Escolarização de empregadas domésticas é tema de livro

A educação e o trabalho como via fundamental de superação da pobreza para as mulheres trabalhadoras é o tema central do livro “Entre Saberes e Sabores”, que a professora Francisca Elenir Alves, lança no dia 14 de dezembro, às 19h, no foyer da Uneb (Universidade da Bahia), no Cabula, em Salvador. Educadora, mestre em Educação pela Universidade Católica de Brasília e doutoranda pela Universidade Federal da Bahia, além de coordenadora do Topa – Todos pela Alfabetização (maior programa de alfabetização do Brasil), a professora Francisca Elenir mergulhou na realidade das empregadas domésticas da cidade de Alagoinhas para analisar as trajetórias escolares e ocupacionais dessas mulheres.

“Essas mulheres, na sua maioria negras, cujas trajetórias trazem as marcas da discriminação e da precarização no trabalho, contam com as desvantagens históricas de permanecer, por longo tempo, isoladas no mundo privado, seja no espaço doméstico sem remuneração, seja em atividades domiciliares ou extradomiciliares remuneradas”, conta Francisca Elenir. Essa análise serve de referência para a professora explicar como ocorre o processo de escolarização e sua repercussão na melhoria de vida dessas mulheres.

Editado pela Editora da Uneb (EdUNEB), o livro tem prefácio da professora e pós-doutora Ana Alice Costa, do Departamento de Ciências Políticas da Ufba, que ressalta o valor do estudo realizado por Elenir, principalmente porque possibilita “um maior entendimento sobre a realidade dessas mulheres: todas tiveram que romper com o quadro de subordinação com o qual estavam submetidas e elaborar estratégias específicas que possibilitassem sua escolarização”.

Através da construção de um “perfil” das mulheres matriculadas no curso de Educação de Jovens e Adultos e Qualificação Profissional desenvolvido pelo Instituto Integrar na Bahia, a autora vai explicitando a visão de mundo, perspectivas de mudança e expectativas dessas mulheres em relação a sua formação e ao seu futuro.

O livro é composto de três partes. Na primeira parte, a autora apresenta como os Estudos Feministas dialogam com s práticas educativas e de trabalho. Na segunda, ela faz um breve histórico sobre a Educação de Jovens e Adultos no Brasil e relata a experiência da prática educativa não-formal, construída pelos trabalhadores metalúrgicos, denominada Programa Integrar. Na terceira parte, apresenta as trajetórias escolares e ocupacionais de mulheres trabalhadoras da cidade de Alagoinhas, na Bahia, com foco nas práticas de Educação de Jovens e Adultos e na elevação de escolaridade integrada à qualificação profissional.

Fonte: http://www.educacao.educadores.ba.gov.br/node/4069

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s