Ciência Viva

Olá, pessoal!

Uma iniciativa que começou em 1999 está colocando o país lusitano na vanguarda da tecnologia e do ensino de ciências, proporcionando aos estudantes o contato com a ciência experimental desde o ensino fundamental.

O programa Ciência Viva da Agência Nacional para Cultura Científica e Tecnológica de Portugal, tem como objetivo a promoção de uma cultura natural de saber cientifico e tecnológico, por meio de três vertentes interdependentes: a promoção do ensino experimental das ciências no ensino básico e secundário, a organização de campanhas de divulgação científica dirigidas à população, e a dinamização de uma Rede Nacional de Centros Ciência Viva e museus interativos de ciência e tecnologia. O bacana desta iniciativa é que ela proporciona o contato com a experimentação desde as séries iniciais, pois as crianças estudam ciência de forma divertida e desde cedo já entram “no clima” do pensamento científico e tecnológico.

Nesta mesma direção, a Secretaria de Educação do Estado da Bahia lançou um projeto com foco na popularização da ciência e qualificação dos profissionais de educação: o Ciência na Escola. Trata-se de um programa voltado para o fortalecimento de práticas de iniciação científica no cotidiano escolar e seu objeto é a valorização da alfabetização científica para os estudantes dos anos finais do ensino fundamental, vista como componente básico da educação escolar e associada à formação cidadã. Esse programa aglutina as ações vinculadas à realização das Feiras de Ciências, articula-se com os macro campos Meio Ambiente e Educação Científica do programa Mais Educação e inclui a produção de material didático específico para a 5a e 6a séries do ensino fundamental, cuja elaboração se pauta nas interfaces entre ciências da natureza, educação ambiental, geografia e história. Em 2011 foi realizada a primeira Feira de Ciências e em 2012 foi lançado edital para seleção de professores para articulação regional do programa.

O Ciência Viva, que é um programa nacional em Portugal, conta com uma estrutura grande de museus e pavilhões tecnológicos. Uma enorme rede de centros tecnológicos das mais diversas áreas (oceanografia, química, robótica etc) foi criada ao longo dos anos para dar suporte ao projeto. Neste aspecto, o Ciência na Escola é um programa menor mas com todo o potencial para ganhar grandes proporções e trazer um desenvolvimento considerável à maneira como se faz ciência na Bahia e no Brasil.

Para saber mais acessem:
http://www.cienciaviva.pt/home/
http://www.pavconhecimento.pt/home/
http://www.iat.educacao.ba.gov.br/node/3232
https://oprofessorweb.wordpress.com/2012/06/04/chamada-publica-programa-ciencias-na-escola/

Aquele abraço, turma!

Texto de Marcos Melo, professor e colaborador da Rede Anísio Teixeira, Programa de difusão de linguagens e Tecnologias da Informação e da Comunicação da Rede Pública Estadual de Ensino.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s