tecido e as guirlandas, de cordas, barbantes e papel de revista.

4

Produção – O processo de produção nas oficinas começa com a apresentação do que é reciclagem e de como esse procedimento beneficia o meio ambiente, a economia e a sociedade. O primeiro passo, porém, é a coleta da matéria-prima. Nesta etapa, os estudantes, atuam na busca por materiais recicláveis que surgem na rotina diária de cada aluno.

“Os materiais vêm do dia a dia, são aqueles objetos descartados nas casas, na vizinhança e até da rua. Se eu estiver andando e encontrar algum objeto no meio da rua, eu pego e trago para a oficina. Tudo pode ser reaproveitado”, disse Willie. Na prática, o processo de coleta é natural e os torna mais conscientes. “Como eles trazem muito material da rua para que sejam reutilizados, eles sabem que tem que preservar a natureza,” disse a coordenadora pedagógica do Núcleo de Artes Visuais, Eliete Ribeiro.

5

Oficinas – O Centro Educacional Carneiro Ribeiro – Escola Parque oferece 26 somente no campo de artes visuais. Entre elas, oficina de cerâmica, biscuit, madeira, serralheria, corte e costura, pintura em tela. Os cursos, complementares ao currículo regular, são realizados durante o todo o período letivo, com alunos, pais e integrantes da comunidade.

A estudante Ioná dos Anjos, 8ª série da Escola Classe II, participa das oficinas de informática, handebol e pintura em tela. Ela acredita que a arte está no seu futuro “Eu amo a arte. Desde pequena eu desenho com papel e lápis, e agora, depois da oficina, já participo até de exposições.”, completa.

6

Segundo o gestor da Escola Parque, Gedean Ribeiro, as oficinas surgiram da necessidade de envolver os alunos e conscientizá-los da questão de sustentabilidade, uma pauta urgente da sociedade. “Não estamos preocupadas com o belo, mas com a possibilidade de preparar o homem para o mundo, desenvolver as habilidade dele, e mostrar que ele é capaz”, completou do gestor.

7

Conscientização – Antes das produções, os professores realizaram palestras, leitura de livros e organizaram junto com os alunos o dia D da sustentabilidade. A ideia era conscientizá-los da importância da sustentabilidade para a preservação ambiental.

8

O trabalho realizado já apresenta resultados dentro da escola e fora dela. “O comportamento e o comprometimento dos estudantes com o meio ambiente mudou com a participação nas oficinas.” Foi o que constatou a coordenadora pedagógica do Núcleo de Artes Visuais, Eliete Ribeiro. “A partir das oficinas, a gente percebe a mudança de comportamento na própria escola, eles preservam a escola limpa, têm cuidado com a escola para que nada seja destruído.”

Fonte: http://www.educacao.ba.gov.br/node/4077

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s