DIA MUNDIAL DA EDUCAÇÃO

Olá turma, beleza?!

Vocês sabiam que hoje, 28 de abril, é celebrado o Dia Mundial da Educação?

Esta data faz referência a um encontro de representantes de 180 países participantes do Fórum Mundial de Educação realizado entre 26 e 28 de abril de 2000, na cidade de Dakar, no Senegal, onde foi assinado um documento no qual estes países se comprometiam a não poupar esforços, políticos e financeiros, para que a Educação chegasse a todas as pessoas do planeta até o ano de 2015.

Este fórum é considerado um marco para a educação global pois nele os países participantes assumem o compromisso de atingirem os objetivos da Declaração de Jomtien – documento criado na Conferência Mundial sobre Educação para Todos, no ano de 1990, em Jomtien, Tailândia. Universalizar o acesso à educação e promover a equidade, ampliar os meios e o raio de ação da educação básica e propiciar um ambiente adequado à aprendizagem são alguns destes objetivos.

Segundo a representação da UNESCO no Brasil, nosso país apresentou os seguintes avanços nestas últimas duas décadas: o acesso ao ensino fundamental está quase universalizado, com 94,4% da população de 7 a 14 anos incluídos nesse nível de ensino; a proporção de jovens na idade própria que se encontra no ensino médio é mais que o dobro da existente em 1995, mostrando expressivo avanço no acesso à educação secundária; redução das taxas de analfabetismo entre jovens e adultos; aumento no acesso ao ensino superior.

E por acreditarmos na educação como um meio para garantir oportunidades iguais de acesso a melhores condições de vida e de trabalho é que nos engajamos nessa ação de levar pra vocês, estudantes, professores e a toda comunidade escolar baiana conteúdos atualizados sobre as mais diversas áreas do conhecimento.

Conheça um pouco mais sobre as ações desenvolvidas pelo Governo do Estado da Bahia para promover a construção de uma Educação cada vez mais forte, dinâmica e colaborativa nos nos links http://www.educacao.ba.gov.br/ e http://ambiente.educacao.ba.gov.br/.

Um abraço, galera!

Fontes:

http://www.educabrasil.com.br/eb/dic/dicionario.asp?id=111

http://unesdoc.unesco.org/images/0008/000862/086291por.pdf

http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/education/education-for-all/

Anúncios

Surfistas rompendo estereótipos

Não se sabe exatamente em que momento se deu a origem do surfe, sabe-se porém que esta prática de deslizar sobre as ondas há muito tempo já era praticada pelos povos polinésios.

Apesar de ser um esporte, muitos surfistas tiveram que a aprender a lidar com um estereótipo pejorativo. Porém, graças aos próprios surfistas esse preconceito vem sendo quebrado. Há algumas décadas atrás era muito difícil um pai de família ser representado com uma prancha de surf na mão, hoje em dia o surf é praticado por todas as classes sociais e o estereotipo do praticante do surf mudou para um símbolo de saúde e lazer.

Os surfistas estão com tanta moral que agora a tecnologia ajuda com recursos que são utilizados para saber como estão as ondas, especialmente a internet , onde o surfista pode conferir ao vivo, através de sites especializados, as ondas de todo o litoral brasileiro e mesmo do exterior, através das câmeras nas praias.

O Professor Web já teve seus momentos de surfista nas praias baianas. Confira as fotos…

pw_surfista_2012_v21

https://oprofessorweb.files.wordpress.com/2011/08/pw_surfista_2012_v21.png

https://oprofessorweb.files.wordpress.com/2011/08/pw_banneer_blog1.png

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Surfe

A lenda da barata sem cabeça

fala, galera!

Famosas por serem duronas as baratas são as únicas prováveis criaturas que poderiam sobreviver a um holocausto nuclear.

As baratas urbanas são capazes de viver três dias sem água e dois meses sem comida.

Mas várias baratas conseguem sobreviver cerca de um mês sem comida e sem água e aproximadamente dois meses só com a água.

Como se isso já não fosse o bastante, uma barata sem cabeça consegue sobreviver por semanas.

Mas, ao contrário da crença popular, suas cabeças também acomodam seus cérebros.

A maior parte da atividade de seus sistemas nervosos, no entanto, acontece em gânglios nervosos localizados por todo o corpo delas.

Esse é um dos motivos que explica o porquê uma barata sem cabeça pode viver por mais de uma semana; ao contrario do cavaleiro sem cabeça, que morreria em segundos por falta dela.

Valeu e até mais!

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Barata-americana

Cine PW: XINGU e Tudo OK. Os Índios Pataxó Hã-Hã-Hãe e o desenvolvimento rural.

O índio só sobrevive na sua própria cultura.” (Irmãos Villas-Bôas)

Quer saber mais sobre os Irmão Villas Boas e a Expedição Roncador Xingu: Acesse Aqui

De Bônus: Tudo OK. Os Índios Pataxó Hã-Hã-Hãe e o desenvolvimento rural.

Fonte: http://www.indiosonline.net/filme-documentario-sobre-os-pataxo-hahahae/

Valeu e até mais!!!!

Oficina de Roteiro Cine Ruby

 

A oficina de roteiro, ministrada por Clarissa Rebouças, destina-se a pessoas que estejam interessadas em aprender os princípios básicos da narrativa de roteiro de ficção. O objetivo da oficina é que os alunos saiam com conhecimento suficiente para escrever um roteiro de curta ficção. Esta oficina de roteiro é a contra partida do projeto Cine Ruby, contemplado pelo Fundo de Cultura, através do Demanda Espontânea.

Quando? 28/05 a 01/06 das 09h as 13h.

Quanto? Gratuita.

Onde? DIMAS, Rua General Labatut, 27, Barris.

Inscriçõeshttp://oficinaroteiro.blogspot.com.br/ até 04/05.

Informações: oficinaderoteirocine@gmail.com

Participe!

Cabelo Moicano

Êa, galera esperta!

Se você tem esse corte de cabelo maneiro aprenda de onde ele veio e o que ele representa.

O moicano é um corte de cabelo de origem indígena que era usado pelos povos moicanos, iroqueses e cherokees.

Este corte de cabelo tem envolvimento direto com os índios moicanos que preferiam morrer a deixar serem controlados pelos homens brancos que chegaram a seus territórios; por isso, os punks usam este tipo de corte para simbolizar a sua ideologia com o lema: “é preferível morrer do que viver como um fantoche”.

O estilo caracteriza-se por possuir uma crista no meio da cabeça geralmente raspada dos lados, embora, historicamente, os indígenas arrancavam os cabelos dos lados ao invés de rasparem.

São dois tipos de cortes moicano:

  • Moicano spikes: é o moicano que em vez de uma crista possui espinhos.
  • Moicano leque: É aquele que é uma crista perfeita, geralmente raspado dos lados.

Agora escolha seu estilo e represente bem esse corte de cabelo.

Valeu, galera, um forte abraço!

Fontes : http://pt.wikipedia.org/wiki/Moicano_%28corte_de_cabelo%29

Projeto Leituras Públicas na Biblioteca

Na próxima quinta-feira (26), a Biblioteca recebe a estreia do projeto Leituras Públicas, que tem como objetivo fomentar a leitura através da aproximação entre o público e o autor. O evento acontece no Quadrilátero, a partir das 17h, e tem entrada gratuita.

Nesta primeira edição, os escritores convidados são Lima Trindade, Tom Correia, Gustavo Rios e Elieser César, autores do livro As Baianas. Além de fazer a leitura de trechos do livro, os escritores responderão a perguntas sobre a obra, mediadas pela jornalista Renata Rocha.
Os encontros do projeto Leituras Públicas acontecerão uma vez por mês, até março de 2013, trazendo sempre um escritor diferente para falar sobre sua obra.  Com esta ação, a Diretoria do Livro e da Leitura da Fundação Pedro Calmon/SecultBA pretende fomentar a cultura da leitura de livros na Biblioteca e o reconhecimento da importância do livro na vida do cidadão, que tem a oportunidade de ouvir os autores lendo suas obras e conversar com eles.
Quando: 26 de abril, às 17h
Onde: Quadrilátero da Biblioteca (térreo)
Quanto: Gratuito

Palacete das Artes inaugura exposição em homenagem aos 100 anos de Luiz Gonzaga

 

O Palacete das Artes Rodin Bahia inaugura no dia 24 de abril, às 19h a exposição “O IMAGINÁRIO DO REI, VISÕES SOBRE O UNIVERSO DE LUIZ GONZAGA” com curadoria de Bené Fonteles, artista plástico, escritor e curador,  com 11 livros publicados no vasto currículo. Essa exposição é uma homenagem coletiva orquestrada por Bené, com expografia rica e diversificada sobre a vida e obra de Gonzagão, registrada em obras de arte, fotos, filmes, livros e Cd’s que integram a mostra realizada pelo Palacete das Artes através da Secretaria de Cultura e da Diretoria de Museus do IPAC. Na mesma noite Bené Fonteles lança o livro de sua autoria “ O Rei e o Baião”.

“O Imaginário do Rei” presta um tributo a Luiz Gonzaga numa mostra composta por xilogravuras de João Pedro do Juazeiro, José Lourenço, Francorli & Carmem, Francisco de Almeida, Elias Santos e Arievaldo Viana; fotos de Christian Cravo, Adenor Godim, Gustavo Moura,Vivente Sampaio, esculturas de Frank Castro, Cícero Arraes, Demóstenes, Salete Diniz, Murilo, e de outros artistas de todo o Brasil. Da mostra participam ainda, os artistas Sante Scaldaferri, com pintura sobre óleo, Iuri Sarmento, Fernando Coelho, com colagem/fotos, Juraci Dórea, pintura, Marepe, Bel borba, Bárbara Tércia, Caetano Dias e Ayrson Heráclito, Ciça Fitipaldi, e Zuarte, com a instalação Cama e colcha de Gonzaga. Vão ser apresentados na exposição a roupa que o estilista Ronaldo Fraga fêz para Maria Bonita e a artista Liara Leite expõe objetos de cerâmica que Lampião e Maria Bonita viram entre cactos e xique-xique.

A exposição vai mostrar os tapetes de parede com o tradicional São João do Carneirinho e Luas, feitos pela goiana Dona Benícia Pereira; a roupa de couro de vaqueiro confeccionada pelo cearense Seu Expedito Seleiro e muitos objetos de Luiz Gonzaga que foram pesquisados desde Exú, em Pernambuco, sua terra natal, até aos quatros cantos do Brasil onde Gonzagão, além de um dos maiores interprétes da música brasileira, era visto como um herói do povo nordestino retratado em suas músicas.

Na Bahia, em particular, lembra Bené Fonteles, “a presença de Luiz Gonzaga é primordial na obra compositiva de artistas como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Tomzé e na força das vozes de Gal Costa, Xangai e Maria Bethânia” E continua: “ Os mais jovens, sabem menos, dos desdobramentos comportamentais e musicais  provocados por Gonzaga na cena cultural brasileira  nas últimas quatro décadas que vão de Alceu Valença a Chico Science e Nação Zumbi, destes, Mestre Ambrósio ao Cordel do Fogo Encantado e Lirinha”.

A partir dos anos 40 Gonzagão ganha o Brasil de norte a sul com a difusão dos ritmos da música do povo nordestino. O mestre sanfoneiro, professor de tantos talentos brasileiros, comparado aos nossos maiores músicos, Villas-Lobos, Noel, Pixinguinha, Dorival Caymmi e Tom Jobim, soube com maestria assimilar os ritmos que a migração lhe apresentou, misturá-los e transformá-los numa música que representa a sonoridade e a sofisticação dos sons brasileiros. Junto com Carmem Miranda, Luiz Gonzaga é o segundo artista no país a transformar com originalidade os costumes e símbolos de sua Região.

 

O REI E O BAIÃO, O LIVRO

O livro de Bené Fonteles  “O REI E O BAIÃO “, com apresentação de Gilberto Gil, é um trabalho magnífico de pesquisa sobre os 100 anos de Luiz Gonzaga , em  377 páginas, onde foram registrados  imagens belíssimas e preciosos  textos de viés poético do autor,  os ensaios arrebatados de Antonio Risério, do próprio Bené, de Hermano Vianna e Sulamita Vieira, trabalhos de profunda imersão nas águas da antropologia, da sociologia, da linguística, da musicologia e da mitologia do novo mundo, escorado nas obras de autores como Euclydes da Cunha, Guimarães Rosa, Gilberto Freyre, Câmara Cascudo, Darcy Ribeiro e Ariano Suassuna.

A edição é ilustrada pelas xilogravuras de Francorli & Carmem, Elias Santos, Arievaldo Viana, João Pedro do Juazeiro, José Lourenço, Francisco de Almeida, a pintura de Ciça Fittipaldi e o ensaio fotográfico de Gustavo Moura e evidencia o talento de

Luiz Gonzaga na mistura e recriação dos ritmos do baião ao xote, do xaxado à toada, para se tornarem, com o samba, as matrizes musicais e poéticas da nova música popular no Brasil.

 

SERVIÇO

O que: Lançamento Exposição “ O Imaginário do Rei, Visões sobre o Universo de luiz Gonzaga”, e lançamento do livro de Bené Fonteles “ O Rei e o Baião”

Quando: dia 24 de abril ( terça-feira) às 19h

Onde: Palacete das Artes Rodin Bahia, rua da Graça 284, Graça, Salvador/Ba

Horário de funcionamento: de terça a domingo das 10h às 18h até o dia 10 de junho

Realização: Palacete das Artes Rodin Bahia, DIMUS/IPAC e SECULT/BA

 

Fonte: http://www.cultura.ba.gov.br/2012/04/18/palacete-das-artes-inaugura-exposicao-em-homenagem-aos-100-anos-de-luiz-gonzaga/

Paulo Freire Patrono da Educação No Brasil.

No ultimo dia 13 de Abril o Congresso Nacional sancionou Paulo Freire como patrono da educação no Brasil. Mas afinal quem foi Paulo Freire?

Paulo Reglus Neves Freire, nascido em Recife notabilizou-se como filósofo e educador. Seu trabalho na área da educação popular, era voltada tanto para a escolarização como para a formação da consciência política.

Paulo Freire é considerado um dos pensadores mais notáveis na história da Pedagogia mundial, tendo influenciado o movimento chamado pedagogia crítica. A sua prática didática fundamentava-se na crença de que o educando assimilaria o objeto de estudo fazendo uso de uma prática dialética com a realidade, em contraposição à por ele denominada educação bancária, tecnicista e alienante; o educando criaria sua própria educação, fazendo ele próprio o caminho, e não seguindo um já previamente construído; libertando-se de chavões alienantes, o educando seguiria e criaria o rumo do seu aprendizado.

Paulo Freire delineou uma Pedagogia da Libertação, intimamente relacionada com a visão marxista do Terceiro Mundo e das consideradas classes oprimidas na tentativa de elucidá-las e conscientizá-las politicamente. As suas maiores contribuições foram no campo da educação popular para a alfabetização e a conscientização política de jovens e adultos operários, chegando a influenciar em movimentos como os das Comunidades Eclesiais de Base (CEB).

No entanto, a obra de Paulo Freire não se limita a esses campos, tendo eventualmente alcance mais amplo, pelo menos para a tradição de educação marxista, que incorpora o conceito básico de que não existe educação neutra. Segundo a visão de Freire, todo ato de educação é um ato político.

Com a palavra Paulo Freire !

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Paulo_Freire

Chegada dos portugueses ao Brasil

Olá, turma!

Como todos sabem, no dia 22 de abril é comemorado o Descobrimento do Brasil, não é verdade?

Mas, como podemos afirmar que essas terras foram descobertas, se nelas já existiam centenas de milhares de habitantes?

Bem, para melhor compreender esses questionamentos é preciso voltar um pouco na história. Nos últimos anos que antecederam as Grandes Navegações, Portugal vivenciava uma grave instabilidade econômica, dentre outros fatores, devido as revoltas camponesas que se alastravam na Europa. Naquele momento o mercantilismo foi adotado como política econômica para garantir os privilégios da nobreza abalada com a crise do feudalismo.

Em busca de novos mercados, Portugal lançou-se ao mar. Essa expansão marítima resultou na vitória da burguesia sobre os interesse da nobreza.

Em 1500, numa expedição cujo o intuito era chegar no Oriente, as caravelas sob o comando de Pedro Álvares Cabral acabaram vindo parar onde hoje conhecemos como Brasil, entretanto naquela época não tinha essa denominação. – A princípio acharam que se tratava da Índia, até perceberem que os atrativos comercias que buscavam não se encontravam por aqui. Todavia, isso não foi impedimento para eles, que logo desenvolveram outras formas de exploração.

A opção de invasão adotada por Portugal buscava submeter os povos locais à cultura e à coroa portuguesa. Não havia intenção de construir novas formas de relações com aqueles que já habitavam a região. Assim a forma de colonização revelou os interesses comercias da coroa em busca de melhorias para os poucos beneficiários dessa invasão. Dos povos que já viviam no Brasil foram retiradas terras, força de trabalho e vidas. Foi assim que o Brasil se descobriu explorador de seu povo e diante de posturas clientelistas ainda se percebe o quanto interesses comercias falam mais alto do que o respeito à dignidade.

Depois de passados mais de 500 anos, podemos apenas esperar por novas formas de relação ou agir e construir as mudanças…

Gostaríamos de saber a opinião de vocês a respeito disso. O Brasil foi descoberto ou houve uma tentativa de destruir a sua essência?

A TV Anísio Teixeira foi à Praça Castro Alves descobrir o que pensam os brasileiros sobre o dia 22 de abril, conhecido como o dia do descobrimento do Brasil.

Para saber mais sobre a TV Anísio Teixeira, acesse
www.iat.educacao.ba.gov.br/TVAT

Siga o Instituto Anísio Teixeira também no twitter – @iat_com, no orkut e no facebook – InstitutoAnisioTeixeira.