Comunidades Quilombolas: a identidade de um povoado isolado

Fala, galerinha!

Quando falamos em quilombo logo remetemos a ideia ao Quilombo dos Palmares, um local isolado, composto por negros(as) refugiados(as) em resistência contra um sistema escravocrata imposto naquele período, tendo como líder mais conhecido Zumbi. Mas o que são comunidades quilombolas? As comunidades quilombolas são grupos cuja formação e identidade afirmam as suas raízes históricas e socioculturais africanas, tendo a sua organização politica, ideológica e social voltadas para o desenvolvimento e a renovação no seu modo de viver, cultuando sempre os seus ancestrais e atualizando o nosso legado afro-brasileiro.

Nos territórios das comunidades quilombolas é assegurado o direito que regulamenta o seu processo de identificação, reconhecimento, delimitação, demarcação e a titulação das terras ocupadas, de acordo com o Decreto nº 4.887/2003, da Constituição Federal brasileira. A regularização fundiária esbarra em processos burocráticos, o que dificulta cada vez mais o acesso e a garantia às terras. Muitas dessas comunidades vivenciam a falta de políticas públicas, o que se reflete em suas condições de vida, na falta de meios básicos para a sobrevivência de qualquer indivíduo, como água, energia e saneamento, refletindo em desvalorização cultural. Faz-se necessário, portanto, o investimento em propostas de melhorias sociais, políticas e econômicas nessas comunidades.

A terra é o elemento fundamental que caracteriza o seu modo de viver e produzir, já que em sua maioria essas comunidades estão situadas nas zonas rurais. Os seus bens naturais são fonte garantidora de sua reprodução física, social e econômica, pela prática do uso comum da terra, sustentada pelo trabalho colaborativo e por meio de regras consensuais aos diversos grupos familiares que a compõem, cujas relações são orientadas pela solidariedade e ajuda mútua. Assim como acontece em relação aos povos indígenas, a terra para os quilombolas é mais do que um bem econômico. Terra e identidade, para essas comunidades, estão intimamente relacionadas. E conforme o mapeamento da Fundação Cultural Palmares, e de acordo com o Diagnóstico de Ações realizadas do Programa Brasil Quilombola existem hoje em 24 estados do Brasil, 1,17 milhão de quilombolas. São 214 mil famílias em diversas comunidades, sendo 1.948 reconhecidas oficialmente pelo Estado brasileiro.

Então amigos(as), espero que vocês tenham compreendido um pouco mais a questão das comunidades quilombolas!  Agora é com vocês: aprofundem a sua pesquisa e compartilhem os resultados dela com seus(as) professores(as), colegas e amigos(as).

Abraços!

Fontes:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2003/d4887.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Quilombo

http://www.koinonia.org.br/visoes_quilombolas/identidade.asp

http://www.palmares.gov.br/2012/11/governo-federal-promovera-acoes-para-beneficiar-comunidades-quilombolas/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s